sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

"Wild Orchid (Orquídea Selvagem), com Mickey Rourke e Carré Otis, 1989"

Wild Orchid (Orquídea Selvagem), com Mickey Rourke e Carré Otis, 1989

Outro filme obrigatório, que toca em aspectos diferentes do 9 1/2 Weeks.


3 comentários:

Hugo Roque disse...

Grande Pedro, boa tarde, espero que esteja tudo mega brutal por aí!

Ainda não vi o filme "Orquídea Selvagem" mas está para breve. Encontrei no YouTube um vídeo de cerca de 8 minutos onde, na minha opinião, estão muito bem demonstradas as qualidades do homem naturalmente atraente. A criação de polaridade masculino-feminino através do contacto visual e linguagem corporal, bem como da liderança calma, subtil e e equilibrada, a criação de conforto na mulher através de uma presença calma, equilibrada, sem precipitações e a criação de uma aura de mistério que, ao mesmo tempo que cria na mulher alguma apreensão, também a atrai, seduz e fascina.

Para mim foi a cena de cinema mais inspiradora que já vi no que respeita à forma como se deve tratar uma mulher. Aquela energia de quem está totalmente preenchido, sem qualquer necessidade de validação, calmo, equilibrado, sedutor que não é escravo do desejo sexual que sente mas que, ao mesmo tempo, cria a sua vida com qualidade e elegância, indo ao encontro das experiências pelas quais quer passar e fazendo as mulheres sentirem-se felizes, realizadas e celebradas.

Enfim, a noite de hoje promete.

Grande abraço,
Hugo Roque

P.S: O link desse vídeo é http://www.youtube.com/watch?v=3LZjZ9HNXqA

Hugo Roque disse...

Grande Pedro, boa noite, espero que esteja tudo mega brutal por aí!

Ainda não vi o filme "Orquídea Selvagem" mas está para breve. Encontrei no YouTube um vídeo de cerca de 8 minutos onde, na minha opinião, estão muito bem demonstradas as qualidades do homem naturalmente atraente (nunca vi uma demonstração mais inspiradora do que esta, tenho-a visto diariamente). A criação de polaridade masculino-feminino através do contacto visual e linguagem corporal, bem como da liderança calma, subtil e equilibrada, a criação de conforto na mulher através de uma presença calma, equilibrada, sem precipitações e a criação de uma aura de mistério que, ao mesmo tempo que cria na mulher alguma apreensão, também a atrai, seduz e fascina.

Para mim foi a cena de cinema mais inspiradora que já vi no que respeita à forma como se deve tratar uma mulher. Aquela energia de quem está totalmente preenchido, sem qualquer necessidade de validação, calmo, equilibrado, sedutor que não é escravo do desejo sexual que sente mas que, ao mesmo tempo, cria a sua vida com qualidade e elegância, indo ao encontro das experiências pelas quais quer passar e fazendo as mulheres sentirem-se felizes, realizadas e celebradas.

Grande abraço,
Hugo Roque

P.S: O link desse vídeo é http://www.youtube.com/watch?v=3LZjZ9HNXqA e talvez possa ajudar muito mais pessoas

Pedro Constantino disse...

Obrigado pelo vídeo Hugo. Eu já o conhecia e tenho-o em stand by para fazer um post sobre ele com uma explicação. Esse excerto está incompleto, no final falta diálogo, salta logo para o fim da conversa e há uma parte a meio que estranhamente não está lá... e que é super importante. Vê o filme.