quinta-feira, 27 de março de 2008

"Como Atrair Um Grande Amor"



Hey, recebi 4 perguntas de um leitor do Cool Vibes que imediatamente achei muito pertinentes, e de interesse geral em relação aos temas da vida amorosa e de atrair mulheres.

Por isso decidi respondê-las aqui, e esclarecer, a ti e a todos que aqui venham ler o blog, estas questões:

“Por que as mulheres bonitas são por natureza fúteis?”


“Por que as mulheres mais profundas não têm a plena capacidade de me atrair?”

“Quantos grandes amores podemos ter em nossas vidas?”

“Por que é que acho que o meu grande amor foi "à vida", quando este foi uma mulher que me fez muito mal apesar de também me ter feito muito bem?”


Por que as mulheres bonitas são por natureza fúteis?


As mulheres bonitas não são por natureza fúteis... simplesmente há mulheres bonitas que são fúteis.

Assim também como há mulheres fúteis que para ti não são bonitas.

A generalização de que as mulheres bonitas são burras ou fúteis é completamente inútil e desconectada da realidade... mas infelizmente é o tipo de teorias da treta que nos metem na cabeça ao crescermos.

O que se passa é o seguinte:


Essas mulheres simplesmente têm uma vida social activa e não são umas intelectuais aborrecidas.


Elas gostam de sair e de se divertir... de ir às compras e de conversar com as amigas... e outros tipos de actividades do género, e essa é a única faceta delas que tu vês.

Mas qualquer mulher de qualidade faz isso. Só que não faz apenas isso...

O que baralha as pessoas completamente é que um extremo só consegue ver o outro extremo. Ou seja, se eu sou intelectual e faço isto, quem não o fizer só pode ser fútil.

Mas a qualidade nunca está nos extremos, está sempre apenas no meio termo. No equilíbrio.


Essas mulheres bonitas que achas fúteis muito provavelmente nem o são... apenas têm uma vida equilibrada.


E muitas vezes a natureza do feminino leva as mulheres a dedicarem-se a coisas que parecem fúteis... mas não o são.

Aliás, são extremamente importantes... pois se uma mulher não for feminina jamais um homem masculino irá sentir-se atraído por ela.

Sem polaridade masculino/feminino não há atracção. Sem atracção não há relações íntimas. Sem relações íntimas não há reprodução. Sem reprodução não há ser humano.

É assim que a Natureza funciona. E quanto a ti não sei, mas Vida para mim é muito importante.

O problema é que o ser humano perde-se em actividades intelectuais inúteis para a sua Natureza, e depois quando vê alguém alinhado com a sua Natureza chama-lhe de fútil... porque também não é, ou não lhe parece, um intelectual.

Os intelectuais isolam-se muito, estão sempre presos da cabeça a consumir informação e a pensar... e depois sentem-se atraídos por uma mulher e nunca sabem o que fazer.


Esse estilo de vida mental só prejudica... porque depois não se sabe lidar, comunicar ou interagir com o sexo oposto.


Só com outros intelectuais para quem uma mera troca de texto lógico à robô é uma conversa brutal.

O que é ridículo. Não tem mal nenhum, mas prejudicam-se a eles próprios, porque depois querem fazer uma mulher feliz mas sentem-se perdidos... e por isso não conseguem atrair naturalmente as mulheres por quem se sentem atraídos.

Tentam convencê-las a estar e a falar com eles através da lógica dos elogios, das prendas, dos favores, dos sacrifícios, das demonstrações de interesse, das declarações (argh!)...

E depois admiram-se de ser rejeitados... pois atracção não tem nada a ver com lógica. Tem a ver com o que se faz uma pessoa sentir.


Ou se faz a mulher sentir emoções positivas ou ela jamais se sentirá atraída.


E a atitude que eu acima referi só revela isto à mulher:

“Eu não tenho o que é preciso para que gostes de mim por quem sou, por isso vou-te dar estas coisas exteriores a mim para que estejas comigo.”

Isto chama-se tentar comprar a mulher.

“Eu não sou naturalmente atraente porque estou sempre dentro da cabeça e não sei lidar com mulheres nem interagir com elas, mas vou-te obrigar a dares-me aquilo que eu quero dando-te coisas e fazendo coisas por ti que te vão depois obrigar a ser simpática e a retribuir-me por ser bom para ti.”

Isto não funciona assim. E é uma expressão de baixa auto-estima e de carência.

Pessoas que vivem fora da cabeça e que gostam de estar com outras pessoas e de se divertir não são pessoas fúteis... são pessoas com qualidades sociais de interacção.

Nós somos SERES humanos, não somos PENSARES humanos. Logo qualquer actividade intelectual ou mental destrói o que há de natural em nós, corrói-nos a masculinidade (no caso dos homens), mete-nos a funcionar através do ego (que é o piorzinho), faz-nos esquecer o poder que existe dentro de todos nós e torna-nos naturalmente REPELENTES.

Mas sim, há mulheres bonitas fúteis.


Mas por outras razões... essas são as mulheres que buscam a validação dos homens através da sua beleza física.


Mas deves ter sempre compaixão por essas mulheres, porque por detrás dessa opção de vida, dessa actividade, está um ser humano de baixa auto-estima, perdido na vida em busca de felicidade.

Exactamente como 99% da população humana.


Por que as mulheres mais profundas não têm a plena capacidade de me atrair?


Aqui dá-se o oposto. Porque estas mulheres mais profundas vivem presas dentro da sua cabeça e desligaram-se do que é natural em si.

Perderam a sua femininidade...

Qualquer actividade intelectual vai desenvolver insegurança e negatividade no ser humano... pois é o acto em si de pensar que trás esses obstáculos.

E nós não somos apenas um cérebro com pernas. Somos muito mais do que isso.

Essas mulheres mais profundas são interessantes e isso tem todo o valor, mas vivem uma vida desequilibrada.


Perderam a única coisa que faz com que os homens se sintam atraídos por elas, que é a sensualidade do feminino.


Que é precisamente o que todas as mulheres “fúteis” têm ;)

Nós somos a anedota da Natureza.

Apesar de termos um poder fantástico dentro de nós, andamos perdidos dentro da cabeça em textos e lógicas, desligados do que é natural em nós, desligados da realidade a achar estranhíssimos conceitos como “estar presente no momento” e depois crescemos a sentirmo-nos atraídos pelo sexo oposto, colocamos um rótulo a essa atracção que não tem absolutamente nada a ver, e andamos todos perdidos porque não sabemos como atrair o sexo oposto.

Os outros animais devem-se rir à brava connosco... e se não se riem deviam. Porque eu rio-me.

Oh yeah!

Não das pessoas, pois essas eu ajudo através do Cool Vibes.

Eu rio-me sim apenas do ego humano... que é a fonte desnecessária de todos os nossos problemas.


Quantos grandes amores podemos ter em nossas vidas?


Centenas ou milhares.

Um grande amor não é uma pessoa específica, uma cara ou um nome... é um TIPO de pessoa.

Um grande amor é uma relação íntima de qualidade, e existem milhares de pessoas com quem podes ter essa relação espectacular.

O conceito de “alma gémea” é uma treta. Isso não existe.

É uma mera expressão da baixa auto-estima.


Não existe lá fora apenas uma pessoa certa para ti... existem milhares.


O que acontece é que a maioria das pessoas não sabe conhecer pessoas novas... logo vive sem opções.

E porque vive sem opções desenvolve a atitude de carência e a mentalidade de escassez.

E porque sozinha não consegue conhecer outra pessoa, ou pessoas, assim que uma lhe demonstra interesse quer logo ter uma relação com ela.

Pois ou aproveita a oportunidade ou está tramada.

E porque é que está tramada?

Porque aquela é a única que conhece e não consegue conhecer mais nenhuma.


Mas a verdade e a realidade é que existem milhares de pessoas espectaculares por aí fora com quem se pode ter uma relação íntima de qualidade.


As pessoas têm é de se começar a mexer, e a viver com intenção.

Se ficarem todos parados à espera que o amor das suas vidas lhes toque à campainha (que era o que eu também fazia), nunca nada a acontecerá.

Ou pior, toca-lhes à campaínha os restos que ninguém quer... os desesperados.

Esta atitude de deixar ao calhas a vida é o que depois traz relações medíocres que magoam as pessoas.

O que é completamente desnecessário.


Por que é que acho que o meu grande amor foi "à vida", quando este foi uma mulher que me fez muito mal apesar de também me ter feito muito bem?”


O teu grande amor não foi “à vida”... simplesmente viste-te livre de alguém que te fez muito mal e agora estás livre para procurares alguém que realmente te mereça.

E tu mereces uma pessoa espectacular.

Essa pessoa tinha baixa auto-estima... e fez-te muito bem porque provavelmente essa era mesmo a sua intenção, e provavelmente na relação que tiveste com essa pessoa ela compensou as tuas inseguranças e carências (ego alimentado e energia emprestada).

Mas a verdade é que ela não tinha dentro de si o que precisava de ter para realmente teres uma relação íntima de qualidade com ela.


A sua baixa auto-estima infectou tudo e fez com que ela tivesse atitudes que te magoaram.


Eu não sei exactamente o que foi, mas tenho a certeza que foi para ela alimentar o seu ego esfomeado.

E esse tipo de cenas não te interessa. Tu mereces muito melhor do que isso.

Dedica-te à tua evolução pessoal. Decide hoje e agora gostares de ti próprio e aceitares-te exactamente como és.


Já chega de tretas que te deixam em baixo, insatisfeito e magoado... respeita-te e aceita sempre apenas o melhor para ti.


Vive a tua vida com intenção e começa a criar a vida que realmente desejas ter e viver.

Começa a percorrer o caminho da evolução pessoal.

Adquire o conhecimento de como as coisas realmente são, resultam em funcionam naturalmente.

Desenvolve uma personalidade naturalmente atraente para as mulheres e começa a conhecer e a sair com várias mulheres.

Não deixes os ventos do caos (ego e medo) controlar a tua vida pois irão sempre levar-te para buracos de insatisfação constante.

Ergue-te e começa a criar o teu futuro. Pega nas rédeas da tua vida e controla-a naturalmente.

Vive com intenção. Pois as coisas boas não acontecem a quem é bom ou mau. As coisas boas não acontecem a quem as deseja, pede ou quer. As coisas boas não acontecem a quem as merece.


As coisas boas acontecem a quem as SABE CRIAR.


Mas para as criares tens de evoluir e de definir o que queres criar.

Como é que queres que a tua vida seja?

Como é que queres que a tua relação íntima seja?

Como é que queres que a tua mulher seja?

A qualidade da nossa vida só depende e parte de nós. Não são as circunstâncias que definem a nossa vida, é a nossa personalidade.

É como lidas com o que surge, não é o que surge.

A questão é: o que vais fazer agora em relação ao que te rodeia?


Perguntas:

CoolVibesClub@hotmail.com

4 comentários:

Renan ferreira disse...

Parabens pela materia.
Bastante aproveitadora.

Anónimo disse...

Olá Pedro,
n quero realçar o negativo mas dizes q "Qualquer actividade intelectual vai desenvolver insegurança e negatividade no ser humano..." ou n percebo bem o q queres dizer ou tou completa/ em desacordo!! Pensar é bom!! N somos é seres tão evoluidos e "acima" da natureza quanto mtas vezes queremos acreditar q somos (feliz/..)!
Escreve spre Pedro, é um prazer ler-te!! Um abraço.

Pedro Constantino disse...

Hey, tudo fixe?

É perfeitamente natural essa dúvida ter surgido em ti. Pensar é bom, mas depender do pensamento não.

Este tema está relacionado com a libertação do ego, que é um tema extenso e profundo, e que exige um determinado nível de consciência.

E é por isso que qualquer referência sem explicação clara e desenvolvida cria muitas vezes reacções negativas em quem as lê.

Obrigado pelo teu comentário.

Deinho disse...

Ola, sou uma cara que se encaixa perfeitamente nas sitações feitas por você, ego actividade intelectual para poder fugir ou se esconder de mim mesmo. Em uma parte do texto que vc escreveu, vc sitou que ja foi assim, então lhe pergunto qual o primeiro passo para sair dessa ?? Como criar uma conversa saudavel sem interesse de recompensa ??... Desde agradeço muito..

meu e-mail deinho_music2@hotmail.com

Sds
Deinho