quarta-feira, 29 de abril de 2009

“O Que Fazer Relativamente ao Ego Humano, Como Se Ver Livre dos Seus Bloqueios e Sofrimento, Evoluir e Contribuir para o Todo”

“O Que Fazer Relativamente ao Ego Humano, Como Se Ver Livre dos Seus Bloqueios e Sofrimento, Evoluir e Contribuir para o Todo”


Hoje é o dia da grande solução.

Como é que se deixa de ser bloqueado pelo ego? O que se tem de fazer para se livrar do sofrimento por ele causado?

Como é que a evolução a sério começa de facto a acontecer, e se passa a contribuir para o Todo?

Nos últimos 3 posts partilhei contigo vários aspectos diferentes do ego humano:

O que é, como funciona e qual é o problema;

As 10 formas mais comuns como se manifesta e expressa na vida em geral;

Como afecta e prejudica a vida amorosa e relação com o sexo oposto.

Se ainda não leste algum dos posts anteriores, é importante que os leias ou não irás perceber este post na sua totalidade.

Em vários posts anteriores eu disse coisas como “matar o ego”, “eliminar o ego”, ou “mandar o ego para o caixote do lixo juntamente com as cascas de banana e os pacotes de leite dobrados”. É importante que percebas que eu usei essa linguagem mais agressiva e cómica para chamar à atenção para a questão do ego: que algo tem mesmo de ser feito de forma radical e intencional.

Mas a solução não é eliminar o ego. Na Verdade há duas coisas a fazer em relação ao ego: torná-lo saudável e transcendê-lo.

Portanto a solução não é eliminar o ego, é eliminar o controlo que ele tem sobre nós. Isso é que tem de ser eliminado, não o ego em si. Porque não há nada de errado no ego em si. O único problema que existe é quando o ego nos controla, quando nos identificamos com ele. Quando pensamos que somos apenas este eu separado, material, mental e emocional, que está sempre à mercê de tudo o que se manifesta à sua volta.

Não há nada de errado com o ego humano em si, ele é apenas um animal selvagem perdido, que vive em constante sofrimento, e que precisa de ser domesticado e direccionado. Só o ego pode ter algo contra o ego... só o ego pode sentir raiva e ódio em relação ao ego... só o ego pode querer eliminar o ego porque é aquela coisa, aquele inimigo que anda a causar todo o sofrimento que ele sente, e ele quer ver-se livre disso tudo.

Quando o ego se apercebe da sua existência e do que anda a fazer, vai-se julgar a si próprio e odiar-se, tipo macaco a olhar-se ao espelho.

E é óbvio que isso nada tem a ver com a solução.

Vamos então falar do que concretamente se tem de fazer:

Uma das coisas é tornar o ego saudável. E tornar o ego saudável pode-se chamar de desenvolvimento pessoal. Isto trata-se de evoluir mentalmente, físicamente e emocionalmente. E este é o típico trabalho que se faz em workshops de desenvolvimento pessoal. Aprende-se a usar melhor a mente para se alcançar objectivos e para pensarmos sobre tudo de uma forma mais positiva, aprende-se sobre as emoções, como nos sentirmos mais motivados, como criar em nós emoções que desejamos sentir através da mente e do corpo, aprendemos sobre linguagem corporal, etc, etc. Fazemos o nosso eu separado evoluir e crescer, aprendendo a usar melhor as suas 3 dimensões, e o seu potencial para nos sentirmos melhor, termos o que desejamos, etc, etc.

Outra parte importante de tornar o ego saudável é a psicoterapia. Isso ajuda-nos a olhar-mos para nós próprios honestamente e vermos aquilo que de facto está mal e tem de ser corrigido ou modificado. Seja o significado que damos a certas experiências, seja a imagem que temos de nós próprios, a forma como vemos os outros, o mundo e a vida, etc. A dimensão mental aqui é trabalhada para que não hajam dinâmicas disfuncionais que nos prendam ou prejudiquem os que nos rodeiam.

Agora, eu não estou a dizer que tens de fazer psicoterapia. Se te sentires motivado a fazer ou se sentires que precisas de fazer, faz. Caso contrário não tens de fazer, pois eu também nunca fiz. Se fores honesto contigo próprio e identificares que estás errado em algo ou que estás mal e muito pouco desenvolvido em algo, então irás conseguir fazer esse trabalho sozinho. Os primeiros passos em termos de desenvolvimento pessoal sério, são um pouco isso. Vemos que somos uma desgraça em determinada área (como eu era na área amorosa e social, por exemplo), aceitamos isso, assumimos a inteira responsabilidade disso estar assim e de o mudar, e entramos em acção num processo de estudo e desafio constantes.

Isto torna o eu separado, ou ego, saudável, sem grandes pancas, bloqueios, problemas, tristezas, inseguranças, etc. Um ego saudável consegue funcionar bem na vida, integra-se bem na sociedade, é normal, alcança objectivos, muda as suas circunstâncias, tem sucesso, torna-se milionário, torna-se famoso, bate um recorde mundial, etc.

Mas continua a sofrer.

Não interessa a quantas workshops de desenvolvimento pessoal vais pular, gritar e celebrar, não interessa os PNLs que aprendas, os coachings e terapias que faças... não interessa a quantidade de dinheiro que ganhes, a quantidade de amigos que tenhas, a quantidade de coisas que alcances na vida, o sucesso que tenhas na vida, a quantidade de sexo que faças, o positivo que sejas, as 1001 ferramentas e bengalas emocionais que tenhas e uses...

Quando chegar o momento difícil, vais sempre sofrer. Quando chegar o desafio a sério, vais sempre sofrer. Quando chegar o problema grave, vais sempre sofrer. Quando perderes algo ou alguém que adoras, vais sempre sofrer. Palavras vão-te continuar a afectar. O ego vai-te continuar a pregar rasteiras... irás reagir a tudo o que se manifestar à tua volta... tudo te irá incomodar e controlar. Continuarás viciado e agarrado às mesmas coisas...

Porquê?

Porque continuas identificado com o bicho (ego). E o bicho continua a ter necessidades e desejos, medos, e está sempre preocupado consigo próprio, e ele sozinho não se consegue colocar no lugar dos outros e ter verdadeira Compaixão, logo as desonestidades, manipulações, cenas de controlo, e decisões que prejudicam os outros vão continuar. Vão continuar a haver discussões, conflitos e guerras porque “sou eu separado de ti e sou eu contra ti e só um pode ganhar, e eu quero ganhar!”.

Tornar o ego saudável é importante pois permite-nos lidar com o mundo material o melhor possível. Permite-nos tirar dele e criar nele o melhor possível em todas as áreas. Desenvolvimento pessoal é parte da equação.

A segunda parte da equação é transcender o ego. Isto significa que nos deixamos de identificar com ele, logo deixamos de ser controlados por ele. As coisas deixam de nos fazer sofrer e de nos condicionar.

Para se transcender o ego é preciso haver evolução espiritual. É preciso trabalhar a nossa dimensão espiritual. Tanto estudar espiritualidade como meditar são duas práticas essenciais.

Isto funciona mais ou menos assim: somos controlados pelo ego (eu separado) pois identificamo-nos com ele. Identificamo-nos com ele pois não temos a nossa dimensão espiritual (eu Universal) trabalhada e desenvolvida para nos identificarmos com ela, que é o que realmente somos: a Testemunha. Temos um corpo, mente, emoções e vida, mas não somos nada disso. Nós somos a Consciência que testemunha todas essas manifestações no mundo material do eu separado.

As coisas deixam de nos incomodar e fazer sofrer pois estamos desidentificados com tudo. Sentimos mais as coisas pois estamos abertos a tudo e vemos tudo pelo que realmente é... se é bom sentimo-mos ainda melhor (prazer), se é mau sentimo-nos ainda pior (dor), mas não há sofrimento pois estamos meramente a observar o que se está a manifestar. As emoções não nos controlam nem têm um efeito a longo prazo. Seja o que for que aconteça, sentimo-lo e vemo-lo pelo que é, mas não nos faz sofrer.

Passamos a viver a vida de uma forma mais completa, integral e consciente, dedicando-a ao Todo, e sempre tratando equilibradamente do nosso eu separado.

Surge uma natural e verdadeira consideração pelos outros, uma despreocupação saudável em relação a resultados, passa-se a “ver” e a “perceber” coisas que a maior parte das pessoas nem sonha, tudo acontece no contexto da partilha e da contribuição, a energia do Amor está sempre presente, sempre “ligada”, e mais uma série de coisas diferentes do género.

É fácil perceber e saber qual é a grande solução para o ego humano, aplicá-la é que é mais complicado. Fazer o eu separado evoluir já é difícil, mas mais difícil ainda é transcendê-lo. Aí é que os desafios a sério começam. Transcender o ego é na sua essência sentirmo-nos confortáveis com qualquer coisa que aconteça no mundo material, seja ela qual for. Seja dor, problemas, perdas, rejeição, solidão, medos, doenças, a falta de algo, etc, etc.

Lembra-te que o Super-Homem é o Super-Homem não porque se consegue desviar das balas, mas porque uma vez atingido em cheio por estas, elas não o afectam. Agora, não é por causa disso que o Super-Homem se mete intencionalmente à frente das balas. Mas ele está disposto a levar com elas por contribuição. Pelo Todo. Por valores e princípios espirituais como a Autenticidade, a Integridade e a Compaixão.

Isto significa que ser Autêntico não te garante ser aceite por todas as pessoas, serás sempre rejeitado. Mas para o espiritualmente evoluído isso é irrelevante, ele não tem essa fraqueza, ele não tem esse medo de ser rejeitado. Para ele isso não tem qualquer impacto. Para ele é mais importante ser ele próprio, ser Autêntico e contribuir para o Todo. Neste caso para a percentagem de pessoas autênticas e não para a de pessoas falsas. E como consequência positiva será rejeitado pelas falsas e irá atrair as autênticas.

Só transcendendo o ego se consegue tomar uma decisão que pode magoar o ego ou fazê-lo perder algo, mas ao mesmo tempo fazer o Todo, ou a outra pessoa, ganhar algo.

Este é um caminho de guerreiro no qual só se verdadeiramente avança se se estiver disposto a ir frente até às últimas consequências.

É um trabalho difícil e pesado, no qual não pode haver desculpas, hesitações, brincadeiras ou as tretas do costume. É dar o passo difícil em frente ou continuar na mesma.

Mas é possível para ti e para todos, é apenas uma questão de querer. Está ao alcance de todos. Tudo aquilo de que precisas já existe em ti, só tens é de aprender a alcançá-lo e a usá-lo.

Para acabar, tudo afecta o ego (eu separado). Se é bom controla-o e ele não consegue resistir, e vai fazer tudo para o obter (desonestidade, manipulação e prejudicar os outros ou a si próprio incluídos). Se for mau vai fazê-lo sofrer, ele não tem escolha. E neste caso pensar positivo, afirmações, visualizações, PNLs e outras coisas do género para pouco ou nada servem. Servem sim para fazer o ego evoluir e torná-lo capaz de criar uma realidade mais agradável a maior parte do tempo. Fazer certas coisas boas acontecer e alcançar certas coisas, para se sentir bem ou melhor.

Transcender o ego vai fazer com que nós deixemos de precisar das coisas, e passemos a não sofrer por causa delas. Isto não quer dizer que não as tenhamos, quer dizer sim que as vemos de outra forma, e que não negligenciamos nada nem ninguém por elas. O Todo passa a estar sempre em consideração, logo os outros também. Ter ou não ter algo não nos incomoda a um nível profundo. Seja bom ou mau o que aconteça, não nos controla. Sentimos o que é pelo que é, mas não nos controla nem incomoda. Passamos a ser testemunhas das emoções, e não as emoções.

Porque é isso que todos nós Verdadeiramente somos: a testemunha. A Consciência que escreveu este texto e que a está a ler agora. Nós somos o Todo. A vida do eu separado é uma espécie de sonho do qual temos de acordar. Temos não como regra imposta, mas como solução para acabar com o sofrimento. Quando à noite vamos dormir e sonhamos, depois acordamos, e tudo o que aconteceu durante o sonho desaparece e deixa de nos afectar. Isto é muito semelhante a transcender o ego. Passamos a viver numa outra realidade, na qual coisas fantásticas são possíveis.

Perguntas:
CoolVibesClub@hotmail.com


Obrigado por teres lido,
Pedro Constantino

28 comentários:

Kohinoor disse...

Boa mensagem, meu ser holonico consciente (private ken wilber's joke :P)
O cool vibes toca muita na honestidade e isso é fundamental, é algo que está sempre a criar desafios, que levam à evolução.

E quando falaste sobre transcender o ego, fez-me lembrar a frase do Peaceful Warrior -
"A warrior does not give up what he loves, he finds the love in what he does"

Abraço!

Anónimo disse...

ou seja, transcender o ego é não querer saber de si para nada...

Marco Aurelio disse...

Hey Pedro,

A sequencia de post sobre EGO foi para mim um verdadeiro aprendizado. Eu acreditava que apenas evoluir o EGO já seria suficiente, mas percebo agora que é preciso ir mais além do que isso.

Agora, uma dúvida surgiu: como evoluir espiritualmente?

Ou melhor: que caminhos seguir visto que tudo que precisamos para este processo já temos em nós mesmos?

Pedro, parabéns pelo projeto CoolVibes. Obrigado por compartilhar conosco todos esses conhecimentos.

Abraço e sigamos nossas paixões!

Marco Aurélio - Brasil

Angela Maria disse...

Parabéns pelo texto!

:)

mikeb disse...

Oi pedro

Estive a ler este post e realmente há muita coisa que não consigo entender, e que para mim é muito confuso.. O que é meditação? É estar parado a pensar, reflectir? Mas com que objectivo, para que serve a meditação? Dizes que a solução é meditar, não compreendo isso.

"A Consciência que escreveu este texto e que a está a ler agora. Nós somos o Todo." Estamos todos ligados? Isto parece ser um bocado esotérico, mas eu sei que isto é a minha perspectiva. No entanto em posts anteriores falas que para se evoluir é preciso não necessitar dos outros para se fazer o que se quer; o que dizes nesta frase da consciencia é que estamos todos ligados e devemos ter compaixão por todos, mas sem precisar dos outros para fazer o que se quer?

É que, esta é a minha opinião, quando vejo qualquer coisa sobre a "consciencia" e "estarmos todos ligados" tem sempre uma conotação esotérica, e eu mesmo lendo aqui no teu blog (o que és muito directo e prático) continua-me a soar muito esotérico e sem perceber realmente o que isso significa.. Conseguirias simplificar ainda mais esse conceito de "consciencia" e "nos somos o todo"?

Forte abraço

Pedro Constantino disse...

Kohinoor:

Gostei dessa do "ser holónico consciente" lol mas continua-se a caminhar nessa direcção.

E muito boa a frase do Peaceful Warrior, é um livro e filme que aconselho vivamente. Tem tudo a ver com seguirmos as nossas paixões, independentemente de resultados. Fazer pelo prazer de fazer, por paixão, e não por um potencial resultado ou algo que se possa ganhar depois.

Grande abraço!

Pedro Constantino disse...

Não. Transcender o ego é querermos saber de nós próprios e dos outros. Só podemos contribuir se existirmos e tivermos condições para isso... logo temos de tratar de nós primeiro (evolução) e depois dedicamos o nosso caminho aos outros (ao Todo). Só o ego é que apenas quer saber de si próprio ou de alguns mais próximos.

Pedro Constantino disse...

Marco Aurélio:

Evoluir espiritualmente é na sua essência meditar, estudar princípios espirituais e aplicá-los no dia-a-dia.

Meditar é a actividade de não pensar. De estar presente no momento. De silenciar a mente. É assim que nos colocamos na nossa dimensão espiritual de testemunhas do mundo material. E quantas mais vezes fizeres isso mais Consciência irás desenvolver em ti. Consciência é a capacidade de estar presente no momento, e isso traz depois no dia-a-dia, trabalho, relações, vida social, uma série de benefícios.

Estudar espiritualidade é ler livros sobre isso. Pode ser a Profecia Celestina, o Peaceful Warrior, livros do Deepak Chopra, etc.

Aplicar princípios espirituais na nossa vida material é por exemplo ser sempre Autêntico e Honesto, não viver dependente de resultados e fazer as coisas pelo prazer de as fazer e por contribuição/evolução, seguir um caminho íntegro, etc.

Obrigado pelas tuas palavras e comentário, e por teres lido os posts.

Grande abraço!

Pedro Constantino disse...

Angela Maria:

Obrigado eu por teres lido! :)

Pedro Constantino disse...

Mikeb:

É muito difícil explicar-te algo que só compreenderás depois de o experienciar. Meditação e Consciência são coisas que se experienciam, não dá para te colocar o conceito na cabeça antes de o fazeres. Mas vou tentar responder à tua questão.

Há vários tipos ou formas de meditação, mas na sua essência trata-se de nos colocarmos na nossa dimensão espiritual "saindo" das outras. Ou seja, estás parado sem fazer nada e não estás a pensar em nada. Meditar tem muitas vezes o significado errado de ser um processo de reflexão. Não é um processo de reflexão porque toda a reflexão é mental, é uma experiência mental com pensamentos, nada tem a ver com uma experiência espiritual. Meditar é sem dúvida NÃO PENSAR. Sair da mente, silenciá-la, vir para o momento presente. Podes começar por dar atenção à tua respiração ou a algo à tua volta (sons, luzes, cores, etc). Ao início é difícil pois estamos ultra mega habituados a estar sempre a pensar em algo, mas é possível com muito treino regular. E quando consegues silenciar a mente estás a meditar e estás na tua dimensão espiritual.

Não precisar dos outros é precisamente o que nos permite ter Compaixão por eles. Não precisar não significa não gostar deles ou não estar com eles, significa que não os vamos requisitar a toda a hora sempre que precisamos, e que não lhes vamos cobrar ajudas, favores, validação, atenção, etc. Se estamos sempre à espera dos outros para nos acompanharem, ou pior, para fazerem as coisas por nós, nunca iremos evoluir e tornarmo-nos independentes porque estaremos a ser a criança que nunca transcendeu a necessidade de ser apoiada pela mãe ou pai. Nós somos os únicos responsáveis pela nossa vida, realidade, caminho e tudo o que desejamos ter e experienciar. Somos nós que o temos de criar com as nossas decisões conscientes e qualidades. Portanto vamos nós fazer algo para que o que desejamos aconteça, e não vamos ficar à espera que os outros, que também têm uma vida, nos venham fazer as coisas por nós. Uma vez que somos responsáveis pela nossa vida e independentes, temos Compaixão pelos outros e procuramos contribuir para as suas vidas. Uma coisa não anula a outra. Não precisar dos outros não significa não querer saber dos outros. Significa não vê-los como uma ferramenta humana que nos arranja algo, mas como um Ser com vontade e vida própria que está a seguir o seu caminho, tem direito a ser livre, e que é uma oportunidade de contribuição. Deixamos de precisar dos outros e de "gostar" deles porque nos fizeram algo que precisavamos, e passamos simplesmente a Gostar deles mesmo que não façam nada por nós. Porque a responsabilidade é apenas nossa, não deles. Acho que a confusão surge porque a maior parte das relações, e a razão pela qual grande parte das ligações entre pessoas acontecem, dão-se por necessidade, por precisarem uma das outras. E nesse contexto, não precisar dos outros é o mesmo que não querer estar com eles. "Se eu não preciso nada dele, porque raio é que vou estar com ele?".

Estas são as típicas relações "negócio de validação/sexo/companhia/atenção/apoio/ajuda/favores". Entra-se nesse tipo de relação para se obter e não para se partilhar e contribuir. Este é o tipo de relações que os egos têm entre si. Para os espiritualmente evoluídos, que não têm um vazio interior para preencher nem os 1001 problemas emocionais que isso traz, não precisam de ninguém para nada. Eles AMAM todas as pessoas e procuram trazer um pouco de Luz (emoções positivas) aos outros. As relações existem não porque precisam de algo do outro, mas porque há uma dinâmica de partilha e contribuição. O Eu não quer ganhar ou obter nada, quer partilhar. Quer dar. Quer criar momentos e experiências estimulantes para os outros.

