sábado, 3 de junho de 2017

Wonder Woman - Filme Inspirador


WONDER WOMAN

-

Filme Inspirador








Este filme é espectacular! Não por ser perfeito, mas por ser inspirador na sua imperfeição. É um filme de super-heróis, logo não é para o gosto de todos, isso é normal. Mas para quem gosta minimamente deste tipo de filme, é uma experiência incrível!

É bem feito, tem humor, os actores foram bem escolhidos e desempenham bem o seu papel, tem momentos de grande heroísmo e algumas verdades espirituais pelo meio. A personagem de Diana (Wonder Woman) é quase como um anjo: linda, inocente, bondosa e poderosa.

Eu vi hoje o filme e saí da lá num estado extraordinário! É inexplicável, ou talvez muito difícil de verbalizar. Senti-me cheio de energia e numa paz imensa. A mente variava entre períodos de silêncio absoluto e de inspiração poderosa. O mundo parecia mais lento. O resto não sei como explicar mas adorei! 

Não foi a primeira vez que me senti assim, mas esta foi mais forte e trouxe algo diferente. Para quem conhece o Cool Vibes não é novidade que o Mad Max: Fury Road deixou-me todo maluco, mas nem sempre é um filme, por vezes é apenas "porque sim". Então o que houve de diferente desta vez...?

Bom, quando alcanças certos estados elevados, o mundo perde o seu... glamour. Pois repara, quando te apercebes de que não precisas de nada nem de ninguém para sentir os estados mais estimulantes e poderosos, que te transformam a ti e à tua vida, que é algo que está sempre dentro de ti e só depende da tua intenção para o "convidares" a surgir e energizar-te, surge automaticamente uma pergunta interessante:

O que tem o mundo para oferecer aquele que se sente extraordinariamente bem independentemente dele?

No passado a resposta era simples:

Nada.

Se está tudo dentro de nós, se o estado mais incrível não é consequência de algo deste mundo, e ao qual nada neste se compara, então este mundo não tem nada para oferecer na verdade.

Faz sentido, certo?

Certo.

Mas há aqui um erro cómico...

Repara, este estado tem como origem o que somos. Vem do nosso lado espiritual, não linear, invisível, não material/físico/emocional/mental. Logo, lógica não faz parte desse Reino maravilhoso.

Então desta vez parece que "fui" um bocado mais longe, mais à frente...

Desta vez a resposta não foi "nada".

O que tem o mundo para oferecer a quem se sente extraordinariamente alegre, poderoso e em paz independentemente dele?

Uma oportunidade para Amar.

Não falo em lamechices nem sentimentalismos parvos. Não falo em mero romance nem em fazer teatros de santidade e caridade. Não falo nas ilusões de carência, dependência, enfatuação e desejo/atracção. Falo em Amor real, o estado poderoso de incrível coragem e dedicação. E há muitas formas de Amar neste mundo, cada um terá a sua. Não importa se não temos super-força ou se não projectamos raios de energia pelas mãos. Não é o super-poder que faz o super-herói, mas sim o seu espírito, a sua intenção, a sua integridade e heroísmo. 

Amar pode ser visto como contribuir, ainda que em aparência pareça que a pessoa não está a contribuir. Amar não se limita a dar dinheiro ou comida aos pobres, isso é válido pois alivia-lhes temporariamente um tipo de sofrimento. Mas há outros tipos de sofrimento, e outros tipos de contribuição. E pessoas diferentes nasceram para fazer o seu tipo de contribuição, e aliviar o seu tipo de sofrimento.

E talvez uma das maiores formas de Amar e contribuir é sermos nós próprios. Sermos autênticos e seguir-mos o que amamos, pois quando seguimos o que amamos é só uma questão de tempo até haver Amor a sério na nossa vida. E a grande contribuição disso é que estamos a dar um exemplo com a nossa forma de ser. Seremos uma inspiração, pois não há Amor sem Coragem, e não é possível ser-se assim sem se ter estados e experiências extraordinárias.

Eu por exemplo nasci para desenhar e escrever este blogue. É o meu tipo de contribuição e é assim que aproveito a oportunidade de Amar que este mundo me dá. Não tenho ilusões em relação a este mundo e à natureza humana, mas isso é irrelevante pois só importa sermos nós próprios. O que faz a diferença é interior e espiritual, não é mundano. O que nos rodeia não é desculpa para se ter atitudes negativas, falsas, narcisistas e com falta de integridade. Há uma liberdade eterna para se seguir e ser aquilo que se quiser: as tentações do ego ou as lições do Espírito.

Então a lição de hoje é que o mundo tem para nos oferecer uma oportunidade para Amar, seja como for essa forma de Amar. Mesmo que a verdadeira felicidade não venha dele, nele podemos expressá-la e ser sempre aquilo que somos, aquilo que nos energiza. Aquilo que nos Ama todos os momentos.

Para acabar, quero deixar escrito algo que disse algures num áudio e a amigos. Há 1 ou 2 anos atrás, ao ver um dos filmes dos Avengers, e estando consciente do estado negativo, sério (baixa energia e demasiada violência gráfica) e negro (com pouca ou nenhuma integridade nas histórias e personagens) do cinema no geral, tive uma pequena visão. Eu vi que seriam os filmes de super-heróis que iriam salvar o cinema dessas trevas. Que trariam novamente mais filmes com histórias e personagens inspiradoras. Pois em essência é isso que os super-heróis são: seres heróicos que inspiram devido às suas acções íntegras, usando os seus poderes para o bem. São seres benignos, e as suas histórias têm sempre lições de moral ou ética, e princípios e verdades espirituais, para além de incluírem humor e imaginação (há excepções claro, mas a verdadeira história de super-herói tem todos esses elementos positivos).

E esta salvação está a começar a acontecer a sério. Tanto o Guardians of the Galaxy Vol. 2 como a Wonder Woman (mas muito mais na Wonder Woman) são filmes que entretêm mas que também inspiram aqueles que estiverem abertos a (e prontos para) serem inspirados, pois mostra integridade em acção e o que é ser energizado pelo Espírito. É incrível e eu estou a adorar!

Segue o que Amas,
- Pedro C.