segunda-feira, 14 de julho de 2008

"Curtes, Atracção Física e Curtir a Vida"

Hey, já por mais de uma vez (e provavelmente vindo da mesma pessoa) recebi comentários a perguntar a minha opinião em relação a curtes e a procurar ter apenas uma ligação física e sexual com membros do sexo oposto.

E o post de hoje é precisamente sobre isso ;)

Eu vou falar-te deste tema não através da minha opinião, mas através da perspectiva da realização pessoal e de ter intimidade e sexo de qualidade - o que no fundo é o mesmo que dar a minha opinião... pois são estas coisas que realmente me interessam.

Então o que é que se passa com um ser humano que quer apenas ter sexo e nada mais?

Qual é a realidade e a Verdade que está por detrás de um homem, ou de uma mulher, apenas querer andar a fazer sexo com muitas pessoas e não ter uma relação íntima com apenas uma pessoa?

Muitos egos não vão gostar do que vão ler a seguir mas hey, eu também não quero saber.

O Cool Vibes não existe para dar validação... existe para partilhar a Verdade e informação que de facto contribua para a realização pessoal de quem a use e aplique.

Primeiro de tudo, não tem mal nenhum querer-se apenas andar a curtir ou a fazer sexo com estranhos. Não há mal nenhum nisso.

Não há nada a criticar, julgar ou condenar.

Se houver respeito pela outra pessoa, se ela souber exactamente o que está a fazer e o que se está a passar e se não se a tiver manipulado para se obter o sexo... então está tudo bem.

Caso contrário... é uma atitude de puro lixo.

Sem honestidade e respeito... é lixo.

Mas havendo pelo menos honestidade e respeito, então é na boa. Luz verde para teres orgasmos com estranhos! ;)

Estas são as boas notícias e a parte fixe... agora vamos à parte que mais interessa: a Verdade.

Um dos comentários que recebi foi o seguinte:

“Gostaria de saber qual é a tua perspectiva sobre as curtes. Porque em tudo o que escreves o objectivo é namoro.Há pessoas que não se querem "amarrar" e vêm as coisas de maneira diferente da tua. Obrigada.”

Repara bem no que significa para esta pessoa ter uma relação íntima: é ficar “amarrado”.

Ela vê as relações íntimas como algo negativo e que lhe tira satisfação na vida.

Porque será...?

Muito provavelmente porque pode já ter estado em relações íntimas que não foram lá grande coisa. Pode ter tido parceiros que das duas uma: ou a fizeram apanhar graaandes secas por serem possessivos, controladores, carentes e inseguros...

...ou então usaram-na, enganaram-na, traíram-na ou magoaram-na de alguma forma.

E ela simplesmente passou a associar “dor” e emoções da treta ao conceito de ter uma relação íntima com uma pessoa.

Obviamente que seria absurdo e completamente ridículo eu estar aqui a insinuar que alguma destas coisas realmente se passaram com a pessoa que me enviou o comentário.

Eu não a conheço de lado nenhum nem sei porque experiências passou... estou apenas a dar exemplos do que pode ter acontecido.

Ela pode não ter passado por nada daquilo que referi, mas uma coisa é certa: ela associa emoções negativas, insatisfação e maus momentos e experiências a ter-se uma relação íntima ou namorar-se com uma pessoa.

Para ela é “dor”... é viver “amarrada”... é não ter liberdade. Para ela é mau, logo é algo a evitar.

Porque eu garanto-te de uma coisa: quando um ser humano percepciona algo como bom ou que dá prazer, ele JAMAIS procura evitar isso. Ele procura é obter mais disso...

E o que esta pessoa não sabe é que numa relação íntima DE QUALIDADE tu nunca te sentes “amarrado”.

Tu tens sempre o teu espaço e tempo para te dedicares às tuas coisas e amigos... porque o teu parceiro NUNCA tem as características que tornam uma relação íntima numa “prisão”.

Ele nunca é inseguro, carente, ciumento, invejoso, manipulador, controlador, possessivo, dependente, imaturo, desinteressante, aborrecido, etc.

Porquê? Porque ANTES da relação se iniciar houve SELECÇÃO. Não se iniciou a relação às cegas apenas porque a pessoa nos dava validação, era gira, simpática e beijava bem...

E agora é que o post vai mesmo começar a sério.

Porque é que um ser humano procura ter sexo com muitos estranhos (ou pessoas que conhece à muito pouco tempo) e decide partilhar o seu corpo com elas?

Como já disse, isto não tem mal nenhum desde que se verifique a fórmula: Honestidade + Respeito.

Isto não se trata de dizer se é certo ou errado, e muito menos de criticar... trata-se de abrir os olhos e ajudar quem estiver interessado.

É que uma pessoa que se partilha assim tão facilmente, ou regularmente, com quantidade de seres humanos diferentes apenas para obter prazer físico não demonstra ter lá muito... AUTO-RESPEITO.

Porque se tivesse auto-respeito seria selectiva e não partilhava assim o seu corpo.

A questão na sua cabeça não seria: “Como é que eu obtenho prazer físico desta pessoa?” mas sim “Será que esta pessoa me merece?”.

Ela conseguiria ver através da atracção e desejo sexual e tomar as suas decisões através de outras coisas...

...como por exemplo, AUTO-ESTIMA.

Só que acontece que não a tem. Porque se a tivesse funcionaria de uma forma diferente.

Não vivia a vida em busca de OBTER prazer físico... mas sim com vontade de PARTILHAR algo com alguém.

E sempre que há essa vontade de partilhar há vontade de ter intimidade. E intimidade a sério só se consegue ter com alguém com quem se tem uma ligação emocional verdadeira... e não com alguém com quem apenas se tem interacções superficiais como pretexto para se chegar ao seu corpo, e assim a um orgasmo.

E quando se chega a esse nível de ligação emocional... tem-se uma relação íntima. Não com alguém a quem nos sentimos “amarrados” porque não nos dá prazer estar com ela, mas sim com alguém de qualidade que nos faz sentir realizados e com quem queremos mesmo estar e partilhar momentos e experiências.

É que curtes não são mais do que uma bela forma de validação.

Sim, o nosso amigo ego também anda por aqui. Se reparares bem ele praticamente anda por todo o lado. É um chato do caraças... ;)

E curtes são uma forma de obter validação porque sempre que se tem algo meramente físico com alguém o ego pensa logo:

“Hey, esta pessoa sente-se atraída por mim e deseja-me. Logo eu tenho valor!”

E o que é que o ego vai querer mais a seguir a essa experiência de prazer físico + validação?

Mais experiências dessas!

Ele quer mais curtes com quase-estranhos! J

Porque sente prazer físico e obtém validação ao mesmo tempo. O que é uma combinação brutal.

E como o ego só pensa em OBTER validação... está-se nas tintas para PARTILHA, que é o que existe numa relação íntima.

Claro que quem tem auto-estima não funciona através do ego. Logo não sente a necessidade de obter validação. E muito menos sente a necessidade de obter prazer físico de pessoas que nem sequer a merecem...

Porque para haver desejo sexual basta haver atracção = polaridade masculino/feminino. Ou basta ter-se um corpo atraente para a outra pessoa.

Logo pode haver desejo sexual e ter-se sexo com alguém que é desonesto, manipulador, falso, imaturo e que trata as pessoas como lixo.

Não achas espectacular ter sexo e curtes com buééééé pessoas??? Eu estou quase convertido! Ego? Manipulação? Desonestidade? Bora lá!! ;)

Quando se tem auto-estima ou se desenvolveu Consciência, a satisfação sexual e física passa para segundo plano. O factor número um é: “Será que esta pessoa me merece?”

Ou outras coisas como:

“Quais são as qualidades desta pessoa?”

“Será que ela tem valores?”

“Será que ela tem auto-estima?”

“Ou será que vive desesperada a andar atrás de validação?”

E para acabar o post, uma última dica...

É que enquanto andares a partilhar-te com muitas pessoas, nunca terás paz.

É um processo de busca e perda constante. Tens de estar sempre a conhecer mais alguém, ir para a cama com ela... e depois ficas só novamente e tens de ir conhecer mais alguém.

E como o nosso desejo sexual nunca se desliga, se viveres meramente através dele terás de estar sempre a pensar em soluções para o satisfazeres.

E o que é que acontece quando fazes isso?

Não estás a pensar e a criar as outras áreas da tua vida! Porque a tua vida vai girar à volta de curtes e sexo.

E a vida não é só curtes e o sexo oposto... há também a família, amigos, curso, profissão, paixões, e o mais importante de tudo, e também o mais negligenciado hoje em dia: nós próprios.

Quando estás numa relação íntima com um parceiro de qualidade não só tens uma pessoa espectacular com quem conviver, com quem te podes divertir, aprender, evoluir, etc, como também tens sexo espectacular sempre que quiseres pois não só há atracção (polaridade masculino/feminino), como há uma ligação emocional verdadeira e assim intimidade a sério.

Curtes não têm mal nenhum, não tiram valor a nenhum ser humano, mas a questão que deves colocar a ti próprio é esta:

“Porque é que eu quero este estilo de vida?”

“Qual é a Verdadeira razão pela qual eu quero andar a curtir de forma aleatória com todo o tipo de pessoas que mal conheço, só porque me sinto sexualmente atraído por elas?”

Seja como for, faz aquilo que TU achares que te trará mais satisfação na vida e que te faz sentir mais realizado.

Eu estou aqui apenas a partilhar aquilo que me ajudou a resolver a minha vida amorosa, nada mais. Esta é a minha versão da Verdade... tu terás a tua e é essa que deves seguir.

Mas lembra-te disto: gratificação a curto prazo só traz insatisfação. Sabe bem no momento mas depois só cria fontes de emoções negativas à tua volta. Ou seja, prejudica-te.

Pensa a longo prazo. Procura por gratificação a longo prazo que de facto de permita ter a vida pessoal e amorosa que realmente queres ter.

E não apenas uma vida pessoal e amorosa que seja o resultado de andar a fugir a coisas e a evitá-las.

Segue as tuas paixões, não os teus medos.

Perguntas:
CoolVibesClub@hotmail.com

7 comentários:

Anónimo disse...

Fogo tu tens resposta p td lol n vale a pena dar luta... obrigada por fazeres um post so pr mim(pra minha pergunta) embora axe k vai ser util a mta gent...axo k n fui eu a fazer otas perguntas sobr curtes(se fui n me lembr)também n interessa, interessa e k respondest... e respondest bem.

Pedro Constantino disse...

Hey, de nada.

Obrigado eu por me pedires a minha opinião. Qualquer sugestão de um tema aqui para o blog é sempre bem-vinda.

O que é preciso é mais pessoas realmente interessadas nestes temas, e em aprender e aplicar o que for preciso para terem a vida amorosa e pessoal que desejam.

Assim o mundo vai de certeza ficar melhor.

Anónimo disse...

Só não gostei muito da parte em que dizias pensa a longo prazo...porque a vida é curta demais...e deve ser aproveitada em cada momento ao máximo.
Claro que concordo com aquelas coisas das curtes :/ adoro uma pessoa que já gostou de mim, mas não passou de um mês em que fui especial para essa pessoa. actualmente essa pessoa realmente não me merece, magoa-me com palavras, humilha-me com actos e faz exactamente o que acabaste de dizer curtir com toda a gente que tiver disponivel para curtes sem compromisso. E quando essa pessoa me diz, aproveita a vida ela quer dizer "esquece-me", "anda com outras pessoas a curtir". e a minha resposta a isto era, que graça tem andar com umas pessoas e outras, que só me desejam para obter prazer físico, acho que quem merecer-me terá isso e muito mais e seria desvalorizar-me nas curtes com todos. E eu, mesmo vendo tudo de negativo nessa pessoa e que ela não me merece,não a consigo esquecer porque um dia foi uma pessoa diferente...

Pedro Constantino disse...

Sim, é claro que a vida deve ser aproveitada ao máximo em cada momento, ou seja, ela deve ser vivida no momento presente.

Pensar a longo prazo não anula o viver-se a vida ao máximo em cada momento. Bem pelo contrário, torna esses momentos muito mais estimulantes.

Pensar-se a longo prazo significa ter-se AUTO-RESPEITO para não se fazer nada que depois de se o fazer vá piorar a qualidade da nossa vida.

