sexta-feira, 11 de março de 2016

“O Que Fazer Para Tornar a Esposa Sexualmente Activa”

O Que Fazer Para Tornar a Esposa Sexualmente Activa”


Pergunta de leitor:

Olá Pedro. Pedro, preciso muito da ajuda do Cool Vibes, estou muito aflito e não sei o que fazer. Estou casado à dois anos, mas a minha vida sexual está uma lástima. Eu amo a minha mulher, e pretendo ser fiel a ela. O problema é que de uns meses para cá ela tem-se mostrado muito fria comigo em fazermos sexo. Quando eu quero fazer sexo, ela diz que está com o espírito abalado e que não está no clima, e eu respeito isso. E quando nós fazemos (quase nunca fazemos), ela quer que tudo termine rápido e usa palavras que desmotivam sexualmente a pessoa.

Não sei o que fazer, eu quero fazer sexo com a minha mulher, mas parece que ela não quer fazer sexo comigo. Vivo uma vida de fome sexual aguda mesmo tendo mulher em casa. Eu gosto de ser fiel aos meus compromissos, mas parece que está difícil assim, e sei que se eu fizer alguma loucura fora do casamento a minha consciência me acusará duramente.

Me ajude Pedro, me ajude Cool Vibes, o que posso fazer para que a minha esposa seja uma mulher sexualmente activa? Eu estou sempre pronto, eu procuro agradá-la e servi-la, mas parece que algo não funciona mais. Obrigado pela atenção!”


Resposta, comentários:

Sim, não faças nenhuma loucura fora do casamento. Trair a tua mulher não é a solução, só iria piorar o teu estado de angústia.

Na verdade não há nada que possas fazer para que a tua esposa seja sexualmente activa. Nós não temos o poder para mudar os outros, apenas o Espírito o tem. E a pessoa ou tem vontade de mudar e dedica-se por iniciativa própria a isso todos os dias, ou esquece. Nós mal nos conseguimos mudar a nós próprios com uma dedicação diária e levamos muito tempo para o conseguir, quanto mais mudar os outros, haha! Sê humilde e aceita que não podes mudar ninguém, apenas podes elevar o teu próprio nível de consciência, e com muito esforço.

É possível que ela nunca tenha sido sexualmente normal ou activa. Simplesmente fingiu bem para te manter por perto e levar-te a casar com ela. Eu posso estar completamente errado, mas se uma mulher é de facto sexualmente normal e activa, não é lá muito natural ficar meses sem lhe apetecer fazer sexo com o marido.

Podes ser tu a causa, pelo teu nível de consciência, e pela pessoa que és, e como és, ela não se sente naturalmente estimulada a fazer sexo contigo. Fingir seres algo que não és não funciona, pois os comportamentos e palavras podem ser diferentes mas a essência e nível de energia mantêm-se iguais.

Fala com ela sobre o assunto objectivamente. Diz-lhe que te sentes sexualmente frustrado e que estás a sofrer por não fazeres amor com ela. Pergunta-lhe o que ela realmente sente em relação a ti e o que ela realmente quer. Fala com ela abertamente, humildemente e vulneravelmente sobre o assunto, sem tentares forçá-la a nada, sem a tentares controlar ou convencê-la, ou mudá-la. Nada de discussões, apenas ouve o que ela tem a dizer.

A mim parece-me que a vossa relação chegou ao fim. Não há alegria, não há Amor. Não há atracção (sem atracção não há sexo) nem entusiasmo mútuo, logo já não existe relação. A relação apenas ainda “existe” na vossa (ou tua) imaginação. As relações começam e acabam, não importa quanto tempo duram, pois não têm de durar para sempre. Temos é de ter consciência suficiente para aceitarmos o fim da relação, em vez de torturarmos o parceiro a forçar a sua continuação, e a forçar a nossa presença na sua vida. Mas para isso é preciso ser íntegro, aí lamenta-se o final da relação, fica-se triste durante algum tempo, mas aceita-se e anda-se para a frente.

Se depois da conversa nada ficar resolvido com consistência, se não houver entusiasmo da parte dela em fazer amor contigo, se não houver alegria no vosso convívio, põe fim à relação e esquece-a para sempre. É o mais saudável para ambos. Sem Coragem não há Amor, por isso não percas tempo com mulheres que não estão interessadas em te Amar. Larga-as e procura outra.

Obrigado pela tua pergunta.

Segue o que Amas,

Pedro C.

Sem comentários: