segunda-feira, 4 de julho de 2016

“Holy Hell – Uma Lição Em Falsos Gurus”

Holy Hell – Uma Lição Em Falsos Gurus”

Ora aí está um campeão da espiritualidade! Haha


Não, não é um filme inspirador. Pelo menos é provável que não o seja. Aliás, nem sequer é um filme, é um documentário com filmagens reais, e ainda nem sequer o vi! :D Mas basta ver o trailer para se perceber toda a história, e aquilo que é relevante aprender.

É mais um caso de seita “espiritual” com guru carismático.

Oh yeah! Haha

O valor deste documentário está nas filmagens reais que apresenta, e que foram feitas ao longo de 22 anos, por um estudante de cinema que fez parte dessa seita, e que andou a filmar horas e horas de quase tudo o que acontecia, sem saber que andava a ser enganado, e que de espiritual aquilo não tinha nada. Portanto as filmagens não tinham como intenção denunciar nada nem ninguém, eram apenas experiências artísticas de alguém que por hábito e gosto já filmava, e que nunca tinha visto nada como o que estava a acontecer diante dos seus olhos.

A intenção deste post não é avaliar a qualidade do documentário, uma vez que ainda não o vi, mas sim falar deste fenómeno de seita “espiritual” e gurus carismáticos (ou seja, falsos gurus), de forma a tentar evitar que mais pessoas caiam nestas armadilhas.

No caso deste documentário chamado Holy Hell, tudo começou bem. Ou pelo menos assim parecia ;) Resumindo, as pessoas juntavam-se para meditar. O falso guru carismático Michel (que depois mudou o nome para Andreas), fornecia o espaço e a orientação (assim me parece). Basicamente o grupo de pessoas juntava-se para actividades positivas, para dançarem juntos, rirem juntos, mergulharem juntos, conviverem em gratidão, serviço e alegria, ou seja, várias coisas que fazem um ser humano sentir-se bem quando as tem em mente ou as pratica. Claro que estas pessoas iriam querer voltar a Buddha Field (nome da seita, creio eu)!

Com entretenimento, a conhecer pessoas novas, e isolados do “mundo mau”, parecia perfeito, parecia um paraíso. Mas depois veio-se a revelar mais um inferno “divino”, tal como o nome do documentário indica. Ou seja, na verdade era um esquema, e as actividades de boas emoções temporárias nada mais eram que um mero isco. A parte divina era apenas fachada, uma aparência. A essência era narcisismo (inferno). O narcisismo do nosso espectacular guru carismático! :D

Como dá para ver pelo trailer, era um sosse cheio de estilo! Atlético, de speedos e óculos escuros, creio que era de desconfiar de qualquer coisa... haha! Veio da américa do sul para ser actor em Holywood, mas não conseguiu. Hmm... estranho :D

Agora sem palermices, eu aceito que o Michel, ou Andreas, até tenha começado bem intencionado. Calculo que tenha lido um livro espiritual e tenha-se sentido bem, e quisesse ter o seu próprio grupo de práticas espirituais e actividades de boas emoções. Mas quando o seu ego percebeu o que podia ganhar com aquilo, não resistiu à tentação do poder sobre as pessoas que o idolatravam, e começou o grande disparate do abuso dessas pessoas. Eu não sei o que realmente aconteceu a este homem, mas das duas uma: ou foi esperto logo desde o início, ou foi vítima da esperteza do seu próprio ego. O seu karma está todo lixado, isso é garantido, haha!

Seja como for, eu quero falar mais no geral deste tema, uma vez que não vi o documentário, mas é simples perceber o processo que está por detrás da criação destas seitas, e o porquê das pessoas cairem na armadilha.

Então regra geral temos o impulsionador de tudo: o guru carismático. O homem que fornece o espaço e orientação, e que organiza tudo. Ele partilha verdade e dinamiza as actividades que põem o pessoal a sentir-se bem. E aqui está a chave e o segredo de tudo: fazer as pessoas sentirem-se bem como não se costumam sentir, ou nunca se sentiram, com actividades que não costumam fazer no mundo normal ou sociedade. Isto dá logo uma aura de especial aos encontros e ao guru, pois as pessoas só têm duas opções: ou abandonam os encontros e nunca mais se sentem daquela forma espectacular; ou voltam para se sentirem daquela forma espectacular onde em nenhum outro sítio se conseguem sentir assim – e fazer aquilo que não fazem em mais lado nenhum.

Depois há outro truque: experiências “espirituais” (?) potenciadas por algo que o guru carismático faz às pessoas. Mais uma vez, ligação especial! Haha se a pessoa quer ter aquela experiência outra vez, tem mesmo de voltar aos encontros com aquele “guru”, pois supostamente é só graças a ele que a pessoa pode ter aquelas experiências maravilhosas :D mais uma associação falsa e perigosa.

Mas antes de tudo ser feito, o falso guru tem de conseguir cativar as pessoas a experimentar. Ora isso é conseguido com o seu carisma, o que não tem nada a ver com ser espiritualmente evoluído, haha! No caso do "Michel Andreas 1 2 3 da Silva 4" (haha!), ele era artístico. Sabia dançar, tinha sentido de humor, era actor, tinha estilo e a típica aparência idealizada como a fixe (atlético), e lia imenso sobre o tema, logo sabia falar sobre espiritualidade (o que tem a ver com memória e não experiência subjectiva de estados mais elevados, haha). Algumas destas características até são talentos humanos válidos (arte, sentido de humor, inteligência), mas nada têm a ver com sabedoria espiritual que é algo que só vem de uma experiência subjectiva de estados mais elevados, ou de se Ser de um nível de consciência espiritual (essência elevada).

Portanto, ele cativou as pessoas com o seu carisma e talentos, proporcionou o contexto para boas emoções através de actividades incomuns em grupo, entreteu as pessoas com tudo isso, e depois usou técnicas nas pessoas que potenciam (ou simplesmente forçam) estados mais elevados, ou alternativos, de consciência. Estas experiências maravilhosas que as pessoas tiveram, não foram graças a ele, mas ao Espírito que há em todos nós. Não foram graças a um poder especial que só ele tem, e que usou através de uma técnica tocando com um dedo na testa das pessoas :D sim, isso ajudou, acelerou o processo, deu-lhe impulso, mas não foi a origem do processo. E forçar um estado diferente numa pessoa não é o mesmo que verdadeira evolução espiritual. Há muitos truques e técnicas que podem forçar o nosso nível de energia a subir, mas isso é sempre e apenas temporário. A pessoa não evolui depois disso, passando a ter mais consciência da realidade, a sentir-se melhor de forma permanente no dia-a-dia, e a ser capaz de fazer coisas que antes não conseguia. É apenas uma experiência temporária estimulante, como ouvir uma música, ter uma conversa interessante ou dançar.

Nenhuma das actividades dinamizadas, nem nenhuma das técnicas para potenciar estados, têm algo de mal em si. Não têm, são inofensivas. O problema está na intenção com que são usadas e como são explicadas. E neste caso do guru carismático da seita, não são explicadas como sendo algo temporário que apenas estimula e entretem (como se fosse uma simples festa), e a intenção é associar as emoções e estados dessas actividades e técnicas a ele próprio e ao seu poder especial, dando-lhes um rótulo de, “é aqui e comigo e em mais lado nenhum”, deixando as pessoas como que viciadas, e a quererem voltar, e claro, a idolatrarem o nosso lindo falso guru como um Deus :D

Portanto regra geral a intenção do falso guru é essa mesma: ser idolatrado como um Deus. Pode também ser o dinheiro que ganha com sessões especiais altamente caras, e o prazer narcisista de ter o poder de controlar centena e meia de pessoas e as suas vidas, fazendo-as voltar para sentir coisas que elas podem sentir por elas próprias, sozinhas em casa, haha! E claro, sexo! :D o ego usa verdade espiritual como isco (é só conversa, pois não vem de consciência mas sim de memória do que leu), e distorce-a se necessário, para parecer um mestre ou guru e assim conseguir enganar e controlar um grupo grande de pessoas, levando-as a fazer tudo o que ele diz (favores, pagamentos, sexo, etc), convencendo-as de que só com ele e graças a ele é que podem experienciar determinadas coisas boas interiormente.

Isto é falso, claro. E na verdade só resulta com pessoas negativas ou espiritualmente ignorantes. Calhou bem ao Michel ter começado a sua grande obra teatral nos anos 80, em que praticamente não havia acesso a livros espirituais, nem havia internet para se verificar como as coisas realmente são, e assim era fácil impressionar, enganar e seduzir nesse contexto para se ser adorado como uma vedeta divina :D o truque foi, quase de certeza, associar coisas estimulantes mas do mundo físico, a fenómenos espirituais e poderes especiais que o tornaram superior aos olhos de quem sentiu esses estados temporários maravilhosos. Estar a dançar e a cantar na natureza é espectacular, mas nada mais é que uma experiência humana estimulante. Não é Iluminação, nem vem de um poder especial do guru carismático de Marte :D

Não! O poder está em ti, está em todos nós, e é uma dádiva do Espírito. Não dependes de nenhum sosse musculado, de ray bans no focinho, com nome exótico, ou de robe dourado e turbante fluorescente, para sentires e experienciares o que de melhor há para sentir e experienciar como ser humano e alma livre. A evolução acontece na nossa vida pessoal, e nunca num contexto controlado, e baseado em evitar a vida real humana (karma), e passar o dia em entretenimentos, jogos, danças e outras distracções estimulantes temporárias com o Michael Jackson da meditação, haha! :D

Certas técnicas orientadas por um mestre real competente podem ajudar, sem dúvida. Mas enquanto não subimos de nível de consciência os problemas e sofrimento mantêm-se, pois a ajuda foi temporária. O estado, ou cura, que a técnica facilitou foi temporário, foi bom, mas não causou evolução. E depois volta-se para a vida real, e os problemas no dia-a-dia mantêm-se, e tem-se o mesmo tipo de sofrimento e limitações, pois o nível de consciência é o mesmo.

Se queremos evoluir e ser mais felizes temos de enfrentar a verdade sobre nós próprios, e isso não se alcança dançando o Shangri La Dance Power Mix vol. 2 Summer Spirit 2016 :D isso é uma experiência muito boa e estimulante, libertadora até, mas a dança é apenas dança, e a evolução é evolução. Temos de aprender a fazer as coisas pelo que elas realmente são, não nos enganando a nós próprios, e principalmente não deixando outros espertalhões nos enganarem. Pois essas actividades estimulantes, e essas técnicas de estados temporários, em si são óptimas práticas positivas, mas muitas vezes são vendidas ao público ignorante como a melhor salvação do universo, e não são :D

Entretenimento pessoal não é desenvolvimento pessoal.

Jogos em grupo não é evolução. O nosso lado humano pode sentir-se muito bem com o convívio e estímulo dos jogos em grupo, mas a alma evolui sozinha. É um processo de auto-conhecimento que exige a coragem e humildade de ver e aceitar o nosso lado mais feio. Não é divertido, não vende bilhetes nem enche pavilhões. Não torna ninguém famoso nem rico. Não vicia nem controla ninguém. Enquanto que os falsos gurus são glorificados pois fazem o ego sentir-se bem, os verdadeiros mestres ou são censurados ou mortos pois aquilo que tem de ser feito para se evoluir e ser mais feliz é a curto prazo desagradável.

Não é fixe, nem sexy, nem entretem, nem seduz, nem tem abdominais, nem ray bans no focinho, nem abraça árvores... é uma atitude de guerreiro que quer libertar-se do “mundo” do ego. É aí que se percebe que não é só o medo em nós que nos impede de ir em frente no que importa, é também o egocentrismo dos outros à nossa volta, que não quer ouvir falar do que é verdade pois isso faria-o ter de enfrentar aquilo que ele não quer enfrentar, e o ego como é óbvio não se sente entusiasmado com o seu fim. O ladrão não quer ser preso, e para ele a polícia é o vilão ;)

Muitas vezes nestes encontros “espirituais”, sejam estes mais inocentes, ou sejam mesmo uma seita com a popstar da iluminação, um dos erros, ou estratégias, é o truque da aprovação. É fazer o ego sentir-se bem. É validar a torto e a direito, mas validação incondicional não é amor incondicional, hahaha!! Validação incondicional é estúpida pois é ignorante: é dizer a tudo e todos que são lindos e espectaculares! Mas serão mesmo? Nope! :D uns são, outros não. A sedução é feita pelo orgulho de receber elogios. A pessoa sente-se como nunca se sentiu antes pois na sua vida normal isso não acontece. Mas quem merece elogios geralmente recebe-os.

O problema está em aceitar a verdade sobre nós, e isso inclui: não sou tão espectacular como tenho a mania que sou :D é impossível fugir-mos à nossa verdadeira essência. Quem de facto tem talentos e qualidades reais vai ser elogiado por isso. Quem não tem nada de especial, apesar de achar que tem e de fingir que tem, vai viver na frustração e em falso orgulho, pois não recebe elogios, ou os que recebe são falsos. O karma é sempre perfeito e justo, nós é que podemos não estar conscientes de como ele funciona =)

E outra coisa, nestes encontros e seitas... uma pessoa que por exemplo esteja no nível de consciência do desejo, se lhe for feito algo, uma técnica, para lhe elevar o estado temporariamente, e essa pessoa experienciar o estado da neutralidade, ou confiança, essa pessoa vai achar que esteve iluminada e no paraíso durante 1 minuto! Haha quando na verdade esteve num estado positivo e bom, sim, num estado de integridade, mas que ainda não é um estado espiritual, da realidade espiritual, mas que lhe vai ser vendido como tal :D por esperteza ou ignorância.

A própria pessoa irá pensar que se iluminou, pois no estado de desejo ela quer algo e esse algo tem uma importância implacável, como se fosse um caso de vida ou de morte (e pode apenas ser um telemóvel novo, haha!); quando no estado de neutralidade, a pessoa pode preferir algo, mas já está bem sem esse algo, logo se o tem ou não, não afecta a sua felicidade, que vem da sua maneira de ser, e não do que tem. Ora, este estado de neutralidade comparado com o de desejo em que se a pessoa não consegue o que quer fica frustrada e furiosa, podendo matar até, vai parecer um estado de paz infinita! Haha mas não é. É bom, é positivo, é íntegro, mas não é a Iluminação.

Tanta conversa da minha parte, quando no fundo não há nada a fazer. Irão sempre haver falsos gurus, carismáticos e espertos, e irão sempre haver pessoas que por viverem num estado negativo e ansiarem por algo melhor e diferente, serão seduzidos por eles devido à sua ignorância espiritual. No fundo faz parte do karma de ambos. Da minha parte, eu tenho de escrever e denunciar o que tenho de escrever e denunciar. Pouco me motiva neste mundo, senão descobrir mais uma ilusão e desfazê-la. Desmistificar aquilo que perpetua sofrimento. Não tenho escolha, é o que faço espontaneamente e com gosto. Faço-o ao meu nível, verbalizo aquilo que consigo, consciente de que só consigo ajudar até certo ponto, e que o caminho continua depois de “mim”. Sei o que sei, e não sei o que não sei, e lá vou fazendo o que me apetece :D

Concluindo, a minha sugestão é que vás à vontade a todas as formações de desenvolvimento pessoal e encontros ou retiros espirituais que te apetecer. Desfruta todas as actividades, jogos, danças, meditações e técnicas, seja o shakti como no Holy Hell, sejam técnicas de PNL (programação neuro-linguística, da qual não percebo nada, só sei que existe, haha!), seja hipno-terapia, seja reiki, etc. Mas faz tudo isso atento. Não associes estados temporários a evolução. Desfruta-os, mas não lhes dês um significado que não têm. E não associes esses estados a ninguém. Não os experienciaste graças à Lady Gaga do Yoga nem ao Vanilla Ice de Abraçar Árvores, mas sim graças ao Espírito.

A melhor workshop de evolução é a nossa vida pessoal.

Esse nível de felicidade está ao teu alcance na tua vida pessoal, contemplando e meditando sozinho, usando afirmações e visualizações, sabendo como queres ser, aplicando princípios espirituais no teu dia-a-dia, vivendo com coragem, humildade, gratidão e autenticidade, fazendo escolhas melhores, e procurando dar o teu melhor em tudo o que fazes. Não dependes de nenhuma pessoa especial com poderes especiais para te sentires melhor, por isso não sintas que vais perder algo não regressando a eventos de alguém estiloso que na tua intuição não quer saber de ti, e está a abusar de ti de alguma forma.

Tu és Alegria, e não precisas de nenhum idiota de cabelo oxigenado, óculos espelhados, t-shirt pelo umbigo, badalos pendurados ao pescoço e saia feita com tapete de arraiolos que não toma banho há mais tempo que a Lua, para te fazer sentir Alegre. Existir é Alegria, basta isso. Na Paz do momento silencioso em que te apercebes que agora e sempre és Livre e Infinito, irás sentir toda a energia e Alegria que sempre quiseste, e que sempre foste.

Segue o que Amas,
Pedro Constantino

PS: Se quiseres saber mais sobre o documentário e o que aconteceu, vê esta entrevista que fizeram ao realizador:


8 comentários:

nelson goncalves disse...

Boa noite Pedro estar no estado de presença ajuda a evitar este tipo de burlas?

Pedro C. disse...

Nélson G.:

Sim. Estas burlas aproveitam-se da fraqueza e sofrimento das pessoas, e tornam-se como que uma "droga" que as pessoas querem tomar outra vez, tolerando os abusos para se sentirem melhor. No estado de presença, ou contemplação, não há sofrimento, haha! Logo não se precisa de nada desses idiotas vigaristas, logo eles não têm como manipular ou parecer especiais. E claro, nesse estado percebe-se a intenção do falso guru, e o que realmente se está a passar. Mas tratarmos da nossa felicidade, sendo independentes, é o essencial, pois assim esses ajuntamentos perdem o seu poder sobre nós, uma vez que não precisamos deles.

Romário Belarmino disse...

Pedro, conheço pessoas que perderam tudo, ou quase tudo, que tinham adquirido durante a vida inteira por causa dessas seitas. E até já houve quem tenha entrado em depressão severa.

Angelo disse...

Olá Pedro!
É bom que fales destes temas. Eu propio cresci e fui educado num meio assim. Tens razao no que dizes sobre o tipo de caracter que têm os lideres destas comunidades. Sao pessoas carismaticas e aparentemente santas mas na realidade sao do pior e o dano que provocam continuam a sentirse por muito tempo. Sao pessoas com a alma profundamente doente.
O lider do seio aonde nasci foi preso e morreu na prisao já a algum tempo. Ele fez-me sofrer muito a mim e a otras pessoas.
O bom é que hoje em dia temos acesso a mais informaçao. Existem coisas boas como este blog que já sigo há muito tempo. No principio acho que nao entendia realmente muita coisa do que está aqui escrito mas com o tempo e com a pratica dos exercicios que propoes começo a sentir-me melhor e ás vezes até me sinto bem!
Obrigado Pedro por contribuires para o meu bem estar, um abraço!

Fábio disse...

Olá Pedro :)

Estou mesmo a imaginar, ele depois de uma secção super espiritual ir para o ginásio tomar uns esteroides XD Até faz sentido :)

Pedro C. disse...

Romário B.:

Yap, são as consequências de se fazer parte dessas seitas.

Pedro C. disse...

Angelo:

Pois, eles aproveitam-se de quem está mal e ansioso por mais felicidade, e que ao mesmo tempo é espiritualmente ignorante. Mas com a quantidade e qualidade de informação que há hoje em dia sobre o tema dos falsos gurus e seitas, creio que seja possível que menos pessoas caiam na armadilha. Esses idiotas e esses grupos que se isolam do mundo real e natural não têm nada a ver com verdadeira espiritualidade. O grande factor que os denuncia é falta de liberdade. Eles não dão liberdade a ninguém para seguir o seu caminho, são tipo mini-ditadores, haha! Obrigado, é uma honra poder ajudar. Sem speedos e sem ray bans :D

Pedro C. disse...

Fábio:

haha, claro! :D

E segundo o que percebi, ele queria que todos os membros estivessem em forma (andassem sexys, basicamente). Hmm, sinal de predador sexual...? :D