Infelizmente aquilo que nos pode ajudar a todos, apesar de ser a coisa mais simples e normal do mundo, tem uma conotação que afasta as pessoas dela. De facto soa a esotérico, e é verdade que nada tem a ver com o mundo material. É espiritual, e é uma experiência diferente tal como algo mental é diferente de algo físico. Mas é importante não ter uma ideia fantasiado sobre isto. Somos o Todo pois todos somos feitos do mesmo a um nível fundamental (energia, e graças aos microscópios já o conseguimos ver), e todos nós temos esta capacidade fantástica chamada Consciência que nos permite perceber melhor o que nos rodeia, perceber melhor as pessoas, perceber melhor os porquês das coisas, e tomar decisões mais acertadas no dia-a-dia. Isto não se trata de super-poderes estranhos e experiências estranhas, trata-se de nos sentirmos melhor no dia-a-dia, compreendermos melhor o que nos rodeia, viver mais confiante e em paz, ter mais energia, saber lidar melhor com o inesperado, perceber melhor como os outros se estão a sentir e daí ter mais consideração por eles, pois conseguimos desligar o barulho da nossa mente e pensamentos, e das nossas emoções, e estar mais a par do que se passa do outro lado com os outros.

Estamos todos ligados e somos todos o mesmo, mas nada de estranho se vai passar quando nos apercebemos disso. Não há explosões coloridas, nem passamos a ver o que os outros estão a ver, ou a ler a mente dos outros, ou seja o que for. Vemos todo o Universo como um Todo pois através da meditação sentimos isso. Desligando as outras dimensões, eliminas o seu barulho e fumo, e sentes algo que antes não sentias. Sentes que seja lá para onde for que olhes, estás apenas a olhar-te ao espelho, ou melhor, para ti próprio. Sentes-te cheio e completo como nunca antes te sentiste. E fica algo na tua mente depois dessas experiências. Uma nova forma de pensar, interpretar e ver tudo. Um nova forma de funcionar na vida. Não te teleportas para outra realidade, continuas na mesma, mas a vê-la e a senti-la de uma forma diferente e mais completa.

Procura meditar e estudar espiritualidade. Mesmo que te pareça esotérico e aquelas cenas estranhas e exageradas, experimenta. Só assim poderás compreender.

Obrigado pelo teu comentário e perguntas. O teu outro comentário não está esquecido, eu depois respondo à tua pergunta.

Abraço.

mikeb disse...

Sem mais nada a acrescentar, muito mais claro, não ainda a 100%, pois tal como tu dizes só vivenciando a situação.

Obrigadão Pedro!

Fábio disse...

Noooosa quanto comentáaaario !!!!Legau.. Pedro me diz uma coisa, sei que isso que pergunto parece meio análize da mente mas como esse caminho que você propõe é contínuo como avaliar se evoluiu bastante, tipo já acompanho o coolvibes a uns meses tipo seria legal atribuir algumas metas pra saber se está indo a algum lugar, tipo alguns testes, a pessoa as vezes tem um sonho, ser médico, ai ela estuda, tem festa diploma, trabalha tipo dá pra avaliar, bom isso tá demasiado complicado, tenho me sentido melhor mas algumas áreas parecem meio confusas ainda, grato desde já !!!

Danilo Macedo disse...

Olá Pedro, estou acompanhando seus textos sobre o Ego, parabéns. Para aqueles que estão confuso com todo esse caminho e quer apenas dar o primeiro passo, eis aqui: Tratar de aumentar a Auto-Estima. Que é um tema que tu sempre estás a falar, mas corriga-me se eu estiver errado, pois estou começando agora, e nada melhor que o nosso auto-conceito para mudar nossas atitudes e ver o mundo de uma outra forma, primeiramente. Vou até indicar para os interessados, um livro que estou lendo: How to Raise Your Self-Esteem (Como aumentar sua auto-estima). Um belo livro do Dr. Nathaniel Branden, que foi o pioneiro no estudo da auto-estima. Abração.

Anónimo disse...

hey pedro, eu quando estou na banheira a tomar banho e coloco os ouvidos debaixo de agua e oiço a minha respiração e coração a bater, nem preciso fechar os olhos, acho que fico bem consciente porque quando tiro me levanto parece que acordei para a realidade...será essa a sensação que temos ao meditar e conseguir silenciar a mente?

Anónimo disse...

ja iniciei há algum tempo o desenvolvimenento da minha espiritualidade e estas são algumas das noções que tenho em relação aos itens básicos que abordaste:

espiritualidade = capacidade de vibrar 100% amor

somos todos um = somos todos energia, parte integrante da energia do universo

meditar = observar sem julgar

não sei se é exactamente isto que pretendes significar, é assim que entendo e sim, acredito que realmente ajuda a transcender o ego!

Falaste também em PNL... Gostava que falasses mais dessa técnica... a ideia que tenho é que se trata de fazer afirmações e associações positivas com vista à manifestação fisica de desejos ou tratamento de fobias ou traumas... Considera que a nossa mente pode ser interpretada como se fosse um mega computador e que o que somos é fruto de programação existente nesse mega computador... PNL é uma espécie de instalação de um "software" mais produtivo por forma a fazer uma espécie de "upgrade" do software que já existe em nós e que foi sendo moldado ao longo do nosso percurso e que acaba por ser responsável pela actual vida que temos quer seja ela mais ou menos feliz, mais ou menos limitada...

Até que ponto a nossa mente pode de facto ser considerada um mega computador? Até que ponto a PNL resulta de facto? Terá tudo isto apenas a ver com a lei da atracção?

PedroXeneta disse...

Uau!!

Meditar é a essência da evolução, sem dúvida, é o auge, o top! Só mesmo experimentando!

Antes de ler estive a mandar uns sms's para fazer uma meditação em conjunto!! Tem alto poder também, juntos e unidos!

Clenio (Brasil) disse...

Olá Pedro.

Pessoalmente falando foram até agora os 4 posts que considero mais importantes. Me ajudaram muito.
Sobre meditação tenho duas dúvidas: eu conheço a de prestar atenção na respiração, ela é a melhor pra se usar mesmo? E quanto tempo mais ou menos meditar por dia? 15 min é um tempo bom ou melhor se fosse mais? Grande abraço

Pedro Constantino disse...

A melhor meditação é aquela que para ti é a mais útil e eficaz. A de prestar atenção à respiração é muito boa, e se de tem ajudado então continua.

Não há um tempo definido para meditar por dia, até porque enquanto estás a meditar não estás a pensar em "será que já passaram 10 minutos?". Sempre que tiveres tempo e motivação medita. Sejam segundos ou minutos, um pouco todos os dias é que é o importante. Não tem de ser todos os dias o mesmo período de tempo. Se for óptimo, se não for óptimo também.

Obrigado pelo teu comentário.

Pedro Constantino disse...

As tuas descrições estão correctas, é isso que significa.

Quanto ao PNL não te possa dar uma resposta útil pois não sou nenhum perito em PNL. Só o conheço suficientemente bem para ter percebido que faz parte do precesso de desenvolvimento pessoal, é útil se usares em ti próprio (afirmações, visualizações, etc), mas se usares em relação aos outros (interacções, relações, etc), para obter reacções e aprovação dos outros, é mera manipulação e faz-nos regredir na evolução.

Obrigado pelo teu comentário.

Pedro Constantino disse...

Sim, é uma sensação semelhante. Pois ao fazeres isso ficas presente no momento.

Obrigado por partilhares a tua experiência.

Anónimo disse...

isto de responsabilizar o ego pelo sofrimento e tentar transcendê-lo não é a base da filosofia/religião budista? o cool vibes tem pilares assumidamente budistas?

Pedro Constantino disse...

O Cool Vibes tem pilares em tudo o que seja útil para o desenvolvimento humano. Muitas religiões falam mais directamente ou indirectamente da transcendência do ego, e o Budismo é claro uma delas.

Qualquer tradição espiritual trata da nossa dimensão original (o que realmente somos) espiritual, e isso é sempre trabalhar algo que nada tem a ver com o ego (eu separado), mas com a Consciência (Eu Universal). Logo tem sempre a ver com transcender o ego. Não é apenas Budista, é de todas as religiões, pois a sua base é espiritual, são uma institucionalização da espiritualidde.

Pedro Constantino disse...

Danilo Macedo:

Desenvolver Auto-Estima é super importante e essencial no processo de desenvolvimento de qualquer pessoa. É umad das 20 qualidades do homem (e da mulher) naturalmente atraente.

Há uma distinção muito importante relativamente à Auto-Estima sobre a qual acho que nunca falei. É que há a auto-astima do eu separado e a Auto-Estima do Eu Universal (Consicência ou Espírito).

A auto-estima do eu separado é criada através da vida material que se tem. Tem que se ter sucesso, dinheiro, e toda uma colecção de prazeres e coisas boas que correm bem para que se tenha auto-estima. Nada de errado com essa auto-estima, mas só essa auto-estima é limitada, pois é sempre dependente de algo exterior, das circunstâncias da vida, das pessoas que surgem e que nos influenciam etc.

A Auto-Estima que vem da nossa evolução espiritual está sempre presente, e é independente da vida material que temos. É irrelevante o que acontece, o que temos ou não temos, as pessoas que surgem, essa nunca desaparece, está sempre ligada. Ter apenas a auto-estima do eu separado (que é a que o desenvolvimento pessoal ensina a desenvolver) é bom e útil, mas tanto se tem como não se tem, depende das marés do mundo manifestado e do que surge. Conseguimos bons resultados profissionalmente e tem-se auto-estima. Mas se no dia seguinte nos surgir uma doença grave, ou se formos rejeitados, ou se falharmos em algo importante para nós, lá se vai a auto-estima. Essa auto-estima é uma espécie de castelo de cartas frágil, e muitas vezes falo dela como mera alimentação do ego.

Quando se tem Auto-Estima espiritual, a Verdadeira auto-estima que está sempre ligada e presente, que vem de nos sentirmos cheios de energia e Amor, não interessa os resultados do mundo material, pois vamos sempre gostar de nós próprios e dos outros. Estamos acordados para o Todo e sabemos que somos Consciência e não o que nos acontece ou temos no mundo material.

Obrigado pelo teu comentário.

Pedro Constantino disse...

Fábio:

Perceber se estamos (ou não) a avançar no nosso processo de evolução e transformação é importante. Para o fazeres primeiro de tudo tens de te organizar. Tens de definir e escrever em que áreas da vida queres mudar e que resultados queres obter. Só assim podes olhar para o teu dia-a-dia e perceber se estás a avançar ou não. Tens de saber em que direcção desejas ir e onde queres chegar, tens de escrever isso tudo e torná-lo bem claro.

Se queres melhorar a tua vida social, então tens de escrever como gostarias que ela fosse. Assim quando começares a sentir-te melhor quando sais e as coisas começarem a acontecer, já sabes que estás a avançar. Em que áreas não estás tão satisfeito? É que temos que fazer coisas diferentes para evoluir em áreas diferentes, não é só uma prática ou o estudo de uma coisa que vai mudar todas as áreas ao mesmo tempo. Há coisas específicas da vida amorosa e coisas específicas da evolução espiritual, e outras da evolução social. Provavelmente o que tens feito tem-te ajudado em determinadas áreas pois só serve na sua maioria para essas áreas. Tens de identificar onde queres mudar e melhorar para poderes depois procurar as soluções específicas e entrar em acção de uma forma direccionada.

Não deves também ficar preocupado com a avaliação do teu avanço. Faz o que sabes que resulta para evoluires e alcançares o que desejas, e torna a prática, o caminho, no resultado em si. O caminho da evolução e uma dedicação séria a ele é o resultado em si. E enquanto estiveres nele conscientemente e intencionalmente, as coisas só podem melhorar, levem o tempo que levarem.

Obrigado pelo teu comentário.

Marco Sousa disse...

Olá,

aconselho-vos a ler o livro "Um novo mundo: despertar para a essência da vida" do Eckhart Tolle, editora pregaminho.

O Ego e isto de que o Pedro tanto fala, está lá muito presente.

Cumprimentos,
Marco Sousa

R.O disse...

o ego não é totalmente um inimigo a abater :-)
por vezes o ego dá uma forçinha interior, faz a pessoa ter auto-estima e gostar de si mesma,
faz a pessoa ter instinto de auto-defesa quando é atacada verbalmente, ou rebaixada verbalmente, etc..

nao acham? :)

R.O disse...

penso que o ser mais iluminado que esteve na terra foi Osho.
ele dizia que meditar era estar silencioso, era silenciar a mente..
porque a mente nos distrai sempre..

silenciosidade mental, é meditar.

a mente grita, o coração sussurra..
se voce calar a gritaria da mente, conseguirá escutar o coração..

Luiz Gabriel disse...

Sabias palavras! Muito disso ja faz parte da minha vida e é bom ler algo tao semelhante ao que eu sinto. saudaçoes do brasil