quinta-feira, 18 de setembro de 2008

"Como Ser Mais Do Que Apenas O Amigo, parte 2"

Hoje vou-te falar da 2ª razão pela qual há homens que não passam da amizade com as mulheres pelas quais se sentem atraídos.

É por isto:

Eles lidam com a mulher através de uma dinâmica de amizade. Ou seja, eles cavam o seu próprio buraco e encurralam-se sozinhos.

Sem atracção nada feito, mas esta 2ª razão é igualmente importante.

Repara bem nisto:

O homem conhece a mulher (na faculdade, através de amigos, etc) e sente-se atraído ou apaixonado por ela. Eles falam e cria-se uma ligação. Gostam de falar e estar um com o outro... e o que faz o homem?

Ele pensa algo do género:

“Isto está a correr bem. Tenho de aproveitar esta oportunidade porque ela parece gostar de mim, e tenho de fazer ainda mais disto!”

E então ele comete o erro de falar e estar com ela sempre que possível. Quanto mais melhor... todos os dias se ele conseguir.

É MSN, é sms, é telefonemas, é sair com o grupo de amigos...

E qual é o resultado disto?

Não é lá muito bom...

Porque ele funciona como um super-amigo para tentar chegar à intimidade / namoro com ela. Mas ser um super-amigo só leva o homem à... super-amizade.

É como bater num prego com a esperança de ele vir para trás, para fora da madeira. E isso jamais irá acontecer...

Então eles falam todos, ou quase todos os dias. Ele ajuda-a, está presente nos momentos difíceis, dá apoio, atenção, prendas, elogios, faz sacrifícios por ela, demonstra de 1001 maneiras diferentes subtis o que sente por ela, etc.

Mas nada acontece... só amizade. As conversas são longas, os momentos divertidos... mas é só amizade. Por muito que ele faça e use a sua imaginação, são ambos apenas amigos.

A coisa não muda, não avança

E porque é que não muda nem avança...?

Porque ele está a dar validação à mulher na esperança de que ela o retribua com intimidade. Mas as coisas no mundo real não funcionam assim...

Para ela ele é um amigo brutal... mas nem sequer lhe passa pela cabeça que toda aquela simpatia, consideração e disponibilidade vem da motivação de ter intimidade com ela. Para ela é apenas um tipo fixe e um bom amigo.

Claro que há mulheres que se apercebem do que realmente se passa, mas nem sempre isso acontece.

Há neste momento mulheres com amigos destes que não fazem a mínima ideia de que a intenção deles é namorar com elas.

Porquê?

Porque ele quer isso mas esconde-o... não usa a dinâmica certa.

Repara bem nisto:

Ele mal a conhece mas já a escolheu. Provavelmente nunca saíram só os dois, apenas comunicam à distância ou saem com o grupo de amigos... logo não há qualquer selecção consciente da parte dele.

Ele sente-se atraído por ela, mistura isso com a necessidade de obter validação dela, idealiza que está apaixonado por ela e já só pensa em ter uma relação íntima com ela.

Mas mal a conhece...

E depois trata-a logo como uma rainha. Deve-a sempre tratar bem obviamente, mas o que ele está a fazer é apenas alimentar-lhe o ego para ver se ela alimenta-lhe o dele aceitando-o como seu namorado.

Na esperança que ela analise o que ele faz, chegue à conclusão lógica de que seria bom namorar com ele, e de que seja ela a tomar a iniciativa e fazer as coisas acontecer.

Isto não é lá grande ideia... simplesmente não funciona.

Há uma dinâmica específica para as coisas acontecerem naturalmente, e eu vou-te agora explicar qual é.

Quando se conhece uma mulher, ao início, nunca deves estar ou falar com ela todos os dias. Nunca.

Tens a tua vida, a tua família, os teus amigos, o teu curso, o teu emprego, as tuas dedicações pessoais, interesses, paixões, etc...

E é isso que tem de vir em 1º lugar na tua vida... não uma mulher que mal conheces e com quem nunca saíste a dois.

Respeitar uma mulher e tratá-la bem não tem nada a ver com estar e falar com ela todos os dias. Isso na verdade é uma grande seca para elas e “sufoca-as”. Rouba-lhes tempo e espaço... é repelente.

A não ser que seja uma mulher desesperada por atenção e validação, que também não é selectiva, e que só quer obter demonstrações de interesse e apoio dos homens. Todos os dias, sejam eles quem forem, conheça-os bem ou não.

Mas esse é o tipo de mulher que não te interessa.

Está ou fala com uma mulher que estás a conhecer, 1 ou 2 vezes por semana, no máximo. Isto não é um número científico nem uma receita para o sucesso. É apenas um número para te orientar.

O que interessa não é a quantidade de vezes que estás com ela, é a qualidade dos momentos que passas com ela e o tipo de emoções que a fazes sentir.

Se falas e estás com ela todos os dias então é isso que ela vai “consumir”.

Vais ser rotulado como o amigo 24/7. Ela vai aceitar isso, vai aceitar a tua amizade... e entras num ciclo de “servidão” que não te vai ajudar.

Ficas preso a ela, com medo que ela te rejeite ou se afaste de ti. Ficas bloqueado e a viver com uma esperança ilusória de que um dia vai dar em algo, porque és bom para ela e dás-lhe validação / atenção.

Ficas amigo porque te comportas como um amigo. Tens de te comportar como um homem que tem prazer em conhecer mulheres e sair com elas, até encontrar uma que realmente o satisfaça e com quem possa ter uma relação íntima de qualidade.

Não podes enterrar-te ou mergulhar logo numa ligação profunda... deixar logo a mulher entrar na tua vida, ir ao frigorífico e servir-se do que quiser.

Ela primeiro tem que merecer isso.

Inicialmente, na fase de descoberta, a ligação tem de ser mais fraca e descontraída. Sim, tens compaixão por ela, tratas-a bem, brincas com ela, tens longas conversas com ela, ris-te com ela, passeias com ela... mas estás com ela apenas 1 ou 2 vezes por semana.

E isto não é aquela treta do “fazer saudades”. É para não ficares catalogado de amigo e ficares encravado na zona de amigo.

É para todas as portas se manterem abertas. Podes acabar por ser amigo dela e ambos terem um amizade espectacular... e isso é fantástico, mas se acontecer acontece por opção tua.

Por selecção consciente. Não porque ficaste colado a ela todos os dias a sufocá-la, e depois ficaste preso a isso porque pensaste que te iria trazer coisas que jamais trará.

Mas há ainda outra coisa...

É que tu nunca podes estar a sair só com uma mulher. Tu não podes ter apenas uma opção... aliás, se pensares bem isso nem sequer se chama uma opção, é mais falta de opções.

Não tem mal nenhum, mas não te vai ajudar.

Lembra-te que tu conheces mulheres regularmente e sais com elas não para andar a ir para a cama com elas e enganá-las, mas para sair com elas regularmente de forma a descobrires como elas são e se têm as qualidades que procuras.

Isto não tem nada a ver com o típico engatatão manipulador que trata as mulheres como objectos de supermercado: cada dia, noite ou semana leva um diferente para casa (cama).

Isto é selecção consciente. Vem de auto-respeito. E quando te sabes respeitar a ti próprio sabes respeitar os outros automaticamente... mulheres incluído.

Não se trata de curtes, beijos ou sexo com muitas mulheres diferentes constantemente (o que não tem mal nenhum, mas é mera gratificação a curto prazo), trata-se de criar a tua vida, desenvolver a tua vida social, interagir com pessoas e conhecê-las, divertir-te com elas e passar bons momentos, descobrir como as mulheres são e se têm aquilo que procuras e que realmente te satisfaz.

Este é o problema da falta de opções:

Imagina que vais a andar num deserto. Estás esfomeado... tão esfomeado que te sentes fraco, quase a desmaiar. Mas tens de continuar a caminhar para sair daquele deserto...

E então andas, e andas e andas... o estômago dói-te. Ele dói-te tanto que te faz curvar um pouco para a frente...

Até que vês um gafanhoto!

Garanto-te que naquele momento aquele gafanhoto vai-te parecer brutal e extremamente apetitoso. Nem pensas duas vezes... vais apanhá-lo e comê-lo.

Agora imagina que ao lado do gafanhoto está uma fatia de bolo de chocolate (hey, eu adoro bolo de chocolate...).

Bem, se calhar agora já não vais comer o gafanhoto... agora vais escolher a doce e magnífica fatia de bolo de chocolate.

Esquece lá o gafanhoto... mas lembra-te que antes, quando era só o estômago a rugir e o gafanhoto à tua frente, esse gafanhoto era brutal. Parecia uma grande sorte e a salvação não era...?

Agora imagina que ao lado do gafanhoto e da fatia de bolo de chocolate está uma bela e sucolenta maçã.

Hey, agora até podes escolher se queres o bicho esquisito que não faz parte da tua cadeia alimentar, a fatia doce e saborosa, ou o fruto saudável que até te vai ajudar um pouco a matar a sede com o seu sumo. E lembra-te de que estás no deserto... se fores esperto, vais comer a maçã ;)

Com as mulheres é o mesmo tipo de situação. Com uma não há selecção... ou é aquela ou não é aquela. Ou matas a fome ou morres à fome.

Com duas já podes comparar e escolher. Se uma não te agrada completamente, escolhes a que mais te estimula. Porque não somos compatíveis com todas as pessoas... e nem sempre dá para se ter uma ligação emocional gratificante com alguém. Ou se calhar a 1ª mulher não te atrai tanto como a 2ª...

