AMOR

"Ensina só Amor, pois é isso que tu és"

terça-feira, 23 de abril de 2013

"O que farias se a tua namorada quisesse continuar a sair à noite, com o grupo de amigas?"

"O que farias se a tua namorada quisesse continuar a sair à noite, com o grupo de amigas?"


Pergunta de leitor:

“Tu dizes que sair à noite com namorada não é íntegro. O que farias se a tua namorada quisesse continuar a sair à noite, com o grupo de amigas? (é o meu caso). Avisava-la? Acabavas com ela?

Resposta, comentários:

Numa relação fala-se com o parceiro sobre tudo o que se sente e quer. Ser-se íntegro é não deixar as coisas passar como se nada tivesse acontecido, e tornar-se naquele que não tem segredos. Portanto claro que sim, claro que a “avisava”. Não seria um aviso, tipo ultimato, seria falar normalmente sobre o assunto e explicar o porquê.

A questão é que já tudo começou mal lol

Uma mulher que tem o vício das noitadas não tem a mínima hipótese de ser minha namorada. Problema resolvido.

Um pequeno esclarecimento:

Sim, quando se está numa relação não é íntegro sair-se à noite, e eu já expliquei porquê, e não é bom sinal não se compreender porquê.

Mas quando estou a falar de sair à noite, estou a falar daquelas noitadas de bebedeira com os amigos, em que há intenções inconscientes não íntegras que envolvem o sexo oposto. Essas intenção são inconscientes, é o ego que está a controlar, e por isso é sábio evitar esses contextos quando se está numa relação.

Mas há saídas à noite que são íntegras quando se está numa relação. Há situações específicas, eventos, que nada têm a ver com os ambientes de luxúria e orgulho. Não é o sair à noite, é onde se vai à noite. Se eu for com 1 amigo ou 2 a um bar simples apenas conversar, tudo bem. Para se saber discernir o que é apropriado ou não tem que se primeiro ser íntegro, senão somos sempre dominados e controlados por ilusões do ego e motivações inconscientes, sem na verdade sabermos porque estamos a fazer o que fazemos.

No teu caso, uma vez que estás nessa situação, e se Amor e Integridade forem importantes para ti, o apropriado é falares com ela sobre o assunto. Não é ameaçá-la ou proibi-la seja do que for. É explicares o que achas dela sair à noite com as amigas para esses contextos tendo namorado, o que sentes em relação a isso, o que preferes, e o que não aceitas. Depois conforme a resposta/reacção dela logo decides se continuas a relação ou a acabas.

Uma coisa é uma relação casual, praticamente sem intimidade, que não passa de uma ligação física/sexual, pessoalmente superficial. Aí não interessa se se sai à noite e para onde. A relação em si não é de Amor e Integridade. Mas se se pretende um tipo de relação mais elevado, e se quer ser Íntegro, não dá hipótese: não pode haver nenhum tipo de atitude não íntegra, e isso inclui sair à noite com as amigas, ou amigos, para esse tipo de contextos à noite.

E volto a dizer: é muito mau sinal não se compreender porquê… lol

Obrigado pela tua pergunta.

-

Interessado numa educação mais avançada, elevada e detalhada sobre como ser atraente, iniciar conversas, conhecer mulheres, experienciar intimidade, namorar, tornar-se Amor e espiritualizar a vida para alcançar Alegria e felicidade? Dá uma vista de olhos aos cursos online do Cool Vibes:

COMO ATRAIR E CONHECER MULHERES
CURSO ONLINE NÍVEL 1


«Como Ser Naturalmente Atraente, Iniciar Conversas e Conhecer Mulheres»

14 ebooks + 6 meses de email coaching personalizado

Mais informações em:

http://coolvibesblog.blogspot.com/2011/04/curso-online-como-atrair-e-conhecer.html

* * * * *

COMO TER UMA VIDA AMOROSA ALEGRE
CURSO ONLINE NÍVEL 2


«Espiritualidade / Aumento de Consciência / Como Atrair, Conhecer e Amar a Mulher dos teus Sonhos / Intimidade e Relação Amorosa / Vida Social / Afirmações, Visualizações, Meditação, Contemplação e Exercícios»

8 áudios / 9 horas de mp3 + 6 meses de email coaching personalizado

Mais informações em:

http://coolvibesblog.blogspot.com/2011/06/como-ter-uma-vida-amorosa-alegre-curso.html


A tua vida amorosa e social nunca mais será a mesma.

8 comentários:

Anónimo disse...

Olá Pedro! Como estás?

Você recebeu a minha pergunta? Se sim, porque não respondeu? Se não, segue abaixo a pergunta novamente:

" Quanto mais qualidades temos como pessoas, mais coisas consiguimos CRIAR na nossa vida...principalmente emoções positivas. Então atraímos tudo o que é bom e positivo e isso inclui coisas materiais? Porque ter dinheiro é bom, porque nos permite alcançar bastante coisas...a maioria das pessoas ricas possuem muitas qualidades que fizeram elas atrair prosperidade. Sucesso financeiro também faz parte da evolução pessoal ou não? Como lidamos com o dinheiro é o que importa ok. Mas o que quero realmente saber é se quanto mais evoluirmos mais riqueza vamos atrair, certo?

Desde já muito obrigado pela atenção.

Um grande abraço

Anónimo disse...

Pedro, tu dizes que as relações amorosas não serve para suprir nossas carências e necessidades pessoais, mas que elas servem para Servir a Humanidade e a Natureza, para que possamos gerar um novo ser que contribua de maneira positiva para a existência. Mas ao mesmo tempo tu dizes que as relações amorosas e tudo na vida serve para aprendermos a Amar. Afinal, qual é o propósito das relações então? Servir a Natureza e a humanidade (para o mundo) ou para nós (algo egocêntrico) aprendermos a amar?

Obrigado por tudo!!!!

Anónimo disse...

Quanto melhor uma aparência natural mais agradável e atraente seremos como homens, concordo com isso.

Agora em relação aos pêlos nós nascemos com eles logo são naturais do corpo masculino, mas se muito grandes eles podem dar uma aparência suja.

O que você pode me dizer sobre tirar os pelos do torax? Isso é moda e artificial ? Ou dar uma ar de limpeza? Uma aparência melhor? É feminino?
Devo raspá-los ou não? E em quais partes do corpo?


Um grande abraçoo

Anónimo disse...

E onde fica a CONFIANÇA?

Conheço muitos casais que mesmo namorando, tanto ele, como ela, saem para boates sozinhos e outras festas com os amigos de cada um e fica tudo bem entre eles, porque acredito que haja CONFIANÇA entre eles.

Um desses casais namoram há mais de 8 anos e ambos tem amigos em comum desde a infância. Logo, nenhum dos dois vai trair o outro na frente dos próprios amigos na festa!

Depende do contexto, do tempo do namoro, da confiança, de COMO SÃO e QUEM SÃO as amigas e amigos de cada um!!

Faz parte da evolução de cada um dá liberdade ao outro, cada vez mais.

O homem que é corajoso, não tem medo que a sua namorada saia com as amigas dela, porque não tem a medo de perder, ele deixa-a livre, porque tem uma vida além dela e não ao redor dela. Ele confia em si mesmo e nela também.

Assim como ela é corajosa também. (só atraímos o que somos)

Agora isso no contexto certo: todos os dois CONHECEM os amigos e amigas do outro DESDE A INFÂNCIA.. aí não tem problema nenhum!

O que você acha Pedro?

Pedro C. disse...

Eu acho que infelizmente não compreendes o que quero dizer.

Não tem a ver com confiança nem ter medo de perder a outra pessoa. Tem a ver com Integridade, com estar-se consciente do que o ego realmente é, do que esses contextos realmente são, e da verdadeira intenção (quase sempre inconsciente) que nos atrair para esses contextos.

E quando Amor e Integridade são realmente importantes para nós, simplesmente não vamos para esses sítios quando estamos numa relação.

Há confiança à mesma, não há medo de perder a outra pessoa, dá-se-lhe liberdade à mesma, o homem é corajoso há mesma... mas essas coisas não são as únicas importantes que existem lol há uma forma mais elevada de ser, que as inclui, e que é caracterizada também por respeito total ao parceiro, que só existe em pessoas íntegras e interessadas em Amor.

Só estás a ver as coisas numa perspectiva de orgulho: "o homem é forte por isso deixa-a fazer o que quiser sem medos" lol isso a longo prazo vai ser doloroso para além da imaginação.

É a escolha que cada um faz, e os seus princípios que importam. Mas para se fazer uma escolha elevada, a de não ir para esses contextos seja com quem for, é preciso estar-se consciente dos factores invisíveis que tornam essa escolha a mais apropriada. Quando não se está consciente desses factores, nada feito, jamais se compreenderá e vai-se buscar todo o tipo de lógicas e justificações para se rejeitar a Verdade presente.

Mais uma vez, é o ego a querer aprisionar-nos na infelicidade.

Pedro C. disse...

"O que você pode me dizer sobre tirar os pelos do tórax?"

Estás demasiado preocupado com a aparência, quando é a essência o teu problema.

Podes perguntar a mulheres o que elas acham dos teus pêlos, há mulheres que gostam, há outras que não gostam. E se os fores tirar, tudo bem, e depois? Qual é o apocalipse...? Se é moda, ou artificial, ou feminino, depende da intenção com que os decides tirar.

Se os deixares, irás agradar às mulheres que gostam. Se os tirares irás agradar às mulheres que não gostam de homens peludos. Nunca irás agradar a todas, e não há escolha certa aqui, apenas aquela que preferires e for mais prática para ti.

Seja como for, pergunta às mulheres o que elas acham, se te fica mal ou bem os teus pêlos. Pode ser que daí saibas o que fazer.

Seja como for, aparência é uma pequena parte do que há a fazer. Se não tratares da tua essência é irrelevante se deixas ou tiras os pêlos.

Pedro C. disse...

"mas que elas servem para Servir a Humanidade e a Natureza, para que possamos gerar um novo ser que contribua de maneira positiva para a existência."

Onde é que eu disse isso exactamente por essas palavras?

Isso é verdade num certo nível, mas não é tudo.

E aprender a Amar é tudo menos egocêntrico lol é o oposto. Como é que algo que elimina o egocentrismo pode ser egocêntrico?

Estás todo baralhado, não me parece que estejas pronto para os níveis de Verdade que partilho aqui.

O propósito máximo de uma relação amorosa é aprender a Amar. Mas uma relação amorosa pode ter mais propósitos ao mesmo tempo. Desde quando só pode ter um? lol A nível animal terá o seu propósito (sobrevivência, por exemplo), a nível humano terá o seu propósito (experienciar intimidade, por exemplo), e a nível espiritual terá o seu propósito (aprender a Amar).

Tentar compreender isto mentalmente sem experiência é a atitude errada. Isto não se compreende espetando informação na cabeça, mas sim vivendo-o. Sem um nível de consciência íntegro é impossível Ver isto na vida, e Compreendê-lo.

Pedro C. disse...

"Mas o que quero realmente saber é se quanto mais evoluirmos mais riqueza vamos atrair, certo?"

Até certo ponto sim, depois já não.

Porque até certo ponto vivemos como animais-humanos e estamos inseridos na sociedade, depois evoluímos mais e passamos a ter uma vida puramente espiritual, e quase ninguém quer saber da Verdade, por isso ninguém se torna famoso e rico a partilhar verdades espirituais.

Quando alguém realmente aponta o dedo ao ego, é odiado por isso e ou é assassinado, ou mantém-se vivo mas como desconhecido (apenas conhecido por uma minoria realmente espiritual) e com uma quantidade essencial de dinheiro para viver.

O dinheiro é apenas uma conveniência, dá jeito. E basta ter dinheiro para o essencial, nada mais.

Enquanto não se é íntegro, ou se é íntegro mas está-se inconsciente da Realidade Espiritual, é possível fazer-se muito dinheiro, ou por desonestidade e esperteza, ou porque se cria um serviço útil para o mundo que de facto tem qualidade.

Depois esquece. O Amor pelo Espírito e a Verdade leva-nos a Ver a vida pelo mero sonho irreal que é, e o nosso propósito torna-se partilhar a Verdade para ajudar os outros, e não agradar às massas para ter fãs e fazer muito dinheiro (85% das pessoas não são íntegras e odeiam verdade espiritual pois vai directamente contra todo o seu narcisismo), ou contribuir para o mundo de forma prática e tecnológica (ou outra), pois já o Vemos como uma ilusão.

Sim, sem dúvida que graças à evolução pode haver um período de riqueza e prosperidade honesta e consistente, por contributo ao mundo e ser humano. Por qualidades, princípios e intenções íntegras (WallMart, Stephen R. Covey). Mas isso depois acaba-se quando se experiencia a Verdade do mundo e da vida, e nos entregamos ao Amor do Espírito por completo, percebendo que a escolha mais elevada e que mais contribui é outra.