sábado, 2 de julho de 2016

"Coragem: De Timidez A Confiança"

Coragem: De Timidez A Confiança

Subscreve o novo canal de Youtube do Cool Vibes em:



Pergunta de Leitor do Cool Vibes:

“Hey Pedro! =) Espero que estejas bem... Ultimamente tenho passado bastante tempo com uma rapariga com quem comecei a falar. Já a conhecia de vista à 2/3 anos mas nunca tinhamos falado nem nos aproximado. Agora que estou no último ano do meu curso, não sei porquê, nem como, temo-nos vindo a aproximar e temos estado algum tempo juntos nos intervalos e horas de almoço.

Ela fisicamente não tem grandes atributos, diria que o que mais me cativa nela é a sua personalidade, maneira de ser e ela até se veste de uma maneira atraente, ou seja, é bastante bonita. Ela muitas vezes senta-se ao meu lado encostando o corpo todo em mim, penso que isso é uma demonstração de interesse. Ela é uma rapariga que gosta muito de falar e às vezes sinto-me um bocado saturado de a estar a ouvir. Mas penso que faz parte, não? Mas tenho reparado que dentro de mim, surge-me sempre a pergunta "Será que isto tudo que estou a sentir não é derivado de carência?" Sim, porque eu nunca tive nenhum tipo de relação amorosa com uma rapariga. Outras vezes, dou por mim a pensar "Será que isto é tudo um esquema do ego para eu continuar a não ter nenhuma relação amorosa?". Nestes últimos dias que tenho estado mais próximo dela, tenho-me percebido de várias coisas em relação a mim próprio.

Percebi que um dos meus grandes medos, é sem dúvida, ficar vulnerável a uma rapariga. Confessar tudo e expôr-me por completo. Eu tenho medo de ser rejeitado. Tenho medo de ficar sozinho, tenho medo de ser gozado, tenho medo de mostrar quem realmente sou e que ela não goste. Tenho medo do que os outros possam dizer sobre mim ou sobre nós os dois. Tenho medo de não ter resposta para o que eles disserem. No fundo, não consigo ser realmente eu próprio, devido a este medo estúpido que me persegue durante estes anos de vida. Outras vezes dou por mim a pensar: "Será que é tudo uma estratégia do ego fazer-me pensar que isto vem de carência e assim evitar que eu enfrente os meus medos e continue miserável?"

Pedro, na minha vida inteira, que me lembre, nunca fui capaz de ser eu próprio, por causa deste medo. Sempre me ajustei aos outros para não acabar sozinho. Sempre aceitei o medíocre e aqueles que nem gosto assim tanto, porque afinal de contas, é melhor isso do que estar sozinho e ser gozado por todos... ou talvez não... Gostava mesmo muito de poder ultrapassar este medo e começar a ser mais feliz... Pedro, em relação à rapariga, o que achas que deva fazer? Achas que tudo isto é por mera carência? Achas que é tudo derivado à escassez? Desculpa o desabafo grande. Abraço.”

Obrigado pela tua pergunta.

Segue o que Amas,
Pedro Constantino

4 comentários:

Romário Belarmino disse...

Pedro, como é que devemos nos afastar de "amigos" que não respeitam os nossos momentos de intimidade com uma mulher, sem os magoar? Ou seja, semana passada, tinha saído para a discoteca, juntamente, com a minha namorada e mal acabamos de lá chegar, ví um sujeito que, por acaso, é meu "amigo", a dirigir em nossa direcção com aquele sorriso, um tanto ou quanto, cínico e sem, ao menos, ter o cuidado de ver que, afinal, eu estava acompanhado. Pronto, depois de me cumprimentar, o indivíduo ficou a conversar comigo durante alguns minutos, até eu ter de fazer o "ingrato" trabalho de me despidir dele, indo para um outro canto da discoteca. Pedro, depois, para o meu espanto, mal acabei de sair da discoteca, lá estava o sujeito, outra vez, a chamar-me, mas só que, desta vez, fingí que não estava a ouvir e fui andando, cada vez, mais depressa possível até conseguir ganhar uma distância razoável dele. Pedro, o que será que pretendia esse indivíduo? Será que estava com ciúmes e, assim sendo, queria fazer-me sombra? Porquê é que ele não foi falar com as outras mulheres que se encontravam na discoteca? Seja como for, penso que pessoas do tipo é tudo, menos amigo.

Pedro C. disse...

Romário B.:

Esquece isso do "sem magoar". Ainda por cima nem era uma amigo a sério, era um totó zé trolhó conhecido qualquer! :D não percas tempo com idiotas, a vida passa rápido, e eles vão sempre tentar sabotar-te os teus momentos de felicidade.

Muitas vezes esses conhecidos da treta fazem isso pois como não conseguem conhecer mulheres, o melhor que podem experienciar a seguir é estar com alguém conhecido que está com uma mulher, haha!

Por outro lado, ir a discotecas com namorada não é das melhores ideias, por razões óbvias. É um local de lobos, não de intimidade. Mais vale ires a sítios bonitos e calmos em que estejam a sós, ou com poucas pessoas à volta, como por exemplo restaurantes, jardins, etc, que não são contextos de predadores sexuais, haha!

Pedro Ribeiro disse...

Muito obrigado pela ajuda Pedro

Pedro C. disse...

Pedro R.:

De nada, foi uma honra.