AMOR

"Ensina só Amor, pois é isso que tu és"

terça-feira, 6 de julho de 2010

Como Ser Uma Pessoa Positiva - Pessimismo, Optimismo e Felicidade, parte 2

3ª Parte




4ª Parte




Dúvidas:
CoolVibesClub@hotmail.com

Coragem, Integridade e Amor,
- Pedro Constantino

2 comentários:

Danilo Macedo disse...

Olá Pedro, tenho uma dúvida que não é de hoje sobre essa fase "neutra" que como você fala, é uma fase onde a mente não trabalha, apenas experencia o momento e a realidade sem conceituar os fatos. Eu acho bastante interessante essa idéia, mas ela vai de encontro ao que a ciência fala hoje sobre a mente e os pensamentos..algumas pesquisas que eu observei até agora, analisadas por psiquiatras, mostram que o ser humano tem 'sei lá quantos mil pensamentos por dia" e muito deles afirmam, que não podemos simplesmente 'não pensar', que isso é impossível, o que nós podemos e devemos é gerenciá-los e direcionarmos para o que desejamos. Eu até acredito que ao meditar conseguimos não pensar, mas no dia a dia quando você está experenciando uma situação, seja vendo tranquilamente um pato na lagoa, ou escutando um grande amigo seu falar, na minha cabeça é impossível não pensar, não conceituar e apenas experenciar o fato. E o que me faz concordar que é impossível o 'não pensar' nessas situações, é alguns exemplos que me vem a cabeça, como esse: Vamos supor que uma pessoa com um nível bastante elevado sobre o "viver o agora, apenas estar presente, sem conceituar os fatos" esteja no exato momento passeando pelo parque, e de repente rever um grande amigo seu...nesse momento, levando-se em conta que ele não é uma pessoa superficial e sim natural, ele provavelmente abrirá um sorriso sincero para o amigo...e esse gesto dele pra mim é a confirmação, que no momento que ele viu o amigo, alguns pensamentos passaram pela cabeça dele sobre o ocorrido, e conceituou aquilo como uma coisa boa, tanto é que ele sorriu. Se ao invés dele ver seu amigo no parque vindo em sua direção...ele visse no mesmo momento o amigo dele sendo esfaqueado por um ladrão(estou exagerando, p/ ficar claro o contraste)..tenho certeza que ele não iria estar rindo, algo na mente dele estaria passando e confirmando que ali não era uma situação prazerosa como a de antes....eu acredito que tal pessoa ao ver isso, poderia até não sofrer como a maioria das pessoas, já que ele estaria sendo neutro e percebendo que isso era apenas uma realidade da vida...mas o que observo, é que ele não sorriria como aconteceria ao rever um grande amigo seu. Nesse exemplo fica claro pra mim, que por mais q conscientemente a gente pareça ser neutro, no plano de fundo do cérebro nós conceituamos de alguma forma..Qual a tua opinião sobre?

Danilo Macedo disse...

Olá Pedro, tenho uma dúvida que não é de hoje sobre essa fase "neutra" que como você fala, é uma fase onde a mente não trabalha, apenas experencia o momento e a realidade sem conceituar os fatos. Eu acho bastante interessante essa idéia, mas ela vai de encontro ao que a ciência fala hoje sobre a mente e os pensamentos..algumas pesquisas que eu observei até agora, analisadas por psiquiatras, mostram que o ser humano tem 'sei lá quantos mil pensamentos por dia" e muito deles afirmam, que não podemos simplesmente 'não pensar', que isso é impossível, o que nós podemos e devemos é gerenciá-los e direcionarmos para o que desejamos. Eu até acredito que ao meditar conseguimos não pensar, mas no dia a dia quando você está experenciando uma situação, seja vendo tranquilamente um pato na lagoa, ou escutando um grande amigo seu falar, na minha cabeça é impossível não pensar, não conceituar e apenas experenciar o fato. E o que me faz concordar que é impossível o 'não pensar' nessas situações, é alguns exemplos que me vem a cabeça, como esse: Vamos supor que uma pessoa com um nível bastante elevado sobre o "viver o agora, apenas estar presente, sem conceituar os fatos" esteja no exato momento passeando pelo parque, e de repente rever um grande amigo seu...nesse momento, levando-se em conta que ele não é uma pessoa superficial e sim natural, ele provavelmente abrirá um sorriso sincero para o amigo...e esse gesto dele pra mim é a confirmação, que no momento que ele viu o amigo, alguns pensamentos passaram pela cabeça dele sobre o ocorrido, e conceituou aquilo como uma coisa boa, tanto é que ele sorriu. Se ao invés dele ver seu amigo no parque vindo em sua direção...ele visse no mesmo momento o amigo dele sendo esfaqueado por um ladrão(estou exagerando, p/ ficar claro o contraste)..tenho certeza que ele não iria estar rindo, algo na mente dele estaria passando e confirmando que ali não era uma situação prazerosa como a de antes....eu acredito que tal pessoa ao ver isso, poderia até não sofrer como a maioria das pessoas, já que ele estaria sendo neutro e percebendo que isso era apenas uma realidade da vida...mas o que observo, é que ele não sorriria como aconteceria ao rever um grande amigo seu. Nesse exemplo fica claro pra mim, que por mais q conscientemente a gente pareça ser neutro, no plano de fundo do cérebro nós conceituamos de alguma forma..Qual a tua opinião sobre?