AMOR

"Ensina só Amor, pois é isso que tu és"

segunda-feira, 15 de Setembro de 2014

"Top 10 Obstáculos ao Desenvolvimento Pessoal"


"Top 10 Obstáculos ao Desenvolvimento Pessoal"

Desenvolvimento Pessoal é, talvez, a designação mais comum e conhecida usada para identificar aquilo que na verdade, e no final, é um caminho de evolução espiritual, primeiro em direcção à Realidade e Integridade, e depois ao Espírito e Iluminação. Decidi usar este termo neste post, pois é então aquele que as pessoas mais irão reconhecer o que significa, e com o qual mais pessoas se sentem confortáveis. Isto porque o ego detesta e receia tudo o que é espiritual, vendo-o como estranho, abstracto, impraticável, ameaçador, fantasia, etc. E isso é um obstáculo em si, mas já lá chegamos.

A intenção deste post é revelar, e deixar claros, quais são os principais obstáculos que impedem o ser humano de realmente evoluir e alcançar níveis de consciência mais elevados, agradáveis e felizes, e consequentemente uma vida melhor e mais alegre, nas suas diferentes áreas.

Uma vez que 85% das pessoas não são íntegras, esta informação, claro, vai incomodar muita gente =) mas é assim neste caminho, a vida íntegra é como que um dia-a-dia de “last stands”, em que 1 é atacado por 8 ou 9 lol

Passando aos obstáculos, a ordem não é importante. O formato de “top 10” é apenas uma opção como outra qualquer, apenas para organizar as lições. Estes obstáculos são ilusões do ego que uma vez seguidas têm 1 de 3 consequências: ou a pessoa não evolui de todo, ou a pessoa acredita que está a evoluir mas na verdade não está, ou a pessoa evoluiu mas depois de facto baixa de nível de consciência.


#10
“A Causa do Problema é Sempre Exterior”

Esta ilusão/obstáculo é a atitude do ego que vem deste acreditar que é perfeito, e que já é Iluminado. Ou seja, a mentalidade é algo do género, “eu sou perfeito, portanto este meu sofrimento/problema é causado pelo patrão/marido/sociedade/políticos/crise/extraterrestres/sofá/etc. Isto é claro, falso. Nós somos responsáveis por todas as nossas escolhas, e experienciamos o tipo de vida e momentos que o nosso nível de consciência actual permite. Logo subindo de nível de consciência e fazendo escolhas diferentes é possível uma vida melhor, pois passamos a ter acesso a outras pessoas, locais, oportunidades, etc, e deixamos de estar à mercê das condições do nível de consciência anterior. Logo a nossa felicidade apenas depende de nós. Aquilo que temos de aceitar é que somos imperfeitos, e que como somos agora potencia o nosso sofrimento e problemas actuais. Colocar as culpas e causa noutras pessoas ou condições que não apenas o nosso nível de consciência, é inútil e uma ilusão.


#9
“Saber sobre não é o mesmo que Ser”

Então a pessoa, ou porque não aguenta mais o sofrimento, ou porque deseja algo intensamente, parte em busca de uma solução para resolver a sua angústia. Aqui já há um pouco de humildade, a pessoa aceita que não sabe tudo e que tem de aprender algo novo e eficaz para mudar as suas circunstâncias e nível de felicidade. Geralmente começa-se por ler sobre desenvolvimento pessoal, ou espiritualidade, seja em livro real ou na internet. O erro é que toda a informação, mesmo que verdadeira e eficaz para a evolução, é imediatamente mentalizada, e percepcionada/interpretada através do nível de consciência actual da pessoa que está em sofrimento. O ego/mente acredita logo que por ter lido sobre evolução, agora sabe como funciona. Mas na verdade ainda não sabe nada. Leu sobre o assunto, sim, mas ainda não experienciou nada. Ler sobre a Austrália não é o mesmo que se ser Australiano. Ler sobre como é ser-se íntegro, não é o mesmo que se Ser íntegro. Ler-se sobre como conhecer mulheres, não é o mesmo que se conhecer mulheres. Só realmente se aprende e se sabe algo através de experiência, e não quando se lê sobre essa experiência. O ego pega logo na informação e por questões de orgulho considera-se um perito no tema, sem ter qualquer experiência real no mesmo, longe e muito abaixo do nível de consciência de quem escreveu sobre o tema.


#8
“Ter Mais Não é Ser-se Mais”

Dedicado ao desenvolvimento pessoal, o ser humano muitas vezes cai na armadilha de acreditar que - porque usou certas técnicas para uma mentalidade mais positiva, e assim conseguiu, por exemplo, um carro novo que escreveu regularmente como objectivo adquirir -  evoluiu, é uma pessoa diferente e mais sábia. Conseguiu sim, adquirir uma coisa nova na vida, tem o seu mérito, mas isso em termos de real evolução pouco ou nada significa. Uma coisa é conseguir ter-se uma casa nova, ou um telemóvel novo topo de gama, outra coisa é desenvolver-se uma qualidade nova e transcender-se uma limitação (defeito). As coisas novas adquirem-se através de qualquer nível de consciência, basta seguir-se as instruções de determinada mentalidade de alguém que as consegiu ter, e usar-se certo tipo de pensamentos, objectivos e afirmações. Está-se apenas a usar a mente de forma diferente, mas o nível de consciência mantém-se na mesma, se o foco não for uma transformação interior, como por exemplo, tornar-se íntegro. A pessoa orgulhosa e desonesta, ao adquirir um carro novo não se vai transformar em alguém humilde e honesto.


#7
“Mais Não Significa Melhor”

Muitos são aqueles que fazem colecção de lições e diferentes mestres, e não chegam a lado nenhum. Não é o uso de 1000 técnicas diferentes, e a leitura de 100 perspectivas diferentes que vai fazer alguém evoluir. É sim o uso de 1 técnica espiritual todos os dias, e o seguimento disciplinado de 1 mestre apenas. Tal como David Hawkins disse, “Não são necessárias 10 jangadas para atravessar um rio, basta uma”. E por outro lado, há mestres para diferentes níveis de consciência e intenções, logo estar a colecionar mestres e sabedorias é um erro uma vez que, um mestre pode ser apropriado para um nível de consciência mas não para outro. Há mestres demasiado elevados para certas pessoas (pois o nível de consciência destas não é elevado o suficiente para realmente compreenderem e aplicarem a sua Sabedoria), assim como há mestres apropriados para o nível das mesmas pessoas em questão. Tenta-se um mestre de cada vez, uma técnica de cada vez, um caminho de cada vez, a 100%, e é assim que se descobre se é apropriado ou não para nós, se vai na direcção que pretendemos, e se de facto o mestre é verdadeiro ou um charlatão.


#6
“A Ilusão do Interesse”

Mera curiosidade intelectual não leva ninguém a lado nenhum neste caminho. Se a Sabedoria não é aplicada no dia-a-dia, no mundo real, não tem qualquer valor transformativo. Dependendo do seu nível de verdade, a Sabedoria tem um nível de energia que pode fazer a pessoa que a lê sentir-se melhor do que normalmente se sente, mas isso não é verdadeira evolução, é apenas um estado temporário e curto, dependente da leitura dessa mesma Sabedoria. Muitos são aqueles que acreditam que estão interessados em evoluir, e interessados em Amor, e em espiritualidade, e em integridade, etc, mas depois apenas lêem sobre os temas, e tratam-nos apenas ao nível de conteúdo, e não de experiência. Ou seja, o seu interesse não é em evoluir, mas sim em adquirir mais informação, cujo momento de leitura os faz sentirem-se melhor, e depois usam essa informação para parecerem sábios, aqueles que sabem, superioridade moral (“sou mais boa pessoa/evoluído que ele/este grupo”), etc. Resume-se tudo a orgulho intelectual, e apesar das constantes leituras e da crença de que, sim, estou a evoluir e sei sobre o assunto, a pessoa fica no mesmo nível e nada evoluiu. É fácil detectar estes “interessados”, pois as suas perguntas geralmente são sempre hipotéticas, irrelevantes na prática e ao nível de conceito e conteúdo, e não representam uma dúvida consequente de uma experiência real na sua vida, ou na verdadeira intenção de usar a Sabedoria da resposta, enfrentando algum medo, por exemplo.


#5
“Ser o Maior é Ser o Pior”

Para muitos o caminho de evolução tem apenas como objectivo, consciente ou inconsciente, o nível de orgulho, cujo destino é a queda da arrogância. Orgulho é na verdade o principal obstáculo à verdadeira evolução. Ir do nível de consciência do medo ao do orgulho é positivo e tem o seu mérito, mas ainda se está à mercê do ego das suas ilusões. Verdadeira felicidade apenas começa na Integridade, e isso é um facto. Porque orgulho é um nível narcisista, está à mercê de 85% da população humana de intenções não íntegras, logo é frágil. Integridade só depende da Realidade e do Espírito, logo o que os outros pensam, dizem e fazem não afecta a felicidade da pessoa, nem a pessoa é dependente destes para se sentir no seu melhor e alcançar o que pretende. Integridade é não só Felicidade como também Liberdade, e nada nem ninguém neste mundo se compara a esse estado e nível. Portanto, dependendo do nível da pessoa, pode ser boa ou má ideia o uso de técnicas de desenvolvimento pessoal para alcançar um estado de orgulho. Muitas afirmações e objectivos têm como intenção “secreta” o orgulho, pois é isso que o ego mais quer. A leitura de livros sobre evolução, e a participação em formações, workshops e palestras sobre o tema levam o ego a um orgulho do “eu agora sei como é”, e isto é quase sempre invisível à pessoa (é o tal, “ler/ouvir sobre não é o mesmo que o Ser”). Na minha percepção ninguém precisa disso. O caminho para a integridade tem tudo o que todos precisam. As lições e técnicas ajudam a pessoa a evoluir sem ter de ficar presa no orgulho, e aquilo que praticamente ninguém sabe é que karmicamente, uma vida nesse nível é terrível em consequências. A queda para a pessoa acordar tem de ser extrema, pois o ego jamais larga o orgulho de boa vontade, e quanto mais ganhar com essa atitude orgulhosa, mais arrogante fica, até à sua auto-destruição. Não é preciso ir em direcção a um apocalipse para se escolher plantar uma flor.


#4
“Entretenimento Pessoal Não é Desenvolvimento Pessoal”

O frequentar de formações de desenvolvimento pessoal é bom, mas muitas vezes o que lá acontece pode ser mal interpretado pelas pessoas. Os formadores usam todo o tipo de tácticas e técnicas de entretenimento para tentar tornar a passagem de informação mais estimulante, e alguns conseguem, e até são mestres nisso. Independentemente da utilidade, e integridade, da informação passada, o participante por fazer jogos, ouvir histórias e piadas, interagir com várias pessoas, participar em vários tipos de actividades, ouvir músicas, etc, vai-se sentir melhor do que geralmente se sente. É o mesmo efeito que ler os textos de Sabedoria: é apenas um estado temporário, dependente do que acontece na formação. Depois da formação a pessoa regressa ao seu estado normal, passado um dia ou dois, e claro, sente a necessidade de voltar a uma formação do género, pois lá sente-se melhor do que no seu dia-a-dia normal. Tudo isto é normal, não tem mal nenhum em si. O importante é a pessoa não confundir esse estado com evolução (ilusão de evolução, orgulho, etc). Seja a formação de horas ou dias, ninguém sobe de nível de consciência, acredita. Não é assim tão rápido e simples lol leva-se meses ou anos a aplicar os princípios e técnicas no dia-a-dia até isso acontecer. A função dessas formações é passar esses princípios e técnicas, e de forma estimulante, para que depois a pessoa as use no seu dia-a-dia. Num ambiente controlado e seguro de formação, de produção profissional, ninguém passa pelas duras experiências humanas e escolhas que nos fazem evoluir. Não é só repetir frases e jogar jogos lol é difícil. Verdadeira evolução é um constante enfrentar de medos e limitações, é lidar com as surpresas da vida humana (boas e más), é aborrecido e desconfortável. A informação pode ser passada de forma estimulante numa formação numa sala de hotel com ar condicionado e cadeiras almofadadas, mas o processo de evolução é doloroso e é no dia-a-dia, perante o pior e o melhor da vida. Sempre disse, a melhor workshop de desenvolvimento pessoal é a nossa própria vida.


#3
“Fazer Não é Ser”

Usar uma técnica para se tornar mais confiante não é o mesmo que se ser confiante. Uma coisa é o uso de uma técnica espiritual que uma vez aplicada todos os dias nos fará evoluir espiritualmente. Outra coisa é de facto ser-se evoluído espiritualmente. Usar-se uma técnica espiritual, como contemplação, para se experienciar o momento presente (Realidade) e Amor, não é o mesmo que se ser Amor. Há que se ser Humilde e se perceber que sim, está-se no caminho e a fazer um esforço honesto, mas que apenas se está a usar técnicas para tal, ainda não se é o resultado final. Lá porque se medita todas as noites 15 minutos ou 2 horas, isso não significa que já se transcendeu o ego e se está à beira da Iluminação lol não quer dizer que se é um ser humano espiritualmente evoluído. Quer apenas dizer que se está a meditar durante esse tempo, e que meditação é uma ajuda para se ganhar consciência do inconsciente em nós, do ego, e que faz parte do caminho de evolução. Tal como qualquer outra técnica de evolução, só é útil até certo ponto do caminho, pois quando se atinge determinado nível de consciência, a técnica torna-se inútil, uma vez que já se é naturalmente tudo o que essa técnica representa.


#2
“Aparência Não é Essência”

Este obstáculo engloba o anterior. Trata-se do uso errado das técnicas, não com a honesta e humilde atitude de evoluir, mas como identidade, como aparência de algo que não se é, usadas como técnica de actor para se parecer mais evoluído do que se é na verdade. Ou seja, a imitação do visual e estilo de vida de quem é íntegro, não faz de nós íntegros lol aparência não é essência. Por muito sofisticada que seja a imitação, está-se apenas a ser um actor, e não realmente, automaticamente, naturalmente, espontaneamente, o nível de consciência daquele cuja aparência se está a imitar e copiar. Não é só a aparência física que faz parte da dimensão da aparência, mas sim também as palavras e comportamentos. As acções também são aparência, pois a mesma acção pode ter por detrás intenções diferentes. Intenção faz parte da dimensão invisível da essência. Por exemplo, oferecer uma bebida a uma mulher na discoteca pode ter como intenção apenas querer partilhar a alegria que se está a experienciar no momento com a mulher (integridade), como pode ter como intenção manipular a mulher dando-lhe algo na esperança de se obter desta algo que se deseja (narcisismo). Mesma acção, intenções diferentes. Portanto meditar, ir a retiros espirituais, usar roupas estranhas, ter um penteado estranho ou viver na floresta/montanha, porque se leu que um mestre espiritual é assim, não significa que se é espiritualmente evoluído. Está-se a imitar, mas ainda não se é assim. O perigo disto é acreditar-se que se está a evoluir e não se estar a evoluir. Passa-se por estranho, e pior, num estado de orgulho que não leva a pessoa a nenhum lado bom. Vestir-se como homem que tem sucesso com as mulheres não é o mesmo que de facto ter-se sucesso com as mulheres. Está aí a secreta lição espiritual do Carnaval: permite-nos Ver que aparência é apenas brincadeira, o que importa é a essência. Daí eu poder me vestir à cowboy no Carnaval, mas sei que não sou cowboy nenhum. Logo apesar de me divertir assim vestido no Carnaval, não o levo a sério. A atitude tem de ser a mesma fora do Carnaval, todos os dias, em relação a tudo. Há muitos actores imitadores por aí, e poucos verdadeiramente evoluídos. São vários os falsos mestres espirituais, cuja única coisa em que são mestres é em parecerem mestres espirituais lol são sofisticados, exóticos, dão espectáculo, sabem os textos, têm esperteza, são convincentes, mas depois as suas escolhas e intenções são narcisistas, o que apenas engana os não íntegros, que são a maior parte das pessoas. Ou seja, facilmente estes falsos mestres conseguem impressionar o ser humano comum com a aparência daquilo que fazem, a legião de fãs e a quantidade de dinheiro que conseguem. Quantidade de seguidores não garante qualidade de sabedoria. Basta entreter o ego das pessoas e dizer-lhes o que elas querem ouvir, com o mínimo de inteligência e criatividade, e serás famoso haha!


#1
“O Ego Espiritual”

Parece um paradoxo, mas não é. O ego não tem nada de espiritual, mas julga ter :D

O ego pega nos conteúdos sobre verdade espiritual, e usa-os para o seu próprio orgulho. Em vez de os usar correctamente, usa-os para justificar escolhas passadas, fortalecer crenças falsas editando-os, para manipular outros, para ser adorado por outros, para se sentir especial, para ter razão, para se sentir moralmente superior aos outros (“eu sou mais boa pessoa que aqueles que não lêem sobre espiritualidade”), para parecer o mestre que sabe, etc. Em essência usa o conteúdo espiritual com intenções narcisistas de orgulho e ganho material. Este é talvez o pior obstáculo de todos, pois faz cair mestres. Mestres que de facto a certa altura estavam num nível de consciência elevado, e Eram de facto aquilo que falavam e pareciam Ser, por inocentemente atribuírem a Sabedoria e Poder ao “eu individual” (ego) e se acharem especiais – em vez de humildemente atribuírem isso ao Espírito e o verem como uma dádiva – caíram. Desceram de nível de consciência, foram de Amor Incondicional a Orgulho Incondicional lol queda épica! E continuaram a ensinar, mas apesar da conversa e aparência ser a mesma, a energia e intenção já não tinham nada a ver. Para o estudante espiritual, o ego espiritual é mais usado em termos de orgulho (“eu sei, logo dou conselhos não solicitados”, lol), e os conteúdos espirituais são usados como uma arma do ego contra a realidade e os outros, numa de superioridade de conhecimentos, sofisticação da pele de ovelha que mascara o lobo e camuflagem das escolhas, intenções e impulsos narcisistas.

Resumindo e concluindo, o principal obstáculo ao desenvolvimento pessoal é a ilusão. Seguir algo que não é real, e percepcionar/interpretar o que é real de forma errada, o que gera uma ilusão. Pensamento é ilusão, logo não existe no mundo real. Se não existe não tem energia para nos apoiar, logo não é “sólido”. Se nos tentamos erguer numa base falsa, sem solidez, não temos como dar o impulso para dar o salto da evolução. Para quem está verdadeiramente interessado em evoluir e se tornar íntegro, é essencial estar consciente do que é ilusão e realidade neste caminho. Do que é falso e verdadeiro, do que é útil e inútil. É importante ter a percepção correcta das coisas, do que é certo e errado. O ego é no final o grande obstáculo à evolução, tudo se resume a transcender o ego e as suas ilusões, crenças, emoções, impulsos e programação. Depois voamos livremente pela Realidade, saltando de experiência em experiência, vamos evoluindo e começando a Ver cada vez melhor que tudo não passa de uma grande ilusão, um grande sonho do tamanho do Universo, e que aquele corpo lá em baixo não é o que Somos, mas sim que Somos a totalidade de tudo aquilo que Vemos. Separação é ilusão, acordar do sonho da vida humana é tudo o que importa e que faz a diferença. Trocar o temporário pelo eterno é tudo o que importa. Levar o sonho na brincadeira liberta-nos do sofrimento deste.


Neste momento estás consciente que estás a ler isto, mas na verdade não há ninguém a ler nada. Apenas Silêncio.

segunda-feira, 8 de Setembro de 2014

“O Que Fazer Quando a Mulher Já Tem Filhos e é Mãe Solteira”

“O Que Fazer Quando a Mulher Já Tem Filhos e é Mãe Solteira”



Pergunta de leitor:


“Pedro, será que não há nenhuma inconveniência um homem que, ainda, não tem filhos aceitar em namorar uma mulher que já é mãe? Será que, pelo facto de a mulher ter filhos, não irá atrapalhar a relação? Ou a mulher saberá, muito bem, gerir o desafio de ser mãe e namorada ao mesmo tempo?”



Resposta, comentários:


Ora muito bem, aqui está a pergunta que vai acabar com o Cool Vibes de vez. Mas como já estou milionário que se lixe! Hahaha

Primeiro de tudo, tens de perceber se como homem queres mesmo ter filhos ou não. Tens de parar um bocado, e contemplar essa situação. Tens de trazer à consciência se ter um filho é algo que realmente queres ou não, e largar as tuas ilusões relativamente a isso. Tens de pensar seriamente nisso, e não apenas vagamente ou deixar na gaveta do “logo se vê”. Porque a primeira lição de hoje é: se de facto não queres ter filhos, não deves sair e relacionar-te com mulheres que já têm filhos. Isso seria desonesto, e uma trapalhice. Estarias a mentir a ti próprio, à mulher e aos filhos desta, e creio não ser preciso explicar porque tal atitude é má ideia. Neste caso não interessa se a mulher gosta de ti, se a achas bonita e gostas dela como pessoa… assim que sabes que ela tem filhos, e porque na verdade não queres ter filhos, a escolha íntegra, que te mantém autêntico e sincero, e que tem a mulher e os seus filhos em verdadeira consideração, é colocares um ponto final nas vossas saídas, dizendo a verdade, e não deixando assim a vossa ligação amorosa desenvolver-se mais.

Na maior parte das vezes sabes logo na primeira conversa ou saída que ela tem filhos, logo não é um final escandaloso e drástico, como seria, por exemplo, no altar lol

“Mas então e se depois eu descobrir que afinal gosto de ter filhos, ou que quero ter filhos? Isso não é possível?”

O ego tem todo o tipo de dúvidas espertas para nos meter a funcionar através de ilusões/pensamentos/imaginação, ou seja, neste caso, o hipotético. É com a verdade de agora que fazemos as nossas escolhas íntegras e autênticas, e não com a imaginação do que podemos vir a ser no futuro, ou de como o futuro poderá vir a ser. Chama-se a isso alinharmo-nos com a realidade (verdade) e deixar a imaginação (falsidade). Se agora não queres de facto ter filhos, afasta-te das mulheres que já têm filhos. Ponto final.

Outro truque magnífico do ego é este: o homem convence-se que sim, que quer ter filhos, ou que a mulher já ter um filho é algo que não o incomoda, ou que até lhe agrada, pois na verdade é um homem sem capacidade de conhecer mulheres, ou seja, não tem outras opções. Porque ela é a única mulher que parece gostar dele, que o aprova e valida como homem, com quem ele conseguiu sair e que lhe faz companhia, e com quem epicamente consegue satisfazer a sua carência sexual, ele claro aceita-a, seja ela minimamente íntegra ou não, tenha ela filhos ou não, queira ele filhos ou não. Portanto ele aceita a mulher que tem filhos, não porque ele realmente quer ter filhos, mas porque não tem outra opção, nem consegue ter outra opção de mulher.

Falta de auto-respeito e falta de opções levam sempre o homem a ter uma vida amorosa miserável.

Portanto neste caso é essencial o homem perceber se agora quer mesmo ter filhos ou não, e se o seu entusiasmo pela mulher que já tem filhos vem da realidade de ela ser uma mulher minimamente íntegra e decente e de ele querer realmente agora ter filhos, ou se vem da sua falta de capacidade para conhecer mulheres, falta de opções e falta de auto-respeito. Há muitas mulheres solteiras por aí, logo, se o homem não quer filhos, porque há-de perder tempo, e ser desonesto, com mulheres que já têm filhos…?

“será que não há nenhuma inconveniência um homem que, ainda, não tem filhos aceitar em namorar uma mulher que já é mãe?”

Isso é o homem que decide. Se ele não quer ter filhos, então sim, há inconveniência. Se o homem quer ter filhos, mas a mulher não é minimamente íntegra, então sim, há inconveniência. Agora, independentemente disto tudo, a mulher ter filhos é sempre um obstáculo ao convívio com o homem, e isto é um facto. Seja o filho mais novo ou mais velho (a não ser que o filho já seja um adulto independente), é apenas uma questão de o obstáculo ser maior ou menor.

“Será que, pelo facto de a mulher ter filhos, não irá atrapalhar a relação?”

Irá sempre atrapalhar a relação, especificamente o convívio entre o homem e a mulher (se o filho não for um adulto independente). Uma relação não se resume a telefonemas e a sessões de chat no Facebook… isso é pobre e fraco na realidade. Uma relação é passar por experiências reais juntos, sejam íntimas, sexuais ou sociais, e tudo o que impeça isso de acontecer é um obstáculo a ter em máxima conta, e um factor essencial na decisão de continuar ou acabar com determinada mulher. Se a mulher já tem filhos, acredita que ele será sempre a prioridade, e isso é responsável da parte dela. O problema é que vais querer estar com ela, e ela não poderá… pois tem de ir deitar a criança, e no dia seguinte tem de a levar à escola cedo, e depois será dia de lhe dar banho, ou de lhe comprar coisas que precisa, ou de ir ao médico com ele, ou é a festa de anos do amigo da escola, ou está doente em casa, etc, etc. Isto claro não é problema nenhum se estiveres disposto a tolerar estar com ela menos vezes do que te vês ao espelho =) mas se queres uma relação como deve de ser, que nas suas diferentes fases se expressa como é suposto expressar-se, e para isso ambos têm de ter um tempo livre normal para estar um com o outro, e para se conhecerem, e para se dedicarem um ao outro (porque uma relação não é usar o outro para companhia, ups!), então não estarás lá muito interessado em mulheres que já têm filhos.

A mulher que já tem filhos não precisa que a salves de nada. Não és o seu salvador… ela irá sempre encontrar homens que querem ter filhos, e terá sempre um homem se quiser, é apenas uma questão de intenção e tempo. A tua missão é seres autêntico e fiél à tua intenção e princípios. Assim como todos têm o direito de querer ter filhos, todos têm o direito de não querer ter filhos, e a ter a preferência por mulheres com disponibilidade normal para um relacionamento realista, fase a fase. É apenas uma questão de decidires o que realmente queres, estares consciente disso no momento, e seres fiél aos teus princípios e preferências. Quem achar isso errado é sinal de que é um idiota, pois não tem a capacidade de ver os dois lados, nem de apreciar autenticidade ^_^

“Ou a mulher saberá, muito bem, gerir o desafio de ser mãe e namorada ao mesmo tempo?”

Isso depende da mulher, portanto tens de perceber isso uma a uma. E só interessa pensar nisso se realmente queres ter filhos. Mas vamos imaginar que sim, que realmente queres ter filhos. Como acabei de dizer, depende da mulher. Depende do seu nível de consciência, depende do seu nível de experiência com homens, em relações, e como mãe, etc. Se queres ter filhos e gostas dela, então vais saindo com ela e deixas a relação desenvolver-se. Se todo o contexto te for agradando, seja porque razão for, continuas, aprecias e desfrutas. Se te começar a deixar insatisfeito pois a mulher não tem o tempo suficiente para ser uma namorada como deve de ser, então acabas a relação que tiverem. Assim estarás a manter-te autêntico, e não estarás a fingir que está tudo bem e que ela é espetacular, quando na verdade não é =)

Uma vez que 85% das pessoas não são íntegras, eu não teria grandes expectativas relativamente a encontrar uma mulher que saiba gerir o desafio de ser mãe e namorada ao mesmo tempo lol é muito raro, logo é mais realista esperares sempre haver limitações e defeitos nesses aspectos.

Em conclusão, uma mulher solteira com filhos não é pior, nem melhor, que uma mulher solteira sem filhos. É apenas diferente. Se é uma boa escolha como namorada, isso depende daquilo que realmente queres. Depende de se realmente queres ter filhos ou não, se realmente tens capacidade para conhecer mulheres regularmente ou não (isto define se a tua escolha vem de a mulher ser uma boa opção, ou se vem da tua falta de opções), se ela é minimamente decente e íntegra ou não, se estás disposto a tolerar a sua falta de tempo para ser uma namorada como deve de ser ou não, se a sua falta de tempo é um obstáculo ao normal desenvolvimento da relação fase a fase ou não, etc.

