segunda-feira, 7 de março de 2016

“Como Sair Para Experienciar e Expressar Alegria”

Como Sair Para Experienciar e Expressar Alegria”


Pergunta de leitor:


Olá! :) Fiquei com uma dúvida depois de ouvir este áudio: Tu dizes lá que devemos sair para sair. No entanto, noutros áudios dizes que devemos sair para experienciar e expressar alegria :) Quando saio para experienciar e expressar alegria sinto-me sempre muito bem. (ainda não experimentei sair para sair, porque so ouvi o áudio de hoje). Podes explicar-me a diferença entre os dois e, afinal, qual é mesmo o objetivo de sair? :) Abraços.”


Resposta, comentários:


O "objectivo" de sair não existe. O que existe é uma intenção de experienciar algo. E essa intenção depende do nível de consciência em que estás, ou o estado que queres alcançar. Podes sair para experienciar e expressar alegria, isso é óptimo. Por isso continua com essa intenção, pois vai levar-te a grandes maravilhas inesperadas.

Mas agora já sabes que há um nível a seguir, o “sair para sair”. Quando não há desejo, não há limitações para o que possa acontecer. Sair para sair é apenas ir sair num estado de paz e preenchimento sem precisar de nada, nem mesmo de alegria. Claro que neste estado é impossível não se experienciar depois alegria, e vai-nos acontecer coisas fantásticas.

A lição é nunca andar à caça de nada, nem mesmo de Amor. Porque isso é o ego a tentar controlar e agarrar, através de um estado de desejo, e esse estado impede-nos de evoluir e experienciar o melhor e mais elevado que é possível na vida humana.

É bom ter a intenção de querer experienciar alegria e tornar-se Amor, mas a intenção define-se no início e depois é esquecida, largamo-la e deixamos as coisas acontecer, procurando apenas estar num estado de contemplação, presentes no momento, sendo nós próprios despreocupadamente, enquanto participamos no mundo, e saimos para sair, e fazemos as coisas apenas para as fazer, e não para obter algo com elas ou para satisfazer um desejo do ego.


Obrigado pela tua pergunta.

Segue o que Amas,

Pedro C.

Sem comentários: