AMOR

"Ensina só Amor, pois é isso que tu és"

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

"7 Coisas Que Nunca Deves Fazer Num 1º Encontro"

O primeiro encontro pode ser o princípio do fim e é por isso que é importante saberes, sejas um homem ou uma mulher, o que nunca deves fazer num deles.

Esta pequena lista irá dar-te uma ideia geral e alguma orientação, mas não é tudo.

Deves ter em mente que um primeiro encontro é apenas isso: um primeiro encontro. Não significa nada nem define nada. É apenas um espaço de tempo durante o qual duas pessoas estão sozinhas a conhecer-se pela primeira vez.

Mas vamos à lista:


1 – IR JANTAR FORA

“Então mas isso não é romântico? Não me vai dar uns pontos extra como homem?”

Sim, é romântico. E sim, irá dar-te uns pontos extra. Assim como também te irá colocar na categoria do “amigo que me leva a jantar fora”. Jantar fora é uma ocasião especial, para pessoas especiais. Não para pessoas que ainda nem sequer conheces.

E há mais. Nenhum dos dois ainda sabe se são compatíveis e se gostam da companhia de um do outro. Por isso um jantar não é lá grande ideia uma vez que são obrigados a estar juntos várias horas, o que pode vir a ser uma tortura.

E por muito espectacular que seja o jantar, a comida e o restaurante, o que irá definir se haverá um segundo encontro é apenas a tua personalidade. Ir a um restaurante de luxo não garante nada.

Ah espera, enganei-me! Garante uma coisa...

Vai garantir que da próxima vez que a mulher quiser ir jantar fora e não tiver companhia, irá escolher-te pois tu és o “desgraçado” que a leva a jantar fora para sítios fixes...

Nem todas as mulheres fazem isto, como é óbvio, e se calhar tu também não és esse tipo de homem, mas fica o conselho. Cuidado com o investimento que fazes em pessoas que nem sequer conheces, sê sempre selectivo.


2 – PAGAR TUDO

“Então mas pagar não é uma atitude de cavalheirismo de que as mulheres gostam? Não me vai dar uns pontos extra como homem?”

É. E vai-te dar uns pontos extra como homem. E também colocar-te na categoria do “amigo que me paga coisas”.

Eu tenho um post inteiro sobre este tema chamado “Quem Deve Pagar, o Homem ou a Mulher?”, e aconselho-te a que o leias.

Como dois seres humanos independentes que são, devem ambos pagar a sua parte da conta. Pois podes pagar a conta toda, e ela vai-te agradecer, e depois não acontece nada.

Pagar não garante nada. É só a personalidade. E se não queres gastar uma fortuna em primeiros, segundos, terceiros, e centésimos encontros que depois não dão em nada, limita-te a pagar a tua parte da conta.


3 – ELOGIAR

“É pá não dá... também não posso elogiar?? Então como é que eu ganho pontos?!”

Tenho uma confissão a fazer-te...

É impossível ganhar pontos. Pois conhecer-se outro ser humano não tem nada a ver com “ganhar-se pontos”.

Pronto, já sei que com isto dei cabo da estratégia de 90% dos homens... mas hey, saber a Verdade é sempre mais poderoso e eficaz ;)

Elogiar alguém, seja um homem ou uma mulher, sem se conhecer a pessoa é um acto subtil de manipulação. É uma “arma” usada por quem quer obter algo da outra pessoa. É como dizer “Hmmm... este bolo de chocolate está tão bom!” quando ainda nem sequer se provou o bolo, na verdade ele até está estragado e nem sequer é de chocolate.

O que é uma pena... pois eu adoro bolo de chocolate.

A táctica dos elogios geralmente é esta:

“Vou elogiá-la e assim demonstrar e provar que sou simpático e que gosto dela, para ela assim depois ter de me recompensar e dar-me aquilo que eu quero. Sim, não pode falhar! Eu já fiz isto nos meus últimos 265 primeiros encontros e continuo solteiro. Este plano é perfeito!”.

=)

Os elogios são para pessoas especiais com quem já se tem uma relação íntima, e não para alguém que ainda nem sequer conhecemos. Atracção não tem nada a ver com lógica, mas sim com emoções. Não podemos convencer ninguém a gostar de nós, muito menos pode um homem convencer uma mulher a sentir-se atraída por ele (hey, isto dava um bom filme de ficção científica!).

Elogios, a quem não se conhece, são apenas mentiras. É apenas texto agradável de se ouvir, nada mais. E não garante nem cria nada.


4 – TER A ATITUDE DA ENTREVISTA DE EMPREGO

Um 1º encontro não é nem uma entrevista de emprego, nem os jogos sem fronteiras nem o desafio total do guerreiro solitário. É apenas um 1º encontro.

Não serve para se impressionar a outra pessoa, apenas para se a conhecer. Não tens de provar nada nem conseguir um “sim” no final. Estás apenas a descobrir se realmente gostas daquela pessoa, se ela realmente merece estar contigo e se realmente vale a pena continuares a sair com ela.

Por isso relaxa e diverte-te. Pois é esse o objectivo.


5 – TER A MENTALIDADE DA ESCASSEZ

Eu tenho um segredo para te contar... é que a pessoa que está à nossa frente num 1º encontro... não é a única.

Lamento, mas há milhares como ela por aí fora. Ou mais. Sim, há muitas mais.

Não há a mínima necessidade do pensamento de “é agora ou nunca!”.

“Ou é com esta pessoa ou estou tramado e fico sozinho para o resto da vida!”. Infelizmente é precisamente esse tipo de pensamento e atitude de carência que fará com que alguém fique sozinho para o resto da vida. Escassez é uma ilusão, e só tem poder quando não se sabe conhecer pessoas e não se é naturalmente atraente. Coisas que não são nenhum super poder e que qualquer pessoa pode aprender e desenvolver. É uma escolha.

O 1º encontro não tem, nem precisa, de dar em algo. A pessoa com quem estás a sair num 1º encontro é apenas mais uma pessoa das muitas que podes conhecer ao longo da tua vida. Não há pressa nem escassez real. Haverão sempre mais pessoas. Sempre mais opções. Tens é de as criar intencionalmente.


6 – GERAR UMA CONVERSA ABORRECIDA

Nada de “Onde trabalhas?”, “Onde vives?”, “Como é que se chamam os teus animais de estimação?”, “Como é que vão os estudos?”, “Quais são os nomes de todas as doenças terminais que existem?”, etc.

Há que ser mais interessante e estimulante que isso, senão a outra pessoa apanha uma grande seca e nunca mais a vês.

A conversa nunca pode ser muito lógica, acerca de informação pessoal e superficial (casa, carro, idade, trabalho, estudos, nº de contribuinte) ou sobre temas negativos.

Até porque saber os pormenores superficiais da vida de alguém nunca te irá revelar nada sobre como ela realmente é. É irrelevante saber o que ela faz na vida, onde trabalha, onde vive, se tem carro, que estudos tem, etc. Isso é tudo independente da sua personalidade, que é o que irá definir a qualidade dos momentos em que vocês estiverem juntos. E a qualidade da vossa relação.

Lembra-te da palavra chave: diverte-te.


7 – PENSAR QUE ISTO TEM DE DAR EM...

...sexo ou relação. Este tipo de pensamento é uma clara expressão de baixa auto-estima. Esperar que o 1º encontro dê numa dessas duas situações vem de um desespero por validação.

Como se pode querer ter uma relação com alguém que nem sequer se conhece?

A maioria dos homens tem este problema. Como não tem opções, todas as escassas oportunidades contam. Seja para alimentar o ego, para ter prazer físico (pois andam constantemente a sentir-se atraídos mas não atraem naturalmente nenhuma mulher...), ou para ter uma companhia feminina.

É por isto que existem tantos divórcios. É por isto que a maioria das relações são insatisfatórias. É por isto que a maioria das pessoas vê uma relação íntima como uma dor de dentes, quando na verdade é precisamente o oposto.

Começar uma relação às cegas, só porque o 1º encontro “correu bem”, e porque “ele é simpático” ou “ela é gira”, é o que depois traz separações dolorosas, abandonos, traições ou relações medíocres que se arrastam durante anos e anos nas quais não há estimulação, fascínio ou alegria.

Uma relação íntima é das coisas mais importantes na vida de um ser humano. É através dela que se experiencia os prazeres da intimidade e que se gera um novo ser humano. É através dela que se partilha o que de melhor temos em nós e na nossa vida com quem nos é especial. É nela que apreciamos os prazeres que só o sexo oposto nos podem fazer sentir.

Sem uma relação íntima de qualidade nenhuma vida está completa, nem nunca existe realização pessoal. É impossível. Pois todos os seres humanos nascem com a motivação inconsciente de se reproduzirem. Todos nós ao longo da nossa vida nos sentimos atraídos pelo sexo oposto. E se essa parte importante da nossa vida não estiver resolvida, haverá sempre um fantasma de insatisfação a assombrar todas as outras áreas.

