AMOR

"Ensina só Amor, pois é isso que tu és"

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

“O Que Fazer Quando Se Está Interessado Numa Colega De Trabalho”


“O Que Fazer Quando Se Está Interessado Numa Colega De Trabalho”


Pergunta de leitor:

Olá Pedro, tudo bem? Curti o áudio e também os gráficos. Eles ajudam a entender melhor os conceitos pela sua simplicidade! Uma pergunta:

No meu trabalho (um call center enorme) há uma mulher por quem eu me sinto bastante atraído (bem, na verdade há varias :-) ). Ela trabalha numa equipa diferente da minha, na outra ponta do escritório (que é bastante grande), por isso só a vi algumas vezes. Não sei qual é a melhor maneira de lhe dizer algo. Sinto-me um pouco estúpido se simplesmente chegar lá e dizer olá. E também não quero andar tipo stalker a persegui-la para ver se a apanho numa pausa ou a ir à casa de banho (até porque não posso entrar na das mulheres). Qual seria a maneira mais natural para dizer-lhe algo? Normalmente tenho a tendência de fantasiar sempre com as mulheres de quem gosto, o que nunca dá em nada... Tive a ouvir o teu curso novamente (o de nível 2) e tirei apontamentos, e tento fazer os exercícios. Tenho vontade de finalmente entrar em acção e fazer algo, em vez de me perder na fantasia de "o que gostaria que fosse". Obrigado pelo teu trabalho Pedro, Abraço!”



Resposta, comentários:


A tua percepção é o teu único obstáculo / problema. Pensas que finalmente tens vontade em entrar em acção e largar as fantasias, mas na verdade não tens. Se tivesses já estavas a entrar em acção e a largar as fantasias lol é assim que funciona. Quando realmente se quer, escolhe-se e faz-se. Estou-te a alertar para isto para poderes evitar o sofrimento dessa ilusão que certamente te fará andar aos círculos sem chegar a lado nenhum. Imaginação não é Realidade.

O que na prática / realidade estás a fazer é arranjar justificações e desculpas – que para ti são completamente válidas – para não fazeres nada, não avançares, não entrares em acção. O ego é assim e não há nada a fazer para o mudar. Só podemos desistir das suas sugestões e de tudo o que ele representa, e arriscar, seguindo um novo caminho que para ele é assustador e estúpido =)

Se na prisão dos inocentes (ego) apenas fizeres aquilo que quem te está a guardar e te mantém preso (ego) te diz, e se acreditares nas suas ameaças, jamais escaparás e irás continuar a sofrer.

“Sinto-me um pouco estúpido se simplesmente chegar lá e dizer olá.”

Claro que sim. Para o ego é estúpido ir dizer olá a uma mulher e arriscar ser rejeitado. É estúpido porque para ele é mais importante a falsa auto-imagem de perfeição que lhe traz orgulho, do que Coragem, Humildade e Amor. Ires ter com ela e dizeres-lhe olá é tudo menos estúpido. É um acto de Coragem, é uma atitude que pode ser inspiradora, é uma demonstração de interesse, ou seja, estás a demonstrar a alguém que gostas dessa pessoa. Essa é a verdade da situação... Coragem é estúpido? Demonstrar apreciação é estúpido? Não me parece. Estúpido é nunca fazer nada e arranjar desculpas ridículas que apenas perpetuam sofrimento =)

Se ela está a trabalhar, então sim, não é apropriado ir falar com ela pois estarás a interrompê-la. Estarás a atrapalhar a sua função. Mas se a vês em pé sem fazer nada, num intervalo, estás à espera de quê? Vai lá, diz-lhe olá, que tens reparado nela e que ficaste curioso por a conhecer melhor. Ou pelo menos que se não fosses lá dizer-lhe olá e que a achavas bonita ficarias arrependido para o resto da vida. O teu único escape nessa situação é coragem e humildade, indo lá falar com ela só para seres sincero e tu próprio, e o resto logo se vê.

“E também não quero andar tipo stalker a persegui-la para ver se a apanho numa pausa ou a ir à casa de banho (até porque não posso entrar na das mulheres).”

E porque raio precisarias de entrar na casa-de-banho das mulheres para falar com ela? Essa desculpa é inválida. Mas tu és um stalker... lol a tua atitude com essas fantasias é de stalker. Não te iludas, lá porque és passivo e não a andas a perseguir isso não muda a tua essência. O normal é ir dizer olá, e não dizendo nada o normal é não fantasiar e esquecê-la. Ora se nem fazes uma coisa nem a outra... não estás a comportar-te normalmente / ser normal.

Eu se fosse a ti perseguia-a. Essa desculpa do stalker é esperta mas longe da verdade. É a intenção com que fazemos as coisas que importa. Logo podes perfeitamente procurá-la num intervalo, ou ficar à espera que ela saia da casa-de-banho, para falares com ela. A única coisa que tens de fazer é admitir o teu esforço para conseguir falar com ela, de forma humilde e inocente. Se ela for mínimamente normal irá apreciar a tua sinceridade e esforço, mesmo que não se sinta atraída por ti e nunca mais se falem ou cheguem a trocar contacto e sair os dois a sós.

“Normalmente tenho a tendência de fantasiar sempre com as mulheres de quem gosto, o que nunca dá em nada...”

A sério? Lol

Porque nunca dá em nada? Porque a mulher está no mundo real e não dentro da tua cabeça na imaginação.

Com contemplação constante, como estilo de vida, resolves isso, pois a contemplação coloca-te atento ao mundo real e a ignorar fantasias / pensamentos / ideias / imaginação, etc. É uma questão de querer e de fazê-lo, nada mais.

A simplicidade da tua situação chega a ser cómica. Na Realidade não há nada a impedir-te de ires falar com essa colega e de te dares a conhecer. E se ela não sentir o mesmo por ti, tens as outras. Tanto no trabalho, como fora dele. Não esperes muito da primeira conversa com ela, mantém as interacções simples, breves e cómicas. Se ela gostar de ti ela irá puxar pela interacção. Ela irá fazer-te perguntas. Ela irá procurar-te. Se ela não fizer nada disso é porque não está interessada. Aí continuas a cumprimentá-la, mas não fazes conversa nem andas mais atrás dela. Porque aí sim, estarias a ser stalker na prática =)

Obrigado pela tua pergunta

9 comentários:

Fábio disse...

Olá :)

Pedro, com a prática da contemplação, tenho ouvido uma espécie de zumbido cada vez mais forte, porquê que isto acontece? :)

Obrigado

Pedro C. disse...

Fábio: "com a prática da contemplação, tenho ouvido uma espécie de zumbido cada vez mais forte, porquê que isto acontece?"

É comum ter-se esse zumbido nos ouvidos. Com a contemplação ganhas mais consciência disso, e provavelmente estás ainda muito focado apenas no zumbido dos ouvidos, mas essa fase passa.

David Nunes disse...

Pedro, esse ano de 2014 eu decidi enfrentar a sério meus medos em relação às mulheres.Daí, comecei a ver muito o blog.Logo, após, começar conversas com muitas meninas e sair com algumas, muitas e muitas vezes dando em nada por medo de beijar, finalmente perdi meu medo de beijar(esse medo me puxava muito para baixo), quando realmente arrisquei e deu certo.Só queria agradecer por mostrar esse caminho.É impressionante como eu aumentava esse medo bastante, tanto é que minha mãos tremiam e soavam muito e muito antes de situações que me pareciam "agora ou nunca vou resolver isso", mas tu mostrou que o melhor caminho é o de ter carinho em relação às mulheres, não importa o resultado ou o que aconteça, isso é o maior presente que alguém já me deu e ensinou.Sou eternamente grato a ti Pedro, vou continuar meu caminho de evolução fiel aos teus ensinamentos.Muito Obrigado, desejo um dia conhecê-lo pessoalmente.E um feliz 2015 com muitos presentes do espiríto !!
Obrigado

Romário Belarmino disse...

Pedro, quando a ex-namorada resolve nos procurar, novamente, deveremos (re)aceitá-la, na nossa vida, uma vez estando solteiro ou deveremos reavaliar a situação, tentando saber qual o real motivo dela estar a querer voltar de novo, para poder saber que decisão tomar? Gostaria de ouvir a tua opinião.

Alex ntl disse...

Hey Pedro que tal um audio especial de fim de ano ? Seria Brutal lol

Matheus Alencar disse...

também costumo fantasiar muito, não só em relação a mulheres, mas em tudo. Esvaziar a mente contemplando está sendo um esforço surreal. Com a prática constante acredito que o processo seja menos "dolorido" xD .

Pedro C. disse...

Obrigado David! Espero que tenhas um ano de 2015 ainda mais feliz que os anteriores.

Porque aplicaste os princípios no momento da verdade, quando foi difícil pois sentias medo, descobriste o tesouro depois do deserto. Sem Coragem não há Amor, e por isso dou-te os parabéns por teres arriscado e assim aprendido essa lição.

Eu partilho os princípios, mas os princípios não são meus, nem criação minha, são uma dádiva do Espírito, da sua sabedoria e consciência da Realidade, por consequência de Ser a Realidade. Daí vê para além das emoções / ilusões, e Liberta-nos das suas prisões / limitações desnecessárias, que perpetuam o nosso sofrimento.

Uma vez que fazemos o que está certo fazer independentemente de como nos sentimos (medo » beijar), começamos a Ver melhor o que é ilusão e o que é real (medo = ilusão / amor = realidade), e o que é certo fazer, contexto a contexto.

Pedro C. disse...

Romário Belarmino: “quando a ex-namorada resolve nos procurar, novamente, deveremos (re)aceitá-la, na nossa vida”

Regra geral é bom evitar ligações com ex-namoradas. A ex-namorada procura o homem para usá-lo por razões narcisistas de companhia e validação, o que traz inconscientemente todo o tipo de emoções negativas do ego no homem, principalmente a de frustração (pois a atracção por ela não está a ser satisfeita). Por outro lado ex-namoradas são um obstáculo a conhecer novas mulheres e a aprofundar ligações e intimidade com elas, pois desnecessariamente ocupam tempo e energia ao homem. Por uma questão prática de evitar sofrimento inconsciente (ou consciente) e de conhecer novas mulheres sem nada a prejudicar e bloquear o processo natural de experienciar namoros, eu sugiro evitar qualquer tipo de ligação com ex-namoradas.

Pedro C. disse...

Alex NTL: “que tal um áudio especial de fim de ano ?”

Poderia ter acontecido fazer um áudio por ser fim de ano, mas a inspiração para os textos e áudios do Cool Vibes não vem das datas do mundo, que na verdade apenas existem na nossa mente, e não na Realidade. A inspiração vem de perguntas concretas que são feitas por comentário, ou do conjunto de perguntas concretas que são feitas em determinado período, ou de uma fonte não linear que “diz” ser o momento certo para escrever ou falar sobre determinado tema da evolução de consciência. Assim sendo, é quando calha por realmente importar, e não porque está a chegar determinada data do mundo.