AMOR

"Ensina só Amor, pois é isso que tu és"

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

“Como Servir e Ter Compaixão Sem Se Ser Desrespeitado”

Como Servir e Ter Compaixão Sem Se Ser Desrespeitado”


Pergunta de leitor:

Pedro, servir e ter compaixão é muito bonito mas não cria nenhuma defesa, porque geralmente as pessoas muito ''boazinhas e prestáveis'' levam muitas facadas e são calcadas e até desrespeitadas, certo? Posso estar enganado, mas se me poderes esclarecer mais sobre isto era fantástico :) Obrigado.”


Resposta, comentários:

O verdadeiro serviço e compaixão vêm do Espírito, logo vêm de Amor e Poder. Vêm de auto-respeito. O Espírito não pode ser magoado, só o ego se sente magoado com as "facadas", só o ego pode ser calcado e desrespeitado. Porquê? Porque é fraco e frágil! Porque não tem auto-respeito. O Espírito não pode ser afectado por nada neste mundo pois tudo neste mundo é ilusão. Logo se não pode ser afectado não precisa de ser defendido. Aquilo que és hoje não pode ser afectado pelo sonho que tiveste ontem à noite. Porquê? Porque nada era real naquele sonho :D

Só o que é falso (ego) precisa de ser defendido, pois não existe e se não for defendido e alimentado desaparece. Assim que se deixar de falar, pensar e produzir o Super-Homem ou o Batman eles desaparecem para sempre. Porquê? Porque não existem na realidade. São meras ideias fruto da imaginação do ser humano.

O que é verdadeiro (Espírito) não precisa de ser defendido pois existe eternamente e é imutável. É como tentar matar o céu com um tiro, não é possível, haha! Quando somos guiados pelo Espírito, servimos e temos compaixão pois temos energia e consciência reais suficientes para isso. Estamos preenchidos pois estamos alinhados com a Verdade, e esse preenchimento traz a vontade espontânea da partilha. Mas ao mesmo tempo temos auto-respeito, que é o mesmo que Amor.

Grande parte das pessoas "boazinhas e prestáveis" não servem nem têm compaixão na verdade. Fingem ter, são actores. É uma mera programação mental. E fazem-no por razões egocêntricas "secretas" (inconscientes). Então em aparência parecem ser muito boas pessoas, mas em essência são egocêntricas (fingem ser santos, fingem não ter ego). Fazem-no por fraqueza e necessidade da aprovação dos outros. Fazem-no porque querem ser vistas como boas pessoas e assim conseguirem obter a aprovação e aceitação dos outros. Fazem-no pelo falso orgulho da superioridade moral (“sou mais boa pessoa que os outros pois ajudo, sou prestável, preocupo-me com os outros, e sou bonzinho. Não faço mal a uma mosca!” haha!).

Fazem-no então para obterem algo que pode ser apenas emocional e invisível à maioria, mas cuja real motivação é narcisista, é por uma questão de identidade e auto-imagem. E depois claro, porque a essência é egocêntrica e estão alinhadas com a falsidade (aparência não é essência), há uma consequência (karma) desagradável :D essa consequência desagradável é geralmente levarem facadas nas costas, serem calcadas e desrespeitadas. É o karma do narcisismo. As nossas acções fazem parte da dimensão da aparência, e quando o acto de bondade é falso pois a sua verdadeira intenção é narcisista (manipulação, por exemplo), o karma será negativo. Não devido ao acto de bondade em si (aparência) mas devido à nossa essência e verdadeira intenção.

Há claro muitos actos de bondade genuínos no mundo, claro que sim! Estou apenas a falar dos actos de bondade dos seres humanos não íntegros, em que a aparência do acto de servir e ter compaixão esconde uma essência e intenção narcisistas de manipulação. Neste caso o acto não vem de uma motivação espontânea de partilhar, que por sua vez vem de um nível de consciência real de Amor, e claro, de auto-respeito. Pois Amor não é só amar os outros, é também amarmo-nos a nós próprios (auto-respeito). Amor é impessoal.

Então como servimos e temos compaixão sem sermos desrespeitados?

A atitude base é de boa vontade perante os outros, mas isso não significa que estejamos a dormir :D é aqui que entra a atitude de auto-respeito, que traz naturalmente a atitude de selecção consciente. Ou seja, na prática a nossa primeira intenção e acção genuína é de boa vontade e de servir. Mas assim que percepcionamos que alguém se está a tentar aproveitar de alguma forma da nossa bondade, adios!! haha portanto ninguém se aproveita de nós ou nos desrespeita uma segunda vez, é rejeitado e largado à primeira expressão de qualquer atitude narcisista de nos dar uma facada nas costas, calcar ou desrespeitar.

Isto é sabedoria bem antiga, como revela o provérbio chinês:

«Se um homem me engana uma vez, a vergonha é dele. Se ele me engana duas vezes, a vergonha é minha.»

Um exemplo prático, simples e óbvio:

O homem paga uma bebida à mulher numa discoteca ou festa. Apesar de sorrisos e simpatias, a mulher não fica a falar com ele e vai dançar com outros homens ou simplesmente afasta-se dele. Esta mulher só regressa para perto desse homem para lhe pedir mais uma bebida. É óbvio que ela não está interessada nele, apenas em usá-lo para bebidas à borla :D a escolha certa é recusar pagar-lhe a 2ª bebida e não a querer mais por perto. Isto é auto-respeito.

Não és obrigado a ter ninguém na tua vida, seja em que contexto for, e não importa há quantos anos conheces a pessoa. Se integridade e amor são importantes para ti, e por isso não estás interessado em levar facadas nas costas, em ser calcado, em ser desrespeitado, em ser usado ou traído, assim que alguém te fizer isso, tens aí uma demonstração clara e óbvia da sua essência não íntegra. E esquece a ilusão de que essas pessoas podem mudar... quase ninguém muda neste mundo! Haha a mudança pode ser fingida para que a pessoa não perca a tua validação (pois ganha algo com a vossa relação e ao fazer parte da tua vida), mas raramente é real, e muito menos é rápida ou espontânea.

A realidade é que o mundo está cheio de lobos em pele de ovelha, e deves ser cuidadoso. Atenção que ser cuidadoso (prestar atenção à essência das pessoas) não é o mesmo que ser paranóico (ter medo de todas as pessoas e andar sempre desconfiado). Portanto primeiro tratas as pessoas como se fossem perfeitas, digamos assim. És genuínamente generoso e bondoso, serves e tens compaixão. E ficas atento à reacção dessas pessoas, ficas atento a como reagem a essa tua atitude de amor, e esperas para ver o que acontece, como te tratam depois, etc. Cada caso é um caso, e só a consciência momento a momento te pode revelar o que se passa, pessoa a pessoa, situação a situação. E assim que te desrespeitarem ou tentarem usar, adeus! O amor que temos pelos outros é o que nos permite discernir como eles são, e se há falta de amor na sua consciência, essência e intenções. Pois traz um contraste óbvio entre a nossa atitude genuína de bondade, e a atitude narcisista de manipulação deles. É simples.

E para acabar, mais uma citação relevante a contemplar ao longo do dia:

«Guardai-vos dos falsos profetas, que vêm a vós com vestes de ovelhas, mas por dentro são lobos vorazes. Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? Assim toda a árvore boa dá bons frutos, porém a árvore má dá maus frutos. Uma árvore boa não pode dar maus frutos, nem uma árvore má dar bons frutos. Toda a árvore que não dá bom fruto, é cortada e lançada no fogo. Logo pelo seus frutos os conhecereis.»
- Mateus 7:15-20


E não, não sou religioso nem nunca li a bíblia, e também não tenho nada contra nenhum dos dois. Mas estou sempre interessado em verdade espiritual, venha ela de onde vier. Simplesmente conheço a expressão “Pelos seus frutos os conhecereis” há muitos anos, e a sua sabedoria não tem preço. Cortar e lançar ao fogo as árvores que não dão bom fruto é apenas uma metáfora que significa rejeitarmos quem não nos respeita, e tirá-los da nossa vida apenas acabando a relação que temos com eles. Não tem nada a ver com ódio, vingança ou violência, haha! Simplesmente cada um segue o seu caminho.

Obrigado pela tua pergunta.

Segue o que Amas,

Pedro C.

Sem comentários: