segunda-feira, 30 de março de 2009

"Mais Sobre Relações Íntimas, Namoro, Virgindade, Amor, Selecção Consciente De Parceiro, Níveis De Consciência, Homens, Mulheres E Atracção"

"Mais Sobre Relações Íntimas, Namoro, Virgindade, Amor, Selecção Consciente De Parceiro, Níveis De Consciência, Homens, Mulheres E Atracção"


Recebi um comentário ao post sobre o tema da virgindade que achei muito importante. Tocava em vários pontos essenciais que considero ser de interesse geral para os homens e mulheres que querem de facto criar e experienciar uma vida amorosa de qualidade, evitar o tipo errado de parceiro e subir de nível de consciência.

Lê o comentário e depois em baixo a minha resposta.

Comentário de anónimo:

"Tu não percebes muito de raparigas... uma rapariga virgem pode perfeitamente querer ter uma relação intima sem que isso signifique que tenha de haver sexo obrigatoriamente ("sem sexo apenas existe uma espécie de amizade" escreveste tu algures). essa atitude significa que uma rapariga precisa de tempo para se sentir segura e confortável com a decisão de perder a virgindade ou até mesmo de ir para a cama mesmo que já não seja virgem, precisa de confiar no homem com quem quer ter a relação sexual e sentir-se à vontade com ele, não significa que a relação seja uma espécie de amizade, significa que demora algum tempo a aprofundar a intimidade! os rapazes e os homens em geral é que não sabem pensar em mais nada a não ser sexo, não sabem gostar das raparigas e apenas as consideram objectos de prazer que têm de estar sempre disponiveis à hora e ao ritmo que eles querem e as mulheres como têm medo de ficar sozinhas acabam por satisfazer estes estupidos caprichos esquecendo-se de se satisfazem as suas proprias necessidades de serem entendidas e amadas como realmente são! para os homens só conta a "tesão", não existem homens com coração! e as mulheres deixam-se enganar, usar e manipular... virgens ou não virgens não aprendem a respeitar-se e a exigir aquilo que as satisfaz realmente. entregam-se para receber uma espécie de atenção e companhia em troca que na verdade não é real, os homens fingem que estão interessados mas o seu interesse é sempre só e apenas satisfazerem-se a si próprios!! só isso explica a eterna disponibilidade dos homens, é raro aquele que respeita o seu compromisso, a grande maioria está SEMPRE disponivel para qualquer outra mulher que conheça e as mulheres com quem estão comprometidos a fazerem de tudo para lhes agradar, para os satifazer, fazer felizes e talvez à espera de sentir que a dedicação e sentimento sejam reciprocos... inutil o esforço mulheres!!! o vosso homem não gosta de vocês!!! e se vocês se entregam assim, nem voces gostam de voces!!! tentem ser voces proprias a ver como eles reagem!!! talvez assim um dia encontrem o unico que mereça que voces gostem deles e se entrreguem realmente!!!"

A minha resposta:

É importante compreender que esse é um tipo de homem com determinado nível de consciência (baixo), não representa todos os homens.

Não há apenas homens e mulheres, há homens e mulheres com diferentes níveis de consciência, uns mais baixos, outros mais elevados, e é isso que depois define como é a sua vida e como eles se relacionam com o sexo oposto.

O tipo de homem de que falaste é o típico manipulador desonesto que não tem consideração pelas mulheres e só quer usar o seu corpo para obter um orgasmo. Não representa todos os homens ou como todos os homens são... apenas uma parte que infelizmente ainda é grande.

90% dos homens nunca poderão fazer uma mulher feliz, pois vêm do nível de consciência do ego ("o que eu preciso, o que eu quero") e não têm consideração pelo outro (mulher). Ou querem apenas obter prazer físico da mulher ou querem obter uma espécie de atenção especial de mãe da mulher, para se sentirem bem com eles próprios. Seja como for vêm sempre de carência e necessidade.

Mas a solução não é odiar todos por causa dos actos de alguns de determinado nível de consciência baixo... é ter Compaixão por todos. Mas isso só se consegue evoluindo espiritualmente e transcendendo o ego.

Nós atraímos aquilo que somos, ódio e raiva atraem ódio e raiva. Necessidade atrai necessidade. Carência atrai carência. Ego atrai ego. Medo atrai medo. Compaixão, que é uma expressão de Amor, atrai Compaixão... e o tipo certo de pessoa. O tipo de pessoa que não precisa de obter nada de nós, mas que quer contribuir para a nossa vida, que quer partilhar momentos e experiências connosco.

Lamento se no passado muitos homens te fizeram sofrer porque te enganaram e usaram apenas por prazer físico... mas esse é apenas um tipo de homem, há outros por aí.

Há um tipo de homem bem intencionado que neste momento está a pensar suicidar-se porque não consegue conhecer raparigas e ter namorada... mas o ego não consegue pensar nestas pessoas e ter consideração por elas. Só pensa no inimigo que o fez sofrer, ou que não lhe deu o que ele desejava.

A questão amizade/namoro não é para ser levada à letra. São apenas representações extremas para ajudar a compreender determinados conceitos. Não é científico, e há muitas variantes.

Mas uma relação íntima sem sexo não é uma relação íntima. A palavra íntima significa isso mesmo: ligação física. Não só física, mas também. Uma relação completa e integral com ligações entre todas as 4 dimensões humanas: emocional, mental, física e espiritual.Se uma delas não existe, ou está muito esboçada na relação... então segundo a definição completa e integral de intimidade que uso, não é uma relação íntima. É algo que está antes de se chegar à relação íntima integral ou completa.

E como uma relação íntima é a dois, não é apenas o que a rapariga virgem quer, ou apenas o que o homem quer que interessa e conta. É o que os dois querem. E é por isso que se tem de encontrar pessoas compatíveis connosco que já queiram algo semelhante ao que nós queremos, para que nenhum dos lados tenha de impor a sua vontade enquanto o outro lado sai prejudicado.

A rapariga virgem (ou não virgem) pode querer ter uma relação sem sexo, tudo bem. E o homem? E o outro ser humano que está do outro lado? Ele pode querer outra coisa e tem direito a ela. E esse tipo de homem, pode só querer ter sexo e não querer saber da mulher para nada. Então e a mulher? Tem que levar com isso? Claro que não. Tanto de uma perspectiva como da outra há sempre um ser humano do outro lado a ter em consideração, e isso chama-se de Compaixão. Amor.

"...uma rapariga precisa de tempo para se sentir segura e confortável com a decisão de perder a virgindade ou até mesmo de ir para a cama mesmo que já não seja virgem, precisa de confiar no homem com quem quer ter a relação sexual e sentir-se à vontade com ele, não significa que a relação seja uma espécie de amizade, significa que demora algum tempo a aprofundar a intimidade...".

Tens toda a razão aqui. É uma situação específica Verdadeira, e muito natural de acontecer. E é por isso que eu digo que nunca deve haver pressa ou desespero em ter ou começar uma relação íntima.

Antes tem de haver Selecção Consciente, para que tanto a mulher como o homem possam evitar meter-se numa relação e partilharem-se com o tipo errado de pessoa, que não os merece, que os usa, mente, trai, etc. O problema é que quando há carências e necessidades a relação, mesmo que incompleta ou disfuncional, torna-se num fruto saboroso que alivia sofrimentos, mas que infelizmente a longo prazo também os cria. E muito.

As mulheres que têm medo de ficar sozinhas são um tipo de mulher, não são todas. Há mulheres que não têm medo de ficar sozinhas, são de um nível de consciência mais elevado, e por isso nunca se partilham com esse tipo de homem. Percebem o que ele quer, afastam-se, e vão passar tempo com outros homens, até descobrirem um que realmente as mereça.

Uma relação íntima não tem nada a ver com satisfazer necessidades. As nossas necessidades são para ser satisfeitas por nós próprios, através da nossa evolução, e não por alguém do sexo oposto. Se sentimos a falta de algo, somos nós quem tem de criar isso... não alguém do sexo oposto.Uma relação íntima é uma dinâmica de criação, partilha e contribuição... não de obter dos outros aquilo que precisamos.

Usar um homem para se sentir entendida e amada não é a solução para esse sofrimento. Amor é algo que desenvolvemos em nós próprios através de evolução espiritual. E a necessidade de sermos entendidos desaparece quando desenvolvemos a nossa Consciência e nós próprios passamos a nos entender. Tapamos os nossos próprios buracos, somos Autênticos, e assim vamos atrair o tipo de pessoa certa, que é compatível connosco. E depois vamos CONTRIBUIR e DAR, e não procurar formas de OBTER aquilo que precisamos para satisfazer as nossas necessidades.

Uma relação íntima não é um negócio de atenção especial e prazer físico, no qual "dá-se" algo para se obter algo a seguir. É uma dinâmica de contribuição, em que não se procura obter nada, apenas criar e partilhar momentos e experiências estimulantes para ambos (e de preferência para as nossas 4 dimensões), e em que CONTRIBUIMOS para a vida da outra pessoa. Tem a ver com DAR não com OBTER.

Porque é óbvio que não há Compaixão nenhuma no homem que usa a mulher só para o sexo... o que não é tão óbvio é que também não há Verdadeira Compaixão na mulher que usa o homem para satisfazer carências emocionais pessoais. Tem a ver com a atitude de OBTER DO OUTRO O QUE PRECISO. Se não há contribuição, se não há partilha, se não há oferta sem se precisar de obter algo em troca, então também não há Amor.

Nós não somos as bengalas dos outros, não é para isso que existimos. Somos seres poderosos com a responsabilidade de evoluir e de nos desenvolvermos, para depois podermos contribuir para a vida dos outros, e não ser meramente uma espécie de massa de tapar buracos da vida dos outros, para os aliviar da sua responsabilidade de evoluir e criar a sua realidade como desejam. Ajudar é uma coisa, outra coisa é nunca deixar os outros aprender as lições que precisam de aprender, fazer o que precisam de fazer, desafiarem-se, para poderem de facto resolver as coisas de vez, alcançarem o que desejam e serem Felizes.

Há tanto homens que não merecem as mulheres como há mulheres que não merecem os homens, são 90% da população humana. Deve-se procurar descobrir e conhecer os 10% com quem realmente nos podemos sentir bem, em paz, estimulados, com quem podemos evoluir e contribuir para os outros.

Mas isso só se consegue quando se pára de julgar, criticar e odiar aqueles que no passado nos magoaram ou fizeram sofrer. Pois a Verdade fundamental é que eles vivem em sofrimento, tal como nós. E esse é o nível de consciência do Amor, que vai atrair naturalmente quem também está nele.Obrigado pelo teu comentário, e espero que sejas Feliz.

Segue as tuas paixões,
Pedro C.