AMOR

"Ensina só Amor, pois é isso que tu és"

terça-feira, 24 de maio de 2016

"As Mulheres Não Se Compram Nem Conquistam, Amam-se"

As Mulheres Não Se Compram Nem Conquistam, Amam-se

Subscreve o novo canal de Youtube do Cool Vibes em:



Comentário de leitor do Cool Vibes:

“Olá Pedro, um muito obrigado pela resposta. Pedro, eu acho que o amor é um sentimento muito bonito, pelo que tenho alguma dificuldade em perceber o porquê de alguns homens, em pleno século XXI, ainda, quererem comprar a mulher com dinheiro e outras coisas. Até porque acho que não faz qualquer sentido, uma vez que isso não irá fazer a mulher ficar interessada num homem por quem nunca, antes, tinha sentido qualquer paixão. A questão que se põe é o seguinte: Ou seja, o homem, porque está apaixonado, começa a dar a mulher tudo e mais alguma coisa, com o objectivo de satisfazer todos os caprichos dela, mas só que, com o passar do tempo, o homem não vai poder continuar a honrar os seus "compromissos" com a mulher, por uma ou outra razão, e assim sendo, a mulher acaba por perder o "interesse" que nutria por ele. Resumindo e concluindo, posso dizer que a mulher não se compra, conquista-se. Pedro, estou certo ou não?”

Obrigado pelo teu comentário.

Segue o que Amas,
Pedro C.

5 comentários:

Outlets e companhia disse...

Oba!!! Áudio de mais de 1 hora. Obrigada, obrigada, obrigada Pedro!
Abraços!

Pedro C. disse...

De nada, é uma honra.

Gregorij Branco disse...

Olá Pedro como estás?
Mais uma pergunta (sou um grande chato haha!).
Tenho vindo a notar que estou cada vez mais desmotivado em estar com pessoas a socializar, sinto por vezes que é uma seca! Eu sempre tive tendência a isolar-me bastante desde pequeno, a verdade é que adoro estar sozinho e sempre me senti bem com isso, até melhor do que estar acompanhado; também sinto cada vez menos vontade de sair á noite sozinho, pois sinto algo de negativo, vou na intenção de conhecer mulheres e felizmente quero retirar isso pois só me causa mal-estar.Quero adoptar uma intenção diferente, contemplar a beleza das luzes da noite e a sua atmosfera que foi algo que sempre adorei fazer desde criança! Achas que isto é normal, como uma fase ou assim? Um grande apocalipse haha!

Um abraço para ti!

Gregorij.

Romário Belarmino disse...

Pedro, mais uma vez, os meus sinceros agradecimentos pelos áudios. Agora, quando a nossa namorada faz questão de que teremos de pertencer a mesma confissão religiosa que ela, é sinal de que existe alguma incompatibilidade "grave" entre nós? Ou isso se resolve com uma conversa franca, aberta e agradável? Será que lá porque as crenças religiosas do homem e da mulher são diferentes, a relação não tem pernas para andar, mesmo gostando um do outro? Entretanto, na minha opinião, acho que uma coisa não tem nada a ver com a outra. E isto de a mulher querer que o homem passe a frequentar a mesma igreja que ela, penso que não deixa de ser pura ilusão e fantasia, até porque o facto do homem começar a ter as mesmas crenças religiosas que ela, não vai mudar e nem reforçar o amor que ele tem por ela. Basta ver que os casais que se divorciam, geralmente, possuem as mesmas crenças religiosas. Por conseguinte, acho que não faz qualquer sentido um obrigar o outro a pertencer a mesma família religiosa. Acho que isto não é garantia de nada. Penso que, o mais importante de tudo, é haver respeito, amor e consideração entre ambos, independentemente se professam ou não a mesma religião.

Pedro C. disse...

Romário B.: "quando a nossa namorada faz questão de que teremos de pertencer a mesma confissão religiosa que ela, é sinal de que existe alguma incompatibilidade "grave" entre nós?"

O homem é livre de ter a religião que quiser, e isto inclui ser livre de mudar de religião por causa da namorada, passando a ter a mesma religião que ela. Mas essa é uma escolha livre do homem, e da mulher, e ninguém tem nada a ver com isso, nem pode obrigar o parceiro a mudar de religião. Neste caso específico é o homem que decide se muda ou não. Seja como for, é irrelevante para a qualidade da relação, pois isso depende de como ambos realmente são (nível de consciência, tipo de personalidade, etc). Também não tem nada a ver com se realmente se amam ou não. A única coisa que posso dizer como orientação para uma boa escolha, é que se essa mudança de religião for demasiado importante para a mulher, é mau sinal. Se ela gostasse realmente do homem em questão, e se valorizasse o que realmente torna uma relação bonita, isso seria secundário.