sexta-feira, 13 de maio de 2016

"Quando Se Deve Contactar a Mulher De Quem Se Gosta"

Quando Se Deve Contactar a Mulher De Quem Se Gosta

Subscreve o novo canal de Youtube do Cool Vibes em:



Pergunta de leitor do Cool Vibes:

“Olá Pedro! Tenho acompanhado seu blog há cerca de 1 ano e meio e tem me ajudado de forma incrível! Sou muito grato a você pelos ensinamentos e visão de vida compartilhada. Pedro, certa vez tu disseste que deveríamos entrar em contato de 2 a 3 vezes por semana, no máximo, via telemóvel, com a mulher que estivermos conhecendo. Pode explicar melhor a razão disso? Já observei que quando entramos em contato todo dia com a mulher esta tende a se afastar de nós, mesmo que aparentemente ela tenha se sentido atraída ao início. Seria porque manter contato frequente é uma demonstração de carência e, ao mesmo tempo, de fraqueza e ausência de masculinidade? Saudações brasileiras!”

Obrigado pela tua pergunta.

Segue o que Amas,
Pedro C.

4 comentários:

Outlets e companhia disse...

Pedro, obrigada por este áudio. Ao mesmo tempo que falas do homem em relação a mulher, estás a falar da mulher e por esse lado eu vou entendendo melhor as minhas emoções, percepções e sentimentos quando esses fatos ocorrem. Até então generalizava dizendo: 'ah, a minha intuição me diz que é assim' mas na verdade é a leitura da energia do outro - ou é tudo a mesma coisa. A explicação sobre o que é o mal, mesmo que não seja algo físico ou aparente às nossas vistas - fantástico.
A sua interpretação sobre esses temas é de uma simplicidade e clareza absurdas, que não existe. Estou apanhando para ler cada página dos livros do Hawking e o que ele diz "me tocar" na alma, embora a energia das palavras seja perceptível. Aqui no coolvibes o ensinamento atinge diretamente o alvo, mas a cada vez que leio ou ouço descubro algo novo que não tocou da primeira vez.
E viva os guerreiros pacíficos: após um longo e tenebroso inverno, voltarei a praticar artes marciais! Vida longa para Conor McGregor, Pedro Constantino e para nós, os loucos!
Abraços!
Ana

Romário Belarmino disse...

Pedro, como já tinha dito antes, existem épocas em que vamos ter de fazer escolhas, uma vez que estaremos perante várias opções que vão desde mulheres desconhecidas até mulheres que, anteriormente, tinham feito parte da nossa vida. Agora, a minha dúvida é se devemos considerar todas essas mulheres como nossas potenciais namoradas, não excluindo nenhuma delas. Ou seja, se de entre todas elas, podemos escolher uma que poderá vir a ser a nossa futura namorada, independentemente se essa mulher vier a ser uma ex ou não? Não sei se conseguí formular a pergunta correctamente.

Pedro C. disse...

Romário B.:

Ex-namoradas e ex-mulheres são ex por uma razão: acabou-se! haha a realidade já nos disse que o nosso tempo de intimidade e sexo com aquela mulher acabou, não dá mais, é má ideia. Ou porque já não há atracção, ou porque os egos não são compatíveis e já deram cabo da ligação com o seu narcisismo. A minha sugestão é ver todas as ex como fora de questão, para simplificar e acelerar um processo que só por si já é tramado sem esses extras negativos.

De resto, quanto às outras, tu é que sabes. Tu é que sabes se te sentes atraído, o que achas dessas mulheres como pessoa, e como elas afectariam a tua vida em termos de felicidade e qualidade de estilo de vida. Pensa mais em desfrutar uma mulher no momento e esquece isso de namorar ("acorrentar a mulher a ti", haha!).

Romário Belarmino disse...

Olá Pedro, um muito obrigado pela resposta. Pedro, eu acho que o amor é um sentimento muito bonito, pelo que tenho alguma dificuldade em perceber o porquê de alguns homens, em pleno século XXI, ainda, quererem comprar a mulher com dinheiro e outras coisas. Até porque acho que não faz qualquer sentido, uma vez que isso não irá fazer a mulher ficar interessada num homem por quem nunca, antes, tinha sentido qualquer paixão. A questão que se põe é o seguinte: Ou seja, o homem, porque está apaixonado, começa a dar a mulher tudo e mais alguma coisa, com o objectivo de satisfazer todos os caprichos dela, mas só que, com o passar do tempo, o homem não vai poder continuar a honrar os seus "compromissos" com a mulher, por uma ou outra razão, e assim sendo, a mulher acaba por perder o "interesse" que nutria por ele. Resumindo e concluindo, posso dizer que a mulher não se compra, conquista-se. Pedro, estou certo ou não?