AMOR

"Ensina só Amor, pois é isso que tu és"

domingo, 23 de outubro de 2016

"Como Ser Selectivo e Ter Relações"

"Como Ser Selectivo e Ter Relações"

Subscreve o novo canal de Youtube do Cool Vibes em:




Perguntas de leitores do Cool Vibes:


Pergunta 1:

Olá Pedro, como estás? Eu, aprendendo muito... acaba de chegar um dos livros do Hawkins que comprei, primeiro que poderei folhear, já que o anterior é digital. Em breve terei férias e espero me dedicar com mais tempo a esses ensinamentos.

Hoje, pensando, concluí que a ignorância nos permite não questionar e nem emitir opiniões sobre coisas da vida. E daí sofremos as consequências porque ignorar é aceitar uma ilusão. Por outro lado, ter mais consciência nos permite escolher melhor o que nos acontece sem deixar decisões nas mãos de outros ou para o "destino", mas da mesma forma não é bom emitir opiniões a respeito. Se você as emite, você sofre a repressão dos demais que possuem visão diferente da sua. Ao ter a minha opinião própria, por não ter aquela visão estreita que tinha antes, passo a selecionar mais tudo na minha vida: experiências que já sei que me trarão consequências indesejáveis; pessoas e relacionamentos. Porém, eu tenho me sentido muito só. Não que isso seja de todo mal, pois adoro ficar só. Tenho procurado aproveitar mais momentos com as pessoas, tornando-os mais intensos. Por exemplo, cozinhando para parentes - me parece que se faço belos e gostosos doces, consigo tirar o foco do negativo, falamos de doces por exemplo, receitas, e isso me motiva. Também sobre outros assuntos, com outras pessoas, me calo. Hoje peguei um táxi e quando o motorista fez um comentário que me pareceu ignorante, fiquei em silêncio.

Mas penso que não gostaria de permanecer assim, sozinha. E me pergunto aonde estão pessoas com quem eu possa trocar experiências, positivas. Mesmo negativas, que sejam de um grau que importe de verdade. Não me interessa falar sobre novelas! Ou sobre o seriado e me preocupar se a mocinha ficará com o vilão ou se o reino será de determinado clã.

Também gostaria de ter uma família, embora não tenha certeza se ainda quero eu ter os filhos ou por um acaso adotá-los. Mas gosto de crianças, adoro observá-las, brincar com elas, e sinto falta de ter o que existia na minha infância com meus irmãos e pais - chegar em casa, ter pessoas com quem divido experiências do dia a dia, histórias, risos e choros. Não exatamente como a minha família, hahaha, porque era difícil em muitos momentos viver entre eles. Mas sobrevivemos e hoje considero que evoluímos muito em respeito, admiração, amor verdadeiro uns pelos outros.

Não sei se estou seletiva demais, mas será que esse caminho é solitário dessa forma? Penso que seja karma, que não é para ser mesmo. De fora tudo é lindo e maravilhoso, mas vamos lá: vejo casais aonde me parece que há sim uma grande apreciação e troca verdadeiras, pessoas lúcidas, gentis, interessadas em construir. E daí que se não tenho uma experiência como essa, é porque meu karma não me permitiu ainda, mas possível é. O que você acha disso?”


Pergunta 2:

Olá Pedro, gostaria de te perguntar uma coisa, achas que o facto de uma mulher engravidar de um homem com a intenção de o tentar "Prender" para sempre a ela, dá resultado?

Conheço várias mulheres com os seus 20/30 anos que fizeram isso, e deu resultado, pelo menos por enquanto.

Por exemplo, conheço uma amiga minha que namorou um rapaz durante 1 ano e terminaram o relacionamento por uma coisa sem importância e ficaram alguns meses a sair juntos mas não tinham sexo porque ela não queria, disse-me que era porque assim se ia apegar mais a ele e nao se queria magoar pois ele disse-lhe na altura que nao tinha a certeza se queria voltar a namorar com ela ou nao... passado um tempo ele chegou-lhe a dizer a minha amiga que podiam tentar ter um filho e assim ficavam juntos para sempre, o que a deixou mais feliz na altura ..mas passado pouco mais de um mês ele começou a fazer sexo com outra..porque por essa altura ele ainda não tinha retomado a fazer sexo com a minha amiga (ex-namorada) e como ele não aguentava muito tempo sem fazer sexo acabou por conhecer outra rapariga que lhe deu isso mais facilmente, o que e certo é que passado umas semanas essa nova rapariga engravidou dele.. ele só soube da gravidez quando eles já não estavam juntos... a rapariga passou os meses de gestação sem estar com ele pois não havia sentimentos e eles não eram namorados nem nunca foram mas a minha amiga ficou de rastos, está a passar uma fase muito complicada e está muito revoltada com a situação... pois depois de ela saber ele e a minha amiga voltaram a namorar e ele disse lhe que preferia mil vezes te la engravidado a ela do que à outra mas depois de terem namorado ..ele pouco tempo depois trocou-a pela que estava gravida...pois a gravida também não largava..o filho já nasceu e já vivem juntos e tudo.. á quase 3 meses.

Diz-me ..neste caso foi a gravidez da outra que o prendeu?..pois um filho, quer queiramos quer não, aproxima duas pessoas..penso eu...será que dará resultado para toda a vida?

Até eu estou triste, não sei o que eu de fazer para a minha amiga se sentir melhor, ela está muito deprimida.”


Pergunta 3:

Helow Peter, tudo bem contigo? Nos últimos tempos tenho andado a fazer um esforço para melhorar pequenas coisas em mim tal como não interromper as pessoas quando falam, ouvi-las de verdade, perguntar como foi o seu dia e acima de tudo comecei a ser mais honesto com as pessoas em geral (é muito mais fácil dizer meias verdades do que ser honesto). Hoje por surpresa notei que são qualidades que pouca gente pratica (igual que eu antigamente lol). O que acontece é que cada vez gosto menos que me façam o que eu deixei de fazer. Algumas pessoas são do meu circulo intimo. Isso deixa-me um pouco preocupado porque eu não conheço muita gente. Ainda me falta refinar o meu lado social.

Por um lado entendo as pessoas e tento não cair na armadilha da raiva e do julgamento por outro lado já não me apetece muito estar com algumas pessoas. Por sorte tenho uma paixão na vida e cada vez que me sinto assim, sozinho, dedico-me mais a ela, isso é algo gratificante, uff! Estou um pouco confuso Pedro com esta "surpresa" e não quero estar sozinho. Podes ajudar-me por favor? Podias mandar-me um quilo de confiança e dois de Consciência, acho que isso me ia ajudar bastante, eu pago o transporte e pago-te um copo depois (com bebida boa, claro) ☺ ! Abraço.”


Obrigado pelas perguntas.

Segue o que Amas,
Pedro C.


6 comentários:

Outlets e companhia disse...

Você voltou!!! Já estava preocupada meu amigo! Obrigada.

Luis Rodrigues disse...

Boa tarde Pedro Constantino Meu nome é Luis e concordo com suas filosofias de vida . Uma coisa que eu gostei de ouvir foi quando você contou que estava em um lugar e vei-lhe ao pensamento a mente de que você podia fazer o que quisesse , eu também as vezes já senti o mesmo. Mas as vezes fico com um bloqueio e não consigo fazer nada eheheh

Pedro C. disse...

Oi! Obrigado, mas não é preciso ficares preocupada. Não te tortures haha Quando um dia escrever aqui um post chamado "Como Deixar o Mundo", aí sim, é pouco provável que volte. haha

Pedro C. disse...

Luis Rodrigues:

Olá, o que eu disse foi que quando saio do trabalho, por exemplo, sou livre para ir onde quiser em Lisboa, fazer o que eu quiser. Há uma grande diferença entre pensar/sentir que se é livre e em realmente ser-se livre. Para se ser livre na vida social, sem bloqueios, tem que se ter um certo nível de experiência e sabedoria, e um amor por essa área da vida. Quando se é assim o que se experiencia é uma motivação e entusiasmo em explorar e descobrir, em ter novas experiências, ou em repetir tipos de experiências de que se gosta, sendo-se ao mesmo tempo selectivo, pois já se fez um pouco de tudo, logo sabe-se bem o que realmente vale o investimento de tempo e energia (e dinheiro), e o que seria apenas mais uma perda de tempo/energia/dinheiro.

Portanto há uma fase em que se faz muito, e depois há uma fase em que se faz menos, pois vai-se de quantidade para qualidade, mas o entusiasmo continua presente. O bloqueio começa a desaparecer quando decidimos ir em frente e arriscar quando o sentimos. E para ajudar nesse processo temos de começar a pensar mais positivo e em nos focarmos mais no lado positivo daquilo que queremos fazer. Imaginar grandes coisas a nos acontecer, por exemplo, grandes e belas aventuras positivas e estimulantes, surpresas agradáveis, aquilo que gostaríamos de experienciar e sentir, etc.

Outlets e companhia disse...

Ah, que chato Pedro! Espero ter ido embora antes, seria péssimo não ler novos posts por aqui e saber que não os teríamos mais. Ficaríamos todos muito solitários.

Mas que conversa mórbida!

Abraços!
Ana

Pedro C. disse...

Ana Outlets:

Haha! Halloween :p

É dito que metade das pessoas que ficam Iluminadas deixam o mundo.

Não é conversa mórbida, nem uma história triste... é a maior das glórias humanas, a grande felicidade pela qual todos ansiamos. Seria bom sinal para mim.

Tradução: é fixe ;)