segunda-feira, 14 de março de 2016

“O Que Fazer Para Deixar de Estar Triste”

“O Que Fazer Para Deixar de Estar Triste”

Pergunta de leitor:

“Pedro, tenho estado constantemente rodeado de emoções negativas (tristeza). Já ando nisto há algum tempo mas nunca me tinha sentido assim, isto já dura há quase duas semanas, sendo que se tem vindo a agravar. Poderá ser karmico, mas é algo difícil de aguentar. Já ouvi áudios do Cool Vibes, filmes íntegros, áudios do Hawkins e as emoções passam temporariamente... mas passado pouco tempo (umas horas) voltam.

Eu quero mesmo paz na minha vida, já pedi ao espírito para me guiar nesta fase e tenho fé que passe... porque são emoções, logo, são temporárias. Já não sei bem o que fazer, mas isto está a dar cabo de mim. Já tentei por humor nisto, mas nada. É o ego que está em força. Não compreendo até porque me sinto assim já que tenho tentado dentro do que sou, ser íntegro (servir os outros, ser simpático, rir, etc). O que posso fazer mais Pedro?”


Resposta, comentários:

Tens de parar de resistir às emoções. Tens de deixar de ter uma aversão a essas emoções. Estás a tentar fugir a elas vendo e fazendo todas essas coisas, como se esses elementos exteriores as fossem fazer desaparecer para sempre e mudar a tua essência fazendo-te subir de nível de consciência.

Não. O que tens de fazer é primeiro aceitar que neste momento tens de sentir essas emoções e para evoluir tens de passar por esse processo. Na verdade elas estão aí porque queres... o problema não são essas emoções negativas de tristeza, mas sim a tua percepção delas. Tens de as contemplar sem pensar nelas. Senti-las sem pensar nelas. Sentir a sensação no corpo, sem alimentar pensamentos, sem lhes prestares atenção, e fazer o que tens a fazer na vida.

O trabalho espiritual traz o nosso inconsciente ao consciente, e nesse momento podemos curar e transcender o que de pior temos em nós. Provavelmente é isso que te está a acontecer: estás a ganhar consciência de uma parte da tua verdadeira essência, e tens agora a oportunidade de transcender mais um pouco a tristeza :) só que em vez de a combateres tens de a aceitar. Chora se necessário, e contempla as emoções, tal como expliquei. Podes também continuar a fazer e a ver o que tens feito e visto, não com a intenção de eliminar as emoções (elas são normais e fazem de ti humano), mas sim porque amas essas coisas que fazes e vês pela forma como te fazem sentir, e por serem parte do teu processo de evolução.

A vida tem altos e baixos, e depois? Nós não somos aquilo que tem altos e baixos, somos aquilo que testemunha esses altos e baixos a manifestarem-se.

Obrigado pela tua pergunta.

Segue o que Amas,

Pedro C.

2 comentários:

Romário Belarmino disse...

Pedro, como lidar com mulheres que gostam de se intrometer na vida e nas relações amorosas dos outros? Ou seja, existem mulheres que se acham superiores, pensando que têm o direito de se intrometer e de dar palpites nas relações das outras pessoas. Pois é, elas quase que ficam aflitas, perturbadas e cheias de inveja sempre que testemunham a amizade e o namoro entre duas pessoas do sexo oposto. E, há casos em que tentam mesmo destruir a relação ou então caso, a relação, ainda, não exista fazem de tudo para que esta não se chegue a efectivar. Pronto, na minha opinião, acho que o melhor mesmo seria ignorá-las, uma vez que muitas delas, são frustradas, sexualmente, falando e nem, sequer, conhecem a vida das pessoas que escolheram como seus verdadeiros alvos, o que não deixa de ser um absurdo. É verdade que, também, existem homens assim, mas, normalmente, as mulheres, muito difícilmente, acreditariam naquilo que os homens lhes fossem dizer. Por isso, elas prefeririam acreditar nas coisas ditas por outras mulheres, mesmo se estas fossem as maiores mentiras do mundo. Pedro, como se defender dessa gente cruel, maldita e perversa que, simplesmente, deixou de viver a sua própria vida para passar a viver e a se "dedicar" à vida dos outros? Será que se deve ignorá-las, mesmo sabendo que fazem isso de forma sistemático com o intuito de destruirem a vida alheia? Qual é a melhor atitude a tomar perante essas pessoas?

Pedro C. disse...

Romário B.: "Qual é a melhor atitude a tomar perante essas pessoas?"

Primeiro tens de as deixar de julgar. Essa tua revolta e emoção negativa não vem do que elas fazem ou dizem, vem da tua percepção do que elas fazem ou dizem, e de porque o fazem ou dizem. A tua única salvação é humildade e compaixão.

Tu não sabes se elas se acham superiores. Tu não sabes se elas ficam aflitas, perturbadas e cheias de inveja. Tu não sabes se estão a tentar destruir a relação ou a impedir que ela comece. Tu não sabes se elas são sexualmente frustradas. Tu não sabes se elas acreditam no que outras mulheres lhes dizem. Tu não sabes se essa gente é cruel, maldita e perversa, e que deixou de viver a sua própria vida para passar a viver e a se "dedicar" à vida dos outros, para destruírem a vida alheia. Isso tudo é apenas a tua opinião, está apenas na tua cabeça. É a tua percepção da realidade, pode não corresponder à realidade :D

Logo, se não gostas de alguém, retira-a da tua vida. Os outros podem tentar o que quiserem, tu só consegues alcançar na vida aquilo que mereces. E se mereceres algo, façam ou digam o os outros o que fizerem ou disserem, não te conseguem impedir de nada. Irás em frente, imparável, e terás e experienciarás à mesma aquilo que mereces karmicamente. É o teu nível de consciência que manda, não o que os outros dizem ou fazem. Portanto toda essa revolta é insanidade, desligada da realidade. Não há motivos reais para preocupação ou julgamento. Então com humildade aceitas que não sabes como essas pessoas são ou porque fazem e dizem o que fazem e dizem, aceitas que se não tens ou experiencias algo não é porque os outros te impediram, mas porque o teu nível de consciência não é elevado o suficiente para isso; e tens compaixão por essas pessoas pois nem sabem o que andam a fazer, nem sabem porquê, e o seu estado emocional mais regular é negativo, logo existem em sofrimento.