Porque drogar-se é viver a vida ao máximo em cada momento, e quem se droga sente-se bem no momento em que se droga. Mas e depois? Entra numa espiral de auto-destruição que lhe dá cabo da vida em todos os aspectos.

Assim como ter-se algo com o tipo de pessoa errada. Sem valores, sem nada de qualidade para partilhar, sem compaixão, sem honestidade, sem auto-estima, etc.

No momento pode saber bem porque se obtém validação e prazer físico... mas e depois?

Depois vêm os esquemas, as traições, as mentiras, as intrigas, os abandonos, as discussões, as conversas negativas, os sufocos, as possessividades, as manipulações, etc. E nada disso contribui para a qualidade de vida de ninguém nem para a sua realização pessoal.

São os dramas inúteis e desnecessários que deixam as pessoas insatisfeitas, frustradas e desmotivadas para a vida. E muitas vezes deixam-nas infelizmente contra o sexo oposto, e com um pé atrás que não lhes permite conhecer e ter algo com alguém que realmente as possa estimular e fazer feliz a todos os níveis.

É por isso que se deve ser selectivo e pensar-se a longo prazo: "Será que esta experiência vai ter consequências positivas no meu futuro?"

Mas também viver-se no momento presente: "Vou criar uma vida à minha volta que me traga emoções positivas constantes e momentos pelos quais me vou sentir grato e aproveitar ao máximo".

Pedro Constantino disse...

O que não se deve fazer é usar "a vida deve ser aproveitada em cada momento ao máximo" como uma desculpa para se viver ao calhas, imaturamente, sem ter em conta as consequências das nossas decisões e como elas nos vão afectar a nós, à nossa vida e aos outros.

Anónimo disse...

Enquanto somos selectivos e procuramos pela pessoa de qualidade, e ela não aparece, há sempre a necessidade de seguir a atracção e ter intimidade, então temos duas opçoes, ou negligenciamos o auto respeito ou mantemo-nos sozinhos. Mas não achas que isso é deixar de "viver"? Enquanto andamos com as pessoas erradas ao menos estamos a "viver".

Pedro Constantino disse...

Nós nunca estamos sozinhos.

Quanto mais selectivo fores mais pessoas terás à tua volta, pois por teres auto-respeito serás uma pessoa admirada e respeitada.

Agora atenção: eu estou a falar de selecção consciente, que é algo que quase não existe, e por isso quase ninguém compreende o que realmente é, e fazem confusão com a típica "selecção" que existe.

A vida não é só sexo, intimidade e relações com o sexo oposto. Há muito mais coisas na vida para se VIVER. Ser selectivo não é não viver... é viver bem e a sério. E nunca estás sozinho. Eu não sei de onde vem essa ideia, mas as pessoas vêm sempre com essa conclusão errada.

Mas também uma coisa é Verdade: enquanto o medo de estar sozinho não for ultrapassado, nada feito. Jamais haverá selecção consciente e as pessoas jamais irão receber os fantásticos benefícios disso.

Se estás a conhecer pessoas e a falar com elas, não estás sozinho. Estás a conviver e a ter uma vida social. Agora, depois podes é não as voltar a ver porque de facto não te merecem. São desonestas, manipuladoras, etc.

O estar "sozinho" é apenas uma fase de transição... porque se fores autêntico e conscientemente selectivo, as pessoas que também são assim vão reparar em ti, vai querer conhecer-te e falar contigo, e com essas poderás ter relações e interacções espectaculares. Mas primeiro há um passo de Coragem a dar... que nem todos conseguem ou estão dispostos a tentar. E esse passo inclui passar sozinho o tempo que for preciso - como eu fiz - e não ser escravo da necessidade de seguir a atracção e ter intimidade.

Eu nunca antes na minha vida fui tão selectivo, e nunca antes na minha vida conheci tantas pessoas e tive tantas pessoas que adoro na minha vida. É uma realidade que todos podem viver... mas como já disse antes: há um passo de Coragem a dar primeiro. Só as decisões difíceis trazem as grandes mudanças positivas. As fáceis, tais como seguir a atracção e ter intimidade, ou não se afastar de alguém com medo da sua reacção e com medo de depois ficar sozinho, negligenciar o auto-respeito, essas deixam tudo na mesma e trazem os resultados do costume.