O sexo oposto adiciona Intimidade à nossa vida, e é isso que uma relação nos traz. Sem isso, e sempre que alguém se sentir atraído por alguém do sexo oposto, esse sentimento de atracção irá fazer essa pessoa lembrar-se de que não tem um parceiro, não está numa relação, ou que está numa relação mas não se sente satisfeito, ou tem vários parceiros sexuais mas nenhum o faz sentir-se realizado, pois entram e saem da sua vida como correntes de ar. E ele é obrigado a estar numa busca constante que acaba sempre com o mesmo resultado: continuar sozinho.

O primeiro encontro é apenas o início. Para se conhecer mesmo bem alguém tem de se sair com essa pessoa durante pelo menos 6 meses. Eu já disse isto aqui no blog. Durante 6 meses, pelo menos 1 vez por semana. Se cada saída for de 2 horas, ao fim de 6 meses esteve-se com a pessoa 48 horas, ou seja, 2 dias. O que até nem é muito, mas já é bastante bom pois muitas pessoas iniciam relações e partilham-se passado apenas meia dúzia de horas.

O ideal será 2 saídas por semana. Estes números não são científicos, são apenas valores aproximados de orientação.

Mas o importante a reteres deste post é que se queres ter uma relação íntima de qualidade tens de a criar intencionalmente. Tens de ser selectivo e activo. Tens de andar a conhecer e a sair com várias pessoas ao mesmo tempo, para depois escolheres uma com quem realmente possas ter a relação que desejas e mereces.

Imagina que tens fome e que te apetece comer uma maçã. Não tens maçãs em casa e por isso decides sair e ir até à mercearia da tua zona. Se lá chegares e se só houver uma maçã, é essa maçã que irás comer. Independentemente de ela estar boa ou não. Pois a situação é esta: ou comes essa maçã ou continuas com fome. Mas se na mercearia houver um cesto cheio de maçãs, irás sempre escolher a melhor para comeres. E obterás sempre mais satisfação na 2ª situação do que na 1ª. A curto e a longo prazo.

O 1º encontro é como que o 1º olhar que dás à maçã. Não define nada, nem tem que dar em nada. Não é levares a maçã a jantar fora, pagares-lhe tudo, elogiá-la ou tentar impressioná-la que irá definir se ela está estragada ou não.

Isso não é algo que se define, é algo que se descobre. E se aquela maçã estiver estragada, deves sempre pensar a longo prazo e procurar outra.

Pois ao contrário da situação da mercearia, na vida amorosa a fome é uma escolha. Essa fome é uma ilusão criada pela baixa auto-estima e pelo ego.

Tu não precisas de alguém, tu queres sim ter intimidade na tua vida com alguém que tenha qualidade para partilhar. Tu só precisas de ti, pois és tu quem cria a tua vida. O resto ou são prazeres que adicionam qualidade e satisfação à tua vida, ou então são irrelevantes.

Tu tens valor, poder e qualidade dentro de ti, e isso irá sempre existir dentro de ti independentemente daquilo que te digam ou demonstrem. Tens é de decidir conscientemente ver isso e viver através disso.


Mailing list (adiciona no MSN)
CoolVibesClub@hotmail.com



Segue as tuas paixões.
- Pedro Constantino

10 comentários:

Anónimo disse...

Olá Pedro, optimo post! N vou cometer nenhum destes 7 erros num 1º encontro.. he..he.. acho q (estes) já n cometia (faço outros..) Mas acho q é no fim do post q tens o melhor, simples, claro e positivo! Escreve spre Pedro... os teus textos são uma inspiração!! Um abraço, fica bem!!

Anónimo disse...

Grande Post!!
Até digo mesmo EXCELENTE!!

Grande abraço e força com as Workshops!

Tiago

Renato disse...

Olá Pedro, sou novo por aqui, e estou gostado muito.
quanto a esse post, me ensinou muita coisa, porém, não me ensinou uma, que é o q fazer num primeiro encontro.
Dê uma dica de onde levar a garota (cinema? balada?).
Um abraço.
Renato

Pedro Constantino disse...

Renato:

Num 1º encontro vai sempre com ela a um café de que gostes beber qualquer coisa. Mantém o encontro breve e divertido. Ir ao café é bom por várias razões:

1) é barato e a questão do dinheiro não interfere, ou seja, é acessível a qualquer pessoa.

2) é um lugar neutro, ou seja, a probabilidade de ela não gostar de ir a um café é quase zero.

3) estão só os dois a conversar... e é assim que se descobre como uma pessoa é.

Faz-lhe perguntas, brinca com ela, e tem a mesma atitude animada e descontraída que tens quando vais sair com os teus amigos... porque é exactamente a mesma coisa.

Obrigado pela tua questão.

Anónimo disse...

Hey Pedro, 6 meses? Isso não será muito tempo? A faísca inicial vai embora...ou não?

Pedro Constantino disse...

