segunda-feira, 27 de julho de 2009

“O Que Todas As Pessoas Deviam Saber Antes De Participar Numa Workshop De Desenvolvimento Pessoal”

Se costumas participar em workshops de desenvolvimento pessoal ou estás a pensar começar a participar, então o que vou partilhar contigo neste post é mesmo muito importante.

Não, não há nenhuma conspiração aqui para ser revelada...

“O Que Todas As Pessoas Deviam Saber Antes De Participar Numa Workshop De Desenvolvimento Pessoal”



Aviso: este post é só e apenas para quem realmente deseja subir de nível de consciência. Para quem quer mesmo evoluir e transformar-se. É sobre desenvolvimento humano na sua forma mais pura e verdadeira.

O objectivo deste post é dar-te mais consciência sobre esta magnífica área e respectivas workshops, para que possas de uma forma mais consciente escolher as workshops em que participas, perceber enquanto estás a participar se de facto de está a ajudar de alguma forma na tua evolução, e estar consciente se depois de facto teve algum impacto directo e visível no teu dia-a-dia.

Quando o livro e DVD “O Segredo” e a sua Lei da Atracção foi lançado e chegou a Portugal, o seu sucesso motivou várias organizações e empresas a começar a criar workshops de desenvolvimento pessoal para o público em geral. Algo que se pode chamar de novo em Portugal na altura, e que ainda hoje está a crescer lentamente.

Mas o que é o desenvolvimento pessoal afinal? Concretamente? Como pode ajudar alguém?

E todas essas workshops, do que tratam afinal? Qual é o impacto real que têm depois na vida dos participantes?

É fácil perceber que muito provavelmente a maior motivação ou razão que uma pessoa tem para participar numa workshop de desenvolvimento pessoal é o seu objectivo de se ver livre de certas emoções desconfortáveis. Ela quer ver-se livre das emoções negativas, desconfortáveis, incomodativas que sente. Depois pode querer algo mais concreto e material, como um carro novo, mais dinheiro, uma casa maior, mais saúde (sim, é material pois faz parte da nossa realidade material), subir na carreira, ter sucesso na sua profissão, mudar de emprego, etc. Há outros que irão lá por outros aspectos mais mentais como grande curiosidade, fascínio pela área do desenvolvimento pessoal em si, desejo de compreender algo em si próprio ou um qualquer aspecto da vida (o porquê ou origem de algo), vontade de mudar algo em si, etc, etc. E para além destas há muitas mais.

As razões são muitas claro, e todas elas, sem excepção, são totalmente válidas.

As pessoas querem resultados e mudanças. Querem-se sentir melhor, de uma forma geral.

Até aqui tudo bem... mas agora começa a parte séria deste post.

Desenvolvimento pessoal é espectacular, mas não é tudo...

Quem me dera poder dizer-te “Isto do desenvolvimento humano é fácil, simples e rápido!” Mas muito provavelmente até tu próprio já sabes disso.

Neste post vou partilhar vários conceitos essenciais, e este é o primeiro deles:

Há desenvolvimento pessoal... e há desenvolvimento espiritual. E esta aqui tem mesmo de ser integrada: são ambos super importantes e não têm absolutamente nada a ver um com o outro.

Nada. Zero.

O desenvolvimento pessoal vai tratar do teu eu separado, o eu material, mais conhecido por ego. E isso é óptimo, o ego tem de evoluir, tem de se tornar saudável. Só que este ego está sempre à mercê do ambiente exterior, da realidade material. Ele irá sempre sofrer independentemente das mudanças que alcance na vida. Um carro novo é fixe, mas o ego vai continuar a experienciar sofrimento. Mais dinheiro é espectacular, mas o ego vai continuar a experienciar sofrimento. Ter sucesso e ser famoso é brutal... mas o ego vai continuar a experienciar sofrimento.

O melhor que ele consegue é um prazer passageiro... depois voltam as preocupações, inseguranças e medos. Tudo o que se manifesta, tudo o que surge à sua volta na sua vida ou realidade material, terá impacto. E trará sempre sofrimento. Porque se for mau, vai surgir e fazê-lo sofrer... se for bom, ao desaparecer irá fazê-lo sofrer. Se for um problema vai fazê-lo sofrer quando surgir. Se for uma pessoa especial, vai fazê-lo sofrer quando desaparecer.

Na realidade material tudo o que é da natureza de surgir é da natureza de desaparecer. Tudo é passageiro. Tudo pode ser criado e alcançado, e isso é fantástico... mas se aparece... podes ter a certeza que desaparece. E lá vem o sofrimento. Mudar o nome a que chamamos às situações da vida não vai mudar esse sofrimento. Pensar positivo não vai mudar esse sofrimento. Isso são ferramentas da mente, e a mente faz parte do eu separado (corpo, mente, emoções), e o eu separado não tem capacidade em si próprio para eliminar o seu sofrimento.

A solução para o sofrimento humano não está no desenvolvimento pessoal... mas sim no desenvolvimento espiritual.

Alcançar coisas, mudanças e resultados materiais é espectacular e sairás muito beneficiado ao te dedicares a isso. Mas lembra-te que não chega. A solução não está em obteres aquilo que tanto desejas... mas sim em conseguires deixar de sentir a necessidade de obter aquilo que tanto desejas. E isso é paz interior, isso é felicidade, isso é poder. Desenvolve-te pessoalmente e espiritualmente, e não em apenas um dos dois.

Depois há outra coisa...

É que entretenimento humano não é desenvolvimento humano.

Vamos ser realistas: a mensagem é difícil de passar. É difícil as pessoas se interessarem por desenvolvimento humano.

O que acontece em muitas workshops de desenvolvimento pessoal é que misturam ferramentas e conceitos de desenvolvimento pessoal com jogos e brincadeiras para animar o evento e deixar as pessoas bem dispostas.

Isso é brutal e ainda bem que o fazem.

Mas no meio da euforia das conversas, brincadeiras e jogos, há quem depois pense que as emoções positivas criadas por esses momentos têm algo a ver com uma transformação interior, ou com desenvolvimento humano.

Mas é que não tem nada a ver.

Numa workshop de desenvolvimento pessoal é preciso estar consciente e saber distinguir o que é mero entretenimento (histórias, piadas, jogos, conversas, brincadeiras), do que é de facto desenvolvimento humano: a informação e as práticas concretas que te vão fazer evoluir.

Porque depois há muitas pessoas que apenas vão às workshops pela experiência de diversão, e não para se desenvolverem. A sua vida está na mesma, sofrem o mesmo, nada muda a um nível fundamental. Vão à workshop para se sentirem bem e se divertirem, e divertem-se e sentem-se bem durante o tempo do evento, mas depois o espectáculo acaba e a tortura diária regressa toda sorridente pelo esforço infrutífero da pessoa.

Entretenimento humano não é desenvolvimento humano.

Se fosse, então bastaria ir ver um grande concerto, um grande filme, uma grande peça de teatro cómico, ou ir a uma grande festa, e magicamente ficariamos com as capacidades e a consciência para depois podermos criar a vida que queremos e sentirmo-nos como queremos no dia-a-dia.

Mas tu sabes que essas coisas podem criar em ti emoções brutais... mas que depois a tua vida continua na mesma.

Entretenimento numa workshop de desenvolvimento pessoal é fantástico, não há nada de errado nisso, é uma forma de estimular as pessoas e de as motivar a voltar mesmo que não percebam nada da informação nem queiram evoluir, mas é importante que consigas distinguir o que é mero entretenimento (estímulo positivo) do que é verdadeiro desenvolvimento humano.

Não te deixes embriagar pelas brincadeiras, piadas e jogos e confundas isso com “estou a evoluir porque me sinto bem aqui a fazer e a ouvir estas coisas”.

E isto leva-me à parte mesmo importante do post:

Há estados emocionais, estados de consciência e níveis de consciência.

Desenvolvimento humano significa subir de nível de consciência. Não meramente relativamente a uma área específica da vida, mas sim em relação a tudo. À vida, à nossa existência, ao ser humano. Não se trata de meramente obter novas coisas materiais e resultados, mas funcionar na vida e com as pessoas de uma forma diferente, mais consciente, mais natural, mais autêntica, mais em sintonia com o Todo. É uma viagem mais interior do que exterior. Não se trata apenas de trabalhar com a realidade material, mas mudar o nosso interior a um nível essencial.

Há vários níveis de consciência, e não há nada de errado em nenhum deles. O que acontece é que nos mais baixos há mais sofrimento e consegue-se menos satisfação, e nos mais elevados o sofrimento começa a desaparecer e consegue-se mais satisfação interior.

Não é importante falar aqui de quais são estes níveis de consciência, mas assim como há escalas diferentes para medir as distâncias, ou os pesos ou a magnitude dos terramotos, também há várias escalas para nomear os níveis de consciência. Uma delas são os chakras.

Agora, todos os estados emocionais e todos os estados de consciência estão acessíveis em todos os níveis de consciência.

O que isto significa é que lá porque sentimos algo que não costumamos sentir, isso não é sinónimo de transformação ou evolução. Podemos sentir todas as emoções em qualquer nível de consciência.

E isto baralha muitas pessoas, pois vão a uma workshop de desenvolvimento pessoal porque se sentem mal, passam lá por certas experiências, jogos e brincadeiras, ouvem piadas e discursos positivos que motivam, sentem-se bem, e pensam que evoluiram. Ainda bem que se sentem bem e melhor ainda se se sentirem assim todos os dias, mas isso não é evolução. É apenas aceder a um estado emocional que está acessível em qualquer nível de consciência. E desenvolvimento humano é subir de nível de consciência.

O mesmo se passa com os estados de consciência... e aqui é que o pessoal fica mesmo baralhado.

Porque em algumas destas workshops há um pouco de espiritualidade. Aprende-se certos princípios que nos fazem ver a vida de outra forma... faz-se certas meditações que nos fazem experienciar e percepcionar a realidade de outra forma. E mais uma vez depois há quem pense que evoluiu. Ainda bem que experienciou esse estado de consciência através de uma meditação... mas tal como os estados emocionais, todos os estados de consciência estão acessíveis em todos os níveis de consciência. Não é sinónimo de transformação. Até porque a pessoa irá sempre interpretar esses estados de consciência através do seu nível de consciência actual. Uma coisa nunca garante a outra.

Tanto os estados emocionais como os estados de consciência são potenciais ao alcance de qualquer ser humano em qualquer nível de consciência. Podem ser atingidos em qualquer nível de consciência. Logo, uma vez atingidos, experienciados ou sentidos não significa que a pessoa evoluiu no sentido verdadeiro da palavra, mas sim que acedeu a um potencial adormecido em si. O que é fantástico, mas não é evolução.

Então mas os estados emocionais e de consciência não são importantes?

Claro que são importantes! E quantos mais melhor!

É preciso é vê-los pelo que eles realmente são, e não os confundir com evolução, subida de nível de consciência.

Um estado é algo passageiro, um nível é algo constante.

Uma forma simples de descrever um nível de consciência é descrevê-lo como uma estrutura. É uma forma de funcionar na vida que é constante. Não é algo passageiro que surge, sente-se durante uns segundos ou minutos, e depois desaparece.

É como a linguagem. Uma vez que se aprende a falar isso fica sempre em nós. Mesmo que sejamos apanhados de surpresa conseguimos aceder a essa capacidade. Está sempre em nós. Um estado de linguagem seria por exemplo durante uns segundos conseguirmos dizer uma frase... e depois voltarmos ao estado de não linguagem, no qual não sabemos falar. Foi óptimo conseguirmos dizer essa frase durante uns segundos ou até minutos, mas uma coisa é aceder à linguagem durante uns minutos, outra coisa é tê-la sempre acessível todos os segundos. Uma coisa é espreitar para dentro do andar de cima com muito esforço através de um buraco no chão e voltar a cair, outra coisa é viver nesse andar de cima.

E verdadeiro desenvolvimento humano é subir os andares da consciência. Que não são andares fixos, são como ondas, não têm divisões sólidas entre si.

Agora, quanto mais tempo passarmos em estados emocionais positivos melhor. Melhor nos sentiremos, e mais e melhor conseguiremos da vida em todas as áreas. Também é igualmente importante não fugir dos estados emocionais negativos, pois negativo não significa mau, e eles têm a sua utilidade, igualmente importante e poderosa à dos estados emocionais positivos.

Quantas mais vezes acedermos a estados de consciência, e mais tempo ficarmos neles, mais iremos evoluir também. Mais eles se tornarão parte de nós, e no nosso nível de consciência. Entre outras coisas, sobe-se de nível de consciência acedendo continuamente a estados de consciência. Vais tentando subir de andar, vais espreitando, tantas vezes, que acabas por subir e lá viver.

Lembra-te: podes passar por estados emocionais espectaculares durante uma workshop, mas depois quando a workshop acaba e começas a viver o dia-a-dia, continuas o mesmo, no mesmo nível de consciência. De uma forma geral, vai tudo continuar na mesma. E vais perceber isso até o primeiro problema ou desafio surgir. Aí não há mero pensamento positivo que te salve do sofrimento e do stress.

E é igual com os estados de consciência. Continuas o mesmo, a funcionar da mesma forma. Provaste um pouco do fruto e sentiste o seu sabor, mas ainda não és esse sabor. E depois do sabor ainda há ser o fruto. E depois do fruto ainda há ser o ramo, e depois de ser o ramo ainda há ser o tronco. E depois de ser o tronco ainda há ser toda a árvore. E depois de ser a árvore ainda há ser todas as árvores. E depois de todas as árvores ainda há ser a Grande Semente, o Vazio de onde tudo surgiu. E depois disso... ainda há ser o Vazio, e ao mesmo tempo todas as sementes, árvores, troncos, ramos, frutos e sabores. A Grande Semente e o Sabor Único.

E eu garanto-te que um carro novo, mais dinheiro, sucesso, fama ou casar-se não é o que te irá fazer alcançar isto. É bom, alcança todas essas coisas se o desejares, mas o caminho para a subida de nível de consciência é outro.

Para acabar este post, um último conceito:

Jamais irás subir de nível de consciência em 1 hora, 1 dia, 1 semana ou 1 mês. Não interessa a qualidade da workshop, ou o que lá aprendas ou faças. Verdadeira transformação não se dá num fim-de-semana. Numa workshop podes aceder ao teu potencial adormecido ou esquecido e passar a usá-lo no teu dia-a-dia, e isso é das melhores coisas da vida sem dúvida. Mas continuas no mesmo nível de consciência. Melhoraste no teu nível de consciência actual, o que é fantástico e super importante, mas não subiste. No contexto de subida de nível de consciência nada aconteceu.

Já está provado que a única coisa que faz um adulto humano subir de nível de consciência é a meditação. Muitas “ferramentas” famosas e típicas do desenvolvimento pessoal foram testadas, e analisou-se a progressão de quem as usava correctamente e regularmente, e não foi verificada uma subida de nível de consciência. Isso significa que coisas como a programação neuro-linguística (PNL) e a neuro-estraégia não têm qualquer valor? Claro que não. Elas permitem as pessoas sentirem-se melhor, e melhorar no seu nível de consciência actual. Mas quem está no ego continua no ego, não sai de lá. Portanto pode-se ser um perito em PNL, um mestre na sua utilização, e ser-se não-íntegro sem qualquer compaixão.

Portanto a prática que faz um ser humano subir de nível de consciência é a meditação. Meditar regularmente e disciplinadamente. Quanto tempo leva a subir de nível de consciência? O que se descobriu, em média, não são números matemáticos absolutos, é que leva 4 a 5 anos. Através de meditação é possível, mas nem sempre acontece, subir-se 2 níveis de consciência de cada vez (é como apanhar o elevador super-sónico), mas a média são 4 ou 5 anos o tempo que se leva.

Tendo em mão estes números aproximados, é fácil perceber que passar 6 horas ou 10 dias numa workshop não nos vai fazer subir de nível de consciência. Vai-nos sem dúvida tornar melhores no nosso nível de consciência actual, o que é óptimo, mas não fazer subir. Eu acredito que possa haver alguém que o consiga fazer em apenas 2 anos... mas 2 anos, ainda que seja metade da média, é bem mais tempo que um fim-de-semana.

E só há uma workshop em todo o mundo na qual passarás tempo suficiente para subir de nível de consciência...

E essa workshop chama-se a tua vida.

Isto significa que se pretendes não só tornar-te melhor no teu nível de consciência mas também subir de nível de consciência, deves participar em todas as workshops de desenvolvimento pessoal e espiritual que te motivem a ir, que te interessem. Que deves aprender nelas todos os conceitos, ferramentas e práticas úteis, mas que deves também tornar parte da tua vida o desenvolvimento humano, e todos os dias fazer algo que te faça evoluir, melhorar e transformar.

Lamento mas não há outra solução: tens de tornar a tua vida numa workshop de desenvolvimento humano, seja 5 minutos por dia ou 1 hora por dia. Não podes viver dependente da workshop “X” que acontece apenas uma vez por ano ou uma vez por mês. Não há pressas nem pressões, não tens de provar nada a ninguém, mas a dedicação tem de ser diária. Se queres mesmo ver-te livre do sofrimento, experienciar um poder imenso em ti, tornar-te naturalmente atraente e contribuir de forma significativa para o Todo, o teu caminho tem de ser um de evolução. E tens de meditar todos os dias. A isso é que nã dá mesmo para fugir.

Workshops de desenvolvimento pessoal?

Vai a todas as que desejares pois há pessoas a fazer um trabalho fantástico nesta área. Mas vai consciente e não com fantasias na cabeça. E uma vez lá, participa conscientemente e não te deixes embriagar pela vertente de entretenimento, pelo que possas sentir ou experienciar. E quando ela acabar, analisa conscientemente as mudanças que provocou na tua forma de ser e funcionar (potenciais antes adormecidos e agora acordados), ou pelo menos de ver as coisas, de lidar com os problemas, etc. Não irás subir de nível de consciência mas irás sem dúvida melhorar a tua vida – se praticares o que lá ensinam.

Outra coisa: há conhecimento geral e conhecimento específico de cada área. Aprender ferramentas gerais para aumentar as nossas capacidades é uma coisa, querer evoluir numa determinada área é outra. Por exemplo, há capacidades comuns para a vida profissional e a vida amorosa, mas se tratares a vida amorosa como se fosse a profissional, usando os seus conceitos de desenvolvimento, vais-te meter em problemas.

Na vida profissional, pode haver uma mera motivação de obter e alcançar mais (seja dinheiro ou sucesso), através de uma processo não-íntegro com ferramentas mentais, e isso de facto trazer resultados. Mas a vida amorosa tem a ver com partilha, e não com obter. Não se trata de dinheiro ou resultados, mas de ter uma ligação com outro ser humano. Usar as ferramentas da vida profissional na vida amorosa resulta em manipulação, esquemas, falta de integridade e compaixão, etc, numa área onde egocentrismo leva apenas ao tipo errado de pessoas e relações, e são necessárias capacidades interpessoais, transpessoais e espirituais que nada têm a ver com meras ferramentas mentais de definir objectivos e persuadir alguém (manipular para se obter o que deseja).

Portanto cuidado: cada área com o seu conhecimento específico, e nada de misturar.

Lembra-te de criar um balanço e equilíbrio com o teu desenvolvimento espiritual, pois é aí que está a meditação e a subida de nível de consciência.

Hey, deveria ser “obrigatório”, como parte do processo de selecção consciente de cada um, ao estar a conhecer alguém do sexo oposto fazer-lhe o mais cedo possível a pergunta: “Meditas?”. E caso a resposta fosse sim, brutal, continuavas a sair com a pessoa. Caso a resposta fosse não... bem, já sabes o que podes esperar dessa pessoa no futuro: um ego humano não-íntegro sem capacidade de verdadeira consideração e compaixão, a precisar constantemente da tua atenção (energia) para se sentir bem com ele próprio.

E uma vez que apenas aproximadamente 2% da população humana tem essas capacidades espirituais desenvolvidas, eu pergunto: “Há por aí alguém que já tenha inventado uma máquina para viajar no tempo? É que eu estou disposto a testá-la para ir até ao futuro!”

Aproximadamente 10% das pessoas são desenvolvidas no seu nível de consciência actual, por isso serão interessantes, divertidas, positivas, ou seja, serão companhias estimulantes em bastantes níveis... e isto já é muito bom! Os 2% de que falei (que daqui a poucos anos serão 10% e os 10% de que falei serão 20%), estão num nível de consciência mais elevado, mais espiritual, de consciência, consideração, compaixão, amor, em quem podes de facto confiar, e com quem podes de facto contar para evoluir, ter uma relação íntima integral fantástica, e ao mesmo tempo contribuir para o Todo. Comparados com os actuais 80-90% do ego (chamemos-lhes assim para simplificar) parecem autênticos super-heróis que voam, vêem através das paredes, lêem os pensamentos dos outros, salvam vidas e têm factor de cura. Hey, um deles dizem que transformou a água em vinho, mas isso é outra longa história.

Como já deves ter percebido estou oficialmente na *fase de entusiasmo* do post. A partir daqui tudo é possível... mas porque o post já vai longo, vou acabar com “boas” e “más” notícias...

É que quanto mais evoluires melhor e pior.

Hã?!

Sim, quanto mais evoluires melhor e pior.

Quanto mais evoluires e subires de nível de consciência, menos irás sofrer e maior será a tua capacidade de sentir felicidade interior (e prazer exterior)...

Mas maiores serão também os problemas e os desafios. É de certa forma (e esta metáfora simplifica muito tudo, mas vai-te ajudar a perceber este conceito) como chegar à final de uma competição qualquer. Estás a um passo da glória final, o público vibra contigo, és um dos melhores do mundo, consegues derrotar a maioria... mas tens à tua frente o adversário mais difícil de todos... pois ele também chegou à final por mérito e qualidades demonstradas E ou estás à altura e vences, ou não estás e perdes.

Agora, em desenvolvimento humano não há adversário, não há vencer nem perder, mas há sempre uma dualidade ou polaridade. O positivo é proporcional ao negativo, e é assim que as coisas funcionam na realidade. Só a inconsciência nos impede de ver e aceitar isto. Porque negativo não significa mau. E querermo-nos ver livres do negativo é querer cortar a realidade ao meio, o Universo ao meio. E essa é uma das principais causas do sofrimento humano: resistir a algo e querer destruí-lo porque incomoda ou afecta. Os problemas ou desafios dos níveis de consciência abaixo serão meros acontecimentos que nada te incomodam ou afectam, vais resolvê-los e lidar com eles facilmente pois agora tens capacidades para isso. Mas há sempre um senão em cada novo nível de consciência... pelo menos na limitada e sofrida perspectiva do eu separado. No eu universal apenas há, e tudo o que há, é. É ele e parte dele, é aceite como uma mão ou pé do nosso corpo, e usado de forma consciente, ou seja, em sintonia com a evolução.

Para quem está num nível de consciência mais abaixo, nem sequer consegue compreender os desafios e problemas dos níveis de consciência mais elevados. E se os compreendesse ficaria aterrorizado. “Como é possível aguentar isso?! Viver assim?! Decidir fazer isso nessas circunstâncias?! Estar sem isso?!”

E a resposta é simples: “Não poderia ser de outra forma. É este o caminho que me traz tudo sem precisar de nada.”

Conclusão: a verdadeira transformação ou evolução, dá-se no nosso dia-a-dia através das nossas decisões, escolhas e práticas regulares. As workhops dão-nos informação, exercícios e ferramentas preciosas, e algumas até nos fazem ver, sentir e experienciar coisas que antes não sabíamos que existiam em nós. O objectivo é pegar em tudo isso conscientemente, pelo que realmente é, e viver uma vida de Coragem e desafio constante, meditação, estudo e prática constantes, para que haja verdadeiro desenvolvimento humano e subida de nível de consciência. Se for isso o que desejas.

Então e as workshops do Cool Vibes? Onde ficam no meio disto tudo?

Tal como todos os eventos que têm um princípio, meio e fim no tempo, o seu efeito é limitado. Nas minhas workshops irás ter acesso a informação, ferramentas, exercícios e práticas que depois, uma vez aplicadas regularmente, te farão transformar e evoluir. Te farão mudar a tua realidade interior e exterior. A tua vida amorosa e social. Há uma vertente de diversão e convívio nas minhas workshops, mas o mais importante é mesmo a informação. Farás exercícios e passarás por experiências e estados de consciência, e tudo isso é importante e útil, mas é o que eu te digo para fazer a seguir à workshop, para fazer depois no teu dia-a-dia, independente de mim, o mais precioso que irás retirar das workshops do Cool Vibes. Sozinho poderás continuar o teu processo, e em cada contexto ou situação comum da área amorosa e/ou social saberás que decisão tomar e o que fazer para mais facilmente alcançares a satisfação que desejas, tudo de uma forma íntegra e autêntica, sem qualquer mentira, truque ou esquema de manipulação.

Não prometo transformações instantâneas, nem comprimidos mágicos que resolvem logo tudo sem ser necessário qualquer esforço. Prometo diversão e convívio, bons momentos, o potencial de conheceres alguém e criares uma nova relação, ligação ou amizade na tua vida – e principalmente informação que poderás aplicar no teu dia-a-dia, e que te fará subir de nível de consciência passado o tempo que for necessário, dependendo da tua entrega e dedicação. Há exercícios práticos que te ajudam a compreender melhor a informação partilhada e a perceber como a aplicar no dia-a-dia. Há também meditações e estados de consciência. E há uma energia especial na sala, pois nela apenas estão pessoas que estão de facto interessadas em evoluir, e não apenas em se divertir durante a workshop. Não são meros curiosos, são pessoas que estão abertas a se desafiar para subir de nível de consciência.

Eu conheço o caminho e posso-te orientar. Mas és tu quem o tem de percorrer.

Eu sei qual é a porta e onde ela está, e posso-ta mostrar. Mas és tu quem a tem de atravessar.

Eu sei como te ajudar a tornar a tua vida amorosa e social em áreas simplesmente extraordinárias, que parecem tiradas de filmes ou sonhos. Mas és tu quem tem de aprender e fazer o que é preciso.

Seja como for, tudo é possível para ti. Está sempre ao teu alcance, é apenas uma escolha começar a percorrer esse caminho. E este, chama-se Cool Vibes.

Perguntas:
CoolVibesClub@hotmail.com

Segue as tuas paixões,
Pedro Constantino

11 comentários:

Filipe disse...

Oi Pedro. Parabéns por mais um post fantástico.
Penso que seria interessante elaborares um post sobre "Meditação"... Como meditar?, quais as melhores alturas do dia? melhores locais? ...

Continua com o bom trabalho

Rui disse...

Mais um post magnífico.

Lembro-me de quando participei no último Trata a Vida por Tu, e te mandei um mail, todo eufórico, a dizer que aquilo era o máximo... e tu respondeste-me a dizer algumas coisas que aqui escreveste, nomeadamente que era preciso ver que "estado de consciência" não é "nível de consciência". Essa ideia, agora clara como água, foi uma novidade, e uma das maiores lições que tive em todo esse evento. E este post fez-me perceber isso ainda melhor.

Epah, mesmo com uma tese às costas não me consigo "desvincular" de vir cá e seguir o Cool Vibes!

Um abraço.

Rui "Barreirano"

Pedro Constantino disse...

Sabes que o Cool Vibes é que te vai ajudar a escrever uma mega tese ;)

Obrigado pelo teu comentário, "Barreirano" lol Abraço!

Para todos: atenção que workshops como o Trata a Vida Por Tu (TVTU) são fantásticas. Este post não pretende desvalorizar nenhuma workshop de desenvolvimento pessoal, apenas ajudar as pessoas a compreender melhor o que de facto é desenvolvimento humano e o que acontece (e é possível/impossível) nesses eventos.

Vai a todas as workshops de desenvolvimento pessoal que te apetecer, são óptimas.

Anónimo disse...

Muito legal o post, Pedro.
Realmente esclareceu coisas que nem imaginava, e corrigiu minha visão sobre outras.
Gostaria de te perguntar como é possível evoluir através da meditação. Porque nesse estado a pessoa não pensa, não faz nada, é uma espécie de dormir acordado, não?
Poderia, por favor, explicar melhor os fundamentos da meditação?
Obrigado Pedro,
Grande abraço,
Edison

Anónimo disse...

Muito legal o post, Pedro.
Realmente esclareceu coisas que nem imaginava, e corrigiu minha visão sobre outras.
Gostaria de te perguntar como é possível evoluir através da meditação. Porque nesse estado a pessoa não pensa, não faz nada, é uma espécie de dormir acordado, não?
Poderia, por favor, explicar melhor os fundamentos da meditação?
Obrigado Pedro,
Grande abraço,
Edison

Anónimo disse...

pois, também acho que o cool vibes já merecia um post aprofundado sobre meditação, já que é tão importante e tão referido. das pesquisas que fiz e experiencias que já vivi penso que a meditação é o estado de não pensar, silenciando a mente e alcançando assim o estado de amor puro, mas não sei se é bem isso nem sei se medito da forma mais adequada. fica o pedido em forma de sugestão.

AlFaS disse...

Mt bom o post! apesar de tarem sempre grandes os teus posts, eu acho-os sempre pequenos loool

neste caso apercebi-m que é mt importante fazer meditacao, mt mt obrigado ;) acho que vou tentar outra vez meditar !

Anónimo disse...

Olá Pedro, fantástico post!

Para uns interessados, partilho aqui um video que me ajudou a aprender a fazer meditação

http://www.youtube.com/watch?v=UY6o3U5GVSs

Angela Vieira disse...

Olá Pedro!
Gostei imenso do post... é muito importante informar as pessoas que a verdadeira transformação ocorre dentro delas, através do trabalho que se permitem fazer todos os dias nas suas vidas diárias.

Um beijinho e obrigada

AlFaS disse...

"anonimo" esse video é um dos documentarios do segredo (já o conhecia por acaso XD) tá excelente , adorei quando o vi, aconselho vivamente a verem!

Pedro, eu acho extraordinario como uma simples meditação pode trazer tantos beneficios (paz interior, subir de nivel de consciencia, felicidade, saúde, tirar o sofrimento... ) sem dúvida uma actividade essencial, podes-me só esclarecer qual a diferença entre ioga e meditacao??

Anónimo disse...

Pedro! o coolvibes tem-me ajudado muito, hoje sou uma pessoa melhor, sinto-me em paz até com os meus "inimigos".
Mas tenho uma pergunta para: Quem é Jesus Cristo para ti?

Tudo de bom pra vc.

tomaselombo@hotmail.com