AMOR

"Ensina só Amor, pois é isso que tu és"

sábado, 13 de junho de 2009

“As 7 Virtudes de Vénus, parte 2: Como Ser Uma Mulher Interessante Que Vive as Suas Paixões”



Hey, bem-vinda à segunda parte do fantástico programa do Cool Vibes só para mulheres, sobre atracção natural, AS 7 VIRTUDES DE VÉNUS!




Se és uma mulher e estás farta dos problemas, desilusões, mentiras, inseguranças, dúvidas e sofrimento do costume na tua vida amorosa, e desejas encontrar, conhecer e atrair o tipo de homem que te pode de facto trazer a intimidade, o divertimento, as conversas e a ligação profunda que realmente desejas, então este programa é para ti!

Antes de partilhar contigo qual é a 2ª virtude da mulher naturalmente atraente, certifica-te de que já sabes qual é e como desenvolver a primeira virtude aqui:
http://coolvibesblog.blogspot.com/2009/06/as-7-virtudes-de-venus-parte-1-como-ser.html

E se desejas saber de todas as novidades relativamente a este programa e ainda não fazes parte da mailing list do Cool Vibes, então envia-me agora um email para
CoolVibesClub@hotmail.com com o assunto “Lista Cool Vibes” e passarás a receber as notícias importantes do Cool Vibes por email.

Nota: a tua informação não será partilhada com ninguém.

E agora sem mais demoras, vamos passar para o que realmente interessa!


AS 7 VIRTUDES DE VÉNUS

2 – Paixões & Interesses

A mulher naturalmente atraente tem paixões e interesses na vida.

O que isto significa?

Significa que a mulher naturalmente atraente é interessante. E uma pessoa interessante é uma pessoa interessada. Interessada em uma ou mais áreas e actividades humanas, que adora explorar e descobrir. E durante essa apaixonada exploração e descoberta, ela aprender coisas novas e tem coisas novas para falar. Ela torna-se assim interessante, porque tem interesses na vida sobre os quais falar. Coisas curiosas ou engraçadas, lições importantes, temas fascinantes que adora.

Se a primeira virtude dá à mulher uma vida mais divertida, com variedade e certas qualidades sociais de interacção, esta segunda virtude dá-lhe profundidade. Torna-a única, alguém com quem se pode ter conversas estimulantes e diferentes. E isso é algo que o homem naturalmente atraente adora. Conversas mais superficiais e meramente divertidas são excelentes, mas só isso não chega. A vida tem uma riqueza muito mais profunda, e por isso a diversão e entretenimento deve ser equilibrado com a profundidade. É com o equilíbrio entre variedade e profundidade que se pode criar uma ligação altamente estimulante.

Sim, esta é a solução relativamente aquilo que se pode chamar de futilidade e grandes secas.

Se desejas conhecer e ter uma relação com um homem interessante, tens de primeiro te tornar numa mulher interessante. Isso não tem nada a ver com a tua aparência, mas sim com os temas que te fascinam e as actividades que adoras. O homem naturalmente atraente segue o seu caminho e paixões, e dedica-se aos seus interesses. Logo ele procura alguém com quem possa PARTILHAR tudo isso que o fascina e enche de energia. Se não puder criar uma ligação com uma mulher através disso, ele sente-se desmotivado e afasta-se. Não há compatilidade nesse contexto. E não interessa o quão bonita e divertida a mulher é, isso é óptimo e o homem naturalmente atraente irá sempre dar valor e apreciar isso, mas ele deseja uma relação completa, uma mulher que o estimule a todos os níveis, logo faltando uma das partes a ligação nunca será tão profunda com ele. Muito menos se transformará numa relação íntima ou aventura romântica.

É importante que percebas que não há absolutamente mal nenhum em não se ser uma mulher interessante. Nenhuma mulher tem de ser interessante. Mas lembra-te que eu estou aqui a falar no contexto de criar uma vida amorosa extraordinária, e não apenas em arranjar um homem qualquer. Arranjar um homem qualquer é fácil, eles andam por aí às centenas de milhares, a questão é que não tendo uma ou mais das 7 virtudes de Vénus, irás atrair homens que te irão estimular menos, e ter ligações e relações menos estimulantes também. Não haverá nada de extraordinário... será a dor de cabeça do costume.





Mas o que significa na prática ter paixões e interesses?

É simples. Significa que tens coisas sobre as quais gostas de ler e aprender, e/ou coisas que adoras fazer. Seja o que for. A regra aqui é só uma: é o que te fizer sentir melhor e mais te fascinar. Mas tem de ser algo que adoras fazer pelo prazer em si de fazer, e não por um potencial resultado que possa surgir depois de o fazeres. Muito menos algo que fazes para os outros saberem ou verem, e assim depois obteres deles validação e atenção.

Fazes pelo prazer em si de fazer, porque enquanto o fazes sentes-te espectacularmente bem, cheia de energia, preenchida, estás em êxtase e o tempo parece que desaparece...

E pode ser algo que ninguém sabe que fizeste.

Vou-te dar vários exemplos:

Nota: Atenção que isto não são coisas de que tens de gostar, são apenas exemplos de coisas que podem ser paixões e interesses, para perceberes melhor do que estou a falar.

Uma paixão pode ser desenvolvimento humano. Logo podes ler sobre esse tema (livros, vir ao blog do Cool Vibes...), praticas esse tema fazendo exercícios e aplicas os conceitos na tua vida e dia-a-dia, vais a eventos e workshops, fazes cursos, etc. Mergulhas nesta área e dentro do que é possível fazer, fazes o que consegues.

Mais paixões: fotografia, pintura, desenho, escrever, um determinado desporto ou actividade física, yoga, dançar, música, cinema, animais, a Natureza, flores e plantas, design, decoração, etc, etc.

Se já tens e sabes qual é, excelente. Estás no caminho certo.

Mas se não tens e ainda não sabes qual é, então tens de descobrir algo que de apaixone e fascine na vida. Nem que seja observar as nuvens e escrever poemas sobre isso. Não interessa. Aqui não se trata de fogo-de-artifício para os outros verem, trata-se das emoções estimulantes que te percorrem o corpo. Não é para os outros verem ou saberem, é para tu sentires e experienciares.

E depois, claro, vão haver interacções e conversas nas quais esse tema surgirá naturalmente, e nesse momento estarás a ser uma mulher interessante. Porque te interessas por algo que te apaixona, e tens algo especial para partilhar com o homem dos teus sonhos. Estarás a estimular a outro nível que não apenas físico ou superficial.





Porque é esta virtude importante e o que acontece se não a desenvolveres?

Acho que já percebeste porque é importante, e parte da consequência negativa também já deves ter percebido qual é. Tens de ter em mente que o homem naturalmente atraente vive as suas paixões, tem interesses na vida, e não os vai deixar por nada nem ninguém. Logo, apesar de ter os momentos íntimos e de convívio com a mulher que adora, ele terá sempre uma vida para além disso. E tu como mulher também tens de ter. Tens de ter as tuas actividades estimulantes independentes dele. Coisas que fazes quando não estás com ele, que te fazem sentir tão bem que até quase que te esqueces dele.

Se o homem naturalmente atraente se apercebe que determinada mulher nunca o deixará viver e fazer aquilo que o preenche e dá significado à sua vida, ele nunca irá ter nada com ela. Ela tem sempre de ser compatível com o seu caminho, assim como o homem tem de ser compatível com o teu caminho. Não se trata de adaptações, mas sim de selecção. Ou há sintonia e harmonia, ou há problemas, porque é cada um a puxar para o seu lado e a impedir o outro de viver em paz, de ser como é e de fazer o que adora. Acho que é bastante claro que assim não funciona. Até porque quando há adaptações (assim como manipulações), não estamos a ser autênticos nem íntegros... e adivinha o que isso atrai e mantém na nossa vida: pessoas falsas e não-íntegras. E isso não tem nada de extraordinário, pois não?

Tendo paixões e interesses terás sempre algo para fazer que te faz sentir bem, mesmo quando estás sozinha. Deixas de depender da companhia dos outros para te sentires bem, e passas a ser mais independente emocionalmente. Sabes-te entreter e estimular sozinha, e isso é fantástico. Não tem nada a ver com deixar de estar com as pessoas, trata-se de integrar na tua vida uma área diferente. Tens os teus momentos de convívio, diversão e variedade... assim como tens os teus momentos de independência e profundidade. E isso só te torna mais atraente e capaz de ter mais felicidade e satisfação na vida.

Agora, há pouco tempo apercebi-me de uma coisa relativamente ao que define um interesse ou paixão. É que não pode ser meramente uma actividade de consumo. Não pode ser meramente ver televisão, ver filmes, ouvir música, ler livros, beber álcool (ups!), ir a festas, receber massagens, etc. Isso não é o que pretendo aqui definir como paixões e interesses. São coisas que não têm mal nenhum e podes fazer equilibradamente. Mas tratam-se de actividades de consumo, em que algo te está a estimular e não precisas de fazer grande coisa. Algo já criado está à tua frente a funcionar e a ter um efeito em ti. Podes ter desses interesses (música, cinema, etc), mas tens também de ter daqueles em que de alguma forma estás a criar algo.

Em vez de apenas ler... escreve.

Em vez de apenas ir ver exposições de arte... pinta ou desenha.

Em vez de apenas veres filmes... começa a ir a aulas de representação ou a ler sobre cinema e mergulhar nessa área, para ires descobrindo as curiosidades e coisas engraçadas.

Em vez de apenas ouvires músicas no aleatório do Windows Media Player, ou do mp3, ou do Ipod... lê sobre música, ou aprende a tocar um instrumento musical... ou dança.

Desenvolve uma curiosidade natural pelas coisas, que te faça querer saber mais sobre um artista, sobre um estilo de música... e experimenta fazer algo relacionado, se possível.

Se a tua paixão for pegar nas tuas roupas e dar-lhe o teu toque pessoal... com uma tesoura, ou cosendo-lhe coisas novas e diferentes, então óptimo! Estás a criar... e se leres revistas ou livros sobre moda... melhor ainda!

Qualquer coisa serve. Desde que adores fazer ou descobrir mais sobre, que possas também fazer sozinha, sobre a qual possas falar, e que envolva de alguma forma criação e não mero consumo.

Agora, isto não quer dizer que não possas apenas ouvir música ou ver filmes. Nada disso. Tu é que sabes em que área mais desejas mergulhar. Tu é que sabes a que te render e abrir, e sentir dentro de ti as emoções que desejas sentir enquanto o fazes. Se não for a música, por exemplo, então ouve apenas música. Mas procura descobrir algo que envolva uma parte de acção e criação. Dançar já é criação. Meditar ou fazer yoga já é criar. Tirar fotografias a paisagens e pessoas já é criar.







Então e como é que se descobre paixões e se torna assim interessante?

Mais uma vez o processo passa por planear conscientemente o passo seguinte. Vai buscar uma folha de papel e uma caneta, pois vais precisar de escrever.

Pensa nas coisas que mais gostas de fazer. Que temas, áreas ou actividades de atraem?

Que coisas fazes, que fazem o tempo parecer desaparecer ou passar mais rápido? Estar com alguém não conta neste contexto. Tem de ser algo que fazes sozinha.

O que mais gostavas de fazer quando eras criança?

O que gostarias de começar a fazer mais ainda não te decidiste a fazer?

Que actividade/s mais te preenchem e deixam satisfeita e bem disposta?

Escreve tudo o que te vier à cabeça. Todas as ideias são importantes, independentemente do muito simples ou loucas que te possam parecer. Uma ideia irá inspirar-te para a próxima, e ajudar-te a chegar onde desejas.

Assim que sentires que descobriste a tua paixão, é entrar em acção e começar a ler sobre isso e a fazer o que for possível fazer. É dedicar-te a ela pelas emoções que ela te traz e faz sentir.

Se tiveres de começar a experimentar áreas, temas e actividades diferentes para perceberes do que realmente gostas e o que te apaixona na vida, então faz isso.

Assim como na primeira virtude, uma ferramenta muito útil que te vai ajudar na tua transformação interior são afirmações. Vou dar-te aqui alguns exemplos. Usa-os, mas lembra-te também de escreveres as tuas próprias afirmações que sentes que têm mais a ver com a tua situação pessoal e o que pretendes alcançar.

Como funcionam as afirmações? Repetição e visualização. Ou seja, tens de as escrever, ou pelo menos ler, todos os dias ou sempre que possível, e imaginar vividamente o que elas descrevem. As afirmações ajudam-te a direccionar os teus pensamentos e decisões, e a fazer sentir-te da forma que mais rapidamente te fará mudar e chegar onde desejas.

Um exemplo de afirmação para esta virtude é:

“Eu sou uma mulher interessante que vive as suas paixões!”

Ou então...

“Eu sei quais são os meus interesses e dedico-me a eles apaixonadamente!”

“Eu tenho sempre tempo e energia para fazer o que mais gosto”

“Eu atraio homens interessantes com quem tenho conversas estimulantes”

Não há um número ideal de afirmações para usar, por isso usa a quantidade que sentires mais útil para ti.

E relativamente a esta virtude é isto. Ter paixões e interesses na vida... gostar de aprender e ler sobre algo... gostar de fazer algo... pelas emoções que gera em ti, e não pela opinião dos outros. Algo que possas fazer sozinha e que te deixa altamente estimulada e cheia de energia.

Serás assim uma mulher interessante que atrai homens interessantes. Com quem se pode ter conversas interessantes, com quem se pode aprender algo. Alguém com profundidade que tem algo que adora na vida... e partilha essas emoções com quem se cruza na vida.

Ler e saber isto apenas não chega. Tens de entrar em acção. E não será à primeira que tudo ficará resolvido e desenvolvido... é um processo constante de tentativas e dedicação, que irá sempre trazer a felicidade, mudanças e resultados desejados, mas que leva o seu tempo.

Até à próxima virtude, segue as tuas paixões e sê FELIZ!
~ Pedro Constantino

Perguntas:

CoolVibesClub@hotmail.com

A seguir em “As 7 Virtudes de Vénus”: Um Caminho de Evolução!



3 comentários:

PedroXeneta disse...

ACÇÃO! ACÇÃO! ACÇÃO!





(esta sempre para mim também! :) )

venus disse...

Em vez de ler, segui o teu conselho e comecei a escrever, criei um blog fechado que funciona como um diário pessoal, acho que será útil para a minha evolução, na medida em que ajuda no meu auto-conhecimento.

Pedro Constantino disse...

Vénus:

Isso é óptimo. Cada pessoa terá claro a sua forma de abordar a questão, e se sentes que esse blog te vai ajudar então é isso mesmo que deves fazer. Já tens o nome certo e tudo! ;)