AMOR

"Ensina só Amor, pois é isso que tu és"

quinta-feira, 31 de março de 2016

“Falar ou Não Falar, Eis a Questão”

Falar ou Não Falar, Eis a Questão”

Pergunta de leitor:

Obrigado pela resposta Pedro! Desde que li o post que desfruto muito mais quando toco. Parece que se resolveu uma parte importante da minha vida e isso é bom. Quero-te comentar uma coisa: Aconteceu-me que nas últimas semanas estava com muita ansiedade e medo, mas há uns dias foi-me passando pouco a pouco. Agora ando mais calmo e presente só que não me apetece nada falar, e passo quase todo o dia calado (no trabalho e por aí). Não me apetece nada esforçar-me para falar. Tu uma vez num post dizias que durante um tempo é bom que só falemos se alguém nos pergunta alguma coisa. Podes falar um pouco mais sobre o tema? Obrigado Pedro, abraço!”


Resposta, comentários:

De nada, é uma honra.

Porque largaste a percepção negativa do ego em relação a tocares o instrumento, agora mais luz e energia do Espírito podem passar e preencher-te, o que te permite estar simplesmente e tranquilamente a desfrutar tocar, e te deixa mais feliz a tocar. Repara, estás a fazer exactamente a mesma coisa, apenas a tua percepção mudou, mas agora estás mais feliz ao fazê-lo. E isso é bom, sem dúvida. Agora imagina quando o fizeres com tudo em ti e na vida! Woohoo!! :)

Eu não me lembro do contexto em que disse isso, mas parece-me que baralhaste um pouco o princípio. Se estás numa fase em que te apetece falar menos, então fala menos. É isso que significa ser-se autêntico, é isso que significa seres tu próprio, momento a momento. Segues as vontades interiores inocentemente. És um ser humano, não és um rádio humano, haha! Não temos de estar sempre a falar. Devido às exigências normais da vida humana, é bom que tenhamos a competência de responder e falar quando necessário e apropriado, mas se te apetece falar menos, fala menos, ou não fales de todo quando possível. Vão haver outras fases em que te apetecerá socializar e interagir mais, e outras em que te apetecerá mais estar sozinho em casa e tocar o instrumento, por exemplo. Em relação a isso está tudo certo, faz tudo parte do caminho de evolução. São diferentes fases pelas quais todos temos de passar, pois todas elas contêm lições essenciais, e é o Espírito (e não o ego) que sabe o que é melhor nos acontecer, pois o contexto da vida é sempre de aprendizagem.


Lembro-me de partilhar que apenas devemos dar conselhos, ou opiniões, ou sugestões, quando estas são solicitadas. Quando alguém, claramente e directamente, nos pede um concelho ou sugestão. Isto para contrariar a arrogância do ego de, "eu sei o que é melhor para os outros, e os outros têm de me ouvir, têm de ser como eu, e de seguir as mesmas ideias que eu" :D

É portanto um exercício que nos leva à atitude natural de humildade. As pessoas não conseguem ser diferentes do que são, e a prova disso é que se conseguissem já o estariam a ser. Logo não há como mudá-las com as nossas opiniões. A verdade é que cada um de nós é como é, pois está numa fase diferente da evolução da sua alma, e todas as fases são válidas. É o Espírito que sabe, e o Espírito está sempre a tratar de tudo na perfeição, mesmo que o ego não o compreenda e não queira aceitar, ou ache que é injusto e que nada está a acontecer nesse sentido :D Portanto deixamos as pessoas serem como são e apenas damos a nossa "iluminada" opinião quando esta nos for pedida.

Obrigado pela tua pergunta.

Segue o que Amas,

Pedro C.

Sem comentários: