terça-feira, 26 de janeiro de 2016

“Porque é Um Erro Sair Com a Namorada e os Amigos”


Porque é Um Erro Sair Com a Namorada e os Amigos”


Pergunta de leitor:


Boa noite Pedro, tudo fixe?

Não sei se foi neste áudio que falaste sobre a questão das saídas com a namorada e com os amigos em simultâneo e sobre o facto de serem dois tipos de energias incompatíveis que geram cobranças tanto da parte dos amigos como da namorada porque, na verdade, não se está integralmente nem com uns, nem com outros, saindo todos a perder, incluindo nós próprios.

Gostei muito destas ideias, até porque já cometi estes erros no passado que levaram a que sentisse em mim a ressonância das tuas palavras. No entanto, também me ocorreu que não haverá muita abundância de raparigas à altura de aceitarem uma decisão deste género. É preciso a perícia de um John (do filme 9 1/2 Weeks) para dar sabiamente a volta a uma situação delicada deste género. Estou, aliás, convicto de que a esmagadora maioria das mulheres ficaria escandalizada perante a resistência a sair com ela e com os seus amigos em simultâneo.


Isto para me levar a uma questão específica. Se eu estiver interessado numa rapariga e essa rapariga me convidar a sair com ela e com os amigos, significa que devo recusar esse tipo de saída? Se por acaso sair com a rapariga nesse tipo de contexto posso esquecer qualquer tipo de envolvimento íntimo posterior?

Grande abraço, fica bem!”



Resposta, comentários:


Podes aceitar esse tipo de convite em que a rapariga te convida para sair com ela e amigos.

Claro que depois durante uma saída desse género a intimidade não poderá surgir tão naturalmente e facilmente (pois estão ambos rodeados de amigos). Deves é sempre que possível procurar sair a sós com ela e não apenas com grupo de amigos... pois se for apenas em grupo as coisas "complicam-se". Como não estão a sós não podem estar a dar atenção apenas um ao outro, logo não se gera intimidade. Depois, quando se está em grupo há comportamentos diferentes de quando se está a sós com alguém. Ou seja, não sabes como é estar a sós com ela, logo não sabes como é ter uma relação íntima com ela, logo não sabes se ela é uma boa escolha ou não. E só quando estamos a sós com alguém é que melhor conseguimos perceber que tipo de pessoa ela realmente é, pois no meio das conversas, brincadeiras e distracções de um grupo há muita coisa importante que nos passa ao lado.

O princípio a seguir é simples de compreender:

Se não estiveres a 100% com a mulher, a vossa ligação não se aprofunda, a vossa intimidade não se desenvolve, e não se tornam Um, o que é o propósito de um namoro, ou relação amorosa.

Se não estiveres a 100% com os teus amigos, não estarás a desfrutar ao máximo as vossas dinâmicas de convívio e interacção que é o que vos torna amigos. Não estás a fluir com eles no humor e camaradagem, pois a tua atenção está dividida.

Namoro e amizade são energias, dedicações, experiências, profundidades e dinâmicas diferentes. Só trazem a satisfação de serem experienciadas no seu potencial máximo em separado, uma de cada vez, em contextos diferentes, de entrega total. Se as misturarmos nem vamos estar como deve de ser com a namorada, nem com os amigos, pois a nossa atenção e energia está dividida, e estamos num contexto social sem privacidade que não potencia a intimidade do namoro. Não estaremos a ter nem uma dinâmica de intimidade, nem de amizade, apenas uma mistura a meio gás de cada energia.

Portanto, podes aceitar esse tipo de convite, desde que a grande maioria das vezes saias a sós com a namorada, e apenas com ela. Tudo em equilíbrio e no contexto apropriado. Também é útil expressares verbalmente e directamente à mulher como preferes fazer as coisas: "Quando saio com uma mulher gosto de apenas sair com ela, sem distracções de pessoas há volta, para lhe poder dar toda a atenção, ouvi-la, e de facto conhecer a pessoa que ela é. E para mim só assim é que podemos ter os melhores e mais bonitos momentos juntos".

Obrigado pela tua pergunta.

Segue o que Amas,

Pedro C.

Sem comentários: