terça-feira, 29 de março de 2016

“Como Contemplar Com Sucesso”

“Como Contemplar Com Sucesso”


Pergunta de leitor:

“Olá Pedro. Gostaria novamente de te agradecer por todo o conteúdo positivo e de grande ajuda que disponibiliza em seu blog. Estou namorando e me vêm alguns pensamentos assim às vezes, e te agradeço muito pois sem esse conteúdo não sei se iria estar namorando no momento. Consegui melhorar um pouco minha consciência, mas por vezes o medo, o egoísmo e o desejo aparecem. Tem que ser uma actividade diária realmente.

Ando sem muito tempo para visitar o blog, mas sempre estou-me actualizando e buscando coisas novas, acho que a minha maior dificuldade é silenciar a mente, no começo é realmente tão difícil assim? Ou será que estou tentando da forma errada? Obrigado.”


Resposta, comentários:

Obrigado eu, é uma honra.

É normal surgir medo, egoísmo e desejo, mas não te julgues por isso, pois isso é o ego, não és tu. Apenas precisas de estar consciente dessas emoções negativas e de dar o teu melhor para não as seguires, para não te identificares com elas.

Não sei se estás a tentar de forma errada, pois não sei como estás a tentar :D

Mas é verdade, no começo é mesmo muito difícil, e leva semanas ou meses de persistência diária até aos primeiros estados de calma e de silêncio mental. A intenção é estar totalmente focado na realidade, ou momento, ou agora, e ignorar e rejeitar todos os pensamentos. Contemplando irás apanhar os pensamentos a formarem-se, e podes voltar a tua atenção para a realidade antes de eles estarem completamente formados e te envolverem e hipnotizarem na sua ilusão.

Contemplar é simples e podes fazê-lo durante praticamente todas as actividades do dia-a-dia (menos quando o pensamento lógico é de facto necessário, o que não tem mal, nem problema, nenhum. Aliás, contemplação irá ajudar-te a ter mais energia para o tipo de pensamento de que precisas).

Olhas em frente e prestas atenção a tudo o que estiver na tua visão periférica (mais a tua respiração, se quiseres, não é obrigatório). Se por exemplo estiveres a lavar a loiça, podes focar-te apenas naquilo que estás a fazer, nos objectos e movimentos, sem pensar em nada. É normal surgirem pensamentos e sensações de desconforto, isso é o ego a tentar fazer-te tropeçar e cair. Não faz mal, quando isso acontecer só tens de fazer a tua atenção regressar novamente para a tua visão periférica e/ou respiração e/ou o que estás a fazer. A ideia é teres toda a tua atenção apenas na realidade e no que está realmente a acontecer diante de ti (e em ti), ignorando e rejeitando todo e qualquer pensamento (imagens e sons mentais), que nada mais são que ilusões e distracções da realidade.

Uma vez presente no momento, ou consciente da realidade, nesse estado tens mais energia, sentes-te mais tranquilo, confiante e entusiasmado, e as emoções negativas incomodam-te e controlam-te cada vez menos, deixando de ser um bloqueio para a tua felicidade e para fazeres aquilo que queres, e que está certo fazeres. Ficas mais apto para fazer o que é preciso fazer, e dedicar-te ao que amas, e amar, pois passas a ver a realidade tal como ela é, e deixas de viver através de percepções, interpretações e ilusões mentais.

Obrigado pela tua pergunta.

Segue o que Amas,

Pedro C.

1 comentário:

Outlets e companhia disse...

Olá Pedro, gostaria de fazer uma pergunta, se puder me ajudar. Tenho praticado o máximo possível os ensinamentos daqui, me aventurado a estudar o que outros iluminados disseram, etc. E tenho me tornado muito perceptiva ao que não via antes, o que se trata de julgamento dos outros e seus comportamentos. Ando avaliando o meu narcisismo e trabalhando nele, para minimiza-lo e já percebo melhorias. O que me incomoda agora é o meu emprego, onde faço o que amo fazer. Entretanto antes eu não percebia claramente que algumas coisas que eu fazia com sucesso e era muito requisitada para isso não são coisas íntegras. Eu suspeitava mas estava cega, e agora que percebo não me arrependa pois entendo que não tinha clareza, talvez tenha criado um karma mas é o que eu era. Mas agora que sei estou numa dúvida sobre o que fazer. Tenho evitado fazer essas coisas e tenho procurado me esmerar em fazer aquilo que realmente é bom e beneficia a todos e por mérito talvez eu tenho a felicidade de ter um emprego onde posso servir a muitos. Mas me incomoda cada vez mais aquilo que so agora me caiu à consciência. Muitas vezes não consigo disfarçar minha repugnância e meu julgamento aos colegas que tentam me convencer a não ser íntegra. Penso em buscar uma atividade que me permita fazer apenas aquilo que não ferir a minha consciência, e que se dane o resto. As vezes me pego pensando se o bem que hoje tenho oportunidade de fazer não compensa e que o melhor seria ir ficando até que ficasse claro aos colegas que mudei e dai eles me tirassem - agir passivamente, sabe? É deixar as coisas fluírem. Porque hoje não sei para onde ir ou o que fazer. Estou me preparando para buscar outros empregos, estudar, reunir memorial, essas coisas. Viver com mais simplicidade mas trilhar um caminho em que tenha paz. Achas que devo tomar alguma decisão agora ou aguardo que a vida vá me guiando e essa oportunidade irá aparecer no momento certo? Como ocorria ao Forrest, embora eu esteja longe de ser tão integra quanto ele?