AMOR

"Ensina só Amor, pois é isso que tu és"

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Perguntas e Respostas, Outubro 2014

Perguntas e Respostas, Outubro 2014



1 – Meias Verdades, Meias Mulheres

Pedro, porque é que algumas mulheres nos querem manter, sempre, por perto, dando-nos aquele sorriso e tal, e de repente, quando damos por nós, as ditas cujas já se encontram nos braços de alguém? Porque elas fazem isso?”


Resposta, comentários:

O homem que fala por meias verdades apenas consegue meias mulheres.

A tua pergunta, e descrição, é vaga. O que realmente te aconteceu em específico?

Ías a andar na rua, uma mulher sorriu-te, e de repente abraçou outro homem que ía a passar...?

Ou estavas a sair com uma mulher por quem te sentias atraído, ela parecia estar interessada em ti e dava-te “aquele sorriso e tal”, mas de um dia para o outro começa a recusar os teus convites e avanços, e descobres que ela anda a sair e a curtir com outro homem...?

Tens de ser mais realista, concreto e específico, pois sem saber o que realmente se passou, como te posso dar uma resposta útil? A minha intuição diz-me que provavelmente é possível que tenha sido algo semelhante ao segundo caso, mas não tenho a certeza. Como a tua pergunta foi uma meia verdade, o melhor que posso fazer daqui, por não saber exactamente o que aconteceu, é dar-te uma meia resposta.

Provavelmente ela fez-te isso, e outras o farão, pois não és sincero com elas. Não revelas a tua intenção, não revelas o que sentes por elas, não avanças com coragem e determinação... é possível que tal como a tua pergunta de meia verdade, a tua atitude com as mulheres também seja de meia verdade, ou meio interesse, logo obténs meias mulheres. Uma meia mulher, na verdade, não existe. O que existe é, sais com a mulher, nada amoroso acontece apesar de ela parecer interessada, mas depois és deixado para trás e ela prefere outro homem. Provavelmente um homem mais sincero e determinado, que revela a sua intenção e o que sente, que é directo e claro no seu desejo, que avança e a beija, não perdendo tempo e não dando asos a mal entendidos (parecer “amizade” quando na verdade a intenção era amorosa/sexual).

O homem das meias verdades é o homem fraco de espírito, que não avança com as mulheres, e que apesar de ter saídas com mulheres raramente experiencia algo amoroso e sexual com elas. Isto pode levar a duas situações: 

1 - a mulher farta-se e acaba por conhecer e preferir outro homem;

2 - ou a mulher continua a sair com o homem fraco de espírito, não por genuíno interesse amoroso (potencial namoro), mas sim como fonte de atenção, validação e companhia. As mulheres não íntegras fazem portanto isso devido a narcisismo, e a como o seu ego feminino funciona, as necessidades e desejos que tem.

A mulher (tal como o homem) sente-se só quando está solteira. Isto é perfeitamente normal. A questão é que não se tem de lidar com a sensação de solidão de forma narcisista, mas a mulher não íntegra assim o faz. Ela sabe que o homem fraco de espírito está interessado, ela sabe que ele passa o tempo a pensar nela com fantasias românticas, ela sabe que ele irá fazer de tudo para lhe agradar, ela sabe que ele depende dela emocionalmente e que a vê como a sua maior fonte de felicidade, ela sabe que ele não tem outras opções de mulheres, ela sabe que ele não consegue distinguir aparência de essência... logo ela sabe que se fingir estar interessada, dando o tal sorriso, vai mantê-lo por perto.

Não só isso, mas ela sabe que por isso tudo, sempre que precisar da companhia ou ajuda dele, ela sabe que isso acontece quando ela quiser, ela sabe que ele vai dizer que sim ao convite e ao favor pedido. E mais importante, talvez, é que ela sabe que ele é um homem fraco, logo ele não vai tentar beijá-la ou avançar sexualmente, logo ela sente-se segura e a controlar a distância a que ambos estão, logo ela confortávelmente controla todo o teatro de pseudo-amizade e de pseudo-potencial namoro.

