quinta-feira, 7 de maio de 2015

“10 Princípios Para Uma Vida Mais Alegre”


“10 Princípios Para Uma Vida Mais Alegre”


Define o Que Queres
Se queremos uma vida mais alegre e feliz, temos de mudar, e para podermos mudar primeiro temos de ter um ponto de referência, uma orientação geral para a nossa evolução. Se não sabemos qual é a meta, nunca a alcançamos. A minha sugestão é que escrevas numa folha A4 como gostarias de ser, como gostarias que a tua vida fosse, o que gostarias de ser capaz de fazer, o que gostarias que te acontecesse e como gostarias de te sentir no teu dia-a-dia.

Gratidão
Aproveita todas as oportunidades para agradecer aquilo que tens de bom e bonito na vida. Todas as oportunidades são válidas, desde a ajuda de alguém, a uma informação útil que te acabaram de dar, às refeições de comes, à diversão que tens com amigos, ao dinheiro que ganhas, etc. Os problemas e sofrimentos são oportunidades escondidas de evolução, por isso podes agradecer por eles também, pois se a lição for aprendida irás começar a experienciar mais felicidade no dia-a-dia. É a gratidão que garante a permanência na nossa vida do que temos de bom, e que potencia a manifestação de mais coisas boas e bonitas. Ser-se negativo é também ser-se ingrato, pois está-se a apenas a focar no que não gostamos e não temos, e a ignorar o que de bom e bonito existe na nossa vida.

Faz o Que Gostas
Descobre algo, seja o que for, que te deixe entusiasmado fazer. Essa actividade irá fazer sentir-te bem e obviamente contribuir para a tua alegria geral no dia-a-dia. Será também uma fonte de energia e paciência que irá equilibrar o teu estado quando a vida te surpreende com problemas. Assim, aconteça o que acontecer, sabes que tens sempre aquela actividade que te entusiasma e relaxa, e só de pensares que a vais fazer sentir-te-ás contente. Esta actividade pode ser como ganhas a vida, mas não tem de ser. Pode ser algo simples que fazes depois do trabalho. Num nível mais elevado de consciência irás descobrir que o segredo está em amar aquilo que já fazes e incorporá-lo na tua evolução espiritual de consciência.

Aceita a Realidade
Tudo acontece por uma razão, seja o bom ou o mau. O ego cataloga os eventos da vida, mas estes não têm qualquer rótulo na realidade. Tudo nos acontece no fundo por mérito karmico, mesmo que não estejamos conscientes disso e que não compreendamos porquê. Não são as coisas em si que acontecem que nos fazem sofrer, mas sim a nossa percepção delas. Se simplesmente aceitarmos o que nos acontece e fizermos o que tem de ser feito, há todo um conjunto de emoções negativas que nos deixam de afectar e perturbar a alegria. Se nos acontece é porque nos tem de acontecer e há uma lição a aprender, pois é esse o propósito da vida. Logo nem vale a pena ter opiniões sobre aquilo que nem compreendemos.

Contemplação
Todas as emoções negativas têm como origem ilusões. Ilusões (memórias, pensamentos, imaginações, etc) não secundárias e não importam. Só o que é Real e Verdade tem validade para guiar as nossas escolhas e contribuir para a nossa evolução e felicidade. Se a curva é à direita que utilidade tem a memória/ pensamento/imaginação de que a curva é para a esquerda? E se a memória/pensamento/imaginação for que a curva é para a direita, essa memória/pensamento/imaginação vem da Realidade de que a curva é de facto para a direita. Contemplar é um exercício que nos permite estarmos mais conscientes da realidade, ou por outras palavras presentes no momento, no agora. Todo o sofrimento vem dos pensamentos do ego, e este exercício permite que a mente se acalme e até silencie. Olha-se em frente para nada em específico e foca-se a atenção na totalidade da nossa visão periférica. Há quem goste também de focar a atenção na respiração (daí dizer-se a alguém que se respirar fundo irá acalmar-se), e desfocar a visão um pouco relaxando os olhos. Pode-se contemplar a maior parte do tempo, e o dia está cheio de oportunidades (a comer, à espera de algo, a vestir-se, a lavar os dentes, a andar na rua, etc).

Sê Tu Próprio
A primeira fase da evolução é a de ganharmos consciência de como realmente somos. A partir daí começamos a ganhar consciência das nossas qualidades reais e das nossas limitações reais, e sabemos em que temos de melhorar para termos uma experiência de vida mais alegre e feliz. A maior parte das pessoas não são autênticas, seguem programações mentais de funcionamento semelhantes a trabalho/performance de actor, e fazem/dizem aquilo que acham que lhes trará a maior validação exterior possível, por questões de sobrevivência e prazer. Não estão a ser espontâneas e inocentes, mas sim a forçar uma aparência que não está alinhada com a sua essência. Tentam manipular a ideia que os outros têm delas, e enganam-se a si próprias. Ser espontâneo não é sinónimo de cometer erros e loucuras, nem de ser desequilibrado. Quando se tem determinadas qualidades são essas qualidades que se irão expressar na nossa espontaneidade. Claro que irão se expressar também limitações, mas isso é normal. Começamos por nos perdoar pelos nossos erros e limitações, e ter compaixão por nós próprios. E quanto essa atitude for real, iremos começar realmente a perdoar os outros, pois nem os chegamos a culpar, e a ter compaixão pois todos somos vítimas do ego – e é por isso que o temos de transcender. Faz e diz as coisas não para obter algum resultado ou tentar controlar a realidade, mas sim porque são uma expressão da tua verdadeira essência. Há um estado incrível de liberdade quando se vive assim, e aprende-se muito pois não se nega nem esconde as limitações.

