AMOR

"Ensina só Amor, pois é isso que tu és"

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

“Como Ter Uma Relação Mega Espiritual Com Filhos”

Como Ter Uma Relação Mega Espiritual Com Filhos”


Pergunta de leitora:

Olá Pedro. Venho acompanhando seu blog, e gosto muito do seu trabalho! Agora me surgiu uma dúvida. Durante esse caminho interior que temos que fazer, qual seria um momento ideal para viver com uma pessoa a sós, ter filhos com ela, e dar suporte para que os filhos cresçam? Pois, seus textos passam a ideia que para que isso aconteça, temos que estar num nível beeeem mais elevado e as vezes dá a entender que vamos levar uma vida toda para isso. Mas, surgiram algumas dúvidas.

Será que pessoas com o ego ainda à flôr da pele, não poderiam se relacionar? Ter filhos? E manter uma união estável? Apesar dos ciúmes naturais duma relação desse nível? Porque acredito que uma relação desse nível egocêntrico, apesar de não ser uma relação mega espiritual, ensina bastante aos dois. Ainda acredito que numa relação dessas, apesar do ego, os dois possam viver harmoniosamente, um escutando o outro, apesar de alguns momento de secas, e etc (acredito nisso pelo exemplo que tenho dos meus pais e outros casais).

Me parece, que se fôssemos todos, primeiro evoluir, para só depois se relacionar ao ponto de formar família... o mundo ía passar alguns anos sem ter novos descendentes lol Será que para formarmos uma família, temos que estar num nível tão elevado? Ou podemos nos juntar com uma pessoa com ego ainda não totalmente desfeito, apesar de ser uma pessoa sensata, e aprendermos um com o outro durante o resto da caminhada? Espero que você tenha entendido a minha angústia. Obrigado.”


Resposta, comentários:

Não entendi a tua angústia pois nunca há razão real para haver angústia :D Podes fazer o que quiseres quando quiseres, a vida é para se experienciar exactamente como se quer. Não tens de esperar por nada. Casa-te e reproduz-te à vontade quando quiseres mulher! :D

Mas tens de largar a ilusão da boa relação entre egos, haha! isso é impossível! Não é uma questão de mera vontade, mas sim de capacidade de ambos os parceiros. Tu ainda és um ego, e se aumentar a tua consciência é a tua verdadeira intenção, terás de o transcender e isso implica, entre outras coisas, contrariá-lo (em vez de alimentar os seus desejos e ilusões). Um casamento quase nunca é “até que a morte nos separe”... mas sim “até que o ego nos separe”. Hahaha! E estão aí os constantes mega divórcios para o provar :D

Uma relação entre duas pessoas de nível de consciência egocêntrico nunca é feliz, harmoniosa ou alegre, pois cada uma está na relação apenas por si próprio, por motivações narcisistas inconscientes, pelo que pode obter e ganhar emocionalmente com a relação e o parceiro. A essência do ego impede que a relação seja feliz e banhada com amor. O ego é uma rolha! Haha não deixar o amor entrar (o que é suposto entrar em nós em solteiros). O ego faz com que cada um dos parceiros reme na sua direcção... a remar cada um para o seu lado é óbvio que o barco assim não vai a lado nenhum :D

O propósito das relações é aprendermos a amar... se for essa a nossa intenção. A relação em si não garante evolução se a intenção for apenas egocêntrica. Aliás, a relação pode tornar a pessoa ainda mais revoltada e arrogante, ou frustrada e miserável, e todas essas relações entre egos (chamemos-lhe assim), ou acabam sempre mal, ou se duram são desagradáveis. Porque uma coisa é a aparência dos casais, a máscara que colocam para os familiares, amigos, conhecidos e sociedade; outra coisa é a sua essência e como realmente cada um se sente. Regra geral chega a uma altura da relação em que o narcisismo mútuo já desrespeitou, desiludiu e magoou ou aborreceu ambos, e a juntar a isso já não há nem atracção nem entusiasmo mútuo. Muitas relações apenas se prolongam (arrastam, haha!) pois ambos os parceiros têm medo de estar sós no mundo, não têm a capacidade de uma vez solteiros facilmente conhecer pessoas do sexo oposto e de se relacionar, e por isso para eles mais vale terem a falsa aprovação sem entusiasmo da pessoa com quem estão agora, do que ninguém. Também há aqueles que têm medo da reacção do parceiro ao rejeitá-los e quererem acabar a relação. Portanto há muitas e muitas relações que apenas continuam por motivações narcisistas e negativas de carência e medo... o que é fácil de perceber que nada tem a ver com atracção, entusiasmo ou amor, haha!

Portanto a
s relações dos outros não são exemplo, pois não sabes o que realmente se passa dentro deles. Aparência não é essência. Ainda não tens discernimento para perceber o que realmente se passa. Tens de olhar para ti própria, para dentro, e descobrir a verdade sobre ti, e o teu nível de egocentrismo. E então começar a trabalhar para transcenderes aos poucos o teu ego e te tornares amor (e não apenas imaginar que já o és, haha! o que é um erro bastante comum nestes caminhos espirituais de aumento de consciência).

Nem vale a pena falar na questão dos filhos, pois dois egos não têm consciência suficiente (sabedoria) para ensinar a um filho como ser decente, íntegro, como amar, ser alegre e feliz... pela simples razão de que eles não o são! :D

"o mundo ía passar alguns anos sem ter novos descendentes... lol"
E depois? :D Evolução de consciência não tem nada a ver com envolvimento com o mundo, mas sim com transcendência do mundo. Reprodução é um impulso animal, haverá sempre! Até há a mais, haha! Já é um facto científico que o mundo está com população a mais. Aqueles que realmente evoluem espiritualmente são mesmo muito poucos, e as suas prioridades são outras (e ainda bem! Haha).

Mas não tens de esperar por nada! Podes-te casar e ter os filhos que quiseres se é essa a tua vontade. Vive a vida como queres, e o melhor que puderes, no teu nível. Não há nada de errado nisso, nem é um impedimento à tua evolução, depende sempre da tua intenção e dedicação ao caminho. Mas lembra-te que a felicidade não vem daí, vem só e apenas do Espírito. A vida é apenas entretenimento (distracção). A tua felicidade depende do teu nível de consciência, que é o que define a tua experiência subjectiva da vida e do dia-a-dia. Ou seja, é o teu nível de consciência que define se tens uma boa relação alegre ou uma relação conflituosa e stressante :D

"Pois, seus textos passam a ideia que para que isso aconteça, temos que estar num nível beeeem mais elevado e às vezes dá a entender que vamos levar uma vida toda para isso."

É verdade, pode levar uma vida inteira. Ou várias vidas. As boas notícias é que não há pressa! :D Viver com uma pessoa a sós é opcional, é apenas uma experiência que se pode ter no mundo. Ter filhos é opcional, é apenas uma experiência que se pode ter no mundo.
E todos somos livres de termos as experiências no mundo que quisermos e quando quisermos, e iremos aprender com todas essas experiências... mas as lições só nos vão ajudar a evoluir se for essa a nossa verdadeira intenção. Se fazemos as coisas apenas para nos satisfazermos, ou seja, para satisfazer os nossos desejos e carências egocêntricas, as lições das experiências não terão efeito, e ficamos na mesma a andar aos círculos e a sofrer.

Felizmente a vida é um sonho e todos vamos acordar mais cedo ou mais tarde. Ufa! :D

Obrigado pela tua pergunta.

Segue o que Amas,

Pedro C.

1 comentário:

Outlets e companhia disse...

Olá Pedro! Quando dizes que a vida é um sonho já me imagino como um avatar do Jogo The Sims. 😆
Obrigada pelas suas postagens!