segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

“Como Lidar Com a Verdade Que Nos Chega à Consciência”


“Como Lidar Com a Verdade Que Nos Chega à Consciência”

  
Pergunta de leitor:

“Olá Pedro, hoje aconteceu uma coisa que me deixou confuso. Já há algum tempo comecei a praticar a meditação e a gratidão e por vezes consigo ficar assim de repente algum tempo sem pensar muito (sem imaginar). Hoje tive um momento desses e foi o mais intenso. Passo a explicar:

Comecei a observar tudo à minha volta e senti-me muito esquisito (parece que estava um pouco drogado). Senti que já nada era importante (as minhas paixões, o meu aspecto, as raparigas que aprecio, enfim a minha vida pessoal). Comecei a dar conta dos pensamentos que tenho quando vejo outras pessoas (eu estava na rua). Esses pensamentos eram do tipo: Sou feio, eu não tenho valor, eu sou inferior, etc, mas estranhamente senti-os mas não me afectaram. Simplesmente experienciei-os.

Será que vi pela primeira vez a realidade (despertar)?

Será que sempre pintei o mundo de cor-de-rosa (sou mais ou menos positivo), e vivi numa ilusão?

Depois de algum tempo comecei a me sentir melhor e mais agradável. Mas a minha conclusão é que a realidade não é tão bonita especialmente aquela acerca de nós mesmos (aquilo que realmente pensamos). De qualquer maneira agora sei que tenho que me dedicar a isto mesmo a sério. Obrigado por tudo. Gostava de saber o que tu dizes sobre isto.”


Resposta, comentários:

Sim, tiveste um momento de despertar, podemos chamar-lhe assim. Até que enfim alguém que percebe! haha o que aconteceu foi que conseguiste ficar num estado acima do ego e da mente, e ficaste frente a frente, directamente, com a Verdade... e ela não é bonita como se pinta. Este mundo - que apesar de perfeito para o seu propósito de evolução - é dominado pelo ego (que é impessoal), este gera muita coisa imperfeita, feia e desagradável (o tal... inferno haha). Viver na ilusão não é apenas não Ver a Beleza e a Verdade, é também não Ver que o ego existe e tem consequências negativas reais.

O pensamento positivo é sem dúvida útil, mas há outros níveis acima. Os pensamentos podem ser agradáveis mas não estarem alinhados com a Verdade. Podes pensar que um tubarão é amigável e brincalhão, mas ao mergulhares vais experienciar a Realidade e ficar com uma perna a menos haha! a verdadeira espiritualidade não é naïve... Vê tudo tal como é, só que sem julgar. Vês que o tubarão é um predador carnívoro perigoso, e porque valorizas a tua Vida tens cautela e não te aproximas. Só que ao fazeres isto não precisas de o odiar, desejar eliminar/mudar ou julgar/criticar de alguma forma.

Ver que a cobra é perigosa e venenosa não implica odiá-la. Ser naïve e pensar "mas ela é linda e perfeita" é muito giro, e é Verdade...sim, ela é mesmo linda e perfeita, é verdade. Linda e perfeita como é... e como é ela? Perigosa e venenosa. Isso é Ver a Verdade. Uma coisa é julgamento do ego (baseado em ódio e arrogância, e ilusão), outra coisa é discernimento espiritual (ver a essência do que está à nossa frente), e isso vem de apreciar e valorizar a Vida tendo cautela e estando alinhado com a Verdade (e não com o ego).

Portanto conforme vamos acordando vamos estando cada vez mais conscientes do lado bonito da vida, mas também do seu lado menos bonito. Ganhamos consciência do Amor que nos rodeia sempre, mas também de todas as energia negativas do ego. Seja em nós, seja nos outros. É uma aventura! :D

Obrigado pela tua pergunta.

Segue o que Amas,

Pedro C.


4 comentários:

Romário Belarmino disse...

Pedro, tenho uma questão que não tem nada a ver com a relação sexual e/ou amorosa. É que, neste fim de semana que passou, fui vítima de um roubo que deixou a minha vida um "pouco" transtornada. Pois, os ladrões levaram o meu carro. Entretanto, já apresentei a queixa na Polícia com suspeito e tudo, mas acho que as autoridades políciais estão a demorar em fazer a caça ao homem e o tempo vai passando, pelo que estou muito preocupado com a lentidão das autoridades. Agora, eu até já abordei o suspeito em causa, que até é meu vizinho, tendo ele garantido que vai me ajudar a desvendar este caso. Mas, como podes calcular eu não sou nenhum perito em matéria de investigação policial. Por conseguinte, não tenho como levar essa pessoa que eu tenho como suspeita a fazer a confissão ou não deste roubo. Por isso, venho pedir-lhe que me ajudasse a encontrar as "palavras certas" que pudessem fazer com que a pessoa suspeita viesse a revelar toda a verdade relacionada com este caso. P.S. Vivo em Cabo Verde e as coisas cá são muito diferentes da Europa. Ou seja, temos uma justiça lenta e ineficiente. Simplesmente, não funciona.

Pedro C. disse...

Romário B.: "venho pedir-lhe que me ajudasse a encontrar as "palavras certas" que pudessem fazer com que a pessoa suspeita viesse a revelar toda a verdade relacionada com este caso"

Queres uma frase mágica que milagrosamente faça uma pessoa não íntegra querer saber de ti, ficar humilde e admitir o seu erro, confessar tudo e sofrer as consequências do seu crime?

HAHAHA! Era bom era! Isso não existe :) se quiseres confrontar o suspeito vai direito ao assunto com ele à tua maneira.

Lamento o sucedido, mas foi o teu karma. Só terás paz se o aceitares e fizeres o que puderes relativamente à situação, aceitando que podes nunca mais voltar a ver o carro. Mas se isso é assim tão mau aí, já pensaste em vir viver para a Europa? Para um país mais civilizado, bonito e agradável de viver? Tens possibilidades de o fazer? Essa situação do carro pode ser um sinal de que estás a viver no sítio errado, e pode ser a motivação para mudares de país e melhorares a tua qualidade de vida.

Romário Belarmino disse...

Pedro, muito obrigado por esta sugestão. Também, pensei que isso fosse o meu karma, pois já tive muitos karmas (bons e maus) no passado. Mas, desta vez, parece que foi mais forte. Ou seja, apanhou-me como se fosse uma espécie de balde de água fria, como se costuma dizer.

Pedro C. disse...

De nada, foi uma honra.