Geralmente um sinal deste teatro é quando a mulher nunca aceita os convites do homem (estar com ele quando ele quer), mas depois convida-o para sair. Eles só estão juntos então quando ela quer, portanto ela controla quando se encontram, deixando o homem desamparado e confuso, sentindo-se sem qualquer poder, sentindo-se sem ser apreciado, quase sempre num estado de medo de a perder, mas enganado pelas migalhas de falso interesse dela. Pois ela não aceita os convites, mas depois convida-o para sair. Pois ela não o beija, mas sorri-lhe. E isto faz o homem ir atrás dela, aceitar todas as suas propostas, com medo de que se não o fizer, perde-a.

O homem íntegro não cai nestas armadilhas, e ele sabe por experiência que estas mulheres na verdade são fracas de espírito também. Assim que o homem recusa algo ou deixa de a procurar, a mulher passa a procurá-lo. E aí sim, o homem fraco de espírito começa a acreditar que ela está mesmo interessada, hahaha!

Mas não está. Nem nunca esteve... nem nunca estará. =)

Ela só foi atrás do homem e procurou-o, pois sentiu-se a perder o controlo, a atenção e a validação, logo sentiu-se a perder o orgulho. Foi narcisismo, e não interesse, que a fez procurar o homem. Foi interesse nela própria, e não no homem, que a fez mexer-se e procurar o homem. Esta procura pode ser altamente teatral, com grandes e eloquentes discursos de “sinto a tua falta”, “éramos amigos”, hahaha! E com atitude pseudo-inocente de injustamente abandonada quando gostava tanto do homem... é tudo treta =) não passam de tácticas do ego, ele tem vários estilos de manipulação, desde a mais passiva e “querida”, à mais agressiva, triste, lógica, etc.

Concluindo, assim como temos de revelar na sua totalidade aquilo que queremos perguntar para podermos obter a melhor e mais completa resposta possível, temos de, com as mulheres, revelar na sua totalidade aquilo que queremos experienciar com ela, aquilo que ela nos faz sentir, e avançar nesse sentido. Escolher avançar com coragem na direcção que está alinhada com a nossa intenção e com o que sentimos pela mulher. Sem isso nada acontece, a mulher fica apenas baralhada e confusa, aborrece-se e desaparece. Ou então decide usar o homem para as suas tardes solitárias de conversa infinita lol Daí meias verdades apenas obterem meias mulheres: o homem está com elas,mas apenas num contexto assexuado de conversa frente-a-frente. Nada de amoroso ou sexual acontece, ou seja, o homem fraco de espírito das meias verdades não experiencia uma mulher na sua totalidade. Quanto mais cedo se revelar a intenção e se avançar de forma alinhada com a nossa intenção, mais cedo das duas uma: ou se experiencia algo amoroso/sexual com a mulher, e mais rapidamente se chega ao namoro; ou percebe-se logo que ela não está interessada e livramos-nos assim da tortura da dúvida, de saídas inúteis, e de sermos manipulados pelas mulheres não-íntegras espertas.



2 – O Relógio do Amor

“Olá Pedro, como vai? Estava tentando achar um post mais recente onde você comenta sobre relações à distância, mas não consegui achar. Gostaria de fazer novamente a pergunta sobre o tema mas de uma forma diferente: qual o tempo para uma relação ser considerada íntegra? Digo em termos de dias, uma vez a cada duas semanas, ou 4 horas por semana, a distância entre a pessoa, etc. O que seria minimamente íntegro e não considerado à distância?”


Resposta, comentários:

Não é uma determinada quantidade de tempo que torna uma relação íntegra, é a essência de ambos os parceiros.

Para se poder experienciar uma relação íntegra é então necessário que ambos os parceiros sejam íntegros. A importância de se ser íntegro é que só assim se tem acesso, digamos assim, a uma mulher íntegra, e só com integridade se pode ser consistentemente feliz, e ter relações felizes.

O Amor não tem relógio... o Amor ama sempre agora, pois só o agora existe. Desde que tenha alguém para Amar, claro. Daí o problema das “relações” à distância: a outra pessoa não está connosco no mundo real para a amarmos e experienciarmos a vida a dois.

A questão aqui não é se a  frequência com que se vêm é suficiente para a relação ser íntegra, nem se a distância a que estão um do outro torna a relação íntegra ou não. A questão da distância e frequência vai determinar se o que têm se pode chamar de relação ou não lol portanto não é se a relação é íntegra ou não, mas sim se de facto se pode chamar de relação ou não.

Uma relação são vivências a dois, nem que seja ver um filme juntos no sofá. É feita de experiências a dois, lado a lado, no mundo real. Quando o parceiro não está connosco, não estamos a experienciar o que a relação é. Logo se queremos uma relação real, e gostamos de intimidade, sexo, carinho, convívio, etc, então convém que tenhamos uma relação com alguém com quem seja prático estar.

Uma boa linha de orientação para esta selecção de parceiro é esta:

É possível estar com ela hoje facilmente?

Se a resposta for não, esquece-a. Uma relação vive-se no mundo real, não na imaginação, e não meramente através de aparelhos para os quais se fala e nos quais se teclam mensagens. Quando estás a teclar não estás com a outra pessoa lol chat não é vida real. Se a pessoa não está contigo então não estás a experienciar o básico de uma relação.

Se em 30 ou 45 minutos não se conseguem encontrar, esquece.

Se ela está no Porto e tu em Lisboa, esquece.

Se para se verem têm sempre de esperar pelo fim-de-semana, ou pior, pelas férias, e é uma viagem dolorosa de longos quilómetros, ou horas, de carro, ou que exige o uso de vários transportes (autocarro, depois barco, depois comboio), esquece. Vocês estão longe demais para poderem experienciar uma relação real, como deve de ser.

Os não íntegros aceitam facilmente uma relação à distância por duas razões principais:

1 – há alguém que os valida e lhes dá atenção, e em termos de orgulho isso tanto faz ser em pessoa como à distância;

2 – uma vez que a pessoa está longe e mal se vêem, assim o seu narcisismo não é tão incomodado. Se a pessoa estivesse presente teriam de querer saber dela e fazer coisas por ela... assim está-se bem, não incomoda. À distância não há choque de egos... o que gera a ilusão de harmonia lol apesar de poder haver discussões por chat, não tem nada a ver com a batalha de orgulhos em pessoa que os não íntegros experienciam. Assim à distância o outro parece ser melhor do que realmente é, e claro, isto faz a “relação” à distância agradar e parecer fixe.

Duas pessoas que praticamente só comunicam por internet não são namorados... são parceiros de chat =) pois é isso que fazem juntos a maior parte do tempo. Se estivessem juntos regularmente a amar-se, seriam namorados.

Tudo é descoberto e definido quando o homem e a mulher se conhecem. Onde vive o outro? Perto ou longe? Longe? Esquece. Minimamente perto? Vamos avançar, em caso de interesse. É simples.

Uma coisa é o parceiro estar numa fase de maior trabalho e cansaço e não ter disponibilidade para ambos estarem juntos com a frequência que estavam antes. Outra coisa é o parceiro de facto estar a muitos quilómetros de distância, sendo o normal e a regra levarem horas de viagem para estarem juntos.

Portanto não é uma questão de frequência. Podem até vir a viver juntos, mas como sabem que querem viver juntos se não têm experiência suficiente para saber como é estar um com o outro?

É uma questão de facilidade em se encontrarem em dias normais. Se vivem na mesma cidade, óptimo. Se do meio de transporte que costumam usar levam 30 a 45 minutos, ou vá, 1 hora, para se encontrarem, óptimo. Isto quer dizer que podes convidar a namorada para sair hoje a seguir ao trabalho, pois a distância permite-o. Isto permite também espontaneidade, o que é essencial numa relação, pois é apenas com espontaneidade que vamos expressar o que sentimos, o entusiasmo em estar com o outro. Se o outro estiver demasiado longe... bem, vai-se ao chat, e nada de real acontece entre ambos lol é fraco e inútil. Só uma pessoa sem opções na zona em que vive é que se mete numa “relação” à distância. Assim que começares a conseguir conhecer mulheres regularmente, vais pela primeira vez na vida Ver a inutilidade e perda de tempo que é uma “relação” à distância.

Para quê uma mulher longe com quem nada de realmente bom podemos experienciar a dois, quando há tantas mulheres aqui e agora, com uma das quais podemos estar juntos, passar momentos bonitos, experienciar o que de melhor há a experienciar entre um homem e uma mulher e aprender lições importantes?

Parece que o homem das meias verdades também experiencia meias relações.

Ser íntegro significa funcionar-se com o que é verdade, com a realidade. Significa ser-se prático, directo, sincero. Significa valorizarmos a nossa vida e a vida dos outros, ter auto-respeito. E em termos de mulheres e relações significa expressar a nossa intenção, deixar claro o que queremos e sentimos pela mulher, e procurar ter relações em que de facto se experiencia o que é suposto experienciar numa relação: momentos reais juntos, a dois.




Obrigado pelas perguntas.

14 comentários:

David Nunes disse...

Obrigado Pedro, sempre que tu escreves é uma alegria

Pedro C. disse...

Obrigado eu, David.

Fábio disse...

Olá :)

Pedro, quando uma mulher nunca elogia um homem significa que a mulher só pretende amizade e se perde tempo?

Por outro lado, há mulheres que se fartam de elogiar, e depois na prática não acontece nada...

Abraços

Alex NTL disse...

Obrigado Pedro, entendi melhor agora, até mais.

Pedro C. disse...

De nada Alex.

Pedro C. disse...

Fábio: "quando uma mulher nunca elogia um homem significa que a mulher só pretende amizade e se perde tempo?"

Deixa o trabalho de detective para o Sherlock Holmes ^_^

É revelar a tua intenção, e o que sentes, e dar um beijo à mulher que te permite descobrir o que a mulher quer, e o que sente em relação a ti.

Coragem não é opcional, é a base lol terás de enfrentar os teus medos para saberes realmente quando uma mulher é apenas uma perda de tempo, ou uma potencial namorada (pois nem todas as que beijarás acabarão tua namorada).

Alex NTL disse...

Pedro, minha namorada tem uma amiga que no primeiro dia que ela me apresentou para ela, ela olhou para mim e ficou com cara de brava sem dizer nada, um tipo de "brincadeira" de ciumes de amiga, e tem vezes que ela me cumprimenta direito e tem vezes que não, e não é algo a serio, porém acho uma brincadeira de mau gosto,e ela tem namorado.

porque será que ela faz isso ?
devo evitar essa amiga ou estou a pensar demais ?

Pedro C. disse...

Alex NTL: "devo evitar essa amiga ou estou a pensar demais?"

É a intenção com que se faz as coisas, e não as coisas em si, que define o que devemos ou não tolerar. Se é só uma brincadeira dela, não precisas de ficar paranóico com isso :)

Agora, tu é que sabes o que toleras ou não, e se não gostas dessa brincadeira, se ela te faz sentir mal ou desrespeitado, então diz isso à tua namorada, e à amiga da próxima vez que ela fizer isso. Pergunta-lhe porque faz ela isso. Porque é que te cumprimenta bem umas vezes e mal outras vezes. Pergunta-lhe e explica-lhe que não é das tuas atitudes favoritas.

Por outro lado, o que raio é que essa amiga está a fazer com vocês os 2? Ela não tem de ir sair contigo e a tua namorada, essa saída é só entre vocês os 2. Eu não sei com que frequência isso acontece, portanto estou só a deixar um aviso. Essas pessoas são um obstáculo à intimidade e ao que uma relação tem de mais bonito, e que não acontece ao pé de amigos, e é suposto ser só entre vocês os 2.

Talvez fosse boa ideia revelares à tua namorada que preferes estar só com ela e sem a amiga, porque é dela de quem gostas e é só com ela que queres estar.

Alex NTL disse...

Entendo, já comentei com minha namorada, é que a amiga dela trabalha no shopping e as vezes acabamos vendo ela, estarei mais consciente para tomar minha decisão.

Alex NTL disse...

ah e obrigado novamente, o/

Pedro C. disse...

Obrigado eu Alex.

Mabel B. Bentes disse...

Nossa, gostei muito da resposta que você deu sobre relacionamentos à distância, muito bom mesmo.

Mabel B. Bentes disse...

"Parece que o homem das meias verdades também experiencia meias relações."

Só nessa frase você conseguiu responder 'n' dúvidas ao mesmo tempo.

Pedro C. disse...

Obrigado Mabel.