Evita o Negativo
Funciona como magia. Evitar na vida aquilo que tem uma essência negativa, só por si faz-nos sentir melhor, pois isso funciona como bloqueio. É portanto importante sermos selectivos em tudo. Há 10 anos que não vejo televisão e na prática não só nunca me prejudicou nem limitou em nada, como automaticamente passei a sentir-me melhor. É em essência inútil, tal como tudo o resto que seja negativo e expressões de falta de integridade e narcisismo. Música, filmes, locais, actividades e pessoas negativas, tal como pensamentos negativos, são coisas desnecessárias que nos impedem de sentir tão bem como poderíamos sem elas. Sê selectivo, rodeia-te apenas do que é positivo, e descobre a diferença.

Arrisca e Experimenta
Sai de casa e parte à aventura. Dedica-te à tua vida social nem que seja apenas 1 dia ou noite por semana. Sem experiência de vida não há evolução nem transformação, nem sabedoria. Arrisca e experimenta fazer coisas novas que te atraiam e apeteçam. Dá o benefício da dúvida a convites surpresa e vai. Pensa menos e sê mais, faz.

Foca-te No Relevante
É fácil focarmos a nossa atenção para o mundo lá fora e formar opiniões sobre tudo. Até parece que é boa ideia comentar sobre as escolhas e vidas dos outros, e os eventos do mundo. Essa é uma excelente forma de garantir que nunca iremos evoluir. Evolução é um caminho interior de aumento de consciência. O mundo e os outros apenas entretêm o nosso ego com os seus sentimentalismos e indignações, pois ele alimenta-se do que é negativo. Só olhando para dentro, contemplando, meditando, aplicando os princípios no nosso dia-a-dia, arriscando, experimentando, ganhando experiência de vida, enfrentando os nossos medos, é que vamos evoluir e ser mais felizes. Custa muito, pois exige esforço e o nosso ego ataca-nos. Tem de ser diário, e lidar com o que está no nosso inconsciente não é nada fácil. Na verdade a maior parte das pessoas não quer saber como realmente é, apenas quer ter razão e outros a concordarem consigo. É doloroso quando realmente se descobre as nossas reais limitações. É aí que surge a verdadeira humildade, pois é apenas aí que descobrimos que não somos tão espectaculares como pensávamos, e que na verdade não sabemos nada.

Procura Descobrir a Alegria de Existir
Neste preciso momento poderias estar num estado de perfeita alegria. Só não estás porque na verdade não queres. Não há nada agora a impedir-te de te sentires feliz, apenas a tua escolha livre de te focares no negativo e aceitares as ilusões do ego. As razões para te sentires mal são todas inválidas, são todas pensamentos, não te tens de agarrar a nenhuma nem aceitar nenhum. És livre de aceitar essas razões, e enquanto aceitas essas razões só porque queres, ignoras a realidade de que existes e estás completo, mas podias focar-te antes nessa realidade. Pois é o poderoso estado que vem dessa realidade que te permitirá melhor lidar com o pior da vida. E é essa realidade que te trará verdadeira e permanente alegria. Nada no mundo te pode trazer essa alegria e felicidade, pois tudo no mundo é temporário. O mundo pode proporcionar-te prazeres passageiros, mas a fonte de toda a felicidade é interior, é só e apenas o Espírito. E é do Espírito que vêm todas as qualidades boas que um ser humano pode ter, que vem a integridade, a compaixão, a humildade, que vem toda a Beleza do mundo, que vem coragem, optimismo, sucesso, amor, paz, alegria, etc. E isto descobre-se através da contemplação, que é o começar a ver o invisível que está por detrás de tudo o que acontece. E mais à frente irás perceber que tudo é uma ilusão na vida, que esta é apenas um sonho, que não se morre apenas se fica sem corpo (a vida transforma-se, não se elimina).


Que se vai do individualismo para o Todo, de opiniões para a Verdade, de narcisismo para Amor, de negativo para Paz, de ânsia e desejo para Completo, de manipulação para Inocência, de orgulho para Humildade, de crítica para Perdão, de frustração para Aceitação, de quantidade para Qualidade, específico para Tudo, de medo para Entusiasmo, de tristeza para Alegria, de aparência para Essência, de ontem para Agora, de sombras para Luz, de violência para Beleza, de força para Poder, de ambição para Contribuição e Serviço, de temporário para Eterno, de limitado para Infinito, de variedade para Silêncio, de ter para Apreciar, de saber sobre para Ser. É um caminho feito de o largar daquilo que nos impede de ser felizes. Tal como o Sol está lá sempre em cima a brilhar, mas apenas não o vemos por causa das nuvens, a Verdade também está sempre presente aqui a brilhar a sua Luz, mas apenas não as vemos pois estamos a escolher as “nuvens” chamadas ilusões do ego. Deixa-as cair, e Eleva-te.

5 comentários:

Pedro Ribeiro disse...

Obrigado pelos posts Pedro!

Gustavo Vargas Portilho disse...

Pedro! Sem palavras irmão! Você está no coração de todos nós e estou muito contente por ter lido este texto! Muito obrigado a você e ao espirito que nos orienta ao caminho da Sabedoria e da Verdade.

Pedro C. disse...

De nada Pedro, foi uma honra.

Pedro C. disse...

Obrigado Gustavo, foi uma honra.

Pedro Ribeiro disse...

Hey Pedro!

Já te ouvi a dizer em aúdios e também em posts, que se não formos falar com a rapariga/mulher que estamos atraídos a seguir ao segundo contacto visual, estamos tramados. Mas porquê? Acho que nunca chegaste a explicar isto...

Eu normalmente troco olhares com a rapariga/mulher que me sinto atraído umas 3,4 ou 5 vezes e depois tento reunir coragem para ir lá dizer-lhe algo. Faço mal então?

Abraço.