AMOR

"Ensina só Amor, pois é isso que tu és"

quarta-feira, 2 de março de 2016

“Porque Ser Vegetariano é Irrelevante Para a Evolução Espiritual de Consciência”

“Porque Ser Vegetariano é Irrelevante Para a Evolução Espiritual de Consciência”


Pergunta de leitor:

“Olá Pedro! Feliz Ano Novo e que neste ano espectacular que nos espera, o Cool Vibes continue nos ensinando tanto como até aqui! :D Tenho aqui uma dúvida sobre Evolução Pessoal: Sou vegetariano e gostaria de saber sua opinião sobre esta escolha alimentar. Confesso que ainda não conheço toda a amplitude do meu ego e não sei se no fundo isso poderia ser um modo de pensar do ego que atrapalhasse na evolução da consciência. Fiz esta escolha de forma consciente (nada me obrigando) e isto me faz sentir bem. O que realmente importa nas nossas escolhas para subir de nível, neste aspecto, é estarmos bem? E a vida dos animais, merece o mesmo valor e respeito que temos por outro ser humano? Mais uma vez, obrigado! Abraço!”


Resposta, comentários:

A minha opinião é irrelevante, uma vez que todas as opiniões têm como origem o ego, e por isso são ilusões que não nos levam a lado nenhum. O que importa é o que é de facto Verdade, que é algo que se descobre através de experiência subjectiva. Há vários níveis de Verdade, e várias formas de verbalizar cada um desses níveis. O Cool Vibes é apenas uma expressão de um desses níveis, verbalizado de uma forma que tem como origem a minha essência actual e tipo de personalidade.

Se te faz sentir bem ser vegetariano, óptimo, sê vegetariano. Aquilo que comemos pode permitir o corpo ser mais, ou menos, saudável, mas não tem qualquer influência na nossa evolução espiritual de consciência. Ninguém alcançou a Iluminação devido a mudar a sua dieta, haha! Nem a meter-se em poses estranhas e a respirar de forma estranha, como o David Hawkins alertou :D

São as escolhas no nosso dia-a-dia que permitem a nossa consciência evoluir. É a intenção por detrás das nossas acções. É o enfrentar os nossos medos, é o recusar aquilo que não é íntegro, em nós, nos outros, e em tudo no mundo. É o nosso alinhamento com princípios mais elevados e a sua aplicação na nossa vida, momento a momento. É o auto-conhecimento e transcendência das nossas limitações.

A alimentação só nos prejudica em termos de evolução de consciência se adoptarmos um posicionalismo em relação à nossa dieta. Ou seja, se um vegetariano passar a odiar quem não é vegetariano porque os acha estúpidos, e irritar-se sempre que alguém lhe demonstra que come de tudo, esse vegetariano está tramado karmicamente, haha! E está tramado karmicamente não porque é vegetariano, mas sim porque está num nível de consciência de superioridade moral (arrogância), cuja atitude secreta é a de "eu sou melhor pessoa que quem não é vegetariano". Isto claro, vem da arrogância do ego, e nada mais é que o narcisismo do orgulho. Odiar alguém, ou achar alguém inferior a nós, porque tem uma dieta diferente da nossa, é em essência o mesmo que odiar alguém por ser de uma religião diferente, ou ter uma cor de pele diferente da nossa. É estúpido, portanto :D

Come o que quiseres se o que comes deixa-te feliz e faz-te sentir melhor, mas não julgues os outros por não comerem o mesmo que tu, e não andes a impingir a tua dieta a ninguém. Pois no fim todos os corpos apodrecem, mas a alma é eterna. E o ser saudável não tem apenas a ver com o que se come, mas principalmente com o nosso nível de consciência: "Mente sã, corpo são". E a mente só pode ser sã se for guiada pelo Espírito, em vez de controlada pela negatividade e ilusões do ego.

Em termos de evolução foca-te na tua essência, intenções e escolhas. Graças à minha família sempre comi comida saudável desde pequeno, e sempre comi de tudo equilibradamente, mas aos 19 anos era um infeliz em depressão, virgem, tímido, inseguro, pessimista, sem conseguir comunicar normalmente com raparigas, sem vida social, já com alguns pensamentos suicidas até. Isso desapareceu tudo, mudei, transformei-me como pessoa chegando a um estado mais positivo, confiante e feliz em que coisas boas acontecem-me sem explicação lógica, e a alimentação sempre foi a mesma. Na verdade a minha alimentação até piorou um bocado :D

Aquilo que a sociedade do ego da alimentação e ginásios nunca quererá aceitar e poderá compreender, é que não somos apenas um corpo, nem precisamos de um corpo para existir, e que a partir de certo nível de energia espiritual o corpo está saudável e cura-se sozinho. Não estou aqui a defender ser desleixado com o corpo, nada disso, pois com a subida de nível de consciência há sempre um equilíbrio na forma como tratamos do corpo. Mas isso é uma coisa, outra coisa é a paranóia e ilusão de que o corpo é tudo e é o que Somos :D boa sorte com essa ideia, haha!

Essa do respeito pelos animais soa muito bem mas costuma ser uma atitude da treta, haha! Claro que sim, claro que respeitamos os animais. Todos os animais, todos os seres vivos, ser humano incluído. A questão é que muitas das pessoas que têm a aparente atitude de amar os animais, e defendem isso meio irritados de punho no ar, na verdade odeiam os humanos :D logo não é amor, é uma ideia emocionalizada para justificar o ódio pelos outros humanos, e uma atitude de arrogância da superioridade moral de ser vegetariano, por exemplo.

Elas podem tratar muito bem dos animais, e até serem vegetarianas porque acham que há algo de moralmente errado em matar animais para se comer, e tudo bem. Só que depois quando lidam com seres humanos continuam a seguir ilusões do ego, continuam a ter medo de serem rejeitadas, continuam a não olhar para dentro para enfrentarem as suas limitações, continuam a não ter verdadeira compaixão pelos outros, não há qualquer transcendência de nada, vivem a vida da mesma maneira, a cometer os mesmos erros, a seguir os mesmos sentimentalismos, o seu nível de coragem e autenticidade é pobre, continuam a ser pessoas carentes, ou revoltadas, ou frustradas, ou perdidas, etc.

Há uma citação de Jesus Cristo sobre isto que me agrada bastante:

“Não é o que entra pela boca o que contamina o homem, mas o que sai da boca, isto, sim, contamina o homem.”

O que quer isto dizer? Que se pode comer toda a porcaria sem ter problemas de saúde? Não, haha! Quer dizer que num contexto de evolução de consciência, o que comemos é irrelevante. Isto significa que num contexto de evolução de consciência ser vegetariano ou comer de tudo incluindo carne é irrelevante. A dieta, o que se come, não influencia o destino da nossa alma, digamos assim. Portanto matar animais para comer carne não prejudica a nossa evolução de consciência. É a intenção com que os matamos (isso acontece por questões de sobrevivência, o que é íntegro) e como os matamos (pois não precisam de ser torturados), que pode ter alguma influência.

Em termos de como nos sentimos fisicamente é que pode fazer alguma diferença, pois há comidas mais saudáveis e outras menos saudáveis, e dependendo do tipo de corpo e metabolismo de cada um há dietas que nos vão fazer sentir melhor ou pior. Mas uma coisa é como nos sentimos com o que comemos, outra coisa é a nossa evolução de consciência, e é esse o contexto aqui. Sê vegetariano à vontade, mas não confundas o sentir-te melhor e bem devido ao que comes, com o fenómeno de transcendência e transformação de consciência e essência.

Para evoluirmos temos de ter em atenção o que nos sai da boca, ou seja, o que dizemos. Porquê? Porque se nos sair da boca mentiras e ilusões, e palavras energizadas por narcisismo e emoções negativas do ego, isso sim, vai prejudicar a nossa evolução. Concluindo, não há nada de errado em ser vegetariano, nem nada de errado em comer de tudo. O erro está na arrogância e ódio (superioridade moral) por detrás do que se diz, e come. Aí no fundo não se está a querer saber nem da própria saúde, nem dos animais, mas sim e apenas de ilusões e opiniões emocionalizadas e racionalizadas, que têm como origem o narcisismo, e são alimentadas pela atitude de querer ter razão e ser superior aos outros. É tudo pelo prazer narcisista de orgulho, no fundo, e não se trata de uma jornada moral épica em que se está do lado certo do campo de batalha :P

Obrigado pela tua pergunta.

Segue o que Amas,

Pedro C.

Sem comentários: