AMOR

"Ensina só Amor, pois é isso que tu és"

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

“Como Lidar Com a Ex-Namorada”

“Como Lidar Com a Ex-Namorada”


Pergunta de leitor:

Olá Pedro, uma pergunta: a minha ex-namorada terminou comigo em Novembro por uma coisa que eu fiz que ela ficou um bocado magoada com a situação. Eu quis voltar a reatar as coisas no final de Dezembro mas ela não quis, e depois em janeiro, dia 15, voltei a contacta-la e começamos a falar com frequência. Ao início ela demonstrava que queria estar comigo mas depois pelas conversas que tínhamos a falar do porquê de termos terminado, ela começou a ficar mais indecisa em relação a estarmos juntos e a dizer que tinha medo de se magoar de novo. Depois no final de janeiro ela convidou-me para sair numa segunda mas depois umas 3h antes do encontro desmarcou e pediu desculpa a dizer que era melhor não falarmos mais. Aí fiquei a dizer-lhe também aquilo que ela na altura fazia que eu não gostava e ao que ela não deu valor, e ela ai mudou de ideias logo a seguir e já queria estar comigo. Eu fiquei um bocado chateado e disse-lhe que já não tinha vontade nenhuma para estar com ela e falamos à noite por telefone e eu aí disse-lhe que por enquanto não queria mais nada. Passados uns dias aquilo passou-me um bocado e voltei a contactá-la a dizer-lhe que gostava de voltar a estar com ela e ela disse-me o mesmo, e depois ela mandou-me mensagem passados uns 3 dias e eu respondi só no dia seguinte, e depois ela convidou-me para sair na segunda e eu disse que esta segunda não podia. Mas será que a indecisão dela tem a ver com o facto de ela ser controlada pelo ego? É normal eu ter ficado chateado e com menos motivação para estar com ela por causa da sua indecisão? Obrigado pelo post (:


Resposta comentários:

Ufa, Nossa Senhora de Fátima! :D

Primeiro de tudo, eu sugiro que leias mais e que te dediques seriamente a aprender a escrever e a expressar-te melhor através da escrita. Escreves de uma forma confusa, praticamente sem pontos finais, e isso não te vai ajudar em nenhuma área da vida. Tive de corrigir bastante o teu comentário para o tornar minimamente claro para os outros leitores. Uma mulher mais decente e sofisticada recebe uma mensagem, preguiçosamente ou desleixadamente, mal escrita de um homem estranho, ou que mal conhece, e acabou-se. Um homem sem excelência naquilo que faz não tem acesso a uma mulher excelente. Karmicamente, devido ao seu nível de consciência, ainda não merece uma mulher como deve de ser. E são as mulheres excelentes que potenciam os melhores momentos e relações.

Quanto ao resto, a tua situação é uma bela telenovela mexicana que seria evitada com apenas uma escolha:

Não manter contacto com a ex-namorada.

Este é um princípio essencial que já partilho há anos. Tudo na vida é temporário, logo uma das lições que temos a aprender como ser humano é a aceitar o início e o fim de tudo o que nos surge na vida, incluindo o corpo, emoções, relações, etc. Todas as relações acabam, seja porque um dos dois morre, ou por outra razão qualquer. Portanto há que aceitar que as relações acabam, e há que as deixar acabar quando tiverem de acabar, e isso inclui largar a ex-namorada. Não interessa quando a relação acaba, ou porque razão acaba, a atitude é a de, imediatamente e sem hesitação, a deixar acabar e largar a ex-namorada. O ego quer sempre controlar a duração das relações, forçando a proximidade com o parceiro, mesmo que o parceiro já tenha deixado claro que não quer mais essa proximidade. Manter o contacto com a ex-namorada é deixar aberta uma porta de potencial de sofrimento, pois o ego (o teu e o dela) vai trazer ao de cima todas as emoções negativas possíveis, o que na prática só traz dúvidas, frustração, revolta, tristeza, medo, etc. Há sempre um dos dois cuja atracção não está a ser satisfeita, logo há uma frustração inconsciente. O que é brutal, se a intenção da pessoa for sofrer sem saber porquê :D

Depois há a secreta motivação por detrás das conversas e saídas: a busca por validação do ex-parceiro, o tentar forçar as coisas a serem como eram antes, cobranças, controlo, manipulação, ânsia por companhia, querer sentir-se desejado, medo de estar só, etc, o que é fácil perceber que nada tem a ver nem com verdadeira amizade, nem com amor.

Portanto cometeste um erro na relação e ela quis acabar a relação. Então deixa-a acabar a relação. Pedes desculpa pelo teu erro e lamentas tê-la feito sofrer, mas deixa-la livre para seguir o seu caminho. Agradeces os bons momentos, mas larga-la e segues com a tua vida, ficando em relação a ela e à relação um estado de gratidão e boas memórias. Relativamente ao teu erro, perdoas-te pois foste vítima de uma ilusão do ego, e dedicas-te a não voltar a cometer esse erro. Experiencialmente isto é bem melhor do que o que descreveste no comentário, em que basicamente só há confusão, dúvida, raiva, medo e arrependimento entre um e o outro. Se queremos ser felizes temos de largar o medo de estar sós, pois esse medo irá controlar as nossas escolhas e fazer-nos estar com as pessoas erradas, pelas razões erradas, e fazer-nos rebolar aos trambolhões de mau momento em mau momento.

Sempre que não aceitamos o propósito evolutivo da vida e que a tentamos controlar, sofremos. O ego virá sempre com as suas justificações aparentemente plausíveis e lógicas para fazermos certas coisas, uma delas continuar-se próximo da ex-namorada como se a relação não tivesse acabado. A prova, digamos assim, de que essa escolha não está alinhada com a Verdade da situação é a de que apenas potencia sofrimento, tal como descobriste. Se fosse boa ideia em termos de felicidade não estarias a passar por uma confusão de momentos e emoções negativas, nem terias enviado um comentário em busca de uma solução para aliviar a tua dor.

O princípio é simples:

Não manter contacto com a ex-namorada. Por outras palavras, fechar o acesso ao ego do combustível que este poderia usar para nos trazer sofrimento. Se a relação acabou é porque já não é suposto estarmos com aquela pessoa. É essa a mensagem que nos está a ser enviada pela Realidade. Se compreendemos porquê ou não, é indiferente, pois o que faz a diferença é se seguimos essa Verdade.

É que só estás a perder tempo. Podias estar tranquilamente a viver a tua vida, alegremente a fazer o que gostas, a conhecer outras mulheres e a explorar o potencial de felicidade e evolução na vida humana, e quem sabe, até já podias ter outra namorada e estar a passar por momentos bonitos com ela.

Mas se calhar nada disto interessa, pois não daria audiências nas telenovelas mexicanas :D


Obrigado pela tua pergunta. 

3 comentários:

Romário Belarmino disse...

Pedro, realmente, como já tinhas dito, ex-namoradas não são as melhores opções. Entretanto, penso que, actualmente, a sociedade, no seu todo, tornou-se bastante egoista e materialista. Ou seja, o ser deixou de ter sentido e passou a dar lugar ao ter. Isto significa que se você for uma pessoa afortunada, certamente, lhe surgirão "amigos" de toda a casta e de todos os calibres. E, quanto a mulheres, nem se fala. Agora, o problema é quando a fortuna acabar. Pois é, os "amigos" vão sumir sem deixar rastos. Isto que é verdade, infelizmente.

Ge B disse...

Assim se fez em minha vida. Não segui essa verdade e desperdicei 5 anos com sofrimentos, metade do tempo insistindo, manipulando e errando, bem como vivenciando vergonha e medos irreais. E depois do inevitável fim a outra metade do tempo até agora enfrentando as consequências, tentando a coragem, recuperando as emoções positivas, lutando contra os vicìos, descobrindo a integridade, autenticidade e honestidade. Aceitar o fim, buscar o novo, viver a verdade da realidade presente. Sábios conselhos.

Pedro C. disse...

Romário Belarmino: "penso que, actualmente, a sociedade, no seu todo, tornou-se bastante egoísta e materialista."

A sociedade sempre foi assim lol e quanto mais para trás no tempo, pior, a chegar ao ridículo de ser actividade diária pilhar e matar :D portanto hoje em dia, na verdade, até está melhor ^_^

Infelizmente porquê? Ainda bem que os falsos amigos desaparecem! Ufa! O que traz sofrimento é a sua presença na nossa vida, não é eles irem-se embora. Portanto isso é uma coisa boa, chegar um ponto em que eles desaparecem :) e mais uma vez, aqui não há vítimas. A pessoa abastada só deixa fazer parte da sua vida quem ele escolhe. Ninguém faz parte da nossa vida sem o nosso consentimento e aceitação. Portanto há que evoluir e conseguir detectar os "lobos em pele de ovelha", e ser conscientemente selectivo. A responsabilidade é sempre e apenas nossa.