AMOR

"Ensina só Amor, pois é isso que tu és"

terça-feira, 17 de junho de 2008

"Atracção, Mulheres Mais Novas E Maturidade"



Hey, o post de hoje é sobre várias perguntas importantes que recebi por email.

A identidade da pessoa que as enviou não será revelada.

O motivo pelo qual vou responder a estas perguntas aqui no blog deve-se ao facto de que elas levantam questões importantes.

Questões importantes, de utilidade geral, para todos aqueles que se andam a dedicar à sua evolução pessoal para resolver a sua vida amorosa.

Aqui estão as perguntas com a respectiva resposta por baixo.

Diverte-te! =)

“Que maturidade pode ter uma miúda com 20 anos?”

Maturidade é um grupo de qualidades que nada tem a ver com a idade da pessoa.

Não é por se ser mais velho que se tem mais qualidades, ou neste caso, que se tem maturidade.

A idade cronológica nunca é igual à idade psicológica.

Há muitas pessoas com mais de 40 anos que se comportam como se tivessem 17 anos.

Fazem asneiras e disparates, têm vícios, fazem birras, amuam, não são emocionalmente independentes, são desonestos, manipulam, são irresponsáveis, etc.

Logo a idade não garante nada.

Portanto neste caso tudo depende da personalidade da miúda de 20 anos.

Ou seja, a sua idade não é o factor determinante que revela se ela tem ou não maturidade.

É a sua personalidade... e isso é algo que se descobre estando e interagindo com ela regularmente.


“O que é que alguém com esta idade ainda irá mudar na sua maneira de pensar nos próximos 1/2/3/5 anos?”

Isso tudo depende do seu estilo de vida, influências (amigos, família), paixões e objectivos.

Mas funcionar no presente a pensar no futuro é um erro.

Deve-se estar e sair com uma pessoa porque ela no presente nos estimula e atrai.

Deve-se funcionar sempre através do momento presente, e nunca através de pensamentos em relação a como alguém pode vir ou não vir a ser no futuro.

Se ela agora te estimula vai sair com ela. Quando deixar de te estimular, porque por alguma estranha razão mudou para pior, então aí afasta-te.

Mas toma sempre as tuas decisões no momento presente.

O que tens de descobrir é se agora é fixe estar com ela ou não.

“Vou queimar outra vez a minha vida por me relacionar com alguém abaixo dos 26 anos?”

Isso não tem a ver com a idade da mulher com quem tens a relação íntima...

Isso tem a ver com a personalidade da mulher.

Porque há muita mulher com mais de 26 anos que é capaz de dar cabo da tua qualidade de vida em segundos.

Não porque são más pessoas mas simplesmente porque não têm as qualidades necessárias para que possas ter uma relação íntima de qualidade com elas.

Não caias no erro de pensar que uma mulher mais velha é a solução, porque o ser mais velha não garante nada.

É sempre e só a personalidade.

Por isso tem de haver sempre uma selecção consciente da tua parte.

Porque a mulher pode ter menos de 26 anos e ser de qualidade, e assim terás uma relação íntima de qualidade com ela que te trará quantidades imensas de satisfação e prazer na vida.

A idade é irrelevante. A personalidade não.

Tens de primeiro conviver regularmente com uma mulher, fazendo assim uma espécie de “simulação” de relação para perceberes como é estar e interagir com ela.

É apenas estando com a pessoa regularmente que irás perceber se iniciar uma relação íntima com ela é uma boa decisão ou não.

“Porque o meu primeiro click continua a ser apenas fisico?”

Porque é assim que a Natureza funciona.

O primeiro nível de atracção é sempre visual. Seja em termos de corpo ou de linguagem corporal.

E o primeiro nível de atracção é sempre visual porque o que vemos da outra pessoa é sempre a primeira coisa que sabemos sobre ela: como é a sua aparência.

E a aparência ou cria em nós emoções positivas (atrai), ou cria em nós emoções negativas (repele).

O erro é pensar que a aparência é o mais importante...

Porque por detrás de uma aparência atraente há sempre uma personalidade.

E é essa personalidade que vai sempre definir a qualidade da ligação ou relação que se tem com a pessoa.

Uma pessoa pode ser físicamente atraente para ti mas ter uma personalidade da treta e ser desonesta, ter baixa auto-estima, ser aborrecida e negativa, etc.

Mas uma pessoa também pode ser físicamente atraente para ti e ter uma personalidade espectacular.

Tens sempre de conviver com a pessoa para descobrir isso.

E não tenhas problemas em assumir que a mulher tem de te primeiro atrair físicamente, porque isso não tem mal nenhum.

Uma mulher pode-te não atrair físicamente mas ser atraente para muitos outros homens...

Assim como pode-te atrair físicamente e não ser atraente para muitos homens.

Logo não estás a desvalorizar nenhuma mulher ao assumires que ela tem de ser físicamente atraente para ti.

Porque isso é apenas parte daquilo que te interessa.

Primeiro tem de haver atracção física ou sexual... porque uma relação íntima vive de intimidade. E sem atracção sexual não há intimidade.

Mas depois a sua personalidade tem de ter as qualidades que procuras.

Apenas físicamente atraente não chega nem garante nada.

“Vou em frente para conhecer esta menina?”

Claro que sim.

Deves sempre ir em frente para conhecer seja quem for que te motiva para tal.

Porque conhecer uma mulher não é ir para a cama com ela.

Conhecer uma mulher não é iniciar logo uma relação íntima com ela e ficares comprometido com ela e exclusivos um do outro.

Conhecer uma mulher não é andar a curtir com ela.

Conhecer uma mulher é descobrir como é a sua personalidade e estilo de vida.

Descobrir como é estar e interagir com ela.

É sair regularmente com ela (1 ou 2 vezes por semana no máximo) como amigos e divertires-te com ela.

E enquanto sais com ela andas também a conhecer e a sair com outras mulheres.

Conhecer mulheres é um processo de selecção no qual tens de criar opções para escolheres a melhor para ti.

“Que maturidade/ imaturidade tenho eu por querer recuperar 10 anos estragados da minha vida com esta rapariga que ainda só conheço de cumprimentar quando a vejo?”

Se só a conheces de cumprimentar quando a vês, então tenho novidades para ti: tu ainda não a conheces.

Se não andas a sair regularmente com ela então não sabes como ela é.

Não sabes como é estar e conviver com ela.

O que se passa é que estás a idealizar a ligação que tens com ela. Estás a idealizar a atracção sexual que tens por ela e a dar-lhe significados que ela não tem.

A única coisa que sabes é que te sentes sexualmente atraído por ela, nada mais. Falta saber como é a sua personalidade e como é interagir com ela.

Não funciones através de idealizações senão metes-te sempre em becos sem saída.

Toma as tuas decisões sempre através do que é real e do que de facto existe e está a acontecer.

Isto também nada tem a ver com a maturidade / imaturidade que tens. Essa questão não te vai ajudar.

Não procures recuperar tempo ou arranjar / consertar alguma coisa. Procura sempre criar algo novo que traga qualidade para a tua vida a longo prazo.

Não vivas através do teu passado... vive no presente e cria o teu futuro.

Tens de te desligar do passado negativo para que possas no presente criar resultados diferentes e positivos.

“Porque só me meto em coisas incertas na minha vida? Gosto pelo risco? Pela conquista difícil?”

Por falta de intenção.

Muito provavelmente nunca te sentaste a escrever exactamente, em todas as áreas, como queres que a tua vida seja.

Logo não estás a seguir um caminho na vida e metes-te nas coisas não porque elas vão no futuro contribuir para algo específico, mas porque te trazem gratificação a curto prazo.

O que eu quero dizer com isto é que não estás a criar a tua vida conscientemente e a dedicar-te apenas aquilo que te vai trazer satisfação.

Gosto pelo risco e por conquista difícil são preferências do ego humano.

Ele procura isso para conseguir provar a ele próprio e aos outros que tem valor porque se mete em coisas perigosas (risco) e conquista coisas difíceis de alcançar que a maioria das pessoas não consegue.

Tudo passa por uma libertação do ego e por desenvolvimento de consciência.

Viver com intenção é procurar por gratificação a longo prazo e não gratificação a curto prazo.

Ou seja, não viver a andar atrás de prazeres rápidos que sabem bem no momento mas que depois só prejudicam.

Não viver a correr atrás de alívios e entretenimentos, ou a funcionar apenas através de curiosidade.

Tens de saber exactamente o que queres, pois só assim saberás se aquilo em que te estás a meter irá contribuir para chegares onde queres chegar, ou se te vai afastar do que queres alcançar.

Só assim te vais deixar de meter em coisas incertas.

Passando a ter uma atitude criativa consciente perante a tua vida, criando assim aos poucos tudo aquilo que vá contribuir para a tua realização pessoal.

E claro, para uma relação íntima de qualidade.


Perguntas:

CoolVibesClub@hotmail.com

1 comentário:

alguém+ neste mar de gente disse...

pois olha, eu tenho muitas perguntas :) no meu blog então nem queiras saber... passa por lá, pode ser que me dês umas dicas ;)brigada. vou voltar! sou apreciadora de psicologia positiva (para além de eu própria ser de psicologia).