AMOR

"Ensina só Amor, pois é isso que tu és"

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

“Como Amar Uma Pessoa Sem Ter Medo de a Perder”


“Como Amar Uma Pessoa Sem Ter Medo de a Perder”



Pergunta de leitora:

“Olá Pedro, estou a gostar imenso de ouvir os áudios, embora sejam dirigidos aos homens. Será que podias esclarecer-me uma dúvida? Sempre ouvi aquela frase cliché de "quem ama dá liberdade" e tu próprio a defendes, mas não poderá haver a possibilidade de alguém amar outra pessoa e expressar que não a quer perder? Eu pergunto isto porque pelo menos para mim é importante que demonstrem que não sou indiferente.

Será que a resposta a isto é que o homem deve sempre expressar que não quer que a mulher vá embora da vida dele, mas se essa for realmente a vontade dela, ele não a vai impedir!?”


Resposta, comentários:

Amor é apreciação, e Amor é suficiente. Pode-se verbalizar, mas não é necessário verbalizar, basta haver constante apreciação genuína.

O medo de perder alguém (não querer perder alguém), não vem de Amor mas sim de desejo/carência, que é um nível de consciência egocêntrico ("o que eu tenho"/"o que eu não tenho"/"o que eu posso perder"). Amar é contemplar e apreciar, nada mais, não há medo de perder nada pois nesse nível de consciência experienciamos que somos um Todo logo não há separação entre o "eu" e o "tu", logo o "tu" não pode simplesmente desaparecer do Todo da realidade, logo nunca pode ser perdido. É tudo Um, logo não há separação.

O Amor é independente, logo é livre de apreciar sem precisar de agarrar, ou de acorrentar alguém a si próprio, haha! Como é independente não se sente atraído nem estimulado por sentimentalismos nem emocionalismos, e não vê os outros como uma fonte de aprovação, validação e aceitação, em que precisa constantemente e regularmente de confirmações de que é desejado e apreciado.

Todos gostamos de saber que não somos indiferentes à pessoa de quem gostamos, mas isso é diferente de ser dependente dessa confirmação constante.

Sim, num estado de Amor (e não de mera atracção, desejo ou enfatuação), o homem aprecia a mulher na sua totalidade, ao máximo, durante o tempo que a ligação entre ambos durar, e quando chegar o fim da relação ou ligação, seja por que razão for, e a mulher quiser ir embora, ele tem pena mas deixa-a ir sem resistências. Ele respeita a liberdade da mulher pois ele valoriza a sua própria liberdade, e ele valoriza a sua própria liberdade pois é independente e tem a coragem para desfrutar a sua liberdade como realmente a quer desfrutar. É a chamada vida feliz de solteiro =)

Quando a relação acaba ele sente o que tem a sentir, fica triste pois ama-a, mas passado pouco tempo, porque todas as emoções são na verdade ilusões temporárias e ele não vive na cabeça/passado/memórias, ele anda para a frente com a sua vida, seguindo o seu caminho, fazendo o que ama, e irá conhecer outra mulher e amá-la, e estar com ela, e fazer amor com ela, e ter outra ligação ou relação que também será temporária. É um ciclo de felicidade bem melhor do que ficar a ruminar em tristeza e depressão, a perder tempo de vida e oportunidades de alegria e prazer. É o caminho da integridade e dos confiantes e independentes, e é bom para todos.

Obrigado pela tua pergunta.

Segue o que Amas,

Pedro C.

Sem comentários: