sexta-feira, 12 de outubro de 2007

"7 Filmes a Ver"

Desde muito novo que tenho uma paixão por cinema. Adoro ver bons filmes, com bons argumentos e boas personagens. Sempre tive um fascínio por histórias cujo final me surpreendesse. A lista de filmes que aqui te vou apresentar não é de bons filmes. O que eu quero dizer é que não estão nesta lista por serem bem realizados. Não estão nesta lista por serem filmes de culto, clássicos ou espectaculares. Não estão nesta lista porque são fixes para ires ver com os amigos ao cinema e afundares-te em pipocas. Estes 7 filmes que te vou apresentar nesta lista podem ser bons filmes, estarem bem realizados, serem de culto ou serem fixes para entreter, mas estão nesta lista porque, cada um à sua maneira, te vão ajudar a EVOLUIR.

Através destes filmes vais aprender coisas importantes que não só te vão ajudar a evoluir e a tornares-te naturalmente atraente para as mulheres, como também a controlares e a melhorares a tua vida. Eu aprendi muito com eles, vejo-os regularmente, e são sem dúvida os meus favoritos. Não porque são boas distracções da realidade, mas porque me fizeram ver como a realidade realmente é.

Eu coloquei-os por uma ordem especial, de menos poderoso a mais poderoso.

Aqui estão os 7 magníficos:


7 – THE MATRIX

“Hã?! O Matrix está aqui? Como é que eu vou aprender alguma coisa com o Matrix?”. O Matrix está aqui porque vivemos numa situação semelhante à do Neo. Não, não estamos num programa de computador nem somos controlados por máquinas. Simplesmente, na sociedade contemporânea, 99,9% dos seres humanos vive enganado em relação à vida. Pensa que o seu futuro já está definido, que o poder para controlar a sua vida está fora de si, que as mulheres só querem é homens ricos ou famosos, que o exterior é que define o seu valor (ego), etc. Somos todos como o Neo, num caminho de descoberta em relação à vida, à verdade e à realidade. Num caminho de aprendizagem em relação a como as coisas realmente são, funcionam e resultam. Porque depois de saberes como elas realmente são e funcionam, vais ser exactamente como o Neo no final do filme: vais controlar a tua vida, não a parar balas com a mente, mas a criar a vida que desejas ter e a obter tudo o que queres... e tudo isso começando apenas com um pensamento.



6 – A STREETCAR NAMED DESIRE

Este filme é dos antigos. Este filme é a preto e branco. Mas neste filme entra o Marlon Brando em grande. Há histórias, e são verídicas, de que quando este filme saiu para os cinemas, havia mulheres que desmaiavam ao vê-lo, e outras que tinham ORGASMOS enquanto o viam. Será que foi magia? Bruxaria? Hipnotismo? Não, foi a MASCULINIDADE da personagem de Marlon Brando. Devo avisar que é um daqueles homens masculinos um pouco infantis e desinteressantes, mas é mesmo muito masculino. Por isso vê este filme com atenção e capta bem os comportamentos e atitudes da personagem do Marlon Brando. Ele é a pura masculinidade na sua essência. Não cometas é os mesmos erros que ele no filme...



5 – APOCALYPTO

Sim, é mesmo esse filme que estás pensar: o Apocalypto do Mel Gibson. O homem pode ter atitudes infantis mas é um génio. Este filme tem duas lições importantes. À primeira vou-lhe dar o nome de Sintonia Com o Corpo, e à segunda o nome de Evolução Masculina.

Sintonia Com o Corpo – Repara em como é a vida destas pessoas na floresta. Repara bem quais são as suas funções. A vida é fora da nossa cabeça, e não dentro dela. Se não seguires os desejos e necessidades do corpo terás sempre uma vida complicada e miserável. Este filme dá o exemplo perfeito de quais são os papéis naturais e puros do homem e da mulher. Observa com atenção o que fazem os homens e as mulheres naquela aldeia, qual é o seu papel, e vais perceber que a vida é simples: arranjar comida e ter filhos. O resto é apenas criar as melhores condições possíveis para que isso aconteça e continue a acontecer regularmente nas nossas vidas (exemplos contemporâneos: ter roupa, arranjar um emprego, ter uma casa, ser naturalmente atraente, etc).

Evolução Masculina – A personagem principal do filme não começa bem. Parece normal mas não é confiante. O seu próprio pai lhe diz “Não tragas o medo para a nossa aldeia”. Mas ele trouxe-o... e atrai a desgraça que a seguir acontece. Mas porque tem o desejo e o objectivo de voltar para a sua mulher e filho, começa a atrair situações que o ajudam a fugir. E enquanto foge dos “caçadores”, começa a evoluir e a ganhar confiança. E em vez de andar a fugir deles (Sistema Operativo do Medo), torna-se num “predador” e enfrenta-os, eliminando-os um a um e conseguindo assim voltar para a sua mulher e filhos. Não foi sorte nem acaso, foi confiança e intenção. E fazer algo para chegar ao seu objectivo.



4 – ROCKY

“O Rocky aqui?! O Matrix eu até percebi, agora o Rocky... de boxe e ainda por cima é com aquele pateta do Stallone”. Um amigo meu emprestou-me este filme à uns anos, e quando o vi pela primeira vez fiquei fascinado. A história é muito boa, e quando o acabei de ver pensei “Este filme não é sobre boxe, é sobre a vida”. Passei a admirar mais o Silvester Stallone, pois não só foi ele quem escreveu a história do filme, como o filme ganhou 3 óscares (o de melhor filme foi um deles). Os anos passaram, talvez uns 3. Até que, à não muito tempo, vim a saber pelo que o Silvester Stallone teve de passar para conseguir fazer aquele filme. Assim que soube dessa história fui comprar a edição especial do Rocky em DVD. Adoro histórias motivantes e inspiradoras, e Stallone é agora um dos meus maiores ídolos.

Para ouvires a história vê este video. São 9:20 minutos de investimento:



Por admiração, respeito e também compaixão por Stallone, senti que tinha mesmo de ir comprar este filme. O filme “Rocky” demonstra como tu podes atingir tudo aquilo que queres na vida, mesmo não sendo ninguém e tendo dificuldades. Rocky demonstra que se seguires as tuas paixões, se acreditares em ti, tudo é possível. Irás atrair oportunidades de realizar o teu sonho, e irás aproveitá-las. No fim Rocky não derrota Apollo Creed, mas derrota os seus pensamentos negativos e limitativos e acorda a sua auto-estima. E essa é a maior vitória que alguma vez poderás alcançar na vida. Por isso começa já hoje, começa agora.



3 – NINE AND A HALF WEEKS

Filme erótico dos anos 80 com Mickey Rourke e Kim Basinger. Não fiques hipnotizado a olhar para a Kim Basinger, o importante neste filme não é ela, mas sim a personagem de Mickey Rourke, John. Repara como tudo acontece, como eles se conhecem, como John é e como ele interage com Elizabeth. Repara na forma como ele olha para ela, no que ele diz, na forma como se move, nas suas atitudes e comportamentos, nas suas ideias. Repara bem na sua linguagem corporal e na sua personalidade, em como ele trata a Elizabeth, em como se veste, em como é o seu apartamento. John é sem dúvida, em termos cinematográficos, o melhor exemplo do que é um homem naturalmente atraente para as mulheres. Ele é o modelo que deves seguir. Quando vi este filme pela primeira vez fiquei logo fascinado, nem queria acreditar no que estava a ver. Era tudo tão ligado à realidade... ele tinha mesmo o conhecimento e a personalidade de um homem naturalmente atraente. Mas a melhor parte foi quando descobri que a história não era fictícia. Este filme foi feito a partir de um livro chamado “Nine and a Half Weeks: A Memoir of a Love Affair”, escrito por uma mulher, Elizabeth McNeill. Este livro é o relato de uma história verdadeira que aconteceu a Elizabeth McNeill. John existiu mesmo... todas as cenas do filme aconteceram... foi tudo REAL e VERDADEIRO. O nome verdadeiro da autora ainda hoje é um mistério (Elizabeth McNeill é um pseudónimo, a sua identidade verdadeira nunca foi divulgada), o que torna esta história ainda mais fascinante. Só se sabe que ela, na altura em que lançou o livro (1978), vivia em Nova Iorque e trabalhava como executiva numa grande corporação. Vê e revê o filme, estuda a personagem de John, mas por favor, não cometas o mesmo erro que ele comete no final do filme...



2 – THE COUNT OF MONTE CRISTO

Muitos dizem ter sido a melhor história alguma vez escrita pelo Homem. E é muito provável que seja. Além de ser um grande filme, é o melhor exemplo cinematográfico de evolução pessoal. A personagem principal, Dante, começa por ser inocente e infantil, tudo menos um homem a sério com auto-respeito e confiança. Todo o filme é a sua história de evolução pessoal, na qual ele passa por várias fases. Repara como ele, depois dos ensinamentos do padre na prisão e de encontrar o tesouro, se torna poderoso, melhor do que quem o traiu, e com um desejo de vingança. Esta é a fase do Ego. Ele tem dinheiro, poder e conhecimento, mas como ainda é infantil, usa-o para prejudicar quem o traiu. Mas no final do filme Dante passa a usar tudo o que aprendeu e tem para alcancar a sua realização pessoal, para criar a sua vida e bem estar. Este meu parágrafo não faz justiça à profundidade de conhecimento que está neste filme, é incrível, eu nem queria acreditar quando o vi. Vê-o e revê-o, toma atenção às diferentes fases da evolução de Dante. Ele vai de baixa auto-estima a escravo do ego e, no final, torna-se num homem de qualidade. O caminho que Dante percorreu é o caminho que tu vais ter de percorrer. Não necessariamente igual ao dele, com traição, conspiração, prisão, sofrimento e sacrifício, mas vais ter de te desafiar, e muito.



1 – THE SECRET

Já deves ter ouvido falar deste filme e, se calhar, até já leste o livro. Curiosamente eu devo ter sido das primeiras pessoas em Portugal a ver este filme. Foi em Maio ou Junho de 2006. Nessa altura ainda não havia o livro, e para se ver o filme tinha-se que ir ao site e pagar 5 dólares. Um professor meu da faculdade decidiu no final do ano mostrar vários filmes aos alunos, e este foi um deles. Nessa altura eu já tinha uns 2 anos e 2 meses dedicados à minha evolução pessoal, mas só depois de ver este filme é que as coisas começaram mesmo a mudar poderosamente para mim. O meu desejo e sonho por mudança, por evoluir, por ter uma vida melhor, por ser naturalmente atraente e por me sentir bem fez-me atrair este filme para a minha vida. E é mesmo sobre isso que o filme é: sobre a Lei da Atracção. Na sua essência explica que nós atraímos aquilo em que pensamos e que sentimos. Se pensamos em problemas só vamos atrair mais problemas, se pensarmos e sentirmos que temos muito dinheiro, vamos atrair mais dinheiro. E isto funciona para tudo: saúde, riqueza, relações, sucesso, etc. O filme é muito poderoso, mas eu aprendi algo muito importante durante a minha evolução pessoal: é que o filme apenas toca na superfície da questão. É apenas o início. É o 1º passo. O The Secret traz um conhecimento geral, mas sem conhecimento específico não vais chegar a lado nenhum. O filme ensina-te a eliminar os pensamentos limitativos e negativos que te impedem de decidir procurar o conhecimento específico. Basicamente ficas com a mente aberta, e em vez de procurares razões pelas quais algo não vai resultar, passas apenas a pensar em como atingir os teus sonhos, desejos e objectivos. Vê-o, lê o livro, vai ao site... explora o mundo de conhecimento do The Secret.

Rhonda Byrne, antes de lançar o projecto do The Secret, era POBRE. Assim como Sylvester Stallone antes do filme Rocky. Não interessa como a tua vida está agora, há uma solução para ela ficar melhor e para tu alcançares o que desejas. Sê íntegro, corajoso, positivo, persistente e paciente. Tu podes ser a próxima história de sucesso, não para os outros saberem e te elogiarem, mas para tu o sentires e adormeceres todas as noites com um sorriso na cara.

Vê e revê todos estes 7 filmes e, claro, vai lendo o Cool Vibes


Perguntas:
CoolVibesClub@hotmail.com


Divulga o Cool Vibes. Mostra o blog aos teus amigos ou manda-lhes o link. Se tens um profile ou blog, e curtiste o Cool Vibes, coloca nele o link.


Acredita em ti.
Pedro Constantino

4 comentários:

Paulo Nupi disse...

Estás a meter-te por caminhos estranhos... nove semanas e meia? Esse filme não é propriamente um elogio ao amor. E no fundo, a personagem do M R era algo manipuladora e por isso a coisa acabou em lágrimas e não passou das nove semanas e meia.

Cool Vibes disse...

No filme "Nine and a Half Weeks" o John não é manipulador. Ele cumpre o seu papel masculino: toma a INICIATIVA, LIDERA e faz as coisas acontecerem. A maioria dos homens confunde liderar com manipular e tem uma de duas atitudes: ou não faz nada e fica à espera que seja a mulher a tomar a iniciativa (o que é ridículo, pois assim nunca nada acontece e nem ele nem ela têm satisfação e prazer); ou então engana a mulher, faz com que ela pense que ele quer uma coisa e que vai acontecer uma coisa, e depois na verdade ele quer outra coisa e acontece outra coisa diferente... ele manipula-a e usa-a para obter validação.

No filme o John NUNCA mente à Elizabeth. Ele é autêntico e honesto. Ele explora a sexualidade e intimidade com ela através de fantasias, jogos e brincadeiras. Ela NUNCA está a ser enganada. E ela tem PRAZER. Não compreender como é que ela tem prazer com aquelas fantasias e jogos é não compreender o FEMININO na sua essência. Ele é divertido, interessante, estimulante e excitante. Ele compreende as dinâmicas do erotismo e da sexualidade e cria situações de prazer para AMBOS. Ela não anda ali com ele a pensar que ele só quer ser amigo dela... e ele trata-a bem, com respeito e compaixão.

Se nenhum homem for masculino, tomar a iniciativa, liderar e fazer as coisas acontecerem, ACABAM-SE as relações, sexo, prazer, intimidade, amor, etc.

No final do filme ele comete um erro. Quer criar um "3some", mas avança sem saber se Elizabeth é bissexual, e constrói-o no formato de surpresa... assim não resulta. Seja como for a Elizabeth deixa-o. Se houvesse manipulação ela nunca o conseguiria fazer...

Foram 9 semanas e meia de qualidade. De sexo e intimidade como ela provavelmente nunca mais teve na vida. E qualquer mulher prefere isso a anos numa relação aborrecida com um gajo feminino, preso dentro da sua cabeça, que precisa da sua validação e que não percebe nada de sexualidade e não a sabe estimular e excitar como mulher feminina.

Anónimo disse...

desculpa pedro mas eu tenh de concordar com o paulo nupi. exe john e um nojento k so ker sexo. ele e k tem uma foto de outra mulher e discute com a elisabeth pk ela violou a sua privacidade. depois viola-a, ela cai como uma patinha, ele fa-la ajoelhar-se e batelhe kuando ela se recusa a continuar. depois akela cena prostituta...por favor! Ah ele tb era muito misterioso criando insegurança nela e so kuando ela decide ir embora e k ele começa a revelar certas coisas sobre si, tentando fazer com k ela fike. Nem sei como ele diz k a ama. SE PUDERES JUSTIFICAME OS COMPORTAMENTOS DELE.

Pedro Constantino disse...

Hey "anónimo", primeiro de tudo lê a minha resposta ao Paulo. Eu esclareço alguns pontos importantes lá.

"exe john e um nojento k so ker sexo"

Eu sinto aí muita raiva e revolta em relação a uma mera personagem de um filme... mas vamos ao que interessa:

Na versão que eu vi do filme, com o Mickey Rourke e a Kim Basinger, eles têm uma relação e uma ligação emocional. Eles não estão juntos apenas para ter sexo... ele não está com ela apenas para ter sexo. Ao longo do filme vê-se eles a sairem, a conversarem, a brincarem, a passearem, a divertirem-se, etc, etc. Claro que, e como é natural numa relação íntima, eles TAMBÉM têm sexo e fazem brincadeiras e jogos eróticos.

Existem AMBAS as partes da relação. Elas estão no filme e são mostradas ao longo do filme. Por isso não compreendo de onde vem a conclusão de que ele é um nojento que só quer sexo.

Os nojentos que só querem sexo só estão com uma mulher para ter sexo com ela e andam ao mesmo tempo com outras mulheres. E no filme ele não anda com outra mulher. A Kim Basinger é a única mulher com quem ele tem sexo. Ele é fiel, e não um nojento que só quer sexo.

Eu não sei que ameaça uma mera foto representa... é apenas um bocado de papel. Era uma foto de uma mulher com quem ele tinha tido uma relação... não sei que mal tem ter-se fotos de pessoas que se conheceu. Só uma mulher muito insegura é que se preocupa com fotos, e isso é uma falta de qualidade da sua parte.

Repara que ele não andava com mais ninguém. Era apenas uma foto de alguém com quem ele tinha andado NO PASSADO. E ter uma foto de alguém com quem se andou no passado NÃO É UM ACTO DE TRAIÇÃO.

Como já expliquei, só uma mulher muito insegura é que vai ficar paranóica com isso. A casa é dele e acho que ele tem o direito a ter lá as fotos de quem quiser... agora violar a privacidade de alguém e mexer-lha nas gavetas, isso é medíocre. Seja em que circunstância for, à excepção de um claro caso de vida ou de morte.

Será que ele a violou? Como é que se viola alguém com quem já se tem uma relação e com quem já se fez sexo? Há muito mais ali do que apenas o que os olhos conseguem ver...

E se fosse uma violação real ela teria, e muito bem, ido fazer queixa à polícia. Mas ela não foi... porque terá sido? Será que foi porque ele a ameaçou para ela ter medo e não fazer a queixa? Não. Porque simplesmente ele não a ameaçou.

Ela não caiu como um patinho. Ela sentia-se atraída por ele porque ele era masculino e sabia lidar com uma mulher feminina. Sabia estimulá-la e excitá-la... e ela estava a ter prazer como nunca tinha tido antes na vida (e como nunca mais deve ter tido).

Em relação à cena das notas e do cinto... em que parte do corpo é que ele lhe bateu?

Nenhuma.

Ele bateu com o cinto no chão. Aquilo nada mais foi do que um jogo ou fantasia sexual. Ele exagerou bastante, e eu concordo com isso. Ele queria criar um momento intenso e inesperado, mas exagerou muito. Seja como for não lhe bateu e logo a seguir a esse momento percebe-se qual era a sua intenção.

A cena da prostituta sim, foi o erro dele. Ele queria fazer um ménage, o que não tem mal nenhum, mas a forma como fez aquilo foi um enorme disparate.

Eu não sei como é que mistério cria insegurança... deve ser um golpe ninja :)

Mistério cria curiosidade. Claro que se a mulher for insegura vai ter paranóias, imaginar coisas e sentir-se insegura e ter medo que haja algo errado ou que ele esteja com outra mulher a traí-la (o mesmo se verifica para os homens).

Mas isso não tem nada a ver com o mistério ou com o que ele faz, tem a ver com a mulher ser insegura. Tem a ver com a personalidade dela.

E o que é que ele fazia quando ela sentiu a necessidade de o descobrir e foi ver? Estava atrás de uma secretária a trabalhar.

Seja como for, eu nunca disse que o John era perfeito. Ele era demasiado fechado, de facto não falava lá muito sobre si. Mas criava experiências estimulantes para a Elizabeth, dentro e fora da cama. E isso é extremamente atraente.

E é por isso que os homens têm muitas lições a aprender com o John. Principalmente homens femininos que não conseguem ser mais do que um amigo das mulheres por quem se sentem atraídos, e não fazem a mínima ideia como ser interessante e estimulante para uma mulher e como a excitar.

É importante não confundir um acto sexual entre estranhos com uma fantasia sexual ou erótica entre dois adultos que sabem onde estão e o que estão a fazer, e que têm uma relação íntima, e estão num ambiente de intimidade no qual confiam um no outro.

A religião atrofiou completamente a sexualidade do ser humano e é por isso que a maioria das pessoas não compreende certas coisas subtis em relação à polaridade masculino/feminino, o que significa ser-se masculino, o que significa ser-se feminino, e como isso se expressa durante a intimidade e o acto sexual.

Não tem mal nenhum, é natural hoje em dia assim ser e haver muita confusão em relação a esse tema. Mas cabe-nos a nós descobrir a Verdade para que possamos ter a vida amorosa que realmente desejamos e queremos ter.

Não é para se imitar o John ou fazer tudo o que ele fez e como o fez... são apenas alguns conceitos importantes em relação à sua personalidade, linguagem corporal e como ele interagia com a Elizabeth (mulher feminina).

Obrigado pelo teu comentário. Todas as dúvidas têm valor.