terça-feira, 7 de julho de 2009

“As 7 Virtudes de Vénus, parte 7: Como Ser Uma Mulher Com Auto-Estima!!”

“As 7 Virtudes de Vénus, parte 7: Como Ser Uma Mulher Com Auto-Estima!!”

Hey, bem-vinda à última parte do fantástico programa do Cool Vibes só para mulheres, sobre atracção natural, AS 7 VIRTUDES DE VÉNUS!


Se és uma mulher e estás farta dos problemas, desilusões, mentiras, inseguranças, dúvidas, secas e sofrimento do costume na tua vida amorosa, e desejas encontrar, conhecer e atrair naturalmente o tipo de homem que te pode de facto trazer a intimidade física, o divertimento entusiasmante, as conversas estimulantes e a ligação profunda que realmente desejas, e criar assim uma vida amorosa extraordinária, então este programa é para ti!

* Antes de partilhar contigo qual é a 7ª virtude da mulher naturalmente atraente, certifica-te de que já sabes qual é e como desenvolver a sexta virtude aqui: http://coolvibesblog.blogspot.com/2009/07/as-7-virtudes-de-venus-parte-6-como-ser.html

E se desejas saber de todas as novidades relativamente a este programa e ainda não fazes parte da mailing list do Cool Vibes, então envia-me agora um email para CoolVibesClub@hotmail.com com o assunto “Lista Cool Vibes” e recebe todas as notícias *grátis* por email.



Nota: a tua informação não será partilhada com ninguém.

E agora sem mais demoras, vamos passar ao que realmente interessa!




AS 7 VIRTUDES DE VÉNUS
7 – Auto-Estima

A mulher naturalmente atraente tem auto-estima.


O que isto significa?

Significa que a mulher gosta de si própria. Que ela se respeita e apenas aceita o melhor para si nunca nada menos do que isso. Significa que sabe dizer não e ouvir não, e que tem preferências definidas.

Significa que é conscientemente selectiva, pois tem em consideração o seu bem-estar e qualidade de vida.

Significa que se adora e ama. Significa que vive em contacto com o valor e potencial interior que tem.

Significa que não se precisa de superiorizar a ninguém, nem se sente inferior a ninguém. Não há comparações nem competição, simplesmente sente, vive e usa o seu valor e potencial interior.

Significa que não tem dúvidas em relação ao seu valor como mulher e potencial como ser humano.

Não se está sempre a mandar abaixo ou em processos de auto-inferiorização. Não se sente inferior nem superior a ninguém, simplesmente não se compara a ninguém.

Não dá significados negativos à sua existência e ser. Não se julga nem critica. Não é controlada nem limitada pelo seu ego.

Em termos mais concretos e práticos, não se questiona constantemente se é bonita ou não. Não se questiona se tem valor ou não. Isso é-lhe completamente irrelevante. Ela decide gostar de si e ponto final. Não há qualquer dúvida em relação a nada.

Ela é positiva e não negativa. Acredita que é capaz, e não entre em processos de mentais das 1001 justificações por que algo pode não resultar ou ela não ser capaz. Ou pior: fazer uma lista das 1001 razões pelas quais ela está mesmo mal e a situação é mesmo grave.

Quando pensa em si própria pensa com consideração, motiva-se, elogia-se, orgulha-se de quem é de uma forma saudável e equilibrada que nunca é egocêntrica pois nada tem a ver com achar-se melhor que os outros ou precisar de se sentir melhor que os outros para preencher um vazio interior.

Não há vazio interior. Ela sabe preencher-se e encher-se de energia. É emocionalmente independente. Não precisa da atenção, validação, demonstrações de interesse e elogios de um homem para se sentir preenchida, para aliviar um sofrimento emocional ou para se sentir bem com ela própria. Não tem relações nem ligações por necessidade, mas por partilha, evolução e contribuição.

A voz que tem na cabeça não é a de alguém constantemente raivosa ou triste, é de alguém carinhosa e consciente. Que fala com ternura e compaixão, mas também entusiasmo e confiança.

Significa que não se vê como uma vítima da sociedade, vida e universo, mas como um ser poderoso que assume a responsabilidade pela sua vida e cria conscientemente a realidade que deseja experienciar.

Significa que ela sente que merece tudo aquilo que deseja.

Significa que se trata bem, que escolhe o melhor para si.

Significa que há Amor e energias positivas em si.


Porque é esta virtude importante e o que acontece se não a desenvolveres?

Sem auto-estima basicamente ficamos todos encravados num belo local chamado inferno. Aí sim, a vida é praticamente um inferno.

Uma pessoa sem auto-estima, não se irá tratar bem nem respeitar, não irá ter uma consideração consciente pelo seu bem-estar, prazer e felicidade, e por isso irá tomar decisões que irão acumular na sua vida cada vez mais fontes de emoções negativas, mais pessoas do tipo errado que a prejudicam e fazem sentir mal, cada vez mais problemas, stress, dor e todo o tipo de sofrimento.

E isto tudo simplesmente porque não pensa em si, consequência de a um nível fundamente não gostar de si. Não viver num estado de “eu também sou importante e tenho de zelar pela minha felicidade”.

E acho que nem é preciso explicar mais nada aqui... o sofrimento que daqui vem é bem óbvio.

E depois claro, uma mulher com baixa auto-estima, que precisa e necessita constantemente da energia e atenção de um homem, jamais será atraente a longo prazo para um homem naturalmente atraente.

O homem naturalmente atraente tem auto-estima, e por isso só se sente atraído por uma mulher que tenha auto-estima. As outras até o podem atrair a curto prazo, seja pela sua beleza física, seja por serem interessantes, seja por serem divertidas, etc... mas depois, assim que vem a primeira manifestação clara de baixa auto-estima... ele afasta-se.

A baixa auto-estima traz sempre uma atitude de “tirar energia aos outros”. É desgastante e nada agradável ou estimulante para quem está com uma dessas pessoas. Não é atraente. E depois, claro, para tirar essa energia vem todos os tipos de comportamentos e reacções mais subtis ou óbvios que são pura manipulação. Tradução: falta de integridade.

Então isso é que põe mesmo o homem naturalmente atraente a “fugir” a sete pés. Ele não está interessado numa mulher emocionalmente dependente e imatura que precisa dele constantemente, que lhe cobra atenção, que o impede de viver a sua vida, fazer o que gosta e estar com quem gosta para lhe dar atenção, e muito menos com uma mulher que se mete com jogos e manipulações numa tentativa de o controlar e assim obter dele o que deseja.

Ou há integridade, estímulo, compaixão e desejo de partilha e contribuição... ou não há homem naturalmente atraente para ninguém. Simplesmente ele ou nunca sequer aparece na vida dela, ou conhece-a e depois afasta-se, ou ela não o reconhece quando o vê, ou ela rejeita-o para se sentir melhor com ela própria, para sentir que tem poder... e porque para o ego geralmente o que é diferente significa inferior, de baixo valor ou mesmo sem valor. Para o homem naturalmente atraente essa “rejeição” não o incomoda absolutamente nada por várias razões diferentes, mas o que a mulher acabou de fazer nesse momento foi mandar para o lixo um cupão do euromilhões premiado pois não tem a capacidade de o distinguir de um talão das compras, e muito menos de ver as consequências dele a longo prazo na sua vida...

As pessoas que têm baixa auto-estima vivem num sofrimento e dúvida constantes que não lhes permite nem atrair quem desejam nem ter a vida que desejam.

Esta baixa auto-estima, ou vazio interior, pode trazer 2 tipos básicos de atitude: a vítima e o manipulador.

A vítima é o “coitadinho” a quem tudo de mal acontece, e que faz a questão de desabafar ao pormenor com todos. É aquele que se queixa constantemente, mas nada faz para mudar. Seja para se mudar a si, seja para mudar como se sente, seja para mudar a sua vida e circunstâncias. Ele acredita que há algo ou alguém “contra” ele, que está a criar todos os seus problemas, e que ele não ter poder sobre a sua realidade. Sou só eu ou isto parece mesmo a atitude de uma criança impotente? É que infelizmente é mesmo isso... estas pessoas de certa forma ainda esperam que venha um “pai” ou uma “mãe” acender-lhe as luzes do quarto para que os monstros nas sombras desapareçam e o medo se vá embora.

Mas... isso não vai acontecer. Estas pessoas não acreditam que têm um poder de criação, uma consciência e intenção que pode criar coisas novas e mudar as que existem... apenas que são alguém a quem as coisas acontecem e não são responsáveis por nada na sua vida. Como se de facto não fosse a sua vida, e houvesse algo ou alguém a meter lá as coisas... e elas são apenas o bonzinho impotente que ninguém ajuda nem compreende, e que se questiona “mas que mal fiz eu para merecer isto”? Como se a vida fosse um sistema de recompensas como um emprego ou a escola...

Enfim.

Estas são as pessoas extremamente negativas, pessimistas, carentes e dependentes que precisam constantemente dos outros para desabafar. Isto não tem mal nenhum mas é a causa do seu próprio sofrimento. E enquanto estão no discurso negativo ou na choradeira... não estão a contribuir nem para a pessoa que as está a ouvir, muito menos então para o mundo e para o Todo. Puxam para baixo quem as rodeia, não estimulam, não partilham momentos agradáveis, não são atraentes. A curto prazo os outros ouvem, aconselham e tentam ajudar... mas como a vítima nunca assume a responsabilidade e faz de facto algo para mudar, estes acabam por se afastar pois enquanto estão com elas nem conseguem evoluir, nem contribuir para o mundo. Não há qualquer estímulo...

Claro que esta descrição que fiz é um exemplo extrema e quase uma caricatura, mas assim torna-se mais fácil para ti identificares este tipo de pessoa.

Depois vem o manipulador. Este superficialmente parece bem... pois é essa a sua fachada. Ele esconde e mente, para parecer fixe, de forma a que os outros se aproximem e lhe dêem atenção. Se a vítima usa a táctica do “estou muito mal, ajuda-me por favor!” para obter atenção, o manipulador usa a táctica “eu sou o maior, junta-te a mim (por favor)!”. Ambos são no fundo manipuladores, mas eu considero a vítima mas passiva e por vezes até honesta, enquanto que o manipulador mais agressivo e sem consideração pelos outros. Mais uma vez estou a ir aos extremos para uma mais fácil distinção. Ninguém é 100% apenas algo, mas pode ser muito de algo.

Se a vítima afasta porque não é nada estimulante, o manipulador afasta pois até pode ser estimulante mas não é íntegro. As suas ligações são geralmente falsas e superficiais, o que para ele chega perfeitamente pois assim consegue obter o que deseja sem ter de dar nada.

A vítima parece ser um frustrado enquanto que o manipulador muitas vezes parece ser o maior e muito fixe, apenas porque pode ser estimulante e obter resultados positivos na sua vida. Mas a um nível essencial são ambos a mesma coisa: seres humanos do nível de consciência do ego (ou controlados pelo eu separado), que vivem num vazio interior, e precisam da atenção e validação (energia) dos outros para se sentirem bem com eles próprios. Logo estão com os outros para obter algo, e não para partilhar ou contribuir.

Agora, quando se tem baixa auto-estima, vai-se atrair e manter na nossa vida tanto vítimas como manipuladores. Ambos fazem parte da colecção “Ego Greatest Hits”, do mesmo nível de consciência, por isso quem tem baixa auto-estima, seja mais vítima, ou mais manipulador, ou uma variação qualquer de ambos, vai atrair esses tipos de pessoas para a sua vida. Resultado: muitos problemas e más relações.

Depender e precisar de algo exterior para nos sentirmos bem com nós próprios, mas deixarmos de duvidar do nosso valor, beleza, potencial, etc, é um claro sinal de baixa auto-estima. Não há absolutamente nada de errado em ter baixa auto-estima, e esse é curiosamente o primeiro passo para se desenvolver auto-estima: identificar-se honestamente que se tem baixa auto-estima e a seguir reconhecer que não há nada de mal nisso mas que as coisas podem ser muito melhores. Tanto para ti como para os que te rodeam.


Como é que se desenvolve auto-estima?

Agora é que isto se vai tornar mesmo interessante e divertido... ;)

Não há nenhum processo rápido, imediato ou instantâneo de se desenvolver auto-estima... és livre de procurar, mas eu desde 2004 que faço essa pesquisa intensa e quase diária, e nunca descobri nada que verdadeiramente desenvolvesse auto-estima a curto prazo.

Isto significa que desenvolver verdadeira auto-estima é possível, mas não é fácil nem rápido.

Dependendo da tua entrega, esforço, situação actual e dedicação séria e disciplinada, pode levar meses ou anos. Se fizeres todos os dias tudo aquilo que é preciso, vai apenas demorar uns meses. Caso contrário pode levar anos. O que não tem mal nenhum, apenas terás de esperar mais pela felicidade que desejas.

Então o primeiro passo é sem dúvida admitires para ti própria que o “problema” é teres baixa auto-estima. Não te preocupes, eu tive de fazer o mesmo, e sem saber lá muito bem o que estava a fazer resultou.

Este é não só o primeiro passo para se desenvolver auto-estima, como é também um passo importante para se desenvolver auto-honestidade e integridade. Só seremos autênticos para o mundo se primeiro o formos 100% para nós.

E uma coisa que contribui para a nossa baixa auto-estima é mentir.

Qualquer tipo de mentira. Sempre que alguém mente, seja a si próprio ou a alguém, sem se aperceber disso vai gostar menos de si. Pois na verdade não tem a capacidade de enfrentar as coisas como elas realmente são, ou tem medo de uma consequência qualquer negativa (perda ou dor) de dizer a verdade a determinada pessoa em determinado contexto. É uma expressão de fraqueza.

Por outro lado, sempre que se diz a verdade ou se é autêntico, principalmente quando é difícil, é algo que depois nos faz sentir orgulhosos de nós próprios, e automaticamente que nos faz gostar mais de nós próprios.

Mais uma mentira, mais uma unidade de baixa auto-estima.

Mais uma expressão de honestidade, mais uma unidade de auto-estima.

É simples e é apenas uma escolha.

Então a segundo parte do processo é perceber que ter baixa auto-estima não tem nada de mal, nem nada de errado. Pensar que “tenho auto-estima sou uma treta”, só vai aumentar a baixa auto-estima. Vendo a verdade da situação e aceitando-a como algo natural (e não errado), vai começar imediatamente a fazer crescer em ti auto-estima. O primeiro passo é sempre aceitar que não há nada de errado em ti, não tens baixo valor, nem és inferior a nada. Simplesmente és. E vais começar a sentir-te melhor relativamente a ti própria.

Afirmação temporária para esta 1ª fase:

“Eu tenho baixa auto-estima, mas não faz mal e vou mudar a minha situação”.

Depois vem o processo específico em si de desenvolver auto-estima. E aqui é importante começares por compreender que há dois tipos de auto-estima.

A do eu separado, e a do Eu Universal.

Uma que vem da tua realidade material, outra que vem da tua evolução espiritual.

Uma do ego, e outra da Consciência.

Vamos começar pela auto-estima do eu separado/realidade material/ego.

Esta auto-estima depende daquilo que temos e alcançamos na vida. Gostamos de nós próprios pois somos capazes de fazer coisas que gostamos, temos coisas que gostamos, temos pessoas que gostam de nós, vamos onde gostamos, fazemos coisas das quais nos orgulhamos, etc.

Gostamos de nós próprios pois a vida que temos e criamos faz-nos dar um significado positivo a nós próprios.

Uma pessoa que tem sucesso na vida tem auto-estima do eu separado. Seja pelos resultados profissionais, sociais, amorosos ou financeiros que obtenha. Ou outros quaisquer.

Validação é a auto-estima do eu separado. Não há nada de errado na validação em si. O que não é saudável em termos de validação é fazermos as coisas apenas para a obtermos (dependência de um resultado), e atropelarmos os outros para a obtermos (falta de compaixão).

Como é que se desenvolve esta auto-estima do eu separado de uma forma saudável?

Há trabalho de desenvolvimento pessoal e psicoterapia a fazer. Seja qual for o caminho que escolhas, o ego (eu separado) tem evoluir e tornar-se saudável.

Há que desenvolver as capacidades necessárias para que consigas criar uma vida que te faça sentir orgulhosa de ti própria. Para que consigas alcançar o que desejas na vida, seja o que for, e que te faça sentir bem, mas que ao mesmo tempo sirva os outros. Tens de seguir aquilo que te apaixona na vida. Fazer coisas de que te sintas orgulhosa pois conseguiste-as fazer. Ter o que gostarias de ter.

Seja o que for e como for, tens de começar a viver a vida com intenção, conscientemente, definindo objectivos e entrando em acção para os alcançar!

Isso vai-te aumentar a auto-estima: alcançar coisas e mudanças difíceis. Isso vai-te fazer olhar para ti com outros olhos, não como alguém de baixo valor, mas como alguém que faz e alcança coisas difíceis. E esse sentimento é brutal!

É aquela sensação maravilhosa de “Eu consegui!!”, ou “Eu sou capaz!!”

E quanto mais fizeres isso tudo, mais essa sensação ficará instalada e integrada em ti e na tua forma e maneira de ser. Será algo constante que te acompanhará para qualquer lado, com qualquer pessoa. Passará a ser o teu estado natural de ser.

Mas para isso primeiro tens de deixar de pensar no passado e no presente, e começar a planear o futuro. Se a única coisa que fizeres for pensar nas coisas más que te aconteceram, ou nos aspectos negativos do presente, não vais chegar a lado nenhum.

Tens de planear o futuro positivo que desejas experienciar. Todas aquelas coisas que te farão gostar mais de ti própria. Seja o que for, para cada pessoa poderão ser coisas muito diferentes.

Começar a dizer sempre a verdade vai contribuir para esse processo. Mas qualquer acto de coragem faz subir a nossa auto-estima.

“Era difícil, estava nervosa, mas fiz à mesma!”

Isso é poder, e isso desenvolve auto-estima. Qualquer acto de desonestidade, manipulação ou decisão baseada em medo, são expressões de fraqueza que só aumentam a nossa baixa auto-estima e tornam o buraco mais fundo e difícil de sair de lá.

Portanto vai buscar uma folha de papel e uma caneta, e escreve as 10 coisas que quando alcançares na vida, quando fizeres ou disseres, ou seja o que for, te vão fazer gostar mais de ti própria. Não te esqueças de ter lá pelo menos um acto de honestidade total, e um acto de coragem. É difícil eu sei, mas tem mesmo de ser. Aqui não há comprimidos mágicos de transformação instantânea. A mentalidade da baixa auto-estima custa a ser mudada pois muitos dos seus aspectos são inconscientes, logo as decisões e acções têm de ser poderosas.

Uma dessas 10 coisas pode ser, estares numa relação íntima espectacular, pois isso é uma prova clara da tua capacidade natural de atrair e estimular um homem de alto nível de consciência que te adora. Se isso te fizer sentir melhor contigo própria, então deve ser um dos teus 10 objectivos.

Outra coisa que podes fazer e que te vai ajudar, é começar já a identificar e a assimilar os teus aspectos positivos e qualidades. Ou seja, vais escrever 20 coisas positivas relativamente a ti. Sejam relacionadas com o teu corpo ou aparência, sejam coisas que consegues fazer bem, coisas que tens, coisas que alcançaste, coisas que sabes, etc etc.

Aqui pode ser o curso difícil que tiraste, a média com que acabaste esse curso, podem ser os teus olhos bonitos, a tua perícia a cozinhar, seres uma pro a topar o que as pessoas estão a sentir... etc etc. Qualquer qualidade, capacidade ou resultado teu. E depois de escreveres essa lista, vamos chamar-lhe os 20+, vais agradecer a ti própria por isso tudo que desenvolveste, tens, sabes e alcançaste. E em vez de pensares todos os dias naquilo que não gostas em ti, vais escrever os 20+ todos os dias. Vais mudar a tua atenção para o teu lado positivo, e mudar para sempre a forma como te sentes em relação a ti.

E estes exercícios têm mesmo de ser feitos. Tens de entrar em acção!

Uma pessoa que tenha baixa auto-estima passou toda a vida a entrar em acção em processos que desenvolveram a sua baixa auto-estima. Tenham sido as decisões que tomou ou os seus pensamentos constantes, tudo isso criou a sua baixa auto-estima.

Portanto para se desenvolver auto-estima tem-se que fazer o que a vai fazer nascer e crescer poderosa. Só ler este texto não serve para nada. É giro, pode ser interessante ou curioso, mas ler apenas deixa tudo na mesma. Nós ficamos na mesma, a nossa vida fica na mesma. Mudança exige decisões e acções. Apenas ler, decorar, saber e pensar pode ser estimulante mas deixa praticamente tudo na mesma.

Eu não sei quem és, não sei se tens auto-estima ou baixa auto-estima. Não sei porque estás a ler este texto sequer... qual é a tua intenção ou objectivo, ou o que procuras... mas eu sei que se fizeres estes dois exercícios, irás quase instantâneamente sentir uma explosão de energia positiva em ti, por isso experimenta!!

Estas “pequenas” coisas mudaram-me para sempre, fizeram-me de facto ver livre da baixa auto-estima, insegurança e pessimismo. Desapareceram, foram-se. E se tu fizeres o mesmo, também tu passarás a sentir e a experienciar auto-estima, confiança e optimismo!

Portanto para se desenvolver a auto-estima do eu separado, a pessoa tem de começar a dizer sempre a verdade, ter actos de coragem, definir e começar a alcançar o que deseja na vida, e dar atenção ao seu lado positivo e sentir-se grata por ele.

No fundo é simples... dá é trabalho.

Agora vamos passar à auto-estima do Eu Universal.

Esta auto-estima vem de puro Amor. Directamente da energia do Amor e da Compaixão. Ao evoluir espiritualmente, ao desenvolver a sua Consciência, a pessoa passa a viver cada vez mais através de uma paz interior e energia do amor que vai depois definir aquilo que sente, pensa e faz.

Principalmente em relação a si própria.

Esta energia do Amor cria um estado de não julgamento na mente. De inteira aceitação das coisas como são, sem as criticar ou precisar de as mudar. Porque tudo faz parte do mesmo, e a um nível fundamental nada está errado ou mal, simplesmente está a meio de um processo de evolução.

Esta realização, de ligação com o Todo, surge através de constantes meditações, e uma correcta interpretação das experiências que daí podem e vão surgir.

Ao-se meditar vai-se estar a desidentificar com a realidade material, ou seja com tudo o que pode ser observado. Todos os objectos, todas as pessoas, o nosso corpo, pensamentos e emoções. Se o podes observar, então não és tu. Ou seja, tu és aquela que observa e testemunha o que se manifesta e desaparece, nada mais. Não és o teu nome, nem casa, nem dinheiro, nem carro, nem corpo, nem roupa, nem profissão, nem amigos, nem família, nem sapatos, nem telemóvel, nem pensamentos, nem necessidades, nem desejos, nem emoções...

Tu és aquele que testemunha isso tudo. És consciência. Nesse estado nem sequer há uma testemunha, apenas um acto de testemunho.

O que isto traz é uma imensa paz interior, confiança, conforto e auto-estima, que não são condicionais. Não dependem do que se passa e manifesta à tua volta. Quando estás neste estado, ou melhor ainda, neste nível de consciência, sentes mais as coisas, sejam elas boas ou más... mas tudo te incomoda menos. Seja o que for que esteja a acontecer, tu não o sentes como sendo uma parte de ti, mas como apenas algo que estás a testemunhar.

Assim sendo, e porque sentes sempre Amor dentro de ti, irás gostar de ti incondicionalmente e independentemente de tudo. Não há o mínimo esforço para teres de gostar de ti, pois é o gostar que sai naturalmente de ti. Não há qualquer julgamento nesse estado, pois não há noção de separação. Não há um “eu e o outro”. É tudo um só. Uma só força, poder, energia, inteligência, existência... um Todo onde não há nada de errado ou de mal, apenas um processo de evolução em que há aquilo que ainda não está tão bem como poderia estar. Mas está a caminho, como sempre esteve desde o início. Irás Amar naturalmente, sem escolha, pois é esse o teu estado natural. E irás amar-te a ti e aos outros de igual modo.

Esta auto-estima existe independentemente de se ser bonito ou feio, rico ou pobre, famoso ou desconhecido, de se ter algo ou não ter. É completamente incondicional.

Mas tens de meditar e estudar espiritualidade. Não dá para chegar a isto com as actividades do costume. Há um novo caminho a seguir na vida, e é aqui que a evolução a sério entra em acção.

Tanto o homem naturalmente atraente como a mulher naturalmente atraente são espiritualmente evoluídos. Têm esta capacidade de Consciência e Compaixão desenvolvida em si.

Para se experienciar e até compreender esta auto-estima do Eu Universal, a nossa dimensão espiritual tem de evoluir. Tem de ser trabalhada. Tem de haver constante meditação e estudo deste tema. Não chega meditar durante uns dias para se chegar algo e depois largar. Isto tem de ser um estilo de vida ou nada feito. O nível de consciência médio em que a sociedade se encontra vai-se sempre encarregar de te manter abaixo de onde podes realmente chegar e estar. E por isso para te manteres no nível mais elevado, tens de seguir um caminho que te permita lá estar o máximo de tempo possível.

Algumas afirmações para o desenvolvimento de auto-estima:

“Eu sou espectacular!!” nota: podes aqui substituir a palavra espectacular por qualquer uma que faça mais sentido para ti.

“Eu sinto-me confortável com os meus defeitos e fraquezas, e faço algo para melhorar esses aspectos”

“Eu adoro-me incondicionalmente!”

“Eu estou completa tal como sou”

“Eu tenho sempre o mesmo valor que todos os outros”

“Eu trato-me bem e apenas aceito o melhor para mim”

“Eu sou capaz!!”

“Eu sou Vénus, a deusa do Amor”

Usa todas aquelas que gostares e cria mais conforme te fores lembrando tendo ideias. As afirmações funcionam se forem escritas regularmente, e se enquanto as estiveres a escrever imaginares vividamente o que elas expressam e sentires as emoções de ser ou fazer o que elas expressam.

Isto é o essencial que precisas de saber para poderes começar a desenvolver auto-estima.

Acaba aqui o curso As 7 Virtudes de Vénus. Espero que tenhas gostado e aprendido algo de útil para ti. Faz e repete os exercícios sempre que puderes, e lembra-te de rever o curso de vez em quando, pois há sempre pormenores importantes de que nos esquecemos.

Obrigado por teres lido! Agora é só uma questão de tempo até seres a mulher feliz que desejas ser, e teres a relação amorosa *extraordinária* com o tipo de homem que realmente te pode satisfazer!

Qual é o próximo passo...?

Se desejas aprender mais para além das 7 virtudes, tal como:

* Mais conceitos poderosos de *atracção natural* e como ser naturalmente atraente!

* Mais segredos da *polaridade* masculino/feminino!

* Dicas para uma *linguagem corporal* mais atraente!

* Como *conhecer e seleccionar* o tipo certo de homens!

* Como criar uma *relação íntima* de qualidade!




Então tens mesmo de vir à minha próxima workshop ao vivo, INTRODUÇÃO À ATRACÇÃO!!




>> A melhor workshop de desenvolvimento humano para homens e mulheres que desejam criar uma vida amorosa **extraordinária**, de uma forma realista e autêntica.

Esta é a única workshop em que partilho o eficaz, poderoso e original processo de 4 fases do Cool Vibes para se criar uma vida amorosa **extraordinária**, e só a realizo uma vez por ano.

>> A próxima é já no dia 12 de Setembro em Lisboa, por isso do que estás à espera?

Pede-me o PDF com todas as informações enviando-me um email para
CoolVibesClub@hotmail.com com o assunto “Workshop IA – PDF” e descobre tudo o que precisas de saber para te inscreveres e participares.

Vai ser **BRUTAAAL** !! =)

Até lá, solta a Vénus que há em ti!
~ Pedro Constantino



Criador do Cool Vibes

Perguntas:

CoolVibesClub@hotmail.com

4 comentários:

Clenio (Brasil) disse...

Olá Pedro !! Olha só eu pegando carona neste post para as espetaculares mulheres... sem contar em todo esse programa Lol. Na verdade estava esperando com alegria por esse post. Tenho muito o que trabalhar essa área e já estava trabalhando seguindo outras dicas de seus posts e vídeos do youtube. Parabéns, ao que me parece esse foi o seu melhor post, e o mais completo também. Sou muito grato por ter a oportunidade de lê-lo e por ter conhecido o Cool Vibes. Grande Abraço

venus disse...

Nunca pensei que desenvolver auto-estima passasse por dizer a verdade...fiquei surpreendida, até mesmo com o facto de teres escrito sobre como alimentar o ego...lol
Ainda assim, consegui compreender que alcançar objectivos não é o objectivo, mas sim não precisar de os alcançar para me sentir bem, não depender de resultados.
É também visível a diferença entre a utilidade do desenvolvimento pessoal e da evolução espiritual!
Foi óptimo acompanhar estas 7 virtudes, beijos

Cláudia Nóbrega disse...

Olá Pedro!

Gostei muito deste curso "As 7 Virtudes de Vénus" foi, sem dúvida, muito enriquecedor, uma vez que dá informações extremamente úteis e práticas.

Quanto à auto-estima considero que uma das formas mais eficazes de desenvolver e/ou reforça-la é através do auto-desafio, ou seja, devemos desafiar-nos constantemente.

Nós somos seres humanos poderosos e conseguimos enfrentar qualquer desafio. Quando nos percebemos disso é inevitável que nos sintamos muito bem :)

Pedro Constantino disse...

Obrigado a todos pelos vossos comentários e por terem acompanhado este curso! Estou agora a trabalhar na versão em ebook, que para além das 7 virtudes tem também os 8 melhores e mais importantes posts do Cool Vibes para mulheres. Espero que este curso vos tenha ajudado nalgum aspecto, e muito mais está para vir...