sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

"Como Ser Feliz Numa Relação Amorosa, Namoro e Casamento"

"Como Ser Feliz Numa Relação Amorosa, Namoro e Casamento"


Pergunta de leitor:

Olá Pedro! Tudo fixe? Existe diferença entre os Princípios Íntegros e os Princípios Espirituais, ou ambos são os mesmos? Gostaria de saber se: 1) Só podemos ser felizes com alguém que também siga princípios Espirituais e Íntegros? Neste caso, com alguém "Compatível Espiritualmente"?? 2) Ou podemos ser felizes ao lado de uma mulher que apesar de não seguir princípios Espirituais (não acredita na Espiritualidade) é honesta, fiel, verdadeira, bem humorada e íntegra? Um grande abraço Pedro!”


Resposta, comentários:

Olá! Não sei se está tudo fixe, tenho de ir perguntar ao Universo :D

Em essência não existe diferença pois tudo o que é íntegro vem do Espírito. Quando falo em princípios íntegros refiro-me a princípios e qualidades dos níveis de consciência antes do Amor. Princípios que são bons e elevados mas que ainda são do nível humano e da percepção humana da realidade. Quando me refiro a princípios espirituais estou a falar de princípios e qualidades de níveis de consciência do Amor e acima dele. No fundo todos são princípios espirituais mas eu uso essa distinção para mais facilmente poder explicar certas ideias. Porque por vezes quero-me referir a qualidades positivas humanas que apesar de íntegras e boas ainda não são do nível do Amor. Como por exemplo, Honestidade. É um princípio íntegro mas ainda muito abaixo do Amor. O Amor inclui Honestidade, mas vai muito mais além dessa qualidade. Coragem, Optimismo e Humildade são outros exemplos de princípios íntegros ou qualidades íntegras, dos níveis de consciência íntegros abaixo do Amor. O Amor contém essas qualidades, mas inclui muito mais do que apenas essas qualidades.

Sim, só é possível ser-se feliz numa relação amorosa com alguém que siga princípios íntegros ou espirituais. Com alguém que seja íntegro, e mesmo assim a relação apesar de ser feliz, não é perfeita. Terá sempre os seus altos e baixos, e muito provavelmente acabará mais cedo ou mais tarde. Isso não é mau em si, simplesmente é algo que acontece consequência de um número imenso de factores para além da nossa percepção e controlo.

Uma coisa é uma relação feliz, outra coisa é ser-se espiritualmente compatível. Isso implica uma de duas coisas: ou ambos não são íntegros e têm níveis de consciência semelhantes, ou ambos são íntegros e têm níveis de consciência semelhantes. A compatibilidade pode levar a uma relação mas não quer dizer que leve a uma relação feliz. A compatibilidade só leva a uma relação feliz se ambos os parceiros forem íntegros.

Basicamente a única maneira de se ser feliz numa relação é “matando” o ego. Enquanto a nossa forma de funcionar no mundo for egocêntrica (servir o ego e procurar satisfazer os seus desejos), é impossível ser-se feliz numa relação. Isto porque há 2 pessoas, 2 egos na relação. Cada ego puxa só e apenas para o seu lado, para si próprio. É como 2 pessoas num barco, cada uma a remar na sua direcção... o barco (relação) não irá a lado nenhum. Em vez de cada um apenas se esforçar por se satisfazer, cada um tem de se dedicar à relação e entregar-se a esta. Tem de se entregar ao parceiro e à relação. Primeiro tem de vir o parceiro e a relação, e só depois o “eu individual” (ego). Ora o ego por si só não consegue fazer isto lol ele não consegue colocar-se em segundo lugar, e prova disso são os inúmeros exemplos de casos de traição, abandono/troca e manipulação. O ego também acha estúpido a ideia de “primeiro o parceiro e a relação, e só depois o eu individual”. Ele acha isto estúpido, mas porquê? Qual é o problema disso? Não há problema nenhum nisso. O receio do ego é perder orgulho e controlo da realidade, mesmo que o primeiro seja muito secundário e o segundo impossível lol

Repara, quando digo “primeiro vem o parceiro e a relação, e só depois o eu individual”, isto não significa que a pessoa que tem esta atitude vá negligenciar tudo o que é essencial para o seu bem estar. Não tem nada a ver com isso. Uma coisa são necessidades essenciais humanas para um vida agradável, outra coisa são desejos e ilusões narcisistas sem consideração pelos outros. Uma coisa são as necessidades normais e essenciais, outra coisa são distracções, entretenimentos e prazeres egocêntricos. Essa atitude vai apenas eliminar o narcisismo e não a sobrevivência e bem estar. O ego só por si não o consegue fazer, e é por isso que ele tem de ser “morto”, ou seja, transcendido. Isto significa que a pessoa está consciente dos impulsos, emoções, desejos e ilusões do ego, e no momento em que os experiencia escolhe não os seguir, mas sim seguir a escolha íntegra, ou certa, ou mais apropriada conforme o contexto.

Exemplo: o ego sente-se atraído por uma mulher, e ela por ele. Dali ao sexo seria simples pois ambos querem o mesmo, mas o homem está consciente deste desejo e do seu contexto, e uma vez que está numa relação, uma vez que é comprometido, diz educadamente que não à mulher em questão, explica porquê e afasta-se independetemente da reacção dela pois ele está a fazer a escolha certa. O seu ponto de referência é um princípio de Integridade e não o que o ego da mulher em questão acha ou sente.

Vês? É simples J

O ego é insaciável. A satisfação de um desejo simplesmente leva ao surgimento de um novo desejo. Por ser insaciável é um caso perdido e uma perda de tempo lol uma coisa é transcendê-lo e recusar as suas sugestões narcisistas, outra coisa é idolatrá-lo e servi-lo intencionalmente recompensando toda e qualquer atitude narcisista de orgulho ou sucesso. Que é o que a sociedade mais faz hoje em dia. Basta dar uma vista de olhos nos famosos de hoje em dia, nos programas de entretenimento da tv, nos temas de grande parte das músicas e filmes, etc. Felizmente podemos todos virar as costas a isso e sermos felizes para além da imaginação daqueles que estão perdidos na “religião” contemporânea do deus-ego popstar hollywoodesco reality show :D

Então a única forma de sermos felizes numa relação é encontrarmos alguém no mesmo caminho espiritual que nós (objectivo Iluminação), dedicar-se a isso e conseguir lá chegar, digamos assim. Isto implica que ambos têm de estar no caminho, e é difícil estar-se no caminho e não se ter algumas qualidades básicas íntegras.

Como é que alguém honesta, fiél, verdadeira, bem humorada e íntegra não segue princípios espirituais? Lol isso é impossível, isso faz parte de um mundo de fantasia. No mundo real essas qualidades são princípios espirituais em si. O que pode acontecer é a pessoa apesar de ser assim na prática, não conhecer essas qualidades como espirituais na teoria. Há pessoas com qualidades íntegras, e há pessoas evoluídas espiritualmente, que apesar de na prática demonstrarem ter essas qualidades, não têm o conhecimento teórico espiritual e não conhecem os seus termos próprios. E não precisam! O que realmente importa é ser-se assim e ter-se essas qualidades. E sim, com uma pessoa com essas qualidades é possível ser-se feliz numa relação.

Mas repara que a pessoa não te vai fazer feliz... a pessoa simplesmente vai permitir-te continuar a ser feliz na relação, feliz como estavas antes em solteiro. A pessoa pode trazer-te várias alegrias durante a relação, e o melhor que uma relação tem para oferecer, mas a tua felicidade só depende de ti. Se não fores feliz antes da relação, um homem ou mulher solteira feliz, também não serás feliz na relação. A vida de solteiro tem a sua parte difícil e os seus desafios, e a vida de comprometido também. Sem se ser íntegro nunca se está à altura destes desafios, e sofre-se, seja-se solteiro ou comprometido. Os problemas do solteiro desaparecem quando este começa a namorar, mas nesse mesmo momento surgem os problemas do comprometido. No fundo não é mudar as circunstâncias que traz a felicidade, é sim mudar a nossa essência e evoluir em termos de nível de consciência, para que estejamos à altura do pior da vida e possamos apreciar o melhor da vida. Pois quem não consegue lidar com o pior da vida também não tem o que é preciso para poder verdadeiramente apreciar e desfrutar o melhor da vida.

Eu acho difícil uma mulher ter todas essas qualidades e não acreditar na Espiritualidade, uma vez que para ela ter todas essas qualidades tem que ser íntegra e isso significa que já há algum alinhamento com o Espírito e a Verdade. Mas seja como for, em termos de escolha de parceiro o que importa é a forma como nos sentimos quando estamos com a outra pessoa, e as qualidades reais que essa pessoa tem e que consistentemente demonstra ter na prática. Se anda a ler livros de espiritualidade ou se anda no yoga ou se vai a formações de desenvolvimento pessoal, isso é secundário. São as qualidades que temos que importam, e não meramente o que fazemos e a informação que temos na cabeça. Aliás, e isto pode soar mal, é comum as pessoas que andam dedicadas ao desenvolvimento pessoal ou espiritual, por não serem alertadas pelos mestres e professores que seguem, serem pessoas orgulhosas. Isto significa que apesar da sua dedicação, leituras, formações, retiros, etc, estas pessoas não melhoraram e se tornaram íntegras, mas porque fizeram algumas coisas “estranhas” e exotéricas, leram muito e foram a muitas formações e coachings, passaram a achar-se especiais e donas da verdade, como se já tivessem alcançado o nível máximo de evolução e soubessem tudo... logo tornaram-se arrogantes. São os típicos actores espirituais dos jogos de aparências, que confundem realidade com imaginação, conteúdo com contexto.

Geralmente são pessoas um pouco estranhas, sempre a tentar passar a ideia de que são evoluídas, sexy, espertas, fixes, de sucesso, etc, e que secretamente julgam os outros – os “infiéis inferiores” que não se dedicam ao mesmo que elas – e adoram falar daquilo que na verdade não sabem, e dar opiniões e sugestões não solicitadas a torto e a direito, como se soubessem o que os outros realmente precisam de fazer e pensar. Acham-se mestres absolutos... acham-se secretamente Iluminados. Isto acontece quando se seguem mestres e professores que parecem íntegros mas não são, e a prova disso é que nunca tornam o ego claro, não alertam para os seus perigos e não falam de orgulho como um defeito, mas sim como uma qualidade a alcançar e a ser.

No fundo são professores do egocentrismo que ensinam como satisfazer o ego e ser orgulhoso, e todos os egos adoram isso, e é por isso que eles têm tantos seguidores e fãs, e fazem tanto dinheiro, e têm um certo nível de fama. Outros mestres apesar da sua conversa espiritual fazer sentido, ser bonita e sofisticada, apesar do seu conteúdo parecer certo, em essência não são íntegros e fazem-se passar por espiritualmente evoluídos. Podem nunca o ter sido, ou podem simplesmente ter caído, e é preciso ter muito cuidado com esses “mestres”, pois nós só conseguimos ensinar aquilo que Somos. Aquilo que dizemos não é o que estamos a ensinar, mas sim o que Somos, é a nossa essência que silenciosamente Ensina os outros. E a única coisa que um falso mestre pode ensinar é a ser-se falso, e um mestre caído a única coisa que pode ensinar é a cair (baixar de nível de consciência).

Atenção que não estou a falar de todas as pessoas que se dedicam ao desenvolvimento pessoal e à espiritualidade, isso seria absurdo da minha parte. Mas já conheci várias dessas pessoas e em muitas delas verifiquei o que descrevi acima. Há bastantes excepções, felizmente =)

Portanto, nada como uma mulher normal com qualidades positivas reais J ela não precisa de andar a ler livros de espiritualidade nem ir a retiros de meditação, basta ter na prática as qualidades que potenciem bons momentos na sua presença e uma boa relação.

Vou dar alguns exemplos de qualidades importantes, que apesar das nossas preferências e opiniões, são a meu ver qualidades que sem elas não é possível ter-se boas relações. Isto é igual para os homens e para as mulheres:

Sentido de Humor – capacidade de rir-se da vida, de si próprio e de dizer piadas inocentes impessoais (humor que nunca ofende, humilha ou inferioriza).

Inteligência – capacidade de compreensão lógica e conhecimento prático da vida e das pessoas.

Confiança – hábito de arriscar e não sucumbir à dúvida e medos. Capacidade de avançar pelo que está certo e quando é normal. Sentido de independência, “eu aguento-me bem sozinho/a quando assim tem de ser”.

Humildade – capacidade de ver todos com o mesmo valor e de não dar opiniões e sugestões não solicitadas. Ter razão e ganhar nunca são prioridades, mas sim ser feliz e desfrutar o momento.

Inocência – capacidade de dizer e fazer as coisas sem segundas intenções (ou más intenções, ou intenções narcisistas), mas apenas pelo entusiasmo de dizer e fazer em si, como expressão espontânea de como é (essência). Não tenta manipular, enganar ou usar, consegue colocar os seus desejos em 2º lugar (ou largá-los completamente) quando estes podem entrar em conflito com o bem estar do outro. Sempre bem intencionado, é por isso uma pessoa de confiança, uma pessoa em quem se pode confiar.

Uma relação não é para meninos. Uma relação é uma responsabilidade. Há mudanças que têm de acontecer em termos de estilo de vida quando se vai de solteiro a comprometido, e têm de acontecer pois são apropriadas. A vida de solteiro é diferente da de comprometido, e quase todos falham nessa transição. Uma das atitudes mais comuns que verifico é andar a conhecer-se pessoas do sexo oposto sem se dizer que se é comprometido lol a atitude subtil e camuflada de se andar à pesca de validação do sexo oposto, com uma atitude de solteiro quando na verdade se está comprometido(a). Muitas mulheres e homens, apesar de comprometidos, metem-se em sites e perfis online sem deixarem claro que estão comprometidos, e com a secreta intenção de conhecerem pessoas do sexo oposto, ou por razões de validação ou mesmo em busca de encontros em concreto, seguindo a emoção de atracção sem discernimento do contexto (“estou comprometido/a” e “o potencial de sexualidade/traição”).

O pessoal anda cego e faz disparates lol faz parte da comédia da vida =) mas uma vez que estamos comprometidos há que evitar a todo o custo contextos que possam levar à traição. A necessidade de fazer novas amigas para os homens e novos amigos para as mulheres é falsa lol isso não existe! O que o ego quer é mais pessoas do sexo oposto a validar, e está a seguir a emoção de atracção inconscientemente. Uma coisa é conhecer-se pessoas novas espontâneamente como consequência natural do nosso estilo de vida, e quero dizer específicamente no trabalho ou estudos, ou numa actividade que se adora fazer – e adora-se não tendo nada a ver com o potencial de se conhecer pessoas novas do sexo oposto. Isso é uma coisa, outra coisa é intencionalmente ir-se para a internet e para as discotecas com atitude de solteiro de portas abertas a novas possibilidades e ligações lol claro que esta conversa só interessa a quem quer ser íntegro, e isso custa muito mesmo. Ser-se fiél é uma qualidade básica da Integridade, nem sequer é das mais elevadas. Mas para o homem e a mulher comum, é algo épico e incompreensível. A traição não é apenas o acto sexual com outra pessoa que não o parceiro... isso é apenas a expressão da traição na realidade. A traição começa na intenção, no primeiro pequeno passo de se andar com uma atitude de solteiro quando se está comprometido. Tão simples como num perfil colocar-se solteiro ou não se colocar nada quando na verdade se está comprometido. Tão simples como andar a meter-se com outras mulheres e aceitar-se os avanços de outros homens quando se está comprometido. Como já disse isso não é para meninos pois quando surge a emoção da atracção e para se ser íntegro tem-se de a ignorar e fazer o que está certo, a maior parte das pessoas falham =D uns vão até ao fim e traiem na prática, outros ficam-se por andar a adicionar pessoas do sexo oposto e a falar com elas com a intenção de ter novas ligações e sair com elas, colocando fotos menos apropriadas para quem está comprometido, isto para não falar no tipo de conversas. Quando estamos numa relação o ego vai-nos atacar e à grande! Há que realmente se querer ser feliz, íntegro e ter uma boa relação para resistirmos a esses ataques, tentações, desejos e atracções. Se a relação e/ou o parceiro não estão a satisfazer, fala-se naturalmente sobre isso. Se a insatisfação se manter e não for verificado um esforço do outro em mudar para melhor, ou se o outro não muda de todo, então por auto-respeito acaba-se a relação. Sim, antes de se saltar para cima do próximo parceiro primeiro sai-se de cima do actual lol Ou seja, primeiro acaba-se a relação actual, depois fica-se solteiro, e só enquanto solteiro é que se anda a conhecer pessoas do sexo oposto para uma nova relação. Isto é super simples, mas grande parte das pessoas não tem a confiança suficiente para isto, e é o seu egocentrismo que dita as escolhas, colocando a pessoa com um pé dentro da relação e outro fora a apalpar novos terrenos. Isto não é bonito nem íntegro e demonstra a fraqueza de Espírito e narcisismo da pessoa em questão. Quem está mal numa relação tem de ter a coragem de a acabar, custe o que custar. Se queremos ser felizes neste mundo temos de estar dispostos a morrer. É essa a atitude radical que nos dá o poder para seguir os princípios e de facto ser feliz como consequência de os seguir consistentemente, dizendo que não quando apropriado e que sim quando apropriado. Aqueles que escolhem fazer o fácil (trair ou andar a conhecer outras pessoas antes de acabar a relação), serão eternamente infelizes, independentemente do número de parceiros que tenham ou das ilusões em que vivam na sua vida amorosa.

Intenção é tudo, e há uma diferença entre o homem comprometido que tem dificuldades em conhecer mulheres e ter namorada, e o homem comprometido que tem o poder suficiente para conhecer mulheres regularmente e ter namorada sem grandes dificuldades. O primeiro tem medo que a relação acabe pois sabe que sozinho está tramado, logo o seu ego vai atacá-lo com fantasias com outras mulheres e frustração por não estar a experienciar variedade feminina e sexual lol o outro geralmente trai, se não for íntegro. Se for íntegro sabe o que o espera, sabe como o ego funciona, e porque a sua intenção é ser íntegro e fiél e não meramente satisfazer os desejos animais e sexuais do ego, de prazer e orgulho, quando chega o momento da verdade diz que não quando não é a escolha certa. E esses sim, esses são felizes numa relação e trazem ao de cima o que há de melhor no seu parceiro. Coragem é fazer o que está certo e não o que é fácil. Neste caso é evitar os contextos de traição pois o ego irá querer com toda a força e lógica satisfazer-se e sucumbir à tentação vezes sem conta pois ele é insaciável. Portanto nada de andar a conhecer pessoas do sexo oposto, e muita atenção ao porquê das coisas, neste caso porque se está a falar com aquele homem ou mulher, porque muito provavemente é porque há atracção, e atracção pode começar com uma conversa e acabar em sexo.

E quando se está solteiro e se conhece alguém comprometido do sexo oposto por quem nos sentimos atraídos, e que sabemos que essa pessoa também se sente atraída por nós, a escolha certa é afastarmo-nos dessa pessoa não deixando nada crescer, respeitando a relação, colocando assim o princípio em prática e tendo assim acesso a pessoas de um nível de consciência mais elevado, que são de confiança e que respeitam o princípio de fieldade e lealdade. São essas pequenas escolhas que depois fazem a diferença quando surge o momento da verdade e estamos comprometidos. A qualidade e o princípio são o mesmo quando estamos solteiros e comprometidos, não te esqueças ;)

O certo será em vez de se andar a investir tempo e energia em outras pessoas do sexo oposto, com justificações de “não faz mal sair na boa com elas” ou “é apenas conversar”, ou “novos e bons amigos nunca são demais”, quando na verdade está-se apenas a seguir uma emoção de atracção, em vez disso que tal investir-se tempo e energia no parceiro? =D eu sei, é uma ideia escandalosa lol mas já que se está numa relação, que tal darmos o 100% e Amar-mos como se nada mais existisse? Que tal vermos a relação como a melhor coisa do mundo, pois na verdade pouco ou nada neste mundo se compara à beleza que pode vir de uma relação? Que tal focarmo-nos mais na relação e no seu potencial de beleza e momentos extraordinários, e menos nas ilusões, paranóias, emoções negativas e desejos do nosso ego?

No fundo basta esquecermo-nos do nosso ego e já nos sentimos melhor. E aí sim, iniciamos o caminho na integridade e passa a estar presente em nós a capacidade de experienciar o potencial de felicidade que existe em todas as relações, umas durante mais tempo, outras durante menos tempo. É um equilíbrio entre os princípios que colocamos em prática e a escolha do parceiro, e as boas notícias é que a primeira resolve a segunda automaticamente.

Não há felicidade sem princípios, nem evolução sem princípios. A mera satisfação de desejos narcisistas traz um prazer a curto prazo, de curta duração, sempre temporário, e pode gerar na nossa cabeça a ilusão de que estamos a mudar e a evoluir, mas não estamos. Há que orientar a vida na direcção da Integridade e não apenas na satisfação desses desejos narcisistas. Há que largar as ilusões e abraçar a Verdade. Há que largar a imaginação e partir para a Realidade. As pessoas e as relações estão no mundo real, no momento presente, e é aí que com coragem e humildade se pode adquirir a experiência que nos trará a sabedoria que nos permitirá fazer melhores escolhas no futuro, consequência natural e espontânea de estarmos mais conscientes de diferentes aspectos da Realidade. E um dia descobrimos que todas as relações na Verdade foram e são só uma, com nós próprios. A separação é uma ilusão, e de uma percepção mais elevada todos os parceiros são vistos como uma extensão ilusória do eu, como nós próprios.

De certa forma é semelhante às pessoas com quem sonhamos: no momento em que estamos a sonhar, elas parecem reais e seres separados de nós, mas na verdade não são. Somos nós próprios a interagir com nós próprios nos nossos sonhos, mascarados de outras pessoas e aparências. Essas “pessoas” nada mais representam que as nossas próprias preferências, qualidades, defeitos e desejos. Não há nenhum ser separado e diferente a entrar na nossa mente quando dormimos e a participar nos nossos sonhos, são todos nós, é tudo nós, tudo a nossa imaginação a simbolizar partes de nós próprios.

Assim sendo percebe-se que na Verdade na vida não existem relações pois só existe Um. A capacidade de Ver o outro e de se ser feliz numa relação vem da capacidade de nos aceitarmos como humanos (consciência de nós próprios), tendo compaixão por todas as nossas imperfeições, e quando Amamos o humano em nós, Amamo-lo nos outros, pois na Verdade só existe um Ser. E é isso que, de uma percepção humana, nos aproxima verdadeiramente a todos e que traz o melhor dos outros ao de cima. Não é o (impossível) controlo da Realidade mas sim a consciência desta que resolve a nossa vida amorosa e nos permite ter boas relações, sejam estas curtas ou longas.

Na guerra invisível mas constante que existe entre o ego e o Espírito, escolhemos ser escravos e vítimas do primeiro, ou guerreiros e protegidos do segundo. Caminhamos na direcção da Luz da Consciência em busca de Salvação e Felicidade, progressivamente experienciando cada vez menos sofrimento, mas cada vez mais ataques do ego, que tenta sempre não perder a nossa servidão e a sua soberania. Estes ataques são como tempestades na neve que nos tentam fazer recuar e/ou mudar de rumo. Mas nós sabemos o rumo, sabemos a direcção da felicidade e seguimos o caminho da Integridade. Estas tempestades são como tentações, tentações que satisfazem e alimentam o ego se sucumbirmos voluntariamente, e que nos fazem negligenciar os princípios que nos levam à Integridade e que nos mantêm nesta.

Neste caminho de guerreiro a nossa única arma é a Verdade e o nosso único escudo é a Verdade também. E é agarrados ao escudo, contra os ventos de tentação da tempestade, que nos mantemos firmes no caminho, mesmo quando mais dói e quando mais sentimos que temos mais a perder e mais a ganhar sucumbindo às tentações, ilusões e desejos do ego. Quando chega o momento da verdade quase todos falham. Dar um passo ou dois atrás de vez em quando faz parte do caminho de evolução, mas mudar completamente de direcção e sempre que vem o vento do ego seguir-se nessa direcção vendendo a alma, já não faz parte. Há que nos mantermos firmes e fiéis aos princípios, agarrados ao escudo sem sairmos dali, custe o que custar, doa o que doer, e nunca trair a nossa única fonte de felicidade, a Verdade. A tempestade passa, e apesar do sofrimento temporário causado pelos ataques e tentações do ego, reerguemo-nos mais poderosos e continuamos a avançar. A vida está cheia de testes e tentações, e só aqueles que vivem conscientes dos princípios têm o escudo da Verdade que lhes permite evoluir, pois quando chega o momento da verdade sabem o que é certo e o que é fácil escolher, e não negligenciam por nada nem ninguém aquela que é a nossa única fonte de Felicidade. Estes têm as melhores relações neste mundo, sem sofrimento, pois momento a momento dedicam-se à relação consigo próprios, que é a descoberta de que não existe um eu individual mas sim um Eu Universal, um Espírito no qual todos brincam aos animais e seres humanos, num mar de Amor acessível a todos aqueles que o escolhem Amar.

Tu já estás numa relação feliz, só que ainda não o Vês.


Obrigado pela tua pergunta.

23 comentários:

nelson goncalves disse...

Essas pessoas que conheceste "mestres" do desenvolvimento pessoal e da espiritualidade são figuras públicas e não publicas? é preciso estar atento e ter cuidado há charlatões.

nelson goncalves disse...

Ei Pedro vi te num anuncio da Rádio Renascença aquilo foi feito ou nem estavas a espera.
Já começas a ser famoso.

Raoni Dantas disse...

Olá Pedro!

É íntegro estar namorando e ficar dando likes (do facebook) nas fotos de outras mulheres ? Ou depende da foto ?

Como agimos nas redes sociais quando estamos namorando é tão relevante assim ? Em relação ao tipo de postagens, os likes, etc...

Muito obrigado!

Abraço!

Tonito Tuno disse...

Pedro, quando vou a qualquer lugar, sózinho, sobretudo, para locais onde se encontra muito público, fico com a sensação de que todo o mundo está a olhar para mim. Mas, quando vou acompanhado da minha namorada, já não tenho essa sensação e, sinto-me como se eu fosse o rei do universo. Será isso homofobia? Será falta de maturidade da minha parte? Ou serão coisas do "senhor" ego a tentarem atrapalhar-me a vida?

jackbackforever disse...

Pedro, depois que comecei a meditar a sério, o conteúdo de conversas ou as conversas em si, tornou-se insuportável, e o silêncio um oásis de prazer.

Conversas e blá blá blá de quem quer que seja ficou como que ampliado, um barulho muitoo maior do que o que realmente é.

É como se eu pudesse ouvir os meus pensamentos muito alto, assim como o das outras pessoas.

Posso sentir o tamanho da ansiedade, angústia e inquietação (mental) de 99% das pessoas.

Isso é normal ? Ou i sto é um reflexo da minha própria inquietação ?

Já pensei em largar tudo pelo SILÊNCIO que experimento quando estou meditando.

Passo as horas do dia esperando para meditar antes de dormir, e sempre quando acordo medito também. São os momentos mais incríveis do meu dia. E todo o restoo é secundário, pode ser o tema de conversa que for, mas fica realmente sem importância alguma.

Como isso pode acontecer?

Um grande abraço

Raoni Dantas disse...

Olá Pedro. :) Tudo bem?

Atualmente o aplicativo WhatsApp toma muito tempo das pessoas.

90% delas estão sempre no telemóvel, a escrever e a falar, falar, falar, e conteúdo demais..e conversas demais...

