AMOR

"Ensina só Amor, pois é isso que tu és"

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Esclarecimentos Sobre Amar, Escolha de Parceiro e Selecção Consciente

Esclarecimentos Sobre Amar, Escolha de Parceiro e Selecção Consciente

-

Olá!

Tenho recebido perguntas sobre o tema da escolha de parceiro e contemplei nessas mesmas perguntas uma confusão desnecessária que considero ser a minha responsabilidade esclarecer e desmistificar.

Muitas destas perguntas são pseudo-perguntas, nas quais não há uma vontade real de saber a Verdade, mas sim de atacar a Verdade que partilhei, sendo clara a arrogância e resistência relativamente à mesma. O ego quer que a sua ilusão seja a lei, e por isso tenta destruir a Verdade pois vê-a como uma ameaça, num acto inglório e cómico =) as opiniões do ego são inúteis, só a Verdade importa e ajuda, pois só a Verdade é Real. Verdade e Realidade são a mesma coisa, mas o ego é cego e incapaz de Ver a Realidade.

Por vezes dizem-me que me contradigo. Esta observação nada mais é que mais uma táctica esperta ignorante do ego para tentar derrotar a Verdade. Parece que me contradigo, sim isso é verdade. Parece, pois há coisas que são Verdade num contexto, e o seu “oposto” é Verdade noutro. Há coisas que são válidas para uma fase ou nível de consciência, mas não o são para outro. Aquilo que digo depende da pessoa que me está a fazer a pergunta, e da ajuda que essa pessoa precisa.

A Verdade depende do contexto, mas como o ego é cego «c + ego = cego» lol e não consegue ver a Realidade, se num texto eu digo que “A” é o caminho, e noutro digo que “A” não é o caminho mas que “B” é o caminho, na sua limitada e equivocada percepção ele julga que eu me estou a contradizer. Não, o que se passa nessas situações é que o ego é cego e ignorante/inconsciente em relação ao contexto, à intenção com que algo é dito, e para que tipo de nível de consciência/fase/pessoa algo é dito. Não há qualquer contradição, apenas Verdades diferentes para contextos diferentes.

Agora que já expliquei o A, E, I, O, U, vamos aprender a contar de 1 a 10! =D

Escolha de parceiro, um tema sobre o qual partilho princípios desde praticamente o início do Cool Vibes em 2007. Para este tema usei muito o termo Selecção Consciente, que na sua essência significa escolher um parceiro com base nas suas qualidades reais. Isto requer que a pessoa que está a escolher saiba e consiga ver para além das aparências e das suas próprias emoções de desejo, carência, medo, ódio e orgulho como a outra pessoa realmente é.

A minha sugestão há anos tem sido que a pessoa faça uma lista de qualidades que pretende que o seu parceiro tenha. Se a outra pessoa tiver todas ou pelo menos as mais importantes qualidades dessa lista, então decide-se continuar a estar e a sair com essa pessoa. Caso não tenha alguma dessas qualidades essenciais, decide-se afastar da pessoa. Porquê? Porque se estamos interessados em ser íntegros e em ter uma boa relação, temos de estar acordados para o facto de que a qualidade de uma relação depende do nível de consciência de ambos os parceiros, e se a outra pessoa não tiver certas qualidades é impossível ter-se uma boa relação com ela.

O ego lê estes princípios e imediatamente desenvolve uma atitude errada sobre a questão. Selecção Consciente não significa nem ser-se demasiado selectivo e esquisito com as pessoas, nem arrogante, nem evitar relações por medo. Eu nunca disse isso em lado nenhum, mas é isso que o cego ego interpreta. Daí depois vêm todo o tipo de interpretações erradas sobre tudo aquilo que falo em relação a Amar, escolher parceiro e Selecção Consciente, o que resulta nas já mencionadas pseudo-perguntas e noutras atitudes cómicas e infelizes do ego relativamente à Verdade =)

Assim sendo, para quem é este tema?

Se apenas pretendes validação e sexo, isto não te interessa para nada. Validação e sexo obtêm-se com relativa facilidade de mulheres não-íntegras, usando-se técnicas de manipulação e de actor. Não é preciso ser-se íntegro nem ter-se relações, logo estes princípios são desnecessários e o Cool Vibes é o sítio errado para ti.

Se andas desesperadamente à procura de parceiro, de namorar, de ter alguém, isto também não te será lá muito útil. Isto porque não tens a força de Espírito suficiente para colocar em acção os princípios, e irás aceitar a 1ª pessoa que pareça gostar de ti minimamente. O teu ego irá encarregar-se de gerar as ilusões que te irão impedir de ver como essa pessoa realmente é, e não tens o auto-respeito para dizer que não a quem tens de rejeitar.

Mas…

Se realmente te queres tornar íntegro…

Se queres aprender a Amar…

E queres experienciar boas relações e uma vida agradável, então este tema e princípios são para ti. Este tema e princípios são para todos aqueles que realmente querem Ser Felizes e estão dispostos a fazer e a largar o que é necessário. Pois a nossa Felicidade depende do nosso nível de consciência e não da satisfação narcisista dos desejos do ego, que levam a um prazer a curto prazo mas a uma infelicidade a longo prazo (karma negativo). A Felicidade apenas começa na Integridade, e é por isso que eu muitas vezes escrevo que Integridade é Felicidade.

Neste processo a primeira coisa que se pode fazer é escrever uma lista de qualidades que preferimos que o nosso parceiro tenha. No passado sugeria uma lista de 7 qualidades, mas agora vou sugerir apenas de 5 qualidades. Oh não! Mais uma contradição! O apocalipse!! =D

Depois, dessas 5 qualidades escolhes 2 que são mesmo essenciais para ti. Isto significa que se a pessoa tiver apenas essas 2 qualidades chega para te manteres interessado em continuar a estar e a sair com ela.

Em terceiro lugar, escreve 2 defeitos ou atitudes que de nenhuma forma aceitas, e que uma vez encontrados na pessoa são o suficiente para, por auto-respeito e vontade de ser íntegro/feliz, te afastares da pessoa e nunca mais a veres ou falares com ela. Grande parte do verdadeiro trabalho Espiritual é o largar de tudo aquilo que não é íntegro, principalmente as pessoas não-íntegras.

Parece um processo mental frio de avaliação, em que não se sente nada pela outra pessoa e se é indiferente, mas não é. Nunca disse que era e não o deve ser. A forma correcta é tudo menos fria. Frio é o ego, e é por isso que ele interpreta este processo dessa forma.

Esta fase inicial de escrever qualidades e defeitos é para ajudar a pessoa a começar a prestar mais atenção à essência de quem está à sua frente, e menos atenção às suas próprias emoções de carência e desejo (ou a outras quaisquer do ego, pois todas lhe distorcem a percepção), assim como prestar menos atenção à mera aparência de quem está à sua frente. Aparência não se trata apenas de corpo e roupa lol as palavras e comportamentos também fazem parte da dimensão da aparência. Temos de conseguir ver para além das aparências, e começar a Ver a dimensão invisível da essência, onde está a Verdade sobre a pessoa, o seu nível de consciência, o que está a sentir, a verdadeira intenção com que diz e faz o que diz e faz, etc.

Nota: é o contraste ou comparação entre a intenção da pessoa e o contexto em que está e diz/faz algo que revela muito da sua essência e da Verdade sobre si própria. Para se poder beneficiar deste discernimento tem que se estar consciente do contexto em que se está com a pessoa, e da intenção da pessoa no momento em que diz ou faz algo. Para isso é necessário um estilo de vida Contemplativo.

Na vida amorosa, para querermos estar ou sair com alguém basta ao vermos essa pessoa pela primeira vez nos sentirmos atraídos por ela. Nesta fase inicial não é necessário ter em mente qualquer qualidade, basta estar-se consciente se existe atracção da nossa parte ou não por essa pessoa. Se há então avança-se para se conversar e conhecer a pessoa. É durante essa conversa, e posteriores possíveis saídas que iremos prestar atenção à essência da pessoa (qualidades e defeitos), e não antes. O ego usa este processo da Selecção Consciente para julgar os outros antes de os conhecer, e assim não só manter-se num estado de orgulho, mas porque rejeita logo os outros antes de os conhecer, também para evitar Intimidade e Amor (tradução: querer saber de alguém). O ego usa isto principalmente quando a pessoa está no nível de consciência do medo ou abaixo, porque assim a pessoa não tem de ir lá falar e sujeitar-se a ser rejeitada.

Se há atracção basta isso na fase inicial para se avançar. Só depois de se passar momentos com a outra pessoa é que se chega às conclusões de discernimento que nos levarão a querer continuar a estar com ela ou não.

Agora, para de facto se Ver a essência (qualidades e defeitos) da outra pessoa, primeiro temos de ser capazes, ou seja, ter a consciência suficiente, para ver a nossa própria essência. Muitos tentam usar este processo secretamente e inconscientemente julgando-se perfeitos, e nunca foi isso que eu expliquei. Primeiro ganhamos consciência do nosso ego, das nossas qualidades e defeitos, e só depois é que seremos capazes de Ver a essência dos outros. Para Vermos determinada qualidade nos outros, primeiro temos de a Ver em nós, e para a Vermos em nós… temos primeiro de a Ter. Querer alguém com sentido de humor sem o termos é absurdo.

No último post escrevi isto:

Quero deixar já aqui claro que, se achas a mulher atraente e é agradável para ti estar com ela, só precisas disso como sinal verde para ires em frente e estares o resto da vida com ela. Não entres em paranóia com a questão do íntegro/não-íntegro, autêntico/actor. Relaxa =) mas orienta-te! Se a coisa começar a ser consistentemente desagradável... não adormeças. Vê o que realmente se passa e acaba o que tiver de ser acabado se necessário. Valoriza a tua felicidade, mesmo que isso signifique largares-te a ti próprio. O que é o mesmo que dizer, ser íntegro e transcender o ego.

 

Pode parecer surpreendente como algo tão simples e claro possa ter sido incorretamente interpretado, mas houve quem comentasse que eu me tinha contradito pois dizia aqui que bastava a pessoa ser agradável para se estar o resto da vida com ela, o que mandava fora a busca por qualidades concretas na pessoa, que esta tinha de ter ou então não valeria a pena ter uma relação com ela. A pessoa que fez este comentário deve ter ficado sem internet antes de ler a parte em que eu explico: “mas orienta-te! Se a coisa começar a ser consistentemente desagradável... não adormeças. Vê o que realmente se passa e acaba o que tiver de ser acabado se necessário.” O que significa que, sim estamos dispostos a estar com aquela pessoa para o resto da vida (e isso é Amor), mas, e eu repito, mas, ao experienciarmos/testemunharmos/contemplarmos que consistentemente/repetidamente não é agradável estar com aquela pessoa – o que significa na prática que lhe faltam determinadas qualidades essenciais, como humildade e respeito/consideração pelos outros, por exemplo – decidimos acabar a relação e afastamo-nos para sempre dessa pessoa. Não percebo onde me estou a contradizer aqui, é que nem sequer digo que basta a pessoa ser agradável e está feita a escolha para sempre, às cegas e sem mudanças de decisão ao longo da relação.

 

Se eu digo “e é agradável para ti estar com ela”, isto significa que ela tem o mínimo de qualidades que procuras. Quando falo em agradável se calhar deveria escrever essa palavra com “A” grande, Agradável. O que quero dizer com esta palavra não é que a pessoa é passivamente e fracamente simpática e que não nos incomoda para obter a nossa validação e aceitação (tradução: por razões narcisistas para não ser rejeitada), mas sim que tem um nível suficiente de inocência, humildade, sentido de humor, inteligência e respeito para ser uma companhia Agradável. Para ser genuinamente Bom estar com ela. A minha intenção com este parágrafo foi ajudar aqueles que poderiam estar a levar demasiado a sério a questão do “afasta-te dos não-íntegros”, ao ponto de estarem sempre sozinhos, e aqueles que ficam na paranóia do julgamento pois no fundo não querem Amor na vida nem uma boa relação, mas sim apenas odiar e julgar os outros secretamente.

 

A única forma de Vermos como os outros realmente são é Amando-os. Não há volta a dar. E quando Amamos alguém estamos abertos à hipótese de ficar com essa pessoa para o resto da vida. O Amor não julga friamente e mentalmente qualidades e defeitos como se fosse uma equação. Simplesmente Ama, e porque Ama não tem distorções na percepção, e por isso tanto Vê Tudo em si próprio como nos outros. O que faz o Amor rejeitar alguém é quando se sente desrespeitado ou atacado. Essas atitudes não vêm de Amor, e por isso não interessam ao Amor. O Amor nem lhes dá nomes, apenas experiencia que é desagradável estar por perto do campo de energia com o qual determinada pessoa está alinhada, e simplesmente decide deixar de estar. É espontâneo e tranquilo, não há qualquer emoção de ódio ou arrogância. O afastamento é realizado da forma mais apropriada conforme o nível de consciência da outra pessoa, sendo esta forma sempre ilógica e incompreensível para o ego.

 

Todas as relações começam e acabam, sejam boas ou más. Até podem durar uma vida inteira, mas acabam com essa vida. A questão é que podem ser boas relações enquanto duram, e isso depende do nosso nível de consciência, e do nível de consciência da outra pessoa.

 

O processo de selecção consciente, ou discernimento de essência, tem fases de aprendizagem. Começa-se pelo princípio e vai-se evoluindo, sendo-se capaz de cada vez mais se ver a essência dos outros, e conseguir dizer-se que sim ou que não quando é suposto dizer-se que sim ou que não. Começa-se por prestar mais atenção à maneira de ser dos outros e valorizar isso acima de tudo, procurando encontrar determinadas qualidades que valorizamos, mas no final tudo se resume a Amar. Amando Vemos o que realmente É. Sem carências, desejos, ódios, arrogâncias ou qualquer tipo de distorção. É quando se Dá tudo que se Vê se o outro nos Ama ou não, o que é importante para quem está interessado em Amor. Se não Amar… adeus =) mas até à confirmação de que é consistentemente desagradável estar com a outra pessoa, dedicamo-nos a 100% a ela. Na Intimidade e no Amor não há pés-atrás, nem jogos, nem tentativas de controlar o que o outro É e sente por nós.

 

Nota: Curiosamente aqueles que escolhem odiar e julgar arrogantemente, ser “demasiado selectivos” por medo ou orgulho, ter pé-atrás, fazer jogos e tentar controlar o que os outros São e sentem por eles, apesar de fazerem o exercício da lista de qualidades são automaticamente rejeitados por todos aqueles que são minimamente íntegros e escolhem Amar. Isto na prática significa que não têm acesso ao único tipo de parceiros com quem poderiam ter uma boa relação.

 

É uma entrega a 100% logo desde o início, portanto não é para meninos nem fracos de Espírito ;) só depois dessa entrega é que se ganha consciência suficiente para se discernir se continuamos ou não com a pessoa em questão. E Selecção Consciente não funciona sem ao mesmo tempo haver uma dedicação real à subida de nível de consciência, à Integridade e ao Amor. O ego usa este processo de selecção como técnica de sedução, para parecer confiante, superior, desinteressado e difícil na percepção da mulher, o que parece esperto, e muitas vezes é inconsciente, e é um erro karmico de falsidade e narcisismo.

 

Selecção e Evolução fazem parte de um bolo maior chamado Amor, e o real benefício da real presença de ambos na vida de alguém está apenas ao alcance daqueles que pelo caminho da autenticidade querem mesmo deixar de ser narcisistas (eu, eu, eu) e passar a ser íntegros, a realmente querer saber dos outros, a Amar. É só quando nos esquecemos do nosso eu individual que nos Lembra-mos do nosso Eu Verdadeiro, onde está a Felicidade, a Sabedoria e os Olhos que Vêem toda a Verdade, pois o nosso Verdadeiro Eu é toda a Realidade.

15 comentários:

Anónimo disse...

Excelente post Pedro

Agora uma grande dúvida sobre espiritualidade e mulheres.Li uma pesquisa na Wikipédia sobre timidez amorosa e vi que o tímido amoroso tem lado espiritual muito forte ,gosta de música clássica leve ,não "entra" em esportes competitivos,não gosta de rock.Então vio-me a dúvida se esse lado espiritual do tímido amoroso é usado como "saída" para não querer uma mulher estando num estado de "eu não preciso delas"(talvez enganando-se em sua mente) porém ,quando ficam perto das mulheres ficam nervosos e ansiosos,não realizam o que sempre queriam.

Telmo Monteiro disse...

Gostava de publicar aqui este vídeo, só porque achei com muito bonito e porque imaginei o Pedro com um ramo de flores na mão, compradas a um senhor indiano :D (era indiano?? já não me lembro)

Hoje é dia de fazer alguém feliz! :))

http://www.youtube.com/watch?v=84Z2_weUUqM

Anónimo disse...

Como sabemos se a voz que "ouvimos" dentro da nossa cabeça é o ego a falar ou o espírito?

Anónimo disse...

Oi Pedro, tudo fixe ?

Se o amor não é algo que podemos dar a ninguém, qual é o sentido que tem, em encontrarmos o amor de uma boa mulher, se este mesmo amor ela não pode nos dar?

Desde já, muito obrigado.

Um abraço

Pedro C. disse...

"qual é o sentido que tem, em encontrarmos o amor de uma boa mulher"

Se estás interessado em Amor, pois já experienciaste esse estado em ti, então nada mais importa lol encontrar o amor de uma boa mulher significa encontrar uma mulher capaz de te amar, ou seja, que te trate com respeito, que realmente goste de ti, e que traga à tua vida os presentes do feminino como só uma boa mulher o pode trazer. Trata-se de experienciar o melhor que a vida tem para oferecer. A mulher pode amar-te mas claro, não te vai tornar Amor... isso és tu que tens de alcançar, permitindo acontecer através de uma real dedicação Espiritual.

Pedro C. disse...

"Como sabemos se a voz que "ouvimos" dentro da nossa cabeça é o ego a falar ou o espírito?"

Primeiro temos de ganhar consciência do estado em que estamos. De que emoção vem essa voz? Se vier de uma emoção do ego (medo, raiva, orgulho, etc) então é o ego. Mas se vier de uma intenção íntegra, de optimismo, entusiasmo, etc, então pode-se dizer que vem do Espírito. Seja como for a Voz do Espírito é o Silêncio. Através do Espírito Sabemos o que Sabemos de forma não linear, não é através de vozes. É uma Certeza Silenciosa que surge em nós, que sentimos e experienciamos espontâneamente no momento. A voz em si é sempre do eu individual, agora essa voz pode é estar a ser "usada" pelo ego ou inspirada pelo Espírito.

Pedro C. disse...

"o tímido amoroso tem lado espiritual muito forte"

Isso é falso lol conversas ignorantes de quem nunca experienciou o outro lado. Eu era assim, o tímido amoroso, mas já não sou, e por experiência digo que isso é falso, é uma ilusão do ego.

O tímido amoroso não tem qualquer lado espiritual. Pode ter um lado artístico, pode gostar de expressar as suas emoções e sentimentos de alguma forma, pode ser mais introspectivo, imaginativo e criativo, mas não tem nada de Espiritual como é descrito na Wikipédia. A Wikipédia não é o melhor local para encontrares ajuda para seres feliz, pois a Wikipédia não quer saber de ti lol pode ser útil para informações secundárias sobre conteúdos do mundo, mas não sobre verdade Espiritual. Para isso tens o David Hawkins.

Quem é tímido amoroso não tem nenhum lado espiritual forte, pois quem na verdade é espiritualmente evoluído não é amorosamente tímido. O Espírito traz Poder e Sabedoria para todas as áreas da vida... o homem espiritualmente evoluído não tem problemas na vida amorosa, é normal com as mulheres. Não fica nervoso e ansioso a esse ponto porque os nervos e ansiedade vêm precisamente de ilusões narcisistas do ego, medo de perder orgulho. É uma defesa do ego e não um alinhamento com o Espírito.

Sim, o falso lado espiritual do tímido amoroso é usado como desculpa para não se desafiar, ir falar com mulheres e assim evitar ser rejeitado. Ele engana-se a si próprio, e por arrogância acha que não precisa de mulheres, quando na verdade é apenas um cobarde sem nada de genuinamente bom e bonito para oferecer a uma mulher.

Anónimo disse...

Olá Pedro, não sei se estou a exagerar-me, mas acho que a minha namorada não se mostra muito disponível para estar comigo. Ou seja, nós encontramo-nos, regularmente, em minha casa, mas só que, esses encontros não duram mais do que duas horas, já que ela alega que tem que ir à casa antes da mãe dela chegar do trabalho. Por outro lado, ela costuma se esconder dos vizinhos e de alguns conhecidos seus quando estamos juntos. Porque é que ela tem essa conduta? Será que ela tem algo a esconder de mim? Pedro, devo fazer essas perguntas a ela ou esperar para ver se ela poderá mudar de comportamento e respeitar a nossa relação?

Pedro C. disse...

"Será que ela tem algo a esconder de mim?"

Olá! Creio que a atitude mais apropriada nessa situação seja não tirar conclusões precipitadas. Tem calma e fala com ela sobre isso, pergunta-lhe tranquilamente porque faz ela essas coisas, o que sente ela. Pode não ser nada em relação a ti, pode não ser um sinal de que não gosta de ti. Pode até ser por um motivo positivo. Pode ser por insegurança da parte dela, e podes tentar ajudá-la se assim o for.

Anónimo disse...

Muito obrigado, Pedro. Acho que devo fazer como me sugeriste.

Diana Queiroz disse...

Olá Pedro.

Eu terminei um relacionamento de um ano porque meu companheiro andava sempre desconfiado de mim porque nao me dediquei 100% a ele por insegurança minha também. Ele teve um filho de uma ex-namorada e eu tive muito ciúmes e desconfianças porque eu não podia ir aos encontros dele com a criança pois a mãe da criança não deixava. Ele visitava com frequência o bebê e chegava tarde em casa sempre cansado.Certa vez falei que não estava bem com essa situação pensando em terminar o relacionamento mas ele disse que eu estava me precipitando e não quis mais conversa, acabei saindo com minhas amigas e pegando o telefone de um rapaz que me abordou educadamente. Ele descobriu isso e criou um conflito e acabei mandando ele embora de casa.Pedi pra voltar mas ele nao quis nem conversar então dois meses depois fiquei com outro e depois disso ainda pedi pra voltar mas ele disse que como eu já tinha ficado com outro que eu tinha perdido todas as minhas chances. Acontece que não o esqueço e não sei se é meu ego que pensa em retomar esse relacionamento ou se ainda o amo.
Descobri que ele é muito egocêntrico e temos diversas incompatibilidades mas gosto dele apesar de todos os defeitos. Sei que de outro nível de consciência isso é ridículo mas não consigo esquecê-lo. O que devo fazer?

Pedro C. disse...

Diana Queiroz:

Depende do que realmente queres. Queres alguém para te aliviar e validar no dia-a-dia ou queres tornar-te íntegra?

Se queres a primeira coisa então nunca o quererás esquecer pois ele é a solução mais rápida de teres a tal pessoa a validar-te e a "compensar" a falta de amor e energia que há em ti.

Se queres a segunda opção, então irás dizer que não a tudo o que não seja íntegro, seja em ti, seja à tua volta. E como ele não parece ser íntegro, terás vontade em esquecê-lo e nunca mais falar ou estar com ele. Dizes que não consegues esquecê-lo, mas isso é falso. O que acontece é que nós nos queremos lembrar da pessoa, e energizamos as memórias dessa pessoa. Isso só acontece porque queres que aconteça, se realmente não te quisesses lembrar dele não te lembrarias. A tua mente estaria focada noutras coisas. E isso não vem de Amor, vem de dependência emocional e atracção.

Diana Queiroz disse...

Olá Pedro.

Muito obrigada pela sua resposta e pelo seu blog.

jcvf disse...

Olá!

Se o passado não existe e é apenas uma ilusão porque é que existe karma negativo relativo a vidas passadas?

Pedro C. disse...

"Se o passado não existe e é apenas uma ilusão porque é que existe karma negativo relativo a vidas passadas?"

Essa é uma confusão normal que a mente faz, devido a esta não ter capacidade de distinguir verdade de falsidade, ilusão de Realidade.

O passado já não existe, mas aconteceu. Só o momento presente é Real, aquilo que nos rodeia, que está à nossa volta, na Realidade, fora da nossa mente. Tudo o que esteja na nossa mente (pensamentos, memórias, etc) é ilusão. Daí a descoberta de que o passado já não existe, pois o passado agora nada mais é que uma memória incompleta e distorcida.

Mas o passado aconteceu, e certas escolhas foram feitas no momento presente que já passou e acabou (passado). Logo há sempre consequências para as nossas escolhas e karma negativo, assim como mérito karmico (escolhas íntegras).