Cuidado com essa "faísca inicial"... pois ela nem sempre significa aquilo que pensamos. E soa muito a reagir inconscientemente em vez de tomar uma decisão consciente, que é o que interessa para o caso.

Se há atracção ela não se vai embora, pois vem da nossa personalidade e nível de consciência. Nesse caso só desapareceria se nós mudassemos para "pior".

O problema da "faísca inicial" é que ela não nos diz nada sobre a outra pessoa... logo nunca a devemos seguir cegamente. Por vezes é mera atracção sexual, outras vezes é uma expressão da nossa falta de opções e carência (e vemos a outra pessoa como a grande e única salvação para o nosso sofrimento), pode ser também apenas porque recebemos validação, ou porque é uma pessoa nova (é uma novidade) e estamos curiosos... seja o que for, é inútil em termos de selecção consciente.

E durante esses 6 meses não andas só a sair com essa pessoa. Andas a conhecer e a sair com outras. E quem sabe, à 2ª ou à 3ª descobres aquela com quem podes ter uma relação fantástica, e nem sequer tiveram de passar 6 meses. Porque quando se alcança determinado nível de consciência basta 2 ou 3 saídas com a outra pessoa para se perceber o que se passa. E por vezes basta apenas uns minutos, ou mesmo segundos. Este é o poder da selecção consciente: nunca mais entra na tua vida o tipo errado de pessoas que só te prejudicam, fazem sofrer e trazem problemas, desilusões e desmotivação.

A questão é: é mais importante para ti seguir a "faísca inicial" ou garantires que só entram na tua vida pessoas que vão contribuir para o teu bem estar e felicidade, e ajudar-te a evoluir?

Rafael disse...

Olá Pedro!!
Esse post me ajudou muito!
Agora,tu dizes para sair com várias mulheres, mas não há problema de uma delas descobrir que estou a sair com outra ao mesmo tempo e assim desinteressar-se por mim? Não me sinto confortável saindo com mais de uma mulher ao mesmo tempo, penso que se gosto de sair com uma em especial não haveria porque sair com outra. O que me dizes?

Pedro Constantino disse...

Se gostas de sair com uma em especial então não há razão nenhuma para saires com outras.

A questão é que essa especial nunca é a primeira que conheces e com quem sais.

Repara bem nisto:

Conheces a mulher "A". Sais com ela. Ela é fixe mas não é especial para ti. Só que também não tens razão nenhuma para não voltar a estar com ela. Então continuas a sair com ela.

Depois conheces a mulher "B". Sais com ela. Ela é fixe mas não é especial para ti. Só que também não tens razão nenhuma para não voltar a estar com ela. Então continuas a sair com ela.

Neste momento andas a sair com a mulher "A" e "B"...

Depois conheces a mulher "C". Sais com ela. Ela é fixe mas não é especial para ti. Só que também não tens razão nenhuma para não voltar a estar com ela. Então continuas a sair com ela.

Neste momento andas a sair com a mulher "A", "B" e "C"...

Até que conheces a mulher "D"... e esta é especial. Mas só sabes que é especial porque saiste mais do que uma vez com ela. E só soubeste que as outras 3 não eram especiais porque saiste mais do que uma vez com elas.

E só conheceste a "D" porque foste conhecendo e saindo com mulheres diferentes... senão terias ficado pela "A" que não é como realmente desejas (especial).

Quando falo em sair com várias mulheres falo no contexto de as conhecer melhor, saindo como amigos - sem beijos ou sexo.

Eu pessoalmente nem gosto dessa fase, não me faz sentir realizado. Mas para poder encontrar alguém especial com quem possa ter a ligação autêntica e estimulante, e a intimidade que me faz mesmo sentir satisfeito, sei que tenho de primeiro conhecer várias e sair com elas. Fica a amizade e os bons momentos passados, não há nada que uma delas possa descobrir de negativo ou desonesto para não gostar e perder o interesse.

Ela perde o interesse se as andares a enganar, ou se for demasiado egocêntrica. Qualquer mulher mais atraente ou fixe acaba por sair com mais do que um homem. É super natural, e é normal esse tipo de mulher ter opções.

A questão é: porque não pode também um homem ter opções uma vez que está a ser autêntico e honesto com todas as mulheres com quem sai?

Rafael disse...

Resposta fantástica!!
Talvez essa informação fosse a gota d´água que faltava para eu me sentir mais confortável e chamar mulheres para sair de forma natural.
Muito Obrigado!

Pedro Constantino disse...

Obrigado Rafael. E isto é algo sobre o qual podes falar à vontade com uma mulher. Podes explicar-lhe o que eu te expliquei aqui, pois é 100% honesto e natural.