Este aplicativo para telemóvel tem sua utilidade pois os famosos Grupos de Trabalho e Faculdade são até úteis devido as informações e avisos que outras pessoas colocam neles que podem até nos ajudar.

Mas usá-lo a toda hora é um exagero...e pode ser prejudicial...

Eu não gosto muito e sofro quando as pessoas dizem que sou distante, por não usá-lo...como se eu não fosse desse mundo...já outras pessoas falam que eu posso perder muitas coisas boas ou ficar pra trás em certos assuntos por não usar o WhatsApp sempre...

O uso constante do WhatsApp seria motivado por uma busca por atenção, por motivos de carência e orgulho? Ou não ?

Mesmo ligando todos os dias para minha namorada, ela reclamou porque eu não falo com ela no WhatsApp...eu não tenho muito tempo pra isso...mas é como se eu estivesse querendo ficar excluído do mundo..porque realmente TODO MUNDO em qualquer lugar usa esse aplicativo...é incrível...

Uma ajuda por favor Pedro.

Obrigado!

Gustavo Vargas Portilho disse...

Bom dia Pedro Constantino!

Sou do Brasil e venho acompanhando assiduamente o Cool Vibes. Cada vez mais tenho mergulhado nestes temas espetaculares.

Tenho um interesse enorme em conhecer teus e-books e gostaria de saber se existe alguma forma de adquiri-los.

Desde já agradeço!

César Faisca disse...

Olá Pedro, eu gostaria que fizesses um post ou um audio se assim o entenderes sobre como devemos e se devemos passar os ensinamentos para as nossas crianças, devemos mostrar-lhes o caminho, devemos apenas servir de exemplo ou elas que aprendam por si?.
Outra coisa que vim aqui fazer foi recomendar um filme para ti e para o resto do pessoal, esse filme foi me recomendado por um amigo que fiz através do coolvibes, o filme chama-se Dead Poets Society, o nome não é muito apelativo lol, mas foi um dos melhores filmes que vi e tenho 99,99% de certeza que é integro. Se ainda não viram eu recomendo, a energia dele é parecida com a do filme do breackfast club e do scent of woman.
Obrigado

MariadiAngel disse...

Olá Pedro
Quem ama liberta sempre?Isto é,respeita sempre que a outra pessoa queira seguir com a sua vida?Liberta sempre,mesmo quando não nos é o mais conveniente?Mesmo que a outra pessoa nunca mais nos queira na sua vida?Ainda assim,é possível continuar a amá-la?
de uma leitora assidua

MariadiAngel disse...

Tenho mais perguntas que entretanto me ocorreram.Amizades exigem compromissos?Quem ama para ser amado,na verdade,nunca amou?

Se me puderes responder a todas as perguntas,agradeço

Leonardo Mose disse...

Olá Pedro. Preciso de um esclarecimento. Já faz um tempo que está acontecendo um mesmo evento na minha vida amorosa. Toda mulher que se interessa por mim realmente se mostra interessada, diz que gosta de mim, que quer ficar comigo, e até mesmo me chama bastante para conversar. Então, é claro, eu avanço. Mas frequentemente quando eu as convido para sair, elas começam a se fazer de difíceis. E mesmo que eu saia com elas e aconteça algum beijo, continuam a evitar as saídas. Elas me chamam sempre para conversar no facebook, dizem que me acham bonito e continuam a dizer que gostam de mim. Sério, parece muito óbvio que estão interessadas, mas na prática não parecem querer nada. Quando eu tenho quase certeza que haverá uma relação entre mim e a mulher, logo dá tudo errado. E quando começa a dar errado, fico muito ansioso procurando soluções para fazer com que tudo dê certo. Cansado dessa situação, eu gostaria de agir de forma diferente para mudar algo, mas o que fazer?

Greg disse...

Ola Pedro tudo bem contigo? Conheçes algum grupo na zona da grande Lisboa que se dedique de verdade a estes temas? Obrigado e um abraço.

Pedro C. disse...

Tonito "fico com a sensação de que todo o mundo está a olhar para mim"

Isso é porque quando estás com ela a tua atenção está focada nela e não nas paranóias de orgulho do ego, que em pensamentos se expressam como "o que os outros acham de mim? estou bem ou mal?". Tens de começar com esforço a criar o hábito de nunca querer saber desse tipo de pensamentos e emoções narcisistas, e assim irás sentir-te o rei do universo a toda a hora :)

Pedro C. disse...

Raoni: "É íntegro estar namorando e ficar dando likes (do facebook) nas fotos de outras mulheres? Ou depende da foto?"

Depende da tua intenção, o que depois define o tipo de foto a que dás o like. Não é íntegro se diariamente andares à caça de fotos de outras mulheres, mas se encontrares a foto por acaso sem estares à procura, ou sem estares a pesquisar perfis de mulheres no facebook, e gostares da foto, não tem mal nenhum colocares like.

Pedro C. disse...

Nelson: "são figuras públicas e não publicas? é preciso estar atento e ter cuidado há charlatões."

Sim, há muitos charlatões que querem parecer mais elevados do que o que realmente são. Há de tudo, famosos e menos conhecidos, por isso há que estar atento.

Pedro C. disse...

Nelson: "Pedro vi te num anuncio da Rádio Renascença"

Aquilo foi tipo apanhados, eu não sabia que estava a ser filmado. Depois revelaram o que estava a acontecer e eu assinei um papel em como podiam usar as filmagens, mas não sabia quando ou como as íam usar. Aparecer 2 segundos num anúncio não tem muito a ver com fama lol e espero nunca ser famoso.

Pedro C. disse...

JackBackForever: "depois que comecei a meditar a sério, o conteúdo de conversas ou as conversas em si, tornou-se insuportável"

Isso parece-me uma aversão ao som e à conversa, o que não é bom. Quando meditas provavelmente estás a fazê-lo num ambiente artificial e controlado de silêncio exterior e conforto, o que também não ajuda. A meditação é uma técnica espiritual apenas, não é o Espírito em si, mas a Realidade e a vida são. Meditar ajuda, mas não é tudo, pois podemos meditar pelas razões erradas, e uma vez que para se meditar é necessário o tal ambiente silencioso e tranquilo, estamos como que a fugir ao normal da vida onde estão as lições a aprender na prática que nos fazem evoluir. Eu sugiro que continues a meditar, já que gostas, mas que passes também a contemplar, que no fundo é semelhante a meditar de olhos a viver o dia-a-dia. Assim aprender a Amar o que é normal da vida e a aperfeiçoar-te como ser humano, em vez de apenas fechares os olhos e te isolares sem fazeres escolhas e lidares com o teu karma.

Pedro C. disse...

Raoni: "O uso constante do WhatsApp seria motivado por uma busca por atenção, por motivos de carência e orgulho? Ou não?"

WhatsApp doc? :D

A mente é viciada em entretenimento, e sim, o uso constante dessa aplicação vem de busca por atenção por motivos de carência, solidão e orgulho. Eu nem sei o que esse WhatsApp é... nunca tinha ouvido falar, nem estou interessado, nem preciso de tal coisa :) deixo esses brinquedos electrónicos para aqueles que gostam de ser pseudo-ciborgues :D terá a sua utilidade prática como qualquer outra ferramenta criada pelo ser humano, mas claro que de certeza a maioria usa isso só para se entreter e distrair da realidade em vez de a enfrentar. O ego gosta de se focar no irrelevante pois quanto mais longe te colocar da Realidade e da Verdade melhor lol eu prefiro convívio ao vivo, frente a frente, e quando não dá estou bem sozinho, não preciso de chats. Tenho as minhas dedicações e saindo de casa sozinho sei que consigo conhecer alguém se quiser. Sem WhatsApp. lol curiosamente quem anda viciado nessas coisas é que não é deste mundo, pois a sua atenção não está neste mundo, não está na realidade, está num objecto de plástico com imagens lol escolhendo o Espírito colocamo-nos do lado da Integridade, e isso significa que 85% das pessoas vão-nos achar distantes, de outro mundo, nas mais variadas situações e contextos. Aquilo que o mundo mais idolatra para nós passa a ser completamente desinteressante, neste caso esse tipo de aplicações que nos retiram a atenção do que importa, a Realidade.

Tonito Tuno disse...

Pedro, quando a nossa ex resolve voltar devemos abandonar a actual para ficar com ela, independentemente das razões que estarão por detrás dessa decisão? Ou será uma grande ingenuidade e falta de maturidade da nossa parte, ao ponto de deixarmos sermos manipulados pela ex-namorada?

Romario Belarmino disse...

Quando a mulher com quem namoramos anda muito exigente, ao ponto de andar a pedir-nos dinheiro para ir para uma viagem de férias, é sinal de que ela, apenas, está a querer desfrutar da nossa fortuna? Ou será que o nosso ego anda muito desconfiado?

Alex disse...

Pedro, depois que se dedica mais em evolução pessoal acontece da pessoas ficar mais solitária em termos de relacionamento ou amizades, ou isso é relativo ?

Raoni Dantas disse...

O WhatsApp de que falei foi comprado pelo Facebook essa semana Pedro!!

Com certeza aí em Portugal deve ter essa aplicação mas com outro nome!!

Com certeza você deve conhecer!!!

Tem 1 bilhão de usuários!!

Abraçoo

António Assis disse...

Nice pedro, ainda sou um puto de 14, mas sou um dos únicos a perceber isto na minha sociedade.
Parabéns