Agora vem uma 3ª mulher. Comparas-a à 1ª e à 2ª. Se as 3 realmente te satisfizerem, continuas a sair com as 3. Se alguma das 3 não te deixa mesmo satisfeito, passas a sair só com as que realmente te satisfazem.

Se nenhuma das 3 realmente te satisfaz... deixas de sair com elas. Porque estás sempre a conhecer mulheres e a criar mais opções. Nunca páras e vais seleccionando conscientemente.

Isto tanto serve para a amizade como para a intimidade.

Lembra-te que as mulheres têm geralmente muito mais opções que os homens. Há sempre um pequeno grupo de homens com quem elas podem sair, e que sabem que têm interesse íntimo ou amoroso nelas. E elas seleccionam. Afastam-se e deixam de sair com os que não lhes interessam e continuam apenas a sair com os que lhes interessam.

Grande parte das mulheres tem regularmente homens a demonstrar interesse nelas, elas têm opções. E isso é positivo, é útil e perfeitamente natural. E tu tens de fazer o mesmo... mas tens de te mexer e de ir criar essas opções.

E para saberes mais sobre como conhecer mulheres e criar opções, envia-me agora um email para
CoolVibesArteSocial@hotmail.com e recebe grátis o meu ebook “As 14 Coisas Que Nunca Deves Fazer Ao Conhecer Mulheres Em Locais Públicos”.

E para acabar este post...

Encontrando-te na situação do deserto, esfomeado, e vendo apenas o gafanhoto, percebendo que não é aquilo que realmente queres... comias-o ou não?

Eu não.

E foi isso que fiz quando ainda andava a batalhar para evoluir e resolver a minha vida amorosa.

Decidi conscientemente deixar-me de tretas e de desculpas e levar isto realmente a sério. Foi por isso que durante mais de um ano praticamente não tinha amigos nem uma ligação mais profunda com ninguém.

E é por isso que hoje tenho o Cool Vibes e ajudo pessoas todos os dias a obter satisfação real e melhores resultados na sua vida amorosa.

Algumas pessoas vão-te chamar de parvo por não aproveitares certas oportunidades. Mas tu sabes melhor do que isso...

Porque certas oportunidades nada mais são do que gratificação a curto prazo, e a longo prazo, que é o que interessa, vão-te prejudicar. Elas não criam a tua vida nem contribuem para algo grandioso que realmente vale a pena... dão-te um mero momento de satisfação e alívio, e depois apenas a destroem.

Tens de desenvolver verdadeiro auto-respeito. Definir preferências em tudo na vida e nunca as negligenciar por nada nem ninguém.

Porque tu tens valor. E tu tens de te respeitar e tratar bem. Porque quando o fizeres, quando o estiveres mesmo a fazer, irás automaticamente estar a respeitar e a tratar bem os outros. Mulheres incluído.

E quando tiveres compaixão por TODAS as mulheres... é quando as mulheres vão gostar de ti.

Quando amares TODAS as mulheres... as mulheres vão-te amar.

Só que para isso acontecer tens de te amar a ti próprio primeiro. E isso passa por viveres através da Verdade de que TENS VALOR. Respeitar-te e tratar-te bem... com compaixão por ti próprio.

Perguntas:

CoolVibesClub@hotmail.com

3 comentários:

Edison disse...

Muito bom post Pedro.
Todos os dias eu e, certamente, muitos outros homens aprendem com vocÊ e sua experiência.
Parabéns pela iniciativa e percepção de mundo.
Edison do Brasil.

Anónimo disse...

Boa tarde

Eu sou um homem que conhece todos os meses novas mulheres com uma certa facilidade, geralmente uma ou duas por semana. Até ai tudo óptimo. Mas há um problema que me tem afectado ao longo de anos, que é quando conheço uma mulher e depois marco o encontro a sós com ela, mas nunca passa de um primeiro encontro. O encontro até é positivo, mas nunca mais a mulher quer estar comigo (num segundo encontro) e acontece isso com todas as mulheres, não entendo o porquê de ser sempre incompatível com elas, visto que tenho sempre várias opções, e já há mais de um ano que estou solteiro por falta de compatibilidade com o sexo oposto... qual será o possível problema que me anda a impedir de ter mais que um encontro e namorar com uma mulher?

Pedro C. disse...

Isso pode ser porque a tua presença/companhia não é agradável para elas. Pode ser porque és sexualmente desconfortável e as coisas assim nunca avançam nesse sentido. Pode ser porque não as beijas no 1º encontro. Pode ser pelas escolhas que fazes depois do 1º encontro, e que podem envolver o convite para o 2º encontro, etc. Ou podes estar a querer demasiado sexo inconscientemente, não permitindo assim haver uma boa ligação com a mulher.

Mesmo quando a mulher não se sente atraída, raramente recusa voltar a estar com o homem para conversar. Portanto parece-me que pode haver algo de desagradável na tua atitude quando estás com elas, algo que não permite haver ligação entre ambos.