quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

“Como Não Se Apegar a Elogios e Deixar de se Sentir Ansioso”


“Como Não Se Apegar a Elogios e Deixar de se Sentir Ansioso”

 

 

Pergunta de leitor:

 

“Pedro, eu não sei se a emoção que sinto ultimamente tem a ver com as 8 citadas nesse áudio (Os 8 Níveis de Consciência do Ego Humano: https://www.youtube.com/watch?v=8XSk4bilZxs), mas ultimamente tenho percebido que eu me apego a elogios, ou a reconhecimentos e aprovações. Quando alguém me elogia, ou quando faço um trabalho bem sucedido, eu me apego como se aquilo fizesse parte de mim, como se aquele elogio fosse um membro do meu corpo, e fico com medo de perdê-lo. No dia seguinte fico ansioso, tenho observado bastante isso, poderia me ajudar!? Muito obrigado!!”



Resposta, comentários:

O apego a elogios, reconhecimentos e aprovações está relacionado com 2 impulsos e ilusões do ego: orgulho e desejo

Elogios alimentam o nosso orgulho.

Orgulho é o melhor que o ego consegue experienciar, é o estado mais elevado em que consegue estar, logo quando ele o experiencia agarra-se ao orgulho com unhas e dentes, e como é óbvio tem medo de o perder, pois isso significaria ficar a sentir-se pior (e os estados abaixo são de facto muito desagradáveis). Geralmente cai-se do orgulho para a vergonha, é esse o karma de ser arrogante: depende-se de validação exterior e cai-se para o nível de consciência mais baixo.

Para o ego orgulho é a melhor coisa do mundo, daí fama, riqueza e sucesso serem tão desejados. Para começar tens de ver orgulho pelo que é: o nosso ego animal quer ser visto como o maior, como perfeito, como fixe, como esperto, como atraente, como superior, como eficaz, etc etc. Ele quer sempre algo que confirme a sua auto-imagem ilusória de perfeição, nem que para isso tenha de inferiorizar ou prejudicar alguém (ou curiosamente, de se auto-destruir). O ego procura então ter sempre razão, ganhar, e controlar a ideia/imagem que os outros têm de si e a forma como os outros reagem/respondem a si, tudo para conseguir sentir orgulho constantemente (pois é o melhor que conhece e pode experienciar). Ele faz isto por questões ilusórias de sobrevivência, pois num estado de orgulho sente que está tudo bem consigo próprio, sente que tem valor, e sente-se aceite e aprovado pelos outros, o que contribui para a sua sobrevivência. Nos tempos tribais isto era a diferença entre vida e morte, pois ser rejeitado era ser expulso da tribo, e sozinho na floresta as probabilidades de sobrevivência não eram lá grande coisa haha! Daí o medo de ser rejeitado e o estado de vergonha, são impulsos primitivos que hoje em dia já não fazem sentido, mas que nos tempos tribais eram uma reacção realista do ego animal, pois colocava em perigo a sua sobrevivência.

Sem um caminho espiritual de meditação/contemplação é impossível deixar-se de ser controlado por este impulso, ou pelo medo de perder o orgulho, etc. Vai ouvindo os áudios do Cool Vibes pois eu vou falar mais sobre isso. Para já presta mais atenção a esse impulso e passa a vê-lo como algo que não é importante e que por isso não precisa de ser seguido. Ganhar consciência da emoção de orgulho, e de qualquer outra emoção do ego, é tudo o que é preciso na verdade, pois ao vermos o que realmente é, começamos a deixar de acreditar nessa ilusão e deixamos de ser controlados e limitados por ela.

Obrigado pela tua pergunta.

E por falar em elogios, uma curiosidade… haha!

A Rádio Renascença apanhou-me de surpresa num táxi em 2013, e apareço num anúncio durante 2 segundos! Hahaha! Foi uma experiência cómica e interessante, nunca me tinha acontecido. E ainda ganhei 2 bilhetes para um concerto :D

O anúncio chama-se “Elogios: Já Elogiou Alguém Hoje?”


Apareço dos 0:07 aos 0:09 segundos, mais ou menos, e repara só na cara de  mauzão! Haha





Segue o que Amas,
Pedro C.

Sem comentários: