sábado, 16 de agosto de 2014

"O Que Fazer Quando A Mulher Diz Que Ainda Gosta Do Ex-Namorado"

O Que Fazer Quando A Mulher Diz Que Ainda Gosta Do Ex-Namorado


Pergunta de Leitor:

“Oi Pedro. Estou a sair com uma mulher que estou gostando bastante, entretanto, recentemente (mais ou menos um mês) ela terminou um namoro que teve a duração de três anos e meio. Perguntei se ela ainda gosta do ex-namorado dela, e me disse que sim, pois foi um longo tempo de namoro, porém, a relação deles se desgastou muito com o tempo e por isso os dois romperam com o namoro. Conversamos sempre pelo Facebook e estamos marcando de sair de vez em quando, mas sei que ela também conversa bastante com o ex-namorado dela por Facebook, já que ele mora a quatro horas de distância da casa dela. Pedro, já é a 2° vez seguida que me acontece de uma mulher com a qual estou saindo ainda gostar de uma pessoa com quem teve um relacionamento no passado. Quando isso acontece, é um mal sinal? O que fazer nesse caso? Perguntamos a intenção da outra pessoa connosco?

Outra pergunta Pedro, revelar que queremos um relacionamento sério, afasta pessoas de nossas vidas que não estão disponíveis para isso?

Abraços! 


Resposta, comentários:

“…já é a 2° vez seguida que me acontece de uma mulher pela qual estou saindo ainda gostar de uma pessoa com quem teve um relacionamento no passado. Quando isso acontece, é um mal sinal?”


É um péssimo sinal =D é uma maldição, foste vítima de um mau olhado lol

Estou claro, a brincar. Não te preocupes com isso, pois é comum acontecer. É sinal que ambos são humanos.

Aquilo que quem não tem experiência ainda não sabe, é que quando se anda intencionalmente a meter conversa e a conhecer mulheres, e pessoas no geral, seja onde for, apanha-se de tudo. 85% das pessoas não são íntegras, o que significa que se vai apanhar com todo o tipo de expressões de fraqueza de espírito. Assim como com todo o tipo de personalidades, níveis de consciência negativos/egocêntricos, estilos de funcionamento, percepções da vida/realidade, preferências, prioridades, limitações, qualidades, defeitos, estilos de manipulação, estilos de vitimização, expressões de carência/dependência, tipos de busca de aprovação/validação, tipos de comportamentos narcisistas, etc.  É uma treta, mas paciência. Ocasionalmente descobre-se alguém mais normal e decente. Logo é comum apanharmos mulheres que ainda gostam do ex-namorado.

A questão é: se ainda gostam do ex-namorado, e se ambos ainda gostam um do outro, porque raio é que acabaram a relação…? =D Porque na verdade o que se passa não é que ainda gostam do ex-namorado, ou pelo menos não é apenas isso que se passa. Provavelmente a atracção acabou e o narcisismo de ambos saturou ambos, e um fartou-se mais rápido que o outro e acabou a relação. Eu não sei como foi a relação deles nem quem acabou a relação, mas o “gostar” do ex-namorado pode significar que foi ele quem acabou a relação e ela sente-se só, e ainda está dependente da aprovação/validação dele. Ela pode ter falta de confiança para conhecer outros homens e se partilhar intimamente com eles, o que a deixa num beco sem saída, no qual o ex-namorado é o único homem que ela tem para se sentir desejada/aprovada e validada como mulher, e com quem pode sentir a proximidade da ligação íntima que as mulheres tanto valorizam e apreciam. Cabe a ela evoluir como mulher e ganhar a confiança social e amorosa suficiente, e transcender essa dependência emocional do ex-namorado. Por sua vez, esse estado do ainda “gostar” do ex-namorado impede-a de conhecer novos homens e de se partilhar intimamente com outro homem, pois ela vive agarrada ao ex-namorado numa simulação de relação inexistente.

É possível que ela ainda se sinta namorada dele e evite outros homens pois sente que estaria a trair e a perder o ex-namorado, ou seja, a sua aprovação e validação. Assim ela não tem a capacidade de se comportar normalmente e devidamente perante novos homens minimamente bem intencionados e interessados nela. Para ela o seu ex-namorado é a sua (falsa) fonte de felicidade, e para não a perder ela irá fugir de novos homens, até que um dia o glorioso ex-namorado se fartará dela (pois entretanto consegue arranjar outra mulher, com quem tem algo físico, e assim satisfaz o seu desejo sexual), e ela das duas uma: ou entra num horrível estado de depressão e apatia e fecha-se ao mundo, ou vê-se obrigada a crescer e a arriscar, mexendo-se, saindo, e conhecendo outros homens. Nessa altura sim, ela estará livre para estar com outro homem. Entretanto o novo interessado não será devidamente tratado e respeitado, pois será sempre secundário em valor comparado com o ex-namorado glorificado como (falsa) fonte de felicidade (o Espírito é a única e verdadeira fonte de felicidade/energia).


“O que fazer nesse caso? Perguntamos a intenção da outra pessoa connosco?”


Não há muito a fazer. A mulher ou está disposta a esquecer o ex-namorado, andar para a frente na vida e a dedicar-se a um novo homem, ou não está. Neste caminho é normal encontrar-se mulheres que simplesmente não estão prontas para uma nova relação e apenas querem a nossa companhia e atenção como pseudo-amigo. Não é honesto aceitar ser-se pseudo-amigo pois não está de acordo com a nossa intenção de se namorar com a mulher. Então ao identificarmos que a mulher não está pronta para o que nós queremos, neste caso uma relação, deixamo-la em paz, esquecemo-la e andamos para a frente com a nossa vida, indo conhecer outras mulheres até descobrirmos uma que quer o mesmo que nós e está pronta para isso.

Sim, podes perguntar-lhe qual é a sua intenção em relação a ti, ou seja, perguntar-lhe a que nível ela está interessada em ti e o que ela quer de ti. O problema é que os não íntegros estão inconscientes das suas verdadeiras intenções lol logo ela vai-te responder algo que soa bem, algo que não te deixe chateado ou triste, algo que lhe garanta que ela não perderá a tua aprovação e companhia, etc. É melhor então seres tu a dizer-lhe qual é a tua intenção. Seres claro em relação ao que sentes e queres, e claro em relação ao que não aceitas. Ou seja, tens de lhe dizer de forma directa que a achas bonita e que te sentes atraído por ela, e que assim sendo ou acontece algo de acordo com o que sentes, ou nada feito. Estás à procura da tua próxima namorada e não de uma pseudo-amiga de quem na verdade não és amigo no sentido puro desse contexto, mas sim um homem interessado em algo amoroso com ela.

O que vai acontecer ao explicares a tua intenção é que das duas uma: se ela sentir e quiser o mesmo que tu, e estiver pronta para isso, as coisas vão avançar mais rapidamente e facilmente, e brevemente estarás não só a sair regularmente com ela, como também a beijá-la e a namorar. Se ela não sentir e não quiser o mesmo que tu, ou não estiver pronta para isso, vai-te dizer algo semelhante a gostar de ti como amigo, e aí já sabes que ela será uma perda tempo. Nesse caso poupas-te a perder tempo a sofrer na dúvida, e não perdes outras oportunidades com outras mulheres. Simplesmente, e educadamente, explicas que assim não vai dar nada e afastas-te, partindo rumo ao que realmente pretendes.


“…revelar que queremos um relacionamento sério, afasta pessoas de nossas vidas que não estão disponíveis para isso?”


Sim, afasta. Pois elas querem algo diferente, e têm uma espécie de aversão a relacionamentos sérios. Agora, se dissermos na altura errada que queremos uma relação a pessoas que também preferem uma relação, isso também as pode afastar. Assim como querer uma relação pelas razões erradas. Então quando é a altura certa para se dizer a alguém que se quer uma relação? E quais são as razões certas para se querer uma relação?

Primeiro, é normal preferirmos estar numa relação, afinal de contas o lado positivo de uma relação é mais estimulante e bonito que apenas ser-se solteiro, apesar de ser-se solteiro também ter o seu lado positivo. É apenas uma questão de preferências. Mas preferir é uma coisa, desejar e precisar é outra. Preferir é mais o tipo de pensamento descontraído, “se estiver numa relação óptimo, mas se não estiver tudo bem também”. Desejar/precisar vem de carência (motivação negativa), e faz a pessoa achar que ter uma relação é a solução para todos os seus problemas e sofrimento, o que por sua vez faz a pessoa tentar ter uma relação apressadamente e à força.

Segundo, uma relação é algo que se quer pois a pessoa com quem estamos a sair nos motiva, pelas suas qualidades e por como é estar com ela, a querermos ter uma relação com ela. Não é algo que se decide que se quer sem existir alguém em concreto que pelas razões certas faz querermos ter uma relação com essa pessoa. Preferência é uma coisa, mas essa vontade de querer uma relação só vem de alguém que conhecemos, e não do ar quando imaginamos que uma relação é o paraíso. Afinal quer-se uma relação com o quê? Com o ar? Com o nada? Lol não, primeiro tem de existir alguém com quem estamos a sair, com quem cujo convívio e experiências nos motivam a querer uma relação com essa pessoa. Fará sentido querermos uma relação com alguém com quem apenas saímos 2 ou 3 vezes e nem sequer ainda beijamos? Não. Pois mal conhecemos a pessoa e ainda nem sequer a beijamos. Só depois de conhecermos a pessoa a todos os níveis (social, pessoal e físico), é que faz sentido sentirmos, e chegarmos à conclusão, que queremos uma relação com essa pessoa.

O que é muito comum é o homem sentir atracção (desejo sexual) e confundir isso, devido à sua percepção distorcida e ilusionismo do ego, com querer uma relação/gostar da mulher como pessoa/conhecer a mulher como pessoa. Juntamente com isso vem a ilusão do gostar da mulher e querer a relação pelas razões erradas. Ou seja, o homem acha que gosta da mulher, e por isso quer uma relação com ela, depois de apenas ter saído 1 ou 2 vezes com ela, não porque consegue discernir qualidades genuínas nela e a experiência de estar com ela é realmente boa, mas porque ela aceitou sair com ele e está-lhe a dar aprovação e validação. Ele sente-se contente e quer uma relação com ela, não porque ela é espectacular como mulher, mas porque finalmente uma mulher aceitou sair com ele, e está a aprovar e a validar o seu ego, o que para o ego é como uma droga.

Aquilo que o homem comum sem experiência não sabe, é que apesar da relação resolver os problemas de solidão e frustração sexual do solteiro, traz novos problemas. Então a tristeza de não ter ninguém transforma-se no medo de perder alguém lol há sempre problemas, chamemos-lhe assim, enquanto o homem não for íntegro e for controlado/limitado pelo ego. Este apenas passa dos problemas e sofrimentos de solteiro, para os problemas e sofrimentos de estar numa relação. A origem de todos esses problemas e sofrimentos é o ego, e enquanto este tiver o comando na mão haverá sempre sofrimento, faça o homem o que ele fizer (solteiro sexualmente frustrado, solteiro que tem sexo com várias mulheres, comprometido em todo o tipo de relações, etc).

É então essencial estarmos atentos às nossas verdadeiras motivações para não fazermos escolhas erradas que nos levem a sofrimento. Seja como for, se tens entusiasmo por uma mulher, vai até ao fim e descobre por ti onde vai dar essa estrada. Neste momento só é possível seres como és, não é possível fingires ser íntegro e capaz de discernir a essência da mulher, e querer uma relação na altura certa pelas razões certas. Só experiência, intenção de evoluir, e o uso de técnicas e princípios espirituais te permitirão tornar assim, portanto para já usa isso tudo para o bem da tua evolução e desfruta as mulheres que fores conhecendo, mesmo que não aconteça exactamente aquilo que queiras.


Obrigado pela tua pergunta.

10 comentários:

Greg disse...

Obrigado Pedro, um optimo post! mais uma grande ajuda.
Um abraço amigo.

Leonardo Mose disse...

Obrigado Pedro!! Seus posts são sempre muito esclarecedores.

Matheus Alencar disse...

ola pedro, gostaria de falar sobre algo muito delicado para mim. Por conta de ter um pênis pequeno tenho medo/insegurança em me relacionar sexualmente com as mulheres, o que fazer, já que esse aspecto físico é imutável? sei que a pergunta em si não é elevada, mas não sou elevado. Se puderes ao menos comentar sobre o assunto seria ótimo.

Pedro Ribeiro disse...

Olá Pedro! Nunca beijei, nem nunca tive relações intimas com nenhuma rapariga. Não por falta de oportunidades, mas por medo..
Já estive a um passo de a beijar mas o medo surge sempre e impede-me. Fico envergonhado pelo facto de nunca ter beijado e com medo que ela não goste do meu beijo, visto que ela já teve namorado durante um bom tempo e já é experiente na coisa.. Resumidamente tenho medo de dar o primeiro passo e beijá-la, o que devo fazer, Pedro?

Fábio disse...

Olá Pedro :)

Quando um homem está a conhecer uma mulher e ele diz que não tem trabalho, não tem carro/carta de condução ou não tem casa própria e a mulher afasta-se dele, deixa de interagir com ele, quer dizer que a mulher é uma interesseira ou apenas tem preferências na vida?

É que já me aconteceu estar a conhecer uma mulher e estar tudo muito bem, até ao momento de eu dizer que estou desempregado e sem carro...
Então e que tal gostar da pessoa pelo que ela é e não pelo que tem?

Abraços

Pedro C. disse...

Fábio: "e que tal gostar da pessoa pelo que ela é e não pelo que tem?"

Isso é apenas metade da verdade. Sim, o que a pessoa tem não é tudo, mas é um sinal de como a pessoa é.

Quer dizer que a mulher quer o melhor homem possível de ter. Ela pode ter a preferência de o homem ter carta de condução e carro, e ela está no seu direito.

Estar desempregado e não ter trabalho não é apenas algo que se tem... é um sinal de como se é. Como já expliquei, é essencial primeiro aperfeiçoarmos-nos como ser humano, e isso inclui aprender a ganhar a vida. Não ter a capacidade de conseguir trabalho, ou emprego, não é um sinal de qualidade por parte do homem. Ele tem de resolver essa parte da sua vida, e todas as mulheres têm o direito a preferir um homem que é financeiramente independente e consegue arranjar trabalho ou emprego.

"gostar da pessoa pelo que ela é e não pelo que tem", pode ser então usado como uma desculpa do ego para ignorar uma limitação e não ter de se dar ao trabalho de fazer o esforço para aprender, desenvolver determinada qualidade e viver com excelência.

Estar desempregado e sem carro não é apenas algo que tens, é uma expressão da tua essência, de como és. É diferente não se ter carta e carro porque não se quer, de ter-se carta e não se ter carro porque não se tem dinheiro suficiente, porque não se consegue arranjar trabalho. Há que aceitar essa realidade e trabalhar com essa verdade.

Há uma quantidade de dinheiro que é importante ter, porque é essencial. Ser-se pobre não é uma virtude, e a típica ideia que se tem do mestre espiritual pobre está correcta, mas essa pobreza surge naturalmente devido ao seu elevado nível de consciência e transcendência do mundo e humanidade. O que não se sabe é que no passado ele aprendeu a fazer dinheiro e a ganhar a vida... quando estava num nível humano normal. Tenha sido nessa vida ou numa anterior.

Há mulheres que são interesseiras, e é fácil topá-las. E há mulheres que querem o melhor homem possível, e para elas este tem que ter um certo conforto e poder económico, o que pode até não ser nada de especial, e ter carro ou não ter ser irrelevante, mas é a sua preferência e elas têm esse direito. Também haverão mulheres na mesma situação económica que tu, e para elas será irrelevante se estás desempregado ou não. Há de tudo. O que tem de ser feito é viver a realidade, aceitar as limitações e trabalhar com a verdade, desenvolvendo as qualidades essenciais para se ser o melhor homem possível. Não há como fugir a aperfeiçoarmos-nos como ser humano.

Fábio disse...

Bons Dias :)

É engraçado, estou numa situação bem semelhante a esta.

Conheci uma mulher que namorou 3 anos com um homem, e desde Maio deste ano que ela se sente triste e deprimida, sem vontade de fazer nada. Sai poucas vezes com ela, mas se ela anda assim, deprimida há 3 ou 4 meses, então é porque não é integra ou tem falta de auto estima. Ela sabe que quero um relacionamento amoroso mas eu vou-me afastar dela porque esta relação já me está a desanimar...

Abraços

Fábio disse...

P.S esqueci-me de dizer uma coisinha :)

Eu perguntei-lhe por duas vezes se ela ainda gostava do ex namorado, e ela simplesmente mudou de assunto e não me respondeu a isso, fiquei na incógnita.

el-elyon disse...

Olá, estava namorando uma moça que já era casada e tem uma filha. Eu entendo que ela tinha muitos problemas, um deles a saúde da mãe dela que ela cuidava junto a família. Ela mal tinha tempo de me ver e então por esses dias me ligou falando que gostava do ex e nem quis me ver pessoal. O que eu fiz de errado?

Pedro C. disse...

El-Elyon:

O teu erro foi namorar com uma mulher casada.

Se eu percebi mal e ela afinal era solteira, respondeste a ti próprio: ela não tinha tempo e preferia o ex. Aqui não fizeste nada de errado, ela simplesmente não tinha condições nem interesse suficiente para querer estar contigo numa relação. Esquece-a e vai conhecer outras mulheres, solteiras ;)