AMOR

"Ensina só Amor, pois é isso que tu és"

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

"O Que Querem as Mulheres?"

Não há duas pessoas iguais, é verdade. Pelo menos a um nível superficial. Todos nós temos vidas diferentes e os factos das nossas vidas são diferentes... mas todos nós funcionamos da mesma maneira. Somos seres humanos, e todos nós temos um corpo, uma mente e consciência. Cada uma dessas partes funciona da mesma forma em todos nós, e a origem das nossas decisões é a mesma: emoções.

Tanto nos homens como nas mulheres o que define o tipo de decisões que temos são as emoções que sentimos no momento. Na mesma situação duas pessoas podem saber exactamente o que fazer, mas a pessoa confiante vai tomar uma decisão e a pessoa insegura vai tomar outra. Uma vai avançar e a outra recuar.

Então, o que querem as mulheres? Será possível chegar a uma conclusão real, verdadeira e útil? Oh yeah =)

Não há duas mulheres iguais, superficialmente. Mas assim como todos os homens, todas as mulheres funcionam da mesma forma. As suas vidas são diferentes, vivem em sítios diferentes, vestem roupas diferentes, gostam de cores diferentes, têm carros diferentes, têm empregos diferentes, falam de temas diferentes, têm paixões diferentes, gostam de músicas diferentes, de filmes diferentes, de artistas diferentes, etc. Mas todas essas coisas são definidas pela personalidade que têm. Só existem 3 tipos de pessoas no mundo: as de baixa auto-estima, as que funcionam através do sistema operativo do ego (SOE) e as de auto-estima. Porquê? Porque é a relação que temos com nós próprios que define a vida que temos. A nossa vida é uma projecção da nossa personalidade. Existem variantes dentro de cada tipo de pessoa, mas as pessoas de baixa auto-estima sentem-se mal constantemente, têm problemas, não conseguem criar o que desejam ter na vida pois falta-lhes confiança (ver post “Zona de Conforto”), não gostam de si próprias e por isso não se tratam bem, têm pensamentos negativos em relação a elas próprias e à vida, são ciumentas, estão constantemente a ter desgostos amorosos, a serem magoadas e enganadas, traídas, são carentes, dependentes, inseguras, etc. Basicamente, e apesar de até poderem ser boas pessoas e terem um bom coração, têm uma vida que não as satisfaz pois têm uma má relação com elas próprias: não gostam de si próprias.

As pessoas do SOE procuram obter do exterior o maior número de opiniões/reacções positivas para se sentirem bem. O seu estado emocional e a sua identidade é completamente definida pelo exterior. Elas são pessoas de baixa auto-estima, só que funcionam através do seu ego para obter a validação que não conseguem dar a si próprias. Para obterem essa validação essas pessoas fazem coisas como manipular, mentir, enganar, discutir, roubar, inferiorizar, matar, competir, comparar-se, criticar, julgar, gabar-se, etc. Nem todas são más, mas o ego é o que faz um ser humano prejudicar outro ser humano.

E depois há as pessoas que têm auto-estima. Estas pessoas gostam de si próprias, respeitam-se, têm compaixão por si próprias, aceitam apenas o melhor para si próprias, e isto independentemente da sua aparência física, do dinheiro que têm, da casa que têm, daquilo que os outros lhes dizem ou fazem, etc. Ter auto-estima é uma decisão que é independente do exterior, é apenas interior. Estas pessoas não fazem as coisas para os outros verem ou saberem que elas fazem e não têm as coisas para os outros verem ou saberem. Elas seguem as suas paixões para se sentirem bem e criam a sua vida para terem paz interior e um bem estar constante. Se os outros sabem ou não o que elas fazem ou têm é irrelevante, elas podem dedicar-se a algo espectacular e nunca ninguém saber. Pois elas apenas querem-se sentir bem e ter prazer, não provar algo ao mundo ou tentar obter a sua validação.

Isto está muito resumido, mas já dá para ter uma ideia. Portanto existem 3 tipos de pessoas, logo existem 3 tipos de homens e 3 tipos de mulheres. Cada tipo de mulher quer uma coisa diferente, um tipo de homem diferente, e é disso que eu agora vou falar.

1. Mulher de baixa auto-estima:
Este tipo de mulher sente um vazio e acredita que é um homem que o vai preencher e ser a solução para todos os seus problemas na vida e a sua felicidade total. O que é um erro. Pois esse vazio só pode ser preenchido por ela própria, quando ela tomar a decisão de gostar de si própria e aceitar-se como é independentemente do corpo, vida, saúde e dinheiro que tem. O sonho deste tipo de mulher é ter sempre um homem a seu lado, 24h por dia, a elogiá-la e a dizer-lhe o quanto a ama – o que é o mesmo que a estar constantemente a validar e a explicar que ela tem valor e qualidade, ou seja, o que ela deveria fazer a si própria. Ela quer-se casar o mais rapidamente possível para poder prender o homem a si. Ela ouve falar de independência e pensa logo em egoísmo e coração fechado. Não consegue compreender esse conceito. Ela geralmente é uma pessoa triste. Tem os seus momentos de alegria claro, e ainda bem, mas a maior parte do tempo está em baixo, pois os pensamentos que tem constantemente em relação a ela própria, ao que a rodeia e à vida são negativos. Raramente uma mulher de baixa auto-estima tem sentido de humor, é impossível ter sentido de humor quando aquilo que se sente constantemente é mau, deixa-nos mal dispostos, tristes, aborrecidos e até chateados, irritados ou frustrados. Esta mulher quer portanto um homem como ela: de baixa auto-estima. Um homem que seja dependente, carente e que esteja sempre disposto a desrespeitar-se por ela e a tratar-se mal prejudicando-se para satisfazer as carências, dependências e inseguranças da mulher. Um homem que deixe de fazer o que gosta e lhe dá prazer na vida para estar sempre com ela. Um homem que deixe de ter amigos e amigas para estar sempre com ela. Um homem que deixe de ter vida própria para poder entrar dentro dela e assim encher o vazio que ela sente. A relação é possível pois eles são compatíveis, só que nunca será lá grande coisa. Este tipo de mulher é muito inseguro. Se ele telefona 5 minutos mais tarde ela já o está a imaginar a divertir-se com 2 playmates, fica irritada, ele telefona mais tarde pois tinha ficado sem bateria, ela não quer saber e começa uma discussão desnecessária. Ele chega mais tarde a casa e é o mesmo, ou pior. Ele não pode ir sair com os amigos pois na mente dela isso é o mesmo que traição. As conversas são sempre à volta de problemas e preocupações, o futuro é sempre negro e a vida é um apocalipse constante no qual todos os outros são egoístas, pobres, doentes, vigaristas, criminosos, etc, à excepção deles os 2, das suas famílias e amigos. Este tipo de mulher quase que quer um homem virgem que não tenha experiência nenhuma com mulheres para que ela seja a sua única opção e assim nunca o perder. Só que por vezes vem um homem masculino, por vezes também mais interessante, e ela “sem saber como”, trai ou chega mesmo a deixar o pateta que a ama e que sempre fez tudo por ela. Óbvio que nem todas as mulheres de baixa auto-estima fazem isto, mas porque o tipo de homem que querem não é naturalmente atraente, quando surge um que é, elas sentem-se atraídas, e se ele não tiver maturidade (e ela for bonita) vai levar as coisas até ao sexo e ela vai pensar que foi ao paraíso e voltou, pois sentiu prazeres que o “homem da sua vida” não a sabe nem a consegue fazer sentir. Atracção não tem a ver com lógica, bondade ou sacrifícios, mas sim com qualidades que ou se têm ou não se têm, mas que qualquer pessoa pode começar a desenvolver quando quiser. Este é o tipo de mulher que se mantém numa relação com um homem que a trata mal, pois ela não se respeita nem aceita apenas o melhor para si própria. Sente-se atraída por ele porque ele é masculino (apesar de não ter maturidade e é por isso que a trata mal) e confunde essa atracção com gostar dele e ele gostar dela. Portanto a mulher de baixa auto-estima quer um homem de baixa auto-estima, bondoso, simpático, disposto a deixar tudo por ela e a sacrificar-se por ela, etc, pois ambos não gostam de si próprios, não se respeitam nem tratam bem e precisam de alguém para preencherem o vazio que sentem, são inseguros, negativos, carentes e dependentes.

2. Mulher que funciona através do Sistema Operativo do Ego:
Este tipo de mulher quer apenas homens fisicamente atraentes, ricos, famosos, com outras mulheres interessadas neles e que se façam de difícil. Ela não quer partilhar nada com ninguém, quer apenas obter algo dos homens. Ela é uma mulher de baixa auto-estima que chegou à conclusão de que, se não partilhar nada com ninguém, se tiver o seu coração fechado, não se vai magoar, e se manipular os homens para obter a sua validação, vai-se sentir bem e poderosa, e assim vai ser feliz. Este é o tipo de mulher que só se entrega a um homem se sentir que ele tem o ego mais alimentado que o dela. Este é o tipo de mulher que veste roupas e se arranja apenas para dar nas vistas e conseguir obter validação do maior número possível de homens. Obter bebidas, flores, chocolates, todo o tipo de prendas, favores e elogios, jantares e espectáculos à borla, etc. Ela ouve falar em amor, compaixão e partilha e pensa logo em fraqueza, carência e dependência. Ela não consegue compreender estes conceitos. O único tipo de homem que consegue obter algo dela são os manipuladores, ou seja, os homens que funcionam através do sistema operativo do ego. Eles sabem que se não lhe alimentarem logo o ego como todos os outros, e se até a inferiorizarem sem serem ofensivos, conseguem obter validação dela através de sexo, um beijo ou ficar com o seu contacto. Para elas só tem valor quem tem o ego alimentado, elas não compreendem o conceito de auto-estima, nem que todos os seres humanos têm valor. Ela usa todo o tipo de truques e técnicas para obter algo dos homens e alimentar o ego. Este é o tipo de mulher que trai, mente, engana, manipula, cria intrigas, rouba, faz-se de difícil, é demasiado provocante, etc. Nem todas fazem este tipo negativo de coisas, nem todas estão no extremo negativo, mas todas elas fazem coisas com a intenção de obter validação dos homens e de alimentar o ego (ver post “O Badboy e a Bitch” e “Sistema Operativo do Ego”). Portanto este tipo de mulher quer um homem manipulador que funcione através do ego e que tenha o ego mais alimentado que o dela (dinheiro, fama, outras mulheres interessadas, fazer-se de difícil para parecer desinteressado e assim inferiorizá-la e fazê-la andar atrás dele, etc).

A maioria das mulheres vive entre estes dois tipos, pois a origem é a mesma: baixa auto-estima. Ora estão um pouco em baixo, ora estão mais alegres. A baixa auto-estima ataca-as constantemente pois está com elas todos os segundos da sua vida, mas de vez em quando vem algo positivo do exterior, que por vezes até dura bastante tempo, e elas animam-se, quase parecendo ter auto-estima. Só que o exterior é aleatório, e de repente lá vem algo negativo, e quando elas olham para dentro em busca de força, encontram mais coisas negativas. A maioria das mulheres (e dos homens também) vive nesta dança constante e aleatória de emoções boas e más, como se fosse uma montanha-russa cheia de altos e baixos fora do seu controlo, na qual nunca conseguem ficar constantemente, ou pelo menos a maior parte do tempo, lá em cima.

Mas existe um 3º tipo de mulher...

3. A mulher que tem auto-estima:
Esta mulher gosta de si própria, decidiu aceitar-se tal como é e apreciar o que de melhor tem. Ela respeita-se e trata-se bem. Ela apenas aceita o melhor para si. Ela é selectiva e sente-se bem constantemente. Mesmo que venha algo de muito negativo do exterior, como um problema grave, ela não se vai abaixo, pois ao procurar forças dentro de si ela encontra-as, pois adora-se. Ela é positiva e segue as suas paixões. Ela é feminina e sensual, não meramente de aparência, mas na forma como funciona na vida e se apresenta ao mundo. Ela não sente a tristeza e carência constante da mulher de baixa auto-estima, nem manipula para obter validação dos homens como a mulher escrava do ego. Ela não vive desesperada por um homem, mas ela quer um homem de qualidade com o qual possa ter intimidade. Ela quer render-se aos prazeres do masculino... mas ela é paciente. A sua auto-estima permite-lhe ser selectiva e saber esperar. Ela não permite que um homem lhe estrague a vida de satisfação que ela criou... logo não se entrega a qualquer um. Ela aprendeu a analisar as decisões de um homem para perceber se a longo prazo ele será um parceiro de qualidade ou se só lhe trará problemas e más emoções. Para ela títulos não significam nada, ela sabe que é a personalidade que define um homem. Pois ele pode ser grande, forte e belo, mas se for inseguro jamais poderá servir a humanidade e atraí-la sexualmente, pois ele não é masculino. Ela não quer um homem dependente, pois ela não quer uma espécie de filho que precisa dela para se mover na vida, mas sim um homem independente, com força emocional, que a ajude a ultrapassar os seus problemas e inseguranças, que cuide dela e a oriente na vida. Pois o masculino e o feminino têm papéis diferentes na vida, mas igualmente importantes e valiosos. Um serve o outro, e assim reproduzem-se e a humanidade continua. Ela quer um homem de auto-estima que se respeite, que seja responsável e que seja honesto, pois só assim ela o poderá respeitar e confiar na sua liderança e decisões, pois ele tem maturidade. Ela quer um homem com sentido de humor, inteligente e com imaginação, pois ela sabe que se ele não tiver profundidade, se não for interessante, será apenas uma questão de tempo até a relação se tornar repetitiva e ela se aborrecer. E um homem sem paixões na vida, que não está a seguir o seu caminho na vida, é como o capitão de um barco que não sabe para onde ir, que não tem rumo, e que por isso vai condenar a sua tripulação a morrer na imensidão dos oceanos.

Se perguntares a uma mulher que tipo de homem ela quer, ela vai-te dar uma resposta sincera, mas geralmente errada. Uma coisa é a lógica da simpatia, da honestidade e do humor, mas não é só isso que a atrai num homem, o tema é bem mais profundo. E se uma mulher nunca tiver estudado estes temas da atracção, ela nunca te poderá dar uma resposta que realmente te ajude, mesmo que ela tenha a melhor das intenções em te dar a solução por que tanto anseias.

Portanto se és um homem de baixa auto-estima vais apenas atrair mulheres de baixa auto-estima, e terás um tipo de relação cujas bases são a carência e o sacrifício. Se te moves na vida através do ego, irás apenas atrair mulheres que se movem através do ego, e terás um tipo de relação cujas bases são o obter e o tirar algo aos outros. Se és um homem com auto-estima, irás atrair mulheres com auto-estima, e terás um tipo de relção cujas bases são a partilha e a intimidade.

Se és uma mulher, então agora já sabes porque é que estás sempre a levar com aquele tipo de homem que de início parece ser fixe, mas que a longo prazo revela-se sempre ser mais um que não te consegue fazer realizada como mulher. Todos nós atraímos aquilo que projectamos. E se queres atrair a longo prazo um homem de auto-estima, tens de ser primeiro uma mulher de auto-estima. E isso podes começar a desenvolver já. Assim como qualquer homem pode começar agora a evoluir para obter o tipo de mulher que deseja e com a qual terá uma relação de qualidade a longo prazo.

Na sua essência, todas as mulheres querem fazer parte de uma história de amor e viver uma aventura romântica... a questão é que nem todos os homens lhes conseguem dar isso. Mas podem começar hoje a evoluir para o conseguirem. Quantas mais boas emoções criares no teu dia-a-dia, melhor o mundo ficará. Passa a palavra.


PERGUNTAS:

COOLVIBESCLUB@HOTMAIL.COM


Tu és espectacular.
Pedro Constantino

3 comentários:

Leoa disse...

Ola!
li todo o teu post e identifiquei-me imediatamentes com os dois primeiros tipos de mulher. Sou uma rapariga bastante insegura, e tenho o sonho de encontrar alguém que me faça feliz, mas apesar de andar quase sempre bem diposta sou muito insegura e não acredito em mim, se callhar é por isso que não consigo ser feliz com quem amo...
O teu blog é muito bom para mudar, pelo menos para mudar interiormente para algo melhor...
Gosto muito dos teus textos.
Beijinho

*Sandra*

Anónimo disse...

Olá Pedro, mais uma vez,
"O q querem as mulheres", esta parece de encomenda..ah..ah..pk faço esta pergunta a mim mesmo algumas vezes. Tenho uma ideia do q querem, mas sem duvida q a tua resposta é mto mais completa e dominas este assunto mto melhor do q eu (e ainda acrescentas q é um resumo..eh..eh) e por isso o q escreves é tão importante! Só tenho pena -acredito q tu tb- mais pessoas "elas e eles" n leia e reflita nestas coisas, acho q andam a perder o melhor.. N pares Pedro... as tuas palávras estão a ser escutadas. B fim d semana, um abraço.

Anónimo disse...

Eu gostei deste post, tá bem conseguido.

Eu já tive baixa auto-estima, não acreditava em mim, nem nas minhas capacidades e deixava-me seduzir por homens mediocres que nao me apoiavam, não gostavam de mim pelo que eu era e estavam sempre a criticar-me e querer-me mudar.
No fundo eu não gostava de mim e permitia que me fizessem isso, achava que um homem ia salvar a minha vida e que a felicidade total era casar com um principe encantado.
Atraves de muita leitura, mudança de visão da vida, apercebi-me que estava errada e decide começar a ser selectiva, e a ser eu mesma, não permitir que me critiquem pelos meus comportamentos, nem que me manipulem ou mandem em mim.
Comecei a pensar no que era melhor para mim, naquilo que realmente queria fazer da minha vida, quem eu queria a meu lado. E comecei a atrair homens diferentes, que me elogiavam pela minha sensualidade, pelo meu sentido de humor, pela minha personalidade. Ainda sou um pouco insegura e pessimista, acho que tem a ver com a nossa realidade. Mas, acredito que a felicidade total é um estado de equilibrio que depende de mim, e eu sou responsavel pelas coisas boas e más que acontecem, pois a lei da atracção funciona.
Hoje sou mais feliz...