AMOR

"Ensina só Amor, pois é isso que tu és"

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

"Como Conhecer Pessoas e Criar Opções Na Tua Vida Amorosa"

Se és solteiro/a então tens mesmo de ler este post... sim, porque este post é para homens e mulheres.

Como é que se conhece pessoas?

Como é que se cria opções na vida amorosa, e se conhece vários potenciais parceiros íntimos?

Conhecer pessoas e criar opções tem tudo a ver com desenvolver uma vida social activa.

Tem tudo a ver com falar com todas as pessoas... e não apenas com membros do sexo oposto.

Ter uma vida social activa nada tem a ver com estar fora de casa todos os dias ou sair todos os dias... trata-se de criar um equilíbrio saudável entre o tempo que estás sozinho em casa, e o tempo que passas fora de casa a conviver com pessoas e a frequentar locais.

Seja como for não há volta a dar: tens mesmo de sair de casa. Tens mesmo de mexer-te e ir a um lado qualquer. Tal como eu o tive de fazer.

Eu costumava-me sentir extremamente desconfortável em situações sociais e locais públicos e por isso evita-os constantemente e sempre que podia.

Mas quando descobri ou me apercebi que esso era uma das coisas que mais me prejudicava e contribuía para a minha insatisfação geral, comecei aos poucos a sair cada vez mais de casa.

Comecei a deixar de fazer todas as actividades que me prendiam em casa e que eram desnecessárias, e comecei a aproveitar todas as oportunidades que surgiam para estar com amigos e colegas.

Jantares de anos, jantares de turma, festas de faculdade, festas em casa de amigos, idas ao café, passeios em grupo, saídas à noite... tudo.

Mas mesmo nessa fase de mutas saídas e convívio, eu ainda sentia que me faltava algo... porque as coisas não estavam a acontecer. Já me tinha tornado mais extrovertido e conversador, mas não o suficiente. Falar com estranhos era ainda ficção científica para mim...

E então decidi aventurar-me a sério, e comecei a sair sozinho.

Deixei-me de tretas, de desculpas e justificações/opiniões inteligentes, e pus-me a mexer.

Comecei por passear sozinho pela rua, depois comecei a ir sozinho a cafés e centros comerciais... e finalmente comecei a sair sozinho à noite para festas, bares e discotecas.

Decidi desafiar-me a sério, pois percebi que só assim é que iria mudar a sério e alcançar exactamente o que desejava como desejava.

E durante essas saídas cheguei a ser empurrado por mulheres e ameaçado por homens... mas na semana seguinte estava lá outra vez.

E outra vez, e outra vez...

E isto não foi durante 2 ou 3 meses... foi durante quase 2 anos. Muito regularmente.

E foi uma das melhores decisões que alguma vez tomei na vida.

Algo que prejudica imenso as pessoas é dependerem da companhia dos amigos para tudo. A maioria das pessoas não conseguem ir a lado nenhum sozinhas.

A sociedade, como é hoje em dia, cria zombies. Cria pessoas que têm valor, mas que são convencidas desde que nascem de que não o têm, e depois são ensinadas a seguir certas regras para obter e manter esse valor que “não têm”.

É tudo uma grande lavagem cerebral completamente disfuncional... é o nível de consciência da mente humana, o nível do ego humano.

Mas não penses que isto se trata de uma conspiração. Não há ninguém a culpar nem combater. Não há um vilão nem um inimigo... simplesmente a sociedade e a cultura precisam de evoluir e passar a um novo nível de consciência.

E essa evolução começa em cada um de nós. Tens de começar por ti. Quantas mais pessoas souberem este tipo de coisas, mais rapidamente a sociedade vai mudar para o novo nível de consciência em que se acabaram todos os grandes problemas e injustiças que conheces hoje em dia.

Porque acredites ou não, tudo isso é criado pelo ego humano... e uma vez que a Humanidade aprenda a libertar-se dele, todas as consequências negativas de se viver através dele desaparecem. As pessoas ainda não estão prontas para isto, mas é esta a Verdade. Porque por todo o mundo já há milhares de pessoas a viver assim, nada mais é do que uma escolha e uma dedicação a sério.

Mas voltando ao tema do post...

Tens de criar uma vida social activa e falar com todo o tipo de pessoas. Não apenas porque é alguém do sexo oposto por quem te sentes atraído e queres obter algo dessa pessoa, mas porque tens prazer em falar com as pessoas e ter pequenas e agradáveis conversas.

Porque tens prazer em fazer as pessoas sorrir e brincar com elas. Sejam homens, mulheres, velhotes ou crianças... ou até cães. Já alguma vez fizeste uma festa a um cão desconhecido? É a mesma coisa com seres humanos, só que com eles trata-se de fazer uma “festa” verbal =)

Começa por escolher 2 ou 3 sítios de que gostas, ou descobre 2 ou 3 sítios de que gostes, e começa a lá ir pelo menos 1 vez por semana, todas as semanas. Desenvolve um gosto por descobrir sítios novos e frequentá-los para saberes como é o ambiente, o que se passa lá e que tipo de pessoas lá vão.

E não tem mal nenhum frequentares locais sozinho, sejas homem ou mulher. Isso é na Verdade uma prova e demonstração de Coragem e Confiança. A maioria das pessoas têm MEDO de fazer isso, porque receiam o que vão pensar delas.

((( Alarme: Ego a pregar rasteiras! Ego a pregar rasteiras! )))

Esse medo nada mais é do que o ego a tentar proteger-se de não obter validação. Hey, tu não precisas de validação... TU JÁ TENS VALOR!

Está dentro de ti independentemente do que o exterior te possa demonstrar. Vê a situação de FORA da cabeça: é um acto de Coragem.

E passa-se a mesma coisa com iniciar conversas com estranhos: não tem mal nenhum. Se vais com uma energia positiva, com boas intenções e és simpático e divertido, não estás a incomodar ninguém nem a prejudicar ninguém.

As pessoas que dizem que há algo de errado nisso são pessoas inseguras e negativas que não sabem criar opções, e que como não conseguem falar com quem quiserem, o seu ego sente-se inferiorizado pelas pessoas que o coneguem fazer. Especialmente se forem falar com membros do sexo oposto... aí é que o ego de algumas pessoas dispara o alarme de inferioridade ;)

Mas hey, não tem mal nenhum. Estás apenas a criar momentos positivos na tua vida e na vida dos outros. E se todas as pessoas tivessem prazer em ter uma pequena conversa com estranhos, o mundo estaria muito melhor.

Se em vez de as pessoas andarem todas mal encaradas, fechadas e na defensiva falassem umas com as outras, ao alguém vir chateado do emprego no metro, teria uma pequena conversa engraçada e isso animava-lhe o dia. A ela e à pessoa com quem tinha falado.

Seria divertimento em qualquer lado a qualquer momento.

Ao frequentares esses locais favoritos regularmente, ou os novos que estás a descobrir, fala com as pessoas que lá trabalham.

Fala com os porteiros, com as pessoas que te servem à mesa e com as pessoas que trabalham atrás do balcão. Fala com quem trabalha nos locais. Ninguém fala com elas... dizem “Bom dia”, dizem o que querem, dizem obrigado e vão-se embora.

Essas pessoas não são robôs... são seres humanos. Fala com elas. Faz-lhes perguntas, comenta qualquer coisa, faz uma pequena brincadeira. Porque assim tens sempre alguém com quem falar nos locais onde vais, mesmo que vás sozinho. E vais aumentar o teu círculo social de amigos e conhecidos. E quando deres por ti vais estar a conhecer pessoas em piloto automático, e vais conhecer pessoas sem fazer nada porque elas são-te apresentadas.

E porquê? Porque tu és a pessoa simpática e divertida que fala com toda a gente. Mesmo sem nunca saber o seu nome ou obter o seu contacto. Tu falas pelo prazer de falar e criar ligações com as pessoas.

E sempre que sais de casa, sai com um sorriso na cara e com uma energia positiva. Isso é uma clara porta aberta para que as pessoas se aproximem de ti, fiquem curiosas em relação a ti e metam conversa contigo.

Como já deves saber eu estou numa relação, e já não ando para aí a iniciar conversas com mulheres atraentes que não conheço de lado nenhum. E para ser sincero, para mim essa fase é uma grande chatice. Tem os seus momentos divertidos, mas o que eu gosto mesmo é de ligações emocionais profundas que de facto me estimulem... não de conversas superficiais em série, com mulheres que têm valor e pelas quais tenho a maior compaixão, mas que depois não passam pelo processo de selecção consciente.

Sim, porque não te esqueças que eu sou o man da selecção consciente.

Por isso hoje em dia eu já não tenho necessidade de andar a falar com mulheres atraentes desconhecidas... mas falo com pessoas. E conheço pessoas. E cada vez conheço mais pessoas espectaculares... e cada vez me sinto mais grato pelos amigos e amigas espectaculares que tenho.

Eu falo com quem trabalha nos locais que frequento e conheço as pessoas. Sejam elas quem forem... homens, mulheres, velhotes... extraterrestres... seguranças e porteiros... barmens, barmaids e modelos... empregadas atraentes ou não atraentes (para mim, claro. Porque tenho a certeza que o serão para alguém), empregadas e empregados simpáticos, empregadas e empregados divertidos, DJs, RPs, empresários, etc.

Todo o tipo de pessoas. Não para obter algo delas, não com esquemas, mentiras ou truques, mas apenas porque gosto de conversar e especialmente brincar com as pessoas, e gosto de criar ligações emocionais com elas. Saber o nome ou obter o contacto não são prioridade nenhuma, eu quero é dizer a piada e conversar.

E posso não o fazer sempre que saio... mas faço-o. E tu também o podes começar a fazer, e desenvolver assim uma vida social muito mais divertida e estimulante, e desenvolver qualidades importantes que depois te vão permitir iniciar conversas cada vez mais facilmente com quem quiseres, onde quiseres, quando quiseres.

E claro, conversa com qualquer pessoa que te motive a fazê-lo. Vai falar com aquela mulher que te atrai ou com aquele homem que te deixa curiosa. Sejas homem ou mulher isso não tem mal nenhum... nós nascemos para interagirmos uns com os outros e vivermos em harmonia uns com os outros.

Todos nós somos a mesma coisa: energia. Só que distribuída por corpos diferentes.

Sejas homem ou mulher, vai falar com quem te apetecer. Toma a iniciativa e vai falar. Não fiques à espera de sinais de interesse nem que a outra pessoa faça algo acontecer. És tu quem está a viver a tua vida e és tu quem a está a criar. E se queres algo tens de o criar, e para o criares tens de te mexer. Por isso vai lá falar com ela ou com ele. Diz qualquer coisa, não interessa.

Porque ser rejeitado é uma ilusão do ego. É mais uma bela rasteira. “Rejeição” apenas significa que és diferente da outra pessoa, que são incompatíveis. Isso apenas revela como a outra pessoa é, não como tu és. Não é uma prova nem demonstração da tua falta de valor... é uma demonstração de como é a personalidade da outra pessoa.

E não tem mal nenhum, porque nós nem somos compatíveis com todos os outros seres humanos nem somos atraentes para todos os outros seres humanos. A tua missão é encontrar e descobrir pessoas que sejam compatíveis contigo e que de facto tenham as qualidades e valores que procuras.

Porque há muitas pessoas por aí fora que infelizmente foram mal influenciadas e informadas, e que por isso são controladas pelo seu ego. Logo são negativas, têm medo de estranhos, vêem os outros como uma espécie de perigo, não têm compaixão por ninguém, são antipáticas, muito inseguras, não sabem conversar, têm medo do que os outros pensam delas, sentem-se bloqueadas e presas, estão mal dispostas, funcionam a energia negativa, são manipuladores e gostam de inferiorizar os outros. E por isso podem não reagir positivamente à tua aproximação.

Mas há pessoas por todo o lado com quem podes falar. Milhares! Opções em graaande quantidade!

Se uma não queria falar... fala com outra. Tem compaixão por todas e respeita a sua decisão de não querer falar e de reagir negativamente. Mas vai falar com outra, ou melhor, outras.

Porque há milhares de pessoas por aí fora que são bem dispostas, que gostam de conversar, que são simpáticas e divertidas, positivas, que gostam de conhecer pessoas, e que muito provavelmente andam a fazer o mesmo que tu porque têm lido os posts do Cool Vibes ;)

Eu sei que para muitas pessoas é difícil ter uma vida social activa porque passam a maior parte do tempo no emprego e chegam cansadas a casa. Mas hey, há o fim de semana. Há a noite de sexta e a noite de sábado. Não tem de ser todos os dias... pode ser só uma noite ou um dia por semana. O que interessa é que estás a fazer algo.

E para além da vida social activa há outras alternativas...

A pior coisa que podes fazer na vida é depender apenas dos amigos e amigas que tens agora para conhecer pessoas, ou limitar-te a conhecer apenas as pessoas do emprego ou da turma da faculdade.

Isso é muuuito limitado, e faz-se sentir carente desenvolvendo em ti uma mentalidade de carência. E tanto uma coisa como a outra depois vão repelir as pessoas que queres conhecer, porque são emoções negativas.

Mas hey, podes conhecer pessoas pela internet. É grátis. Crias um profile com umas fotos e começas a enviar convites de amizade e mensagens. Podes usar o clássico Hi5, o muito fixe Netlog ou então o em crescimento em Portugal MySpace. Convém é saberes como o fazer da forma certa e conhecer as suas dinãmicas especiais para não andares a perder tempo a enviar centenas de convites e mensagens sem obter resposta, e de facto conseguires conhecer pessoas pessoalmente em vez de teres meras relações virtuais pelo MSN. E para isso, e se és um homem, tens o meu curso online Atracção Online.

Nota: se fores ao YouTube do Cool Vibes tens lá um audio chamado “6 Dicas Para Conhecer Mulheres Pela Internet” que certamente te vai interessar (muito) ouvir.

E tirando a internet tens ainda o speed dating.

Para quem ainda não tem tempo para ter uma vida social activa, esta é uma opção muito boa. Estes eventos vão-te permitir conhecer várias pessoas numa só noite, com quem depois podes vir a sair regularmente e ter grandes amizades ou de facto ter uma relação íntima espectacular.

Porque speed dating não é para falhados ou frustrados. Esses são aqueles que não fazem nada acontecer, não se desafiam, não sabem criar opções, e sentam-se no sofá em casa ou num café com os amigos a criticar e a julgar os outros.

Quem vai ao speed dating são pessoas que estão a fazer algo acontecer. Pessoas que se estão a desafiar e a fazer algo pela sua vida social e amorosa. E que por isso vão obter resultados e mudar

E há uma empresa brutal que realiza eventos de speed dating em Portugal que deves conhecer.

Este é o site, visita-o e lê-o hoje:

http://www.speedparty.net/

Não se trata apenas de eventos nos quais todos os homens falam com todas as mulheres, e vice-versa, durante 4 minutos. Há festas, jantares, passeios, eventos em barcos, etc. Muita coisa divertida vais de certo encontrar, e muitas surpresas agradáveis podem surgir...

Speed Party tem sem dúvida o selo de qualidade do Cool Vibes. Mas lembra-te: eles fornecem os locais, as actividades e as pessoas, e têm um serviço excelente... mas quem tem de fazer as coisas acontecer és tu.

Uma pessoa que eu tenho ajudado através do Cool Vibes foi a um dos eventos, conheceu lá 5 pessoas e foram todos juntos, logo a seguir nessa mesma noite, sair para uma discoteca, e tiveram todos uma noite brutal super divertida.

Quanto a ti não sei, mas para mim este é o tipo de noite à qual eu chamo de espectacular.

E agora deves-te estar a questionar...

“Ok, isto é tudo muito giro. Mas como raio é que eu começo uma conversa com um estranho? O que é que eu digo??”

O que interessa não é o que dizes, é como o dizes. É a energia por detrás das palavras. As emoções que estás a sentir no momento.

O que deves fazer é observar com atenção a pessoa, e descobrir algo que te deixe curioso em relação a ela ou em relação ao que ela está a fazer. E fala com ela sobre isso. Faz-lhe uma pergunta sobre isso.

Quanto mais um ser humano faz algo, melhor ele se torna nisso. Por isso quanto mais falares com pessoas, melhor ficarás nisso. Experimenta, arrisca, desafia-te... usa Coragem.

Vive uma vida de Coragem, ou vive uma vida da treta.

Mas se és um homem e queres uma ajuda preciosa nesta actividade de conhecer mulheres de uma forma autêntica (tradução: sem mentiras, truques, esquemas ou manipulação), tens o meu ebook grátis: “As 14 Coisas Que Nunca Deves Fazer Ao Conhecer Mulheres Em Locais Públicos”. Vais de certeza encontrar lá dicas muito úteis.

Para o adquirires basta enviares-me um email para
CoolVibesArteSocial@hotmail.com com o assunto: ebook arte social, e na mensagem o teu primeiro nome. Ao enviares este email vais depois fazer parte de uma lista especial que vai receber de vez em quando dicas preciosas sobre conhecer mulheres e iniciar interacções.

E para acabar o longo post de hoje, quero avisar-te de que para a semana não há Cool Vibes. Vou de férias para fora e não vou poder responder a perguntas nem criar posts.

Mas hey, o Cool Vibes não vai parar. E eu quero a tua opinião. Envia-me um email para
CoolVibesClub@hotmail.com a dizer-me sobre o que gostarias de aprender em termos de atracção natural e evolução pessoal.

Que temas gostarias de ver tratados em posts aqui no blog ou em audios no Youtube?

Sobre o que é que queres ler? Que tipo de informação sobre vida pessoal, amorosa e social é que gostarias de ler em posts ou ouvir em audios do Cool Vibes?

Não, eu não estou a ficar sem temas... aliás, tenho uma grande lista de temas para escrever aqui no blog e transformar em audio. Mas eu quero saber o que TU realmente queres saber. Porque tu conheces-te melhor a ti próprio do que eu... eu apenas partilho aquilo que me ajudou e que o meu nível de consciência actual me permite avaliar que vai ser mesmo útil para ti.

Mas sobre o que é que tu queres mesmo aprender? Envia-me um email com as tuas sugestões para posts e audios do Cool Vibes. Eu vou ler todos e ter todos em consideração. Se tens acompanhado fielmente o Cool Vibes e ele te tem mesmo ajudado, e se estas temas realmente te interessam, então senta-te durante 5 minutos e escreve esse email.

E outra coisa...

Se tens vindo aqui, ou ao Youtube, todas as semanas (ou dias) com entusiasmo ler e ouvir as cenas do Cool Vibes, e vives fascinado com isto, então passa a palavra. Se tens um profile online coloca lá um link para o blog. Se tens um blog coloca lá um link para o Cool Vibes. Escreve sobre o Cool Vibes, refere o Cool Vibes e coloca lá um link para as pessoas poderem vir aqui ao blog. Mas coloca o link completo para ser só preciso clicar:

http://CoolVibesblog.blogspot.com

Em Setembro vão haver várias surpresas, e o Cool Vibes vai passar para um novo nível.

Vou relançar o meu curso online Arte Social: Como Conhecer Mulheres Em Qualquer Lado, A Qualquer Momento, De Uma Forma Autêntica E Natural.

Vou criar um programa de atracção natural e evolução pessoal só para mulheres. Em princípio vai chamar-se Vénus e vai centrar-se nos temas de desenvolver auto-estima e femininidade, explicar como funcionam os homens e como é a energia masculina, como funciona a atracção natural, como conhecer homens, como evitar os que não interessam e reconhecer os que interessam (selecção consciente) e muitas outras coisas.

As outras surpresas são mesmo surpresas... não vou revelar já o que são.

Espero que passes uma boa semana, em Setembro estou de volta.

Sê feliz e faz os outros felizes. Vai falar com aquele homem que te deixa curiosa. Vai falar com aquela mulher pela qual te sentes atraído.


Fala com todas as pessoas.

Perguntas e informações:

CoolVibesClub@hotmail.com

“Compaixão, Homossexualidade, Sexo e Evolução”

Hoje vou partilhar contigo várias perguntas que uma pessoa me enviou, e as minhas respectivas respostas. Não vou revelar a identidade da pessoa, mas é alguém que estou a ajudar através de um dos meus cursos online e que me fez, antes de estar a participar, várias perguntas importantes cujas respostas acredito serem de interesse geral.

Por isso lê este post com atenção.



Mensagem das perguntas:

“Olha, tenho algo para te dizer, mas por favor interpreta o que estou prestes a dizer como uma crítica construtiva, e uma opinião minha, ou má interpretação minha.


São dúvidas que me assaltam quando estou a ler os teus posts, que por vezes contrariam algo que eu já tenha lido anteriormente.

E nota: eu admiro muito o teu trabalho, sinceramente.

Através do teu trabalho, já entendo o que é o Ego, afinal é mau, não está de forma nenhuma associada à auto-estima, já entendo muita coisa que se passa à minha volta, asneiras que fiz com as mulheres (tantas), etc, etc...

Tens revolucionado a minha forma de pensar...

Bom, vamos ao trabalho?

Aqui estão excertos de posts publicados por ti:

"Como detectar um homem de qualidade"

".....Ele respeita e tem compaixão por todas as mulheres. Ele compreende que todas as mulheres têm as suas inseguranças e problemas. O seu objectivo é fazê-las sentirem-se bonitas, sensuais e femininas. É criar nelas a emoção de serem a personificação da beleza."


Agora lê estes excertos....

"O Badboy e a Bitch"

"Ela fica com ele até obter a sua validação, e vai fazer tudo para o conseguir. Nem que seja uma oral na casa-de-banho da discoteca. Hey, por alguma razão é a Bitch..."

e excerto de um post que não me lembro de onde li...

"És é a maior estupidez à face da Terra e só serves como material de reciclagem para ver se sai uma mulher de qualidade com auto-estima."

Com toda a certeza percebeste que existe uma diferença descomunalmente grande entre o primeiro excerto comparado com os restantes. Referir-se a uma mulher que não tem auto-estima, e/ou que funciona atravéz do sistema operativo do Ego como Bitch é... digamos, lixado.
Imagina que uma mulher que age desta forma para com os homens, pois inconscientemente busca algo fora de si, que só alcançará dentro de si, só que ela não sabe disso, encontra este post.


Penso que essa frase não demontra compaixão. E ela sentir-se-á desvalorizada.

Ser bitch, na defenição que se usa na sociedade actual não é nada bom, e o pior disso é que poucas pessoas nem imaginam que este é um exemplo ESTÚPIDO de palavras que se usam para rotular as mulheres, ou outras com que se rotulam homens.

Essas pessoas precisam de evolução pessoal - acabou!!

Ninguém é lixo... somos ou mais ou menos desenvolvidos.

Isso é algo que já estava na minha forma de pensar, e o Cool Vibes veio fortalecer isso.
(...) acho que usaste vocabulário associado a algo que existe na sociedade, tal como Bitch, ou referir-se a alguém como lixo...Como tu próprio dizes, TODOS nós temos valor.E sinceramente custa-me que se fale assim das mulheresPenso que há mais que uma forma de dizer as coisas.Chamar-lhe Badgirl teria sido mais apropriado - isto é apenas a minha opinião.


Pedro, agora gostaria de tocar noutro ponto...

"Ele respeita e tem compaixão por todas as mulheres. Ele compreende que todas as mulheres têm as suas inseguranças e problemas. O seu objectivo é fazê-las sentirem-se bonitas, sensuais e femininas. É criar nelas a emoção de serem a personificação da beleza."

Este excerto não contraria o que tanto dizes acerca de Ego? Que o lugar do Ego é o lixo?
Se eu fizer uma mulher sentir-se bonita, sensual, feminina, será através de elogios, ou de alguma outra forma lhe dê validação. Mas ela precisa de elogios? Se sim, é porque ela tem o ego esfomeado, e se lhe der essa validação, ela sentir-se-á momentaneamente bem para depois precisar de mais doutra dose desta "droga". E se dás droga a um tóxico-dependente que está a sofrer de necessidade - estás a ajudá-lo?


Não... só o farás se o ajudares a sair da dependência que tem.

Pelo que aprendi contigo, cada pessoa tem de se achar bonita a si própria, não precisa de validação de ninguém, para que assim possa ser autónoma, e não depender do exterior. Agora outro ponto...

Mais uma frase tua:"Todos se sentem atraídos pelo sexo oposto ao longo da sua vida."

Então e a homossexualidade?


Desde que leio os teus posts, sempre te referiste à relação Homem/Mulher como se fosse a única que existe no mundo... mas todos nós sabemos que existe. Esclarece-me por favor...
Mais um ponto... este é o último :)


No post relação masculino/feminino...

"...e a reprodução é a única verdadeira utilidade do sexo."

Mas segundo um outro post por ti escrito, que não me lembro qual, referes-te ao sexo como algo extremamente importante para a manutenção da intimidade a 2.

Desde que não seja promíscuo, é errado ter-se sexo como rotina só pelo prazer? O sexo é importante para a intimidade ou indispensável? Será possível uma relação a 2 sobreviver à ausência de sexo?

Confesso que sou lixado... analiso tudo o que me dizem, e por vezes sou tido como chato. Como homem naturalmente atraente, evoluído que és... diz-me: depois de teres feito esta caminhada, ainda tens inseguranças, medos?

Tens emoções negativas? Elas desaparecem depois da evolução pessoal? Mudam? Como passa a ser a vida de alguém depois que tudo acontece?”


Mensagem das minhas respostas:



As tuas dúvidas são perfeitamente naturais, e percebe-se que o teu objectivo é clarificar conceitos para conseguires aprender e evoluir.


Tens apenas de perceber que uma coisa é a minha forma de funcionar na vida, e outra é eu escrever posts no blog.

Há muita coisa que é apenas o meu sentido de humor... e outras expressões fortes que uso apenas para chamar as pessoas à atenção.

Em certos posts ensino autenticidade e compaixão, e uso uma linguagem específica para isso.

Noutros posts ensino selecção e refiro erros, e uso outro tipo de linguagem específica para isso.

Todo o tipo de linguagem que uso é para abrir os olhos às pessoas e fazê-las sentir algo quando lêem os posts. Se ficarem indiferentes ao que leram a informação não terá qualquer utilidade porque não vão reagir, nem lembrar-se dela.

Eu falo das coisas tal como elas são. Há pessoas que sabem lidar com a Verdade e há pessoas que não sabem lidar com a Verdade. Só o primeiro grupo é que me interessa, porque esse é o que busca pela Verdade e é o que quer de facto evoluir e melhorar a sua vida.

No meu dia-a-dia eu não chamo bitch a ninguém nem vejo nenhuma mulher como uma bitch.

Eu tenho compaixão por todas as mulheres, sejam elas quem forem, façam elas o que fizerem. Mas sei reconhecer o que é um comportamento destrutivo, imaturo e uma influência e companhia negativa. Mas compreendo de onde isso vem, e tenho compaixão.

Mas para as pessoas perceberem as coisas eu tenho de falar de forma a que elas percebam. Tenho de ser mais básico... e falar sobre as coisas com uma linguagem que elas percebam. Porque não dá para falar destas coisas no contexto da selecção dizendo apenas para ter compaixão e dar uma ideia de que está tudo bem. As pessoas já são demasiado passivas e aceitam tudo e mais alguma coisa na sua vida porque andam sempre desesperadas por obter algo que preencha o vazio interior que sentem (baixa auto-estima).

Estes termos e expressões mais agressivas são para pôr as pessoas a pensar nas coisas seriamente e começar a tomar decisões conscientes em relação a elas. Vais reparar que nos meus primeiros posts eu usava muitas expressões agressivas e que depois deixei de as usar. Eu entretanto também evoluí na minha forma de escrever sobre estes temas e de preparar os temas.

No início falava mais de como as coisas estavam mal e soava um pouco a "crítica", mas nunca foi crítica. Era desenvolver consciência nas pessoas. Depois passei a partilhar mais soluções e a usar uma linguagem mais suave e agradável, de compaixão.


Mas a primeira fase do Cool Vibes foi importante, e apesar de não validar lá muito os "badboys" e as "bitches", vai abrir os olhos a quem quiser sair do seu ciclo vicioso de energia negativa e comportamentos repelentes ou desonestos.

Eu também não gosto nada de ouvir alguém criticar uma mulher e chamar-lhe nomes, porque sei que isso vem do ego da pessoa e de energia negativa, e não tem como objectivo ajudar alguém ou fazer alguém perceber algo importante e desenvolver a sua consciência em relação ao tema ou situação. Aquilo que digo e explico vem de outro lado... apesar das palavras usadas vem de querer ajudar, vem de compaixão.

Porque há muitas pessoas de bom coração que caiem sempre no erro de se partilhar e ter relações com pessoas desonestas sem integridade, e eu quero que elas percebam o que se passa com elas, e qual é a realidade da situação.

Fazer uma mulher sentir-se bonita, sensual e feminina não tem nada a ver com elogios, validação e alimentar o ego. Tem a ver com compaixão, ser-se masculino e com intimidade. O meu programa das Qualidades trata deste assunto.

Quando digo que "Todos se sentem atraídos pelo sexo oposto ao longo da sua vida" estou claro apenas a falar de homens e mulheres heterossexuais. O Cool Vibes é só e apenas sobre heterossexualidade. Eu não sou homossexual nem tenho nada contra homossexuais, mas apenas falo sobre aquilo que vem da minha experiência e evolução pessoal como homem heterossexual.

Atracção tem a ver com polaridade masculino/feminino, ou seja, se um homossexual for masculino e outro feminino, vai haver atracção. O sexo oposto não tem apenas a ver com o corpo, mas com a forma como se funciona na vida, com energia. Mas nessa frase estava-me apenas a referir a heterossexuais.

Atracção é uma ferramenta da Natureza para que os animais se reproduzam e gerem mais seres vivos. É por isso que eu digo que a reprodução é a única Verdadeira utilidade do sexo. O desenvolvimento da mente humana é que trouxe outras utilidades... A questão é que se não há atracção, não há desejo sexual nem sexo. Logo nunca vai haver intimidade... só amizade. Ou seja, um homem e uma mulher podem gostar muito um do outro, mas como não há polaridade masculino/feminino, não há atracção, não há sexo... nunca vai haver relação íntima ou amorosa... apenas amizade.

Não tem mal nenhum fazer-se sexo com uma pessoa diferente todas as noites apenas por prazer físico. A questão é: porque é que se tem esse estilo de vida? Porque é que se precisa disso? E a Verdade é que isso é apenas uma forma de validação = ego. Não tem mal nenhum, simplesmente prejudica a própria pessoa porque anda sempre numa busca e perda constante. Partilha-se e depois está só novamente e tem de ir à procura. E é um ciclo que nunca acaba.

Essas pessoas nunca têm uma ligação emocional verdadeira com ninguém, nem sabem o que é sexo de qualidade (porque só têm quantidade) nem têm intimidade a sério. Não são selectivas e partilham-se com todo o tipo de pessoas... projectando ao mundo que são fáceis e baratas, e que não têm auto-respeito = baixa auto-estima.

As inseguranças, os medos e as emoções negativas nunca desaparecem a 100%. Evolução pessoal é um caminho, não um destino. Há sempre mais a aprender, desenvolver, evoluir e melhorar. O que acontece é que passam a ser muuuuito menos :)

O que eu costumo dizer às pessoas é que passam a ter 90% de satisfação e 10% de insatisfação. Os problemas são cada vez menos e vão-se embora cada vez mais rápido. As inseguranças e os medos praticamente não te afectam. Deixam de te paralizar ou bloquear e ultrapassas-os facilmente.

As emoções negativas rapidamente são transformadas por ti em emoções positivas. Passas a ter mais paz interior, a viver mais descontraído e relaxado, a sentir-te mais satisfeito, motivado e bem disposto, a ter mais prazeres na vida, a divertires-te mais, e tudo à tua volta vai-se transformando naquilo que desejas ter, fazer, sentir e experienciar.

Começas a viver a vida que queres mesmo viver, a sentir-te poderoso e capaz de tudo e praticamente nada exterior te afecta pois aprendeste a funcionar através do interior, libertaste-te do ego e desenvolveste consciência. Não a 100% pois não há perfeição, mas garanto-te que 90% já é bom como o caraças! :)

Obrigado pela tua mensagem e por teres lido os posts,

Pedro Constantino

Perguntas e informações:

CoolVibesClub@hotmail.com

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

"Deve-se Mostrar Interesse Na Outra Pessoa Durante Um Encontro?"

Será que deves demonstrar interesse na outra pessoa durante um encontro ou saída?

Vamos imaginar o seguinte cenário:

Conheceste alguém por quem te sentes atraído/a (tradução: o teu corpo quere-se reproduzir com o da outra pessoa).

Trocaram contactos (email ou telemóvel/telefone) e estás curioso/a para saber mais sobre esta pessoa.

Combinam então uma saída...

Chega o grande dia da saída, estás sentado/a diante desta pessoa, sentes-te atraído/a por esta pessoa e questionas-te:

“Será que lhe devo demonstrar interesse?”

“Será que devo mostrar que me sinto atraído/a por ela/ele?”

Estas dúvidas não têm mal nenhum, são naturais de surgir. Mas a sua origem é sempre o medo de rejeição.

Porque a dúvida completa é esta:

“Será que se lhe demonstrar interesse vou ganhar algo (validação) com isso ou vou perder a oportunidade que tenho com ela (ser rejeitado)?

Será que lhe devo demonstrar interesse ou não?

Eu estou a sentir esta emoção agradável (atracção) em relação a ela... será que há algum problema em ela saber que estou a sentir isto?

Será que deixei o ferro de engomar ligado?

Será que amanhã vai chocar contra a Terra um asteróide do tamanho da Europa e mandar tudo pelos ares?

Será que amanhã vou acordar com 5 olhos, 8 braços e orelhas azuis...?”

Será, será, será...

Não será que todas estas dúvidas são completamente desnecessárias?

Eu sei que a última de todas é muito séria, mas se o que se passa dentro da nossa cabeça (pensamentos) nada mais é do que uma ilusão, e nada tem a ver com a Realidade, que é o que de facto EXISTE e está fora da nossa cabeça, não serão estas dúvidas mais uma “pequena” rasteira da nossa insegura e viciada em validação mente humana?

Claro que sim =)

Então mas, deves ou não demonstrar interesse na outra pessoa durante um encontro?

Um encontro não é um momento de troca de demonstrações de interesse, nem um negócio de validação... é um encontro, uma saída.

É convívio.

É interacção.

É divertimento.

É diálogo.

É conversa.

É brincadeira.

Mas se tiveres preso dentro da cabeça, com medo de ser rejeitado e desperdiçar uma oportunidade a pensar “Será que devo isto... será que devo aquilo”, não vais estar presente no momento, FORA da tua cabeça, que é onde a outra pessoa está e o encontro está a acontecer.

Se estás preocupado ou nervoso num encontro... estás tramado. Esse tipo de dúvidas é o que de facto vai fazer a outra pessoa sentir-se repelida por ti.

Porquê?

Não, ela não consegue ler a tua mente. Nem é preciso... porque quando tens pensamentos desse género que criam em ti nervosismo e preocupação (emoções negativas), a outra pessoa vai senti-las também... e sentir-se repelida.

Emoções negativas, repelem.

Bué! =)

A não ser que a outra pessoa tenha uma grave falta de opções, não conheça mais ninguém do sexo oposto nem saiba como o fazer, e a sua única opção (o desgraçado ou desgraçada que lhe dá validação) é um ser humano super nervoso e preocupado, tenso, preso dentro da cabeça, mergulhado num oceano profundo de pensamentos desnecessários, que treme por todo o lado como um robô prestes a desmontar-se todo.

Então o que é que fazes?

Se ficas nervoso ou preocupada numa saída ou encontro, e vêm-te à cabeça todo o tipo de dúvidas do que deves ou não deves fazer... é porque o teu ego está-te a controlar completamente.

E olha que ele não é lá grande coisa a controlar.

O ego tem medo de ser rejeitado, porque para ele ser rejeitado é sinónimo de falta de valor ou inferioridade.

Mas quando deixares de ser controlado pelo ego, vais compreender que a Verdade é que ser rejeitado apenas significa que a OUTRA pessoa é diferente de ti e é incompatível contigo.

E o que tens de fazer é ir conhecer outras pessoas e conviver com elas.

E no contexto do encontro, o ego quer ter a certeza de que não vai ser rejeitado e vai obter validação. Que vai conseguir aproveitar aquela oportunidade...

Uma coisa sobre oportunidades:

As oportunidades não se aproveitam desesperadamente. Elas criam-se.

Há oportunidades que surgem sem nós fazermos grande coisa, e se de facto forem do nosso interesse a LONGO prazo, então devemos aproveitá-las CONSCIENTEMENTE.

Mas a mentalidade que tu queres ter é a de que as oportunidades criam-se. Há pessoas por todo o lado para conhecer. Homens e mulheres que são potenciais grandes amigos ou parceiros íntimos de qualidade. Tens é de te mexer e de os ir conhecer.

Mexer = Agir.

Portanto aquela pessoa que está à tua frente durante uma saída ou encontro, não é a única à face da Terra. Não é a tua única oportunidade... é uma de milhares. Tens é de conhecer as outras.

E se vais sair com alguém e é o 1º ou o 473º encontro com ela, a tua missão não é evitar ser rejeitado e conquistar ou seduzir a pessoa para obteres dela validação (reacções positivas).

A tua missão é descobrires como ela é e como é estar com ela. Tens de ver e funcionar através da atracção e tomar decisões independentemente dela.

Tens de explorar e experienciar a outra pessoa e perceber que qualidades e valores ela tem ou não tem.

Se ela tem o que procuras... se de facto é estimulante para ti estar com ela. Não meramente porque ela te dá validação e demonstra gostar de ti, mas porque tem qualidades reais e valores importantes.

Porque tem auto-estima, porque é optimista, porque tem compaixão, porque é divertida e interessante, porque sabe conversar e brincar, porque é honesta, etc.

Tens de ser conscientemente selectivo. Porque das duas uma: ou vais para um encontro como se fosses para uma entrevista de emprego na qual tens de provar o que vales... e o encontro não vai ser nada de especial, e só voltas a ver a outra pessoa se ela de facto não tiver outras opções...

Ou vais para um encontro descontraído e confiante, relaxado e positivo, para te divertires e conversares, e para saberes mais sobre a outra pessoa, e se ela de facto te merece ou se vale a pena voltar a sair com ela.

E nunca nunca nunca te fiques só por uma opção. Isso é um graaande erroooo. Dos piores. Tu deves sair com várias pessoas, estar sempre a conhecer mais pessoas e a sair com elas. Porque se a pessoa à tua frente for a tua única opção, das duas uma: ou continuas a sair com ela independentemente de ter qualidades e valores ou não; ou então ficas sozinho.

E esta situação de falta de opções vai-te sempre encurralar. Porque depois não tens outras opções para poderes comparar e escolher as melhores para ti. Para teres companhia e intimidade vais estar sempre dependente de alguém que nem sequer te estimula lá muito... e isso contribui sempre para a tua insatisfação pessoal.

Tens de ter auto-respeito e ser conscientemente selectivo.

E num encontro tens de te divertir. É para isso que eles servem: para as pessoas se juntarem e se divertirem. É uma pequena mas intensa festa a dois. Conversa-se, brinca-se, pergunta-se coisas, comenta-se coisas, passea-se, dança-se, brinda-se... etc.

Pensares se deves demonstrar interesse ou não, não é o que te vai ajudar a obter melhores resultados de uma forma natural.

Deves sim sair da cabeça, silenciar as dúvidas, criar momentos divertidos e estimulantes e apreciá-los com a outra pessoa. E durante todo esse processo deves ser selectivo e estar consciente do tipo de pessoa que está à tua frente.

Saídas e encontros são celebrações, por isso celebra e diverte-te! E faz a outra pessoa sorrir...

Perguntas:

CoolVibesClub@hotmail.com

"Segredos da Evolução Pessoal - Programa Audio"

Hey, tudo fixe?

Para comemorar o 1º aniversário do Cool Vibes decidi fazer-te uma surpresa:

Criar um programa inteiramente grátis sobre evolução pessoal, como evoluir e começar a mudar a tua vida.

Sim, tens um programa audio *inteiro* para ouvires no Youtube!

http://www.youtube.com/watch?v=52r31B0_xLE

São 2 horas e 30 minutos de conteúdos relacionados com o tema da evolução pessoal.

O programa está dividido em 17 partes de 9 minutos cada uma, e nele vais-me ouvir falar acerca de:

* Princípios básicos da evolução pessoal;

* Como mudar e evoluir;
* Influências positivas e influências negativas;
* O Segredo e a Lei da Atracção;
* Ferramentas da evolução pessoal (afirmações, visualização, objectivos, motivação, etc);
* Desenvolvimento Pessoal e as 6 Necessidades Humanas;
* Zona de Conforto e Insegurança;
* Ego Humano e Validação;
* Natureza Humana e o Processo de Naturalização;
* Energia e Espiritualidade...

E mais umas quantas coisas que certamente te vão interessar.

http://www.youtube.com/watch?v=52r31B0_xLE

Mais uma vez estou acompanhado do meu amigo (aquele da entrevista) e vais ouvir uma conversa espontânea, (muito) descontraída e natural, sem qualquer preparação, na qual vou dizendo aquilo que me vem à cabeça.

Sim, vais muito provavelmente encontrar uns erros... e poder rir-te deles ;)

http://www.youtube.com/watch?v=52r31B0_xLE

Mas *atenção*... eu falo de muitas Verdades que podem não ser propriamente agradáveis de ouvir. Muitas vezes exagero um pouco e uso muito o meu sentido de humor.

Por isso não deves levar tudo demasiado a sério e à letra, porque sou apenas eu a dizer as coisas de forma a que as assimiles mais facilmente.

E procura ter em atenção e presente o CONTEXTO em que eu as digo.

Porque muitas vezes pode-te parecer que estou apenas a ser estúpido, a dizer disparates ou a criticar à parva... mas não tem nada a ver com isso.

Há Verdades que de forma geral se preferem ignorar... bem, eu não. Eu estou aqui para as partilhar e falar delas exactamente como são. E “chatear” uns eguinhos com isso ;)

Foi super divertido e estimulante para mim gravar este programa, espero que te divirtas a ouvi-lo e que descubras informação que te ajude no teu caminho rumo à tua realização pessoal e paz interior.

Não tens de ouvir tudo hoje... vai ouvindo conforme puderes e te apetecer, mas ouve por ordem.

Para ouvires agora a 1ª parte clica no link abaixo (é 100% seguro):

http://www.youtube.com/watch?v=52r31B0_xLE

Obrigado pelo teu tempo e pelo teu interesse no Cool Vibes.

Segue as tuas paixões!

Pedro Constantino
Criador do Cool Vibes

"Sobre o Cool Vibes"

O Cool Vibes é o meu projecto de Atracção Natural e Evolução Pessoal.

É para homens e mulheres que querem criar uma vida pessoal e amorosa de qualidade.

É para homens e mulheres que querem criar uma relação íntima de qualidade.

Para homens e mulheres que querem desenvolver verdadeira auto-estima e mudar a sua vida.

Para homens e mulheres que se querem tornar naturalmente atraentes e compreender o sexo oposto.

Para homens e mulheres que querem aprender a conhecer pessoas, criar opções e a seleccionar conscientemente para encontrar um parceiro de qualidade.

Para homens e mulheres que querem aprender a criar saídas, encontros, momentos, situações e experiências estimulantes para o sexo oposto.

Para homens e mulheres que estão dispostos a AGIR e a viver uma vida de CORAGEM e INTEGRIDADE.

Eu sou um perito em atracção. Isto não significa que sou melhor que alguém, é apenas um título para identificar o que eu faço e como te posso ajudar.

Sei o que sei porque tive de aprender tudo sozinho e sem orientação para salvar a minha vida da insatisfação e frustração constante em que vivia.

Nota: lê o post “Sobre Mim – Pedro Constantino” para saberes como aprendi aquilo de que falo e partilho, e as mudanças que alcancei com os conteúdos que partilho.

Eu gosto de descrever o Cool Vibes como o Jeet Kune Do do Bruce Lee. É formado por muita coisa diferente, o melhor que encontrei e que vou encontrando em relação aos seguintes temas:

· Atracção Natural
· Natureza Humana
· Espiritualidade
· Polaridade Masculino/Feminino
· Dinâmicas Sociais
· Linguagem Corporal
· Desenvolvimento Pessoal
· Sexualidade
· Relações e Intimidade
· Sucesso


Eu falo de tudo através da perspectiva da Espiritualidade, pois foi a área que realmente me ajudou.

O Cool Vibes nada tem a ver com outras áreas específicas que não a Espiritualidade e não deve ser confundido com mais nada.

É também, e muito, composto pelas minhas conclusões pessoais às quais cheguei através das minhas experiências e sucessos pessoais.

As duas coisas mais originais do Cool Vibes, que não vais encontrar em mais lado nenhum, são o meu modelo dos 3 grupos de qualidades que tornam qualquer homem naturalmente atraente para as mulheres, e o meu sistema de selecção consciente.

Os princípios do Cool Vibes são a Integridade, Autenticidade, Honestidade, Compaixão, Humildade e Coragem.

Truques, técnicas, esquemas, mentiras, falsidade, engate e manipulação são para mim pura mediocridade e lixo, e completamente desnecessários.

O Cool Vibes está aqui para promover a Honestidade nas ligações entre os homens e as mulheres.

Assim como também para ajudar a criar mais relações íntimas e ligações amorosas estimulantes a todos os níveis (físico, mental, emocional e espiritual) entre os homens e as mulheres.

Relações Íntimas nas quais há atracção natural e estimulação sexual, compaixão, respeito, ligação emocional verdadeira, honestidade, optimismo, humor e divertimento, e mais importante de tudo: evolução, verdadeira intimidade e partilha.

Através do Cool Vibes eu ensino tudo aquilo que me ajudou a desenvolver auto-estima, auto-respeito, confiança, masculinidade, optimismo, paz interior, verdadeira Compaixão, Consciência, selecção consciente, compreensão profunda e real do sexo masculino e feminino, compreensão real e profunda do que é atracção e de como funciona naturalmente, que me ajudou a libertar-me cada vez mais do ego, que me ajuda a alcançar as coisas que desejo e que me permitiu resolver a minha vida amorosa.

Não digo isto para me gabar, mas sim para saberes o que também é possível para ti. Porque quantas mais pessoas souberem este tipo de coisas e as aplicarem na sua vida, melhor o mundo vai ficar.

Isto não tem nada a ver com perfeição... eu continuo a pesquisar, estudar, assimilar e aplicar tudo aquilo que me possa ajudar a evoluir como homem e ser humano, e a criar mais qualidade na minha vida, em todas as áreas.

Eu continuo a desafiar-me e a procurar aprender mais sobre a Verdade.

No Cool Vibes partilho a minha versão da Verdade. E se achares que ela te vai servir, então usa-a para teu benefício e disfruta dos resultados.

Mas se achares que não te vai servir e que não tem qualquer valor, eu agradeço a tua vinda ao Cool Vibes, mas deves seguir o teu caminho e encontrar a tua versão da Verdade, ou seja, aquela que estiver em sintonia contigo.

Deves ver o Cool Vibes apenas como uma opinião. O que partilho trouxe resultados práticos e reais na minha vida pessoal e amorosa, mas nada mais é do que a minha opinião pessoal. Não é “A” Verdade, é apenas a minha versão da Verdade.

Questiona sempre a autoridade e segue apenas aquilo que estiver em sintonia contigo.

Toda a informação contida no Cool Vibes deve ser usada apenas com o propósito de entretenimento pessoal. Lê-o e usa a informação, pois ela existe para te ajudar de uma forma prática e eficaz, tal como me ajudou e ajuda a mim, mas tem presente que tu és o único responsável pelos teus comportamentos e pelas consequências dos teus comportamentos.

E se queres alcançar mudanças e resultados práticos tens mesmo de AGIR. Não chega ler e saber estes conteúdos. Não chega pensar neles e falar sobre com os amigos no café.

Tens mesmo de agir através deles e tomar decisões através deles. Tal como eu o tive de fazer e todas as pessoas que já ajudei também o tiveram de fazer.

Não te fiques só pelo post actual... só ler um post não te vai ajudar a alcançar as mudanças interiores e exteriores profundas que pretendes, nem ajudar a alcançar os resultados práticos e reais que desejas. Lê todos os posts.

Não os precisas de ler todos hoje... mas se queres mesmo levar a tua evolução pessoal a sério, aconselho-te a que leias pelo menos um todos os dias, e que meias cada um deles mais que uma vez. Pelo menos duas, com muita atenção.

Tens também os meus audios, que para muitas pessoas podem ser mais estimulantes de ouvir que ler os textos. Para isso basta ires aqui à coluna da direita, à secção “Sites to Check Out”, e clicar em “Cool Vibes Youtube”. Lá vais encontrar dezenas de vídeos com podcasts (audios) meus para ouvires.

Uns deles são a versão audio e revista de posts do blog, outros são sobre temas de que não falo no blog. Vai ouvindo os audios conforme puderes.

E se tiveres alguma pergunta em relação a algum post ou audio, ou se precisares de ajuda em relação a algo da tua vida amorosa, envia-me as tuas questões para
CoolVibesClub@hotmail.com

Através desse email já ajudei centenas de pessoas, e cada vez recebo mais perguntas. Para já consigo responder a todos, e se não obteres resposta em 24 horas sê paciente. Posso levar mais tempo para te responder, mas respondo-te.

Procura ser directo e específico, e ir directo à dúvida. Explica-me o que for preciso explicar-me, mas faz um esforço para ser o mais simples e directo possível.

Podes também fazer-me as tuas perguntas aqui no blog deixando um comentário.

Se adicionares
CoolVibesClub@hotmail.com no MSN, vais fazer parte da espectacular Comunidade Cool Vibes. Ou seja, vais fazer parte da newsletter e mailing list do Cool Vibes, e ser avisado de todas as coisas novas que eu fizer (posts, audios, ebooks, programas e cursos online, etc).

Nota: não vais de forma alguma ter a tua caixa de emails encravada por causa de um monte de emails inúteis. Eu só costumo enviar 1 email por semana, e no máximo posso enviar 2, nada mais. E se quiseres deixar de fazer parte da mailing list, basta enviares-me um email com o assunto “Remover”.

O email do Cool Vibes não serve para falar comigo no MSN. Eu posso lá aparecer uma vez por semana mas é apenas para organizar as mailing lists.

O Cool Vibes está cada vez maior e a chegar a cada vez mais pessoas. O Cool Vibes e todos os temas de que falo nele são a minha grande paixão na Vida. É sobre isto que eu gosto de falar e escrever, por isso se de alguma forma o que se passa aqui no Cool Vibes te interessa, sê bem-vindo e aprecia a estadia.

Um futuro espectacular está à tua espera... tens é de começar a caminhar na sua direcção.

Segue as tuas Paixões!

Pedro Constantino
Criador do Cool Vibes e Perito em Atracção

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

"A Verdade Sobre o Casamento, Atracção, Relações e Intimidade"

"A Verdade Sobre o Casamento, Atracção, Relações e Intimidade"



Se estás a pensar em casar-te, ou já és casado, então este é daqueles textos que tens MESMO de ler.

Pois hoje vou falar-te acerca da Verdade por detrás do casamento, e sobre como ele se afecta a qualidade da relação íntima e a atracção que existe (ou não) entre os parceiros.

Estás pronto?

Casamento é apenas um título... logo é irrelevante para a qualidade da relação íntima.

Se dois seres humanos estão numa relação íntima, o que vai definir a qualidade dessa relação é sempre e apenas a personalidade dos parceiros.

É o seu nível de consciência, qualidades e valores... nunca um título exterior como o casamento.

Casar-se nunca vai tornar uma relação melhor ou provar seja o que for. Casar-se não garante nada.

A única coisa que pode tornar uma relação íntima melhor é a evolução pessoal dos parceiros... nada mais. A qualidade das nossas experiências nada tem a ver com as circunstâncias aleatórias do exterior... apenas com o nosso interior. Ou seja, a nossa personalidade.

Pois é através dela que criamos a nossa Vida e é através dela que lidamos com as circunstâncias aleatórias do exterior.

É sempre tudo uma questão de nível de consciência, qualidades e valores.

O casamento é então um mero título exterior. Estar-se casado é um mero título exterior. Tal como ser-se modelo, popstar, rockstar, VIP, estrela de cinema, etc.

É apenas uma catalogação da sociedade. Isto não quer dizer que é bom ou mau... quer apenas dizer que nada mais é do que uma palavra.

Claro que é uma palavra com significado... é uma palavra que representa algo, que significa algo.

E sabes qual é a única entidade em todo o Universo que apenas vive através do significado das coisas e das palavras?

O nosso amigo ego humano =)

Hey, por alguma razão nós somos o único animal neste planeta que se casa: é porque somos o único animal que tem ego.

Se pensares bem, vais descobrir que as bases do casamento são de facto a validação e a insegurança.

Repara bem nisto:

Muitos seres humanos (nem todos) pensam que estar casado demonstra à sociedade que eles têm valor. Porque estar casado significa que há alguém do sexo oposto que está interessado neles e que gosta deles.

Ou seja, que eles têm valor suficiente para serem desejados por alguém e para estarem casados com alguém.

O que é uma grande treta.

Porque todos os seres humanos têm valor, e têm exactamente o mesmo valor.

Estar casado ou não estar casado é igual. Tem-se valor à mesma, e tem-se o mesmo valor. E não se tem pouco ou muito valor, tem-se valor. Todos têm o mesmo valor.

Por isso casar não é a grande salvação que vai ajudar alguém a desenvolver auto-estima.

Achas mesmo que uma cena de metal à volta do dedo vai fazer alguma diferença na vida de alguém?

Claro que não. Talvez lhe dê validação e lhe alimente o ego... mas e depois? Auto-estima nem ver, e depois qual é a qualidade real do casamento? Tem qualidade? Satisfaz os dois? Estimula os dois todos os dias? Há atracção, intimidade e divertimento? Há fascínio, entusiasmo e humor? Há partilha e compaixão?

Se sim, então óptimo. Se não, então essa relação só existe por falta de opções, baixa auto-estima, insegurança e busca por validação.

Ah, e também busca por algum prazer físico... não sei se percebes o que eu quero dizer.

Portanto casamento é apenas uma forma de validação.

“Ele/a está casado, logo deve ter algum valor como parceiro íntimo”.

E certamente já ouviste comentários do género:

“O quê, ele/ela ainda é solteiro/a? Aaah... coitado/a!”

Ou então:

“O quê, ele/ela ainda é solteiro/a? Alguma coisa de errado se passa com ele/a para ainda não ter encontrado alguém”.

Sinceramente, isto faz algum sentido?

Claro que não. Como se não estar casado fosse uma prova e demonstração de baixo valor ou de não valor. Isso é ridículo.

O que isto faz é fazer as pessoas acreditar que há algo de errado em ser-se solteira/o. Não há nada de errado em ser-se solteirona, nem solteiro, nem casado... isso não é prova do nosso baixo valor. Nós temos sempre valor.

Se não estás numa relação íntima com ninguém isso não demonstra que não tens valor. É irrelevante. Tu tens valor mesmo sendo solteiro.

E se estás numa relação íntima com alguém, então já estás comprometido. Já tens uma ligação emocional e já tens intimidade. Não há mais nada a acrescentar. Casares-te não vai acrescentar nada à relação. Não a vai salvar nem melhorar. Vai ficar tudo na mesma porque são as vossas personalidades que a criam, não é um título exterior, uma palavra, que define a qualidade da relação e dos momentos em que estão juntos.

Não fiques preocupada porque a “coisa nunca mais avança para o casamento” ou “ele não fala em casamento”.

Porque casamento não tem nada a ver com ele gostar realmente de ti ou não. Não é por ele (ou ela) querer casar-se contigo que prova que realmente te ama ou gosta de ti.

Isso é algo que se demonstra SEMPRE que se está com a pessoa. SEMPRE. Todas as vezes, todos os momentos. E chama-se a isso Compaixão.

Casamento é irrelevante. O casamento não é “a felicidade” nem a grande solução... é apenas um título e uma forma de validação.

E se pensares bem no evento que é um casamento... todos os amigos e familiares a assitir (dar atenção), e a noiva com um belo vestido branco enorme (para dar nas vistas).

E depois, desde quando é que troca de texto, mostrar roupa e tirar fotos se tornaram mais importantes do que o que realmente nos mantém VIVOS? Tipo... comida!

É que sem comida é um pouco complicado estar vivo... mas num casamento isso é completamente negligenciado. Pensa bem: ao fim da manhã assistes à cerimónia, e depois com tudo o resto mais a eterna sessão de fotos, almoças lá para as 16h, 16h30.

Fotos: bocados de papel com tinta. Para recordar o dia mais importante das suas vidas: o dia de casamento.

Hey, TODOS os dias são o dia mais importante das nossas Vidas. TODOS sem excepção. A Vida é vivida no momento presente, no presente, no agora, e todos os segundos são valiosos pois são segundos em que estamos vivos a experienciar Existência.

E depois fotos... para quê? Para olhar para elas e recordar? Para viver através de memórias do passado? Enquanto se ignora e negligencia o momento presente...?

A qualidade da tua vida depende apenas daquilo que experiencias e sentes no momento presente. Se lhe viras as costas estás a assinar um contracto de aleatoriedade no qual vais depois sentir mais coisas negativas (problemas) do que positivas (realização pessoal).

Por isso cuidado com o “vício” das fotos e de querer registar tudo e mais alguma coisa em vez de as experienciar na sua totalidade, em vez de estar presente e viver fora da cabeça no momento presente.

Fotos não têm mal nenhum, mas na Realidade são apenas bocados de papel com tinta. E viver através de memórias vai-te prejudicar mais do que beneficiar.

E hey, nós temos uma coisa chamada memória (que até pode ser treinada e desenvolvida), não precisamos de fotos para nos recordarmos de momentos bons e positivos que passámos ;)

E depois usam-se alianças como se fossem alguma medalha...

“Hey, olha para o meu dedo! Há alguém do sexo oposto que gosta de mim! Vês? Eu também tenho valor, dá-me atenção e validação!”

= )

Ou será que usam as alianças como... algemas...?

Sim, porque o segundo ingrediente do casamento é a insegurança.

Repara bem:

“Até que a morte nos separe...”

Hã?! O_O

É que a tradução disto na Verdade é:

“Vais ser a minha fonte de validação até morreres...”

O casamento é na Verdade uma “prisão”.

Porque independentemente da “performance” e personalidade do parceiro (qualidade da relação), decide-se ficar com ele para sempre.

Para muitas pessoas isso é uma “prova de amor”.

Treta.

Amor é algo que cada um de nós sente dentro de nós, estando com alguém ou não. Logo não é algo que se dá ou se vai buscar ao exterior (como validação).

E se está dentro de nós então há também amor por nós próprios... logo há auto-estima e auto-respeito. E se há auto-respeito não se vai estar numa relação que destrói a qualidade da nossa vida. Aceita-se apenas o melhor para nós e nunca menos do que isso.

Porque gostarmos de nós próprios não significa acharmo-nos melhores do que os outros. Não significa não gostar dos outros. Aliás, gostarmos de nós próprios e respeitarmo-nos é o que nos vais permitir realmente gostar dos outros e respeitá-los, porque temos essas emoções dentro de nós, logo vivemos através delas e lidamos com os outros através delas.

Se alguém precisa de validação constante (baixa auto-estima = ego a controlar a pessoa e a sua vida) a solução não é arranjar uma fonte de validação constante “até que a morte a separe dela”...

É libertar-se do ego, desenvolver auto-estima e deixar de precisar de obter validação. Não é uma relação com outro ser humano que nos vai “salvar”... é a relação que temos com nós próprios.

O casamento é então uma forma de “prender” um parceiro ao outro, para não fazer com que nenhum dos dois perca a sua “única e preciosa” fonte de validação.

E depois usam-se as tais alianças para afastar do parceiro qualquer curioso ou interessado que possa “roubar” a sua fonte de validação.

“Hey, eu tenho aliança, logo estou ‘ocupado’. Afasta-te!”

Medo de perder a outra pessoa... medo de perder o parceiro.

E há quem diga que é porque gosta muito dele, logo não o quer perder.

Pois... isso é muito giro mas medo é uma emoção negativa, e gostar é uma emoção positiva. Não vejo a relação entre ambos... e de uma emoção positiva nunca vem uma emoção negativa, vêm mais emoções positivas.

Portanto o que realmente se passa aqui é que a pessoa tem medo de perder a sua fonte de validação. Neste caso ela não gosta do parceiro, ela gosta é da validação que obtém dele.

Porque ela tem baixa auto-estima e essa validação alivia-a da insatisfação constante em que vive.

Obviamente que pode também gostar do parceiro, mas isso não tem nada a ver com ter medo de o perder porque não depende nem precisa dele (validação). Simplesmente gosta dele e dos momentos que passa com ele (auto-estima).

E outra coisa importante: eu não estou a falar de todas as pessoas que estão casadas ou que se casam. Não estou a dizer que todas são assim.

Mas em termos de insegurança a coisa não fica por aqui...

É que há muitas pessoas que se casam porque não têm opções, não sabem criar opções e têm medo de não conseguir outra oportunidade.

Elas casam-se com a primeira pessoa que demonstrar gostar delas (validação) ou com a primeira pessoa com quem conseguem ter intimidade.

E pensam algo do género:

“Hey, é melhor prendê-la/o a mim o mais rápidamente possível porque senão perco-o e depois não tenho mais ninguém, e posso ficar solteiro/a para sempre e nunca mais voltar a ter amor (tradução para este contexto: validação e/ou sexo) na vida!”

Provavelmente já deves ter ouvido dicas destas:

“Estás parvo?! Aproveita! Não te faças de esquisito! Mais vale isso que nada!!”

Esta é a típica conversa de quem vive com uma mentalidade de escassez e não sabe criar opções.

Como não consegue criar novas opções, para ele mais vale qualquer “porcaria” que apareça por acaso do que continuar sem nada.

Não é preciso ser muito inteligente para perceber que aqui não há qualquer gota de auto-respeito (auto-estima).

Mas escassez é uma ilusão...

Sai à rua e olha à tua volta... vai a um centro comercial e olha à tua volta... vai à praia e olha à tua volta... vai a uma faculdade na hora de almoço e olha à tua volta... vai a uma discoteca a partir das 2h e olha à tua volta...

Há dezenas, senão centenas de pessoas para conhecer! Centenas de potenciais amigos ou parceiros íntimos!

É preciso é fazer alguma coisa acontecer. Iniciar uma conversa, dizer qualquer coisa...

Criar momentos e ligações.

Mas isso é uma conversa que fica para outro post.

Quero que saibas que de qualquer forma eu não tenho nada contra casamentos. Não acho de forma alguma que um casamento seja uma coisa má... hey, até me posso vir a casar um dia destes.

Mas é importante que vejas o casamento pelo que ele realmente é, a Verdade. Sem tretas ou floreados... a pura Verdade.

Para que depois possas tomar uma decisão consciente em relação à tua vida amorosa.

Porque se casar fosse a grande solução ou prova de que se tem (ou vai ter) uma relação íntima espectacular, então não haveriam divórcios.

A grande solução, e a “prova” de que tens ou vais ter uma relação íntima espectacular, está dentro de ti. É a tua personalidade. E é a tua capacidade de criar opções e de fazer uma selecção consciente do teu parceiro.

E se já estás numa relação íntima que te deixa satisfeito, então experiencia-a ao máximo no momento presente e aproveita-a bem. Não percas tempo a pensar que o casamento é a “peça” que falta na relação... porque não falta “peça” nenhuma.

A “peça” é a relação íntima em si. És tu e o teu parceiro. Porque ambos já têm valor. Sempre tiveram, têm e sempre terão valor.


Segue o que Amas,
Pedro C.

"Sobre Mim - Pedro Constantino"

Hey, o meu nome é Pedro Constantino e eu sou o criador do Cool Vibes.

Tudo o que existe do Cool Vibes foi e é criado por mim, desde o blog, os posts, os profiles, os logotipos, as imagens, os ebooks, os audios, os vídeos, etc.

Este post é para saberes mais sobre mim, a minha evolução pessoal, e como eu cheguei até aqui.

Desde muito novo que sempre tive uma curiosa sensação de que na Vida certas coisas valiam mesmo a pena e outras coisas eram completamente irrelevantes e dispensáveis.

Mas não sabia porquê, nem percebia porquê...

No fundo eu sempre andei atrás da Verdade das coisas. Sempre tentei compreender a Verdade. Sempre me dediquei a descobrir a Verdade sobre mim, os outros seres humanos e a Vida no geral.

Mas tal como todos os outros seres humanos, nasci e cresci numa sociedade artificial disfuncional... e por muito que olhasse à volta e procurasse com atenção, a Verdade não aparecia.

Tudo sempre pareceu caótico, mau e um grande mistério impossível de desvendar.

Bem, eu estava errado. Cooompletamente errado.

Como todas as outras pessoas tinha levado com uma bela “lavagem cerebral” da religião, dos media, da escola, etc e fiquei preso dentro da cabeça, num nível inferior de consciência chamado ego.

Resultado: vivi quase 22 anos com baixa auto-estima.

Durante esses 22 anos fui também muito inseguro e negativo.

Estava quase sempre em casa de volta das minhas actividades de entretenimento mental (desenhar, escrever, criar histórias e personagens, jogar jogos de computador, ver filmes, ver desenhos animados, ler banda desenhada, ler livros de ficção científica, ouvir música, etc).

Não me arrependo de nada disso, pois essas coisas não têm mal nenhum e fizeram com que eu desenvolvesse algumas qualidades importantes que hoje são-me extremamente úteis... mas durante todos esses anos vivi de uma forma desiquilibrada, sem ter praticamente vida social.

Locais públicos e situações sociais deixavam-me extremamente desconfortável, e então eu evitava-as. Eu podia ser chamado de tímido ou envergonhado... ou até de introvertido.

Essas palavras descrevem na perfeição o que superficialmente se passava... mas a Verdade é que eu simplesmente tinha baixa auto-estima, não gostava de mim próprio, achava que não tinha qualquer valor, acreditava que era feio e acreditava que nunca nenhuma mulher alguma vez iria querer ter algo comigo.

Acreditava que nunca nenhuma mulher alguma vez se iria sentir atraída por mim ou apaixonar-se por mim.

Eu acreditava que só servia para desenhar... que essa era a única coisa para a qual eu tinha utilidade.

Yah, digamos que o meu dia-a-dia emocional não era lá grande coisa...

Desde muito novo que comecei a sentir uma curiosidade e interesse especial pelo sexo feminino. Energia feminina sempre despertou algo em mim desde muito novo...

Só que a minha bela baixa auto-estima e insegurança fez com que eu não me conseguisse relacionar com raparigas e aproximar-me delas como gostaria.

E atenção que eu não estou a falar de sexo... estou a falar de ligação emocional e convívio. Claro que atracção também existia mas não era isso que definia o meu desejo.

Mal conseguia falar com raparigas... e por isso comecei a evitá-las.

Eu era o campeão da zona de conforto... medalha de ouro e recordista mundial absoluto. Eu evitava qualquer tipo de desafio e tudo o que me fazia sentir desconforável... e era bom nisso =)

Na altura em que entrei na faculdade vivia completamente insatisfeito e frustrado por causa de tudo isto, e foi por essa altura que tive as minhas depressões.

Sentia-me constantemente em baixo, desmotivado e revoltado com a minha vida.

Comecei a agir para me tentar salvar e a experimentar tudo o que me vinha à cabeça para mudar a forma como me sentia.

Comecei a sair mais de casa e a conviver mais com as pessoas que conhecia. E comecei a estar e a falar mais com as raparigas que conhecia na altura.

No 1º ano da faculdade as coisas exteriormente melhoraram um pouco... mas a Verdade é que interiormente continuava a ter baixa auto-estima, continuava a ser inseguro, negativo, e a não conseguir atrair raparigas.

Eu sentia tanta vergonha de tudo isto que se passava dentro de mim que não conseguia falar com ninguém sobre o que realmente se passava comigo.

E nesta altura eu pensava que o meu grande problema era não ter namorada... e que se tivesse namorada tudo se iria resolver e eu seria finalmente feliz.

Mas, mais uma vez eu estava errado...

Em 2004 chegou uma altura em que já estava tão saturado de me sentir insatisfeito e frustrado, que decidi fazer tudo o que fosse preciso fazer para conseguir ter finalmente uma namorada.

E o que eu comecei a fazer, e nunca mais me esqueci dessa noite, foi pesquisar na internet por soluções.

E a partir daí a minha vida passou a ser uma aventura fantástica e nuuunca mais foi a mesma.

Todos os dias pesquisava e estudava durante horas... larguei muita coisa que adorava fazer para poder ter tempo para a minha nova dedicação, que nem sabia que se chamava evolução pessoal.

Yah, eu percebia muito disto na altura ;)

Ao início, 80 a 90% da informação que encontrei simplesmente não era lá grande coisa. Ou não resultava ou prejudicou-me de alguma forma.

De 2004 até meio de 2006 as coisas começaram a mudar, mas muito difícilmente e lentamente. Os resultados não eram lá muitos... e não eram propriamente aqueles que eu realmente pretendia.

Mas hey, já não me sentia tão mal e já via uma Luz ao fundo do túnel.

Até que chegou até mim... “O Segredo” de Rhonda Byrne.

Foi engraçado porque foi completamente por acaso. Um professor da faculdade decidiu no final do ano passar uns filmes... e “O Segredo” foi um deles.

Bem, o filme mudou a minha Vida. Fiquei fascinado, e assim que o acabei de ver comecei logo a APLICAR os conceitos que através dele tinha aprendido.

E foi “O Segredo” que de facto me fez começar a mudar tudo muito mais rapidamente. Interiormente e exteriormente.

6 meses depois de ter visto “O Segredo” tinha a minha vida amorosa resolvida.

Não apenas por causa d”O Segredo”, mas por tudo o que encontrei, estudei, assimilei e apliquei depois de o ter visto.

Eu tenho centenas e centenas de horas de estudo de muita coisas diferentes relacionadas com os temas da espiritualidade, natureza humana, atracção natural, polaridade masculino/feminino, sexualidade, intimidade, relações, dinâmicas sociais, desenvolvimento pessoal, sucesso, etc.

E a minha mudança não se deve ao mero estudo destes temas. Não se deve meramente a saber e compreender...

...deve-se a ACÇÃO. À prática... a experiência... à aplicação de tudo o que encontrei que estava rotulado de solução.

Eu tive de deixar de fazer muita coisa que adorava fazer. Afastei-me de 90% dos meus amigos.

Fiz muita coisa que tinha medo de fazer ou que me deixava desconfortável. Desafiei-me constantemente de muitas maneiras diferentes.

Tomei muitas decisões difíceis e tive alguns conflitos.

Arrisquei muito e tive de enfrentar vários obstáculos e problemas.

Comecei a sair sozinho à noite para discotecas. Foi empurrado por mulheres e ameaçado por homens... mas na semana seguinte estava lá outra vez =)

Fui rejeitado, ignorado e incompreendido...

Durante a minha fase de transição passei muito tempo só, a saltar de grupo em grupo sem nenhuma ligação próxima com ninguém. Durante 2 anos não tinha ninguém com quem pudesse falar sobre o que andava a fazer.

Sozinho e sem orientação, pelo caminho cheguei a perder qualidades e a andar completamente confuso e perdido. Mas continuei em frente... às apalpadelas pelo escuro, no meio do nevoeiro... sem saber muito bem se o que andava a fazer me faria chegar a algum lado.

Mas decidi acreditar. Mantive-me firme nos momentos difíceis, e eles começaram a desaparecer.

Era apenas eu e a informação que encontrava. E das duas uma: ou a experimentava para ver se resultava, ou ficava na mesma. E ficar na mesma significava viver na insatisfação do costume.

Escolhi a primeira hipótese.

Fui intencionalmente e de propósito de encontro às experiências que me fariam crescer, evoluir, desenvolver qualidades e aprender lições importantes sobre o ser humano e a Vida.

Há quem “espere sentado” que essas experiências surjam. Bem, das duas uma: ou apenas se passa por elas depois de muitos anos de Vida, ou nunca se chega a passar por elas.

Deixei-me de tretas, de desculpas, e principalmente das minhas opiniões inteligentes... e passei a viver uma Vida de Coragem em busca pela Verdade e pelo que realmente interessa.

E os resultados começaram a surgir...


Comecei a ser mais masculino e atraente para as mulheres.

Comecei a conhecer mulheres regularmente, pela internet e no mundo real, e a sair com elas.

Falei com mulheres de todo o mundo pela internet.

Obtive centenas de emails e dezenas de números de todo o tipo de mulheres.

Fiz coisas que nunca tinha feito antes e que nunca pensei fazer ou ser capaz de fazer.

A minha baixa auto-estima começou a desaparecer até que foi completamente substituída por auto-estima.

Comecei a ter uma vida social activa e a divertir-me muito mais.

Fiz novas e espectaculares amizades.

Comecei a sentir cada vez mais Paz Interior e Verdadeira Liberdade.

Comecei a ser uma companhia mais estimulante e agradável.

A minha Vida começou a mudar de um labirinto infernal caótico negativo, para um paraíso de harmonia e prazer constante.

Deixei de ser inseguro. Passei a ser um “viciado” em desafio, em usar Coragem e por isso desenvolvi confiança em mim.

Saí da minha zona de conforto... aliás, já nem sei onde é que ela está. É que não aparece nos mapas...

Desenvolvi Consciência e Compaixão. Libertei-me do ego... não sou nenhum Iluminado, mas continuo a trabalhar para isso.

Desenvolvi prazer em ver os outros ter sucesso e serem felizes... e desejar contribuir para isso. E passei a agir para contribuir para isso.

Todas estas coisas, e muitas mais. Eu tenho histórias pessoais que se as contasse aqui no blog tu não ías acreditar...

E não escrevi isto para me gabar. O meu ego há já muito que não controla a minha Vida. Sou EU quem a controla. Fui EU quem escreveu este texto.

Não para me gabar, mas para te demonstrar o que também é possível para TI. Sejas tu um homem ou uma mulher.

Podes não conseguir imaginar agora como é que isso é possível para ti e ter razões lógicas para dizer que não é... mas eu não sou o único no mundo que alcançou estas mudanças, e ainda bem. É pena não haver mais pessoas felizes. Realmente felizes... e a fazer outras pessoas felizes.

É isso que me interessa, AJUDAR. Contribuir para a evolução da humanidade. E ajudar-te a alcançar o que desejas, se estiveres interessado e me deixares.

Eu saí pela 1ª vez com uma rapariga aos 19 anos.

Beijei pela 1ª vez uma rapariga aos 19 anos.

E perdi a minha virgindade aos 21 anos.

Não são lá grandes números não... mas ainda bem que foi assim.

Ainda bem que fui como fui, sofri como sofri e tive de fazer tudo o que tive de fazer.

Porque foi graças a isso que hoje sou Feliz.

Estou numa relação íntima que me faz sentir verdadeiramente realizado como homem.

Nunca mais tive um mau dia, pois hoje olho para a Vida de forma diferente e sei lidar com os problemas que me vão surgindo.

Porque isto não tem nada a ver com perfeição... tem a ver com qualidade.

Vão sempre haver problemas e momentos de insegurança... a diferença é que tens depois muitas mais coisas boas e positivas à tua volta e dentro de ti que te fortalecem e permitem ultrapassar os desafios que forem surgindo sem dramas, stress ou grandes preocupações e sentimentos de desespero.

Vivo a vida com intenção e aos poucos vou alcançando tudo aquilo que desejo. E quero que tu também o consigas fazer.

Olho para a minha vida e futuro com optimismo e acredito que tudo é possível e que tudo tem uma solução. Porque é precisamente isso que tenho experienciado.

E continuo a pesquisar, estudar, assimilar e aplicar tudo aquilo que me permita evoluir como homem e ser humano, e criar mais qualidade na minha Vida e na vida de todos aqueles que me rodeam.

Continuo a desafiar-me e a querer aprender e evoluir mais. De forma alguma penso que “já está, sou o maior, já sei tudo e agora já não preciso de fazer mais nada nem de aprender mais nada”.

Isso para mim é completamente patético e ridículo. Evolução pessoal é um caminho, não um destino. Há sempre mais para evoluir e aprender. Há sempre mais níveis de Consciência para alcançar e há sempre mais coisas que podemos melhorar em nós e na nossa Vida.

Evolução pessoal é a minha paixão. Adoro falar e escrever sobre estes temas e quero partilhar aquilo que realmente me ajudou.

Validação, desejos, necessidades, dinâmicas e comunicações do ego não me interessam para nada.

Para mim truques, técnicas, esquemas, mentiras, falsidade, jogos e manipulação são medíocres e puro lixo.

Ninguém precisa deles para nada. São completamente desnecessários.

Os meus valores e princípios são a Integridade, Compaixão, Autenticidade, Coragem, Humildade e Honestidade.

E esses são também os valores e princípios do Cool Vibes.

Se eu, que antes não gostava de mim e mal conseguia falar com raparigas, hoje ensino (entre outras coisas) homens a serem naturalmente atraentes para as mulheres e a conhecer mulheres regularmente com autenticidade... imagina só o que é possível para ti. Para todos nós.

Obrigado pela tua visita, espero também ajudar-te com o que me ajudou a mim.

Eu sou o Pedro Constantino, e bem-vindo ao Cool Vibes! =)


Perguntas/informações:

CoolVibesClub@hotmail.com

terça-feira, 12 de agosto de 2008

"Como Conquistar Pessoas Difíceis"

Como é que se conquista pessoas difíceis?

Há pessoas que se sentem atraídas ou apaixonadas por alguém, mas essa pessoa por quem se sentem atraídas ou apaixonadas não aceita os seus convites para sair, não responde aos seus emails e sms, não atende os seus telefonemas, não quer ser mais do que amigo e não quer namoros, curtes nem sexo.

Essas pessoas são chamadas de difíceis... porque tenta-se e tenta-se e insiste-se e persiste-se e experimenta-se e faz-se e diz-se... e continua tudo na mesma.

Continua-se sem obter delas o que se deseja. Elas não se entregam, elas não se rendem, elas não desistem e elas não correspondem e satisfazem a outra pessoa.

Então como é que se conquista estas pessoas difíceis?

É simples:

Não se conquista.

Porquê?

Porque a única “entidade” em tooodo o Universo que sente o desejo e a necessidade de conquistar algo ou alguém... é o nosso velho e chato amigo ego humano =)

Querer conquistar uma pessoa é querer obter dela uma reacção positiva e querer obter a sua validação.

É querer ser dono da pessoa e mandar nela, controlando as suas reacções.

E como é que se consegue fazer isto?

Através de manipulação.

E manipulação é medíocre. Manipulação = Lixo.

Logo tu não queres conquistar ninguém... tu queres é ser naturalmente atraente, saber criar opções e conhecer pessoas e ser conscientemente selectivo.

Porque o querer conquistar alguém é um desafio... porque é difícil, complicado, dá trabalho, exige esforço e investimento... só que é um investimento infrutífero.

Esse desejo vem da necessidade do ego de obter validação. Porque ao se conquistar alguém difícil está-se a demonstrar a nós próprios e ao mundo que se tem valor porque se é capaz de alcançar coisas difíceis que a maioria não consegue.

Há essencialmente dois tipos de desafio: um para se evoluir e outro para se obter validação.

O primeiro, tudo bem... o segundo, é disfuncional e prejudicial.

Porque vive-se cego e desesperado a tentar conquistar a pessoa “x” para se conseguir sentir e demonstrar que se tem valor.

Pensa-se em 1001 esquemas diferentes, é-se desonesto, manipula-se e engana-se a pessoa, e pronto, lá se consegue “conquistar” a pessoa “x”.

Só que depois de se ter conquistado a pessoa “x”, qual é a razão pela qual se quer estar com ela? Nenhuma!

A razão era obter validação... não tinha nada a ver com como a pessoa era e como era a sua personalidade, ou com estar com ela.

Logo há uma graaande probabilidade de se ter “perdido” tempo a tentar conquistar uma pessoa com baixa auto-estima, negativa, desonesta, manipuladora, mentirosa, falsa, etc, que não vai contribuir em nada para a nossa realização pessoal, e pior, que depois ainda nos pode vir a trair, roubar, prejudicar e influenciar negativamente.

O que não é lá grande coisa.

E depois há também outra coisa...

É que não existem seres humanos difíceis... isso é na Verdade uma ilusão.

Quando um ser humano percepciona algo ou alguém como uma fonte de emoções positivas ou de prazer, algo que o faz sentir-se bem de determinada forma, ele vai querer mais dessa fonte de emoções positivas.

Ele vai querer estar mais com essa pessoa... cada vez mais tempo, mais intensamente e profundamente.

Só há na Verdade duas atitudes: aproximar-se ou afastar-se. Não há meio termo aqui, e já vais perceber porquê.

Porque se uma pessoa é “difícil” para alguém, isso pode significar essencialmente duas coisas:

1) Não há atracção. Ela não se sente sexualmente atraída pela outra pessoa e por isso apenas quer amizade. Isto deve-se ao facto de não haver polaridade masculino/feminino como eu já expliquei em posts anteriores.

Isto não tem mal nenhum, mas deve-se funcionar sempre através da Realidade das situações.

Insistir e tentar convencê-la não vai resultar em nada. Aliás, até vai: vai fazer com que a pessoa ainda se sinta mais repelida.

A pessoa neste caso é “difícil” porque não sente as emoções necessárias para querer ter intimidade.

Ela não é difícil, simplesmente não se sente motivada ou estimulada pela outra pessoa.

Não deseja ter intimidade ou sexo com ela porque a outra pessoa não tem as qualidades necessárias para lhe causar naturalmente esse tipo de desejo.

A solução passa sempre por se desenvolver uma personalidade naturalmente atraente. Não por causa de uma pessoa específica, mas para se ter o tipo de vida pessoal e relação íntima que se deseja.

2) A pessoa está a ser manipulada pela pessoa “difícil”.

Vamos imaginar aqui uma situação simples. A pessoa “A” é o interessado, e a pessoa “Y” é a difícil.

A pessoa “A” não atrai sexualmente “Y”, logo “Y” não quer ter intimidade ou sexo com “A” e quer apenas ter uma amizade.

Bem, talvez “Y” nem sequer queira ter uma amizade com “A”...

Porquê?

Porque “A” ao demonstrar o seu interesse amoroso em “Y” está a validá-lo. Está-lhe a dar validação. E o ego de “Y” vai olhar para a situação e pensar:

“É pá brutal! Uma fonte de validação de graça! Vou aproveitar isto!!”.

E então o que faz “Y”?

“Y” vai ter uma atitude muito específica e intencional em relação a “A”. “Y” vai manipular “A” para continuar a ter a sua fonte de validação.

“Y” vai dando migalhas a “A” para o manter entretido e dar-lhe uma falsa esperança de que algo pode vir a acontecer ou haver entre ambos. E claro que é sempre algo que “A” deseja muito.

Ao receber uma destas migalhas (demonstração de falso interesse de “Y”) “A” pensa então:

“Tenho uma hipótese com ela/ele! Tenho de me esforçar mais! Eu sei que a/o vou conseguir conquistar! Depois disto (migalha) tenho quase a certeza que ela/ele gosta de mim! Não posso desperdiçar esta oportunidade!”.

Só que “Y” não quer nada com “A”... apenas a sua validação, ou seja, demonstração de interesse.

E isto pode ser das mais variadas formas: elogios, prendas, jantares, companhia, ajuda, favores, apoio, telefonemas, etc.

E “A”, porque tem esperança, vai fazer isso tudo e muito mais por “Y”... para o conquistar e obter dele o que tanto deseja.

Mas “Y” sabe que essa esperança de “A” pode apagar-se a qualquer momento e lá se vai a preciosa e valiosa fonte de validação. O que é inadmissível para o ego de “Y”.

Então “Y” vai fazer um jogo chamado “O Jogo das Distâncias” =)

Neste divertido jogo das distâncias “Y” vai proceder da seguinte forma:

Quando se aperceber que “A” se está a aproximar demasiado, vai afastá-lo um pouco.

Quando se aperceber que “A” se está a afastar demasiado, vai-se aproximar um pouco.

“Y” quer obter sem dar. “Y” não quer partilhar, apenas obter. Por isso não lhe interessa que “A” esteja demasiado próximo, apenas suficientemente próximo para obter a sua validação.

“Y” não quer dar, mas quer obter. E “Y” não quer perder a sua fonte de validação... por isso não lhe interessa que “A” se afaste completamente, e se vá embora dar validação a um “P”, “C” ou “M” qualquer.

E então o pobre “A” anda ali de um lado para o outro, ora a pensar que tem hipóteses com “Y” e a aproximar-se e a esforçar-se (dar validação) ou a pensar que não dá, a pensar em desistir, a decidir afastar-se, e de repente lá regressa o “Y” com um telefonema, um convite para algo ou um pedido, criando novamente uma falsa esperança em “A”.

Se “A” se tivesse dedicado à sua evolução pessoal e espiritual, se tivesse desenvolvido uma personalidade naturalmente atraente, se tivesse criado opções na sua vida social e amorosa e se fosse conscientemente selectivo, nada disto lhe teria acontecido.

Mas porque “A” tem baixa auto-estima, vive preso dentro da cabeça através do ego, pensa que amor é o mesmo que validação, não sabe criar opções nem conhecer pessoas novas, vive a vida sem intenção, e não faz a mínima ideia do que selecção consciente é, está a ser completamente controlado e manipulado por “Y”, e sente-se insatisfeito e frustrado.

O dia-a-dia do ego humano é bestial não é? =)

Não é difícil chegar à conclusão de que há muitas pessoas (muitas mesmo) neste momento pelo mundo fora que infelizmente estão na situação de “A” e que por isso sentem-se infelizes e sofrem.

Quanto a ti não sei, mas para mim isto é completamente desnecessário.

E então e o nosso amigo “Y”? É medíocre não é...?

Sim e não.

As suas decisões e comportamentos são medíocres, ele não.

Ele tem o mesmo valor que todos os outros seres humanos. O mesmo valor que eu e tu.

Só que está perdido... não sabe como dar a volta à baixa auto-estima, e é o seu ego que o controla completamente. “Y” está de facto a sofrer também.

Superficialmente parece o vilão espertalhão que deve ser abatido, e “A” parece a vítima indefesa que deve ser salva e ajudada e de quem se deve ter pena.

Bem, a Verdade não é essa.

Não se deve ter pena de “A”, nem de “Y”.

Eu sei que isto parece uma barbaridade, mas já vais perceber o que eu quero dizer...

É que ter pena é uma GRANDE TRETA. É uma mera expressão do ego.

Repara bem nisto: tem-se pena de quem se percepciona sendo inferior a nós ou estando pior do que nós... e quem é que define isso? O ego!

Só o ego é que funciona através de inferior e superior.

“Coitado... está pior que eu”

“Coitada... tem menos do que eu”

“Coitado... sente-se pior do que eu”

Isto são apenas expressões do ego. “Eu sou superior, ele é inferior, logo vou ter pena dele”.

Verdadeira compaixão não tem nada a ver com ter-se pena. Nada a ver.

Ter-se pena é na Verdade uma decisão lógica... e é só para alguns casos. Para aqueles que de alguma forma estão piores do que nós.

Ninguém consegue ter pena de um actor famoso e milionário, que tem uma grande mansão, uma colecção de carros de luxo, tem uma saúde brutal e vai para a cama todas as semanas com uma playmate diferente...

Aliás, a maioria das pessoas até o vai odiar, criticar, invejar, querer prejudicar e destruir aquilo que ele tem de bom e que lhe dá prazer.

Porquê? Porque o seu ego se sente inferior ao deste actor famoso e milionário.

Elas sentem-se desconfortáveis e para tentar “equilibrar” a situação de valor vão tentar puxá-lo para baixo. Em vez de se puxarem para cima... porque evoluir e mudar é muuuuito mais difícil do que estar sentado no sofá a criticar alguém que aparece na televisão ;)

Compaixão é algo que se tem por todos os seres humanos. Estejam eles “piores” ou “melhores” do que nós. Tenham eles mais ou menos do que nós.

É viver através da Verdade de que todos nós temos o mesmo valor.

Todos... temos... o... mesmo... VALOR.

É ter compaixão pelo “A”, pelo “Y” e pelo actor famoso milionário.

Claro que como o ego só quer é obter validação e sentir-se superior aos outros ele vai logo arranjar 1001 razões lógicas para não o fazer e para justificar as críticas, os julgamentos, as condenações, o ódio, a inveja, a pena, a manipulação, a briga, a guerra, a desonestidade, a competição, a comparação, o acto prejudicial e destrutivo, a reacção agressiva, o vício, o desejo de querer ter orgasmos com estranhos, de querer conquistar alguém, etc.

Só se consegue ter verdadeira compaixão, e não mera pena, libertando-nos do ego e da sua inútil necessidade constante de validação.

E é uma sensação fabulosa de prazer constante, paz interior, auto-estima, amor incondicional e VERDADEIRA LIBERDADE.

Portanto não te percas no desejo de querer conquistar alguém. Essa pessoa ou não se sente atraída por ti (e isso não tem mal nenhum, não te tira absolutamente valor nenhum) ou anda-te a manipular e a usar como fonte de validação pessoal, que se pudesse colocaria na mala ou na carteira para usar como comprimido de “auto-estima”.

Deves viver a vida de forma a que nunca te apanhes numa situação em que sentes a necessidade de conquistar alguém difícil. Principalmente compreendendo o que isso significa e dedicando-te à tua evolução pessoal.

Conquista-te a ti próprio, não aos outros. Tem Compaixão por ti próprio e conseguirás ter Compaixão por todos à tua volta. Verdadeira Compaixão.

Perguntas:

CoolVibesClub@hotmail.com

PS: obrigado a todos pelos comentários, emails e mensagens a dar os parabéns ao Cool Vibes. Ele só tem um ano mas já sabe ler cenas na net! =D