És tu quem define isso. A principal orientação aqui é seres autêntico. Seres fiél ao que realmente queres, doa a quem doer e sejam quais forem as consequências, e seguires a realidade das situações. Porque um homem sem auto-respeito, sem consciência do que realmente quer, e sem a integridade suficiente para ser autêntico e fiél aos seus princípios e preferências, terá sempre uma vida amorosa miserável.

Obrigado pela tua pergunta.




Nota: este foi o último post do Cool Vibes. Um dia depois de o escrever, Pedro Constantino foi caçado, alvejado e enforcado por uma furiosa posse de mulheres solteiras com filhos. Apesar do seu heróico last stand, sozinho e sem munições, acabou por sucumbir ao terrível ataque do grupo não íntegro. O seu corpo foi enterrado, mas 3 dias depois já lá não estava. Há quem acredite que ainda cavalga por aí, a tentar ajudar aqueles que realmente estão interessados na verdade da felicidade, alertando-os para as tentadoras e sedutoras ilusões do bandido conhecido como ego, e como se defenderem do seu vasto grupo de foras-da-lei não íntegros, a gang dos idiotas. Mas pode ser apenas um mito…




sábado, 30 de Agosto de 2014

“Eu tenho medo de mulheres, eu armo-me em campeão, mas depois quando as coisas começam a acontecer eu fico com medo”

Eu tenho medo de mulheres, eu armo-me em campeão, mas depois quando as coisas começam a acontecer eu fico com medo


Pergunta de leitor:

“Bom dia :D

Sim, eu sei que ainda não é o meu nível de consciência, quem me dera, os bandidos íam fugir todos ahahah.
Aqui onde vivo há uma zona chamada 7 Cidades :)
Sim, eu quando vejo um filme que não está oficialmente recomendado pelo Cool Vibes ou pelo Dr. Hawkins eu procuro sempre ver se o filme é íntegro e qual a lição que posso tirar dele, se bem que há filmes que para mim é difícil tirar boas coisas :)
O Dances With Wolves é muito bom, vou-te revelar um segredo, tu gostas de cowboys, e eu adoro os índios. E para ajudar à festa ainda tem lá o Kevin Costner, autor que me fez chorar pela primeira vez vendo um filme, o "Campo De Sonhos", naquela cena em que ele vai jogar basebol com o pai. Resumindo, eu choro em quase todos os filmes que recomendas hahaha, mas não é um chorar de tristeza é um chorar do tipo "ena ganda filme, ganda história". Bem Pedro, vamos acabar a nossa conversa por aqui para não atrapalhar aqueles que realmente precisam das tuas respostas.
Vou aproveitar esse comentário para fazer uma pergunta.

Pedro, vou ser directo e objectivo, eu tenho medo de mulheres, eu armo-me em campeão, mas depois quando as coisas começam a acontecer eu fico com medo. Eu sempre tive esse medo, recentemente uma rapariga convidou-me para sair, em princípio será apenas uma saída porque ela está numa relação aberta, então eu fiquei um pouco com o pé atrás se aceitava ou não o convite, mas decidi aceitar porque percebi que o meu ego estava a tentar fugir ao encontro, então aceitei o encontro porque vai-me fazer enfrentar o meu medo. Porém Pedro eu estou cheio de medo, super nervoso, isso é caso de polícia ahhaah. Ainda por cima ela quer me pagar a comida num restaurante caro, e eu não me sinto confortável com o facto de ela pagar tudo e eu não pagar nada, é um gesto muito bonito da parte dela, mas eu acho que não mereço tanto. O encontro é na terça, tens até segunda-feira para responder, senão és banido de 7 Rios hahahaah.

Abraço :) 


Resposta, comentários:

tens até segunda-feira para responder, senão és banido de 7 Rios hahahaah”








Hehe =)

“eu procuro sempre ver se o filme é íntegro e qual a lição que posso tirar dele, se bem que há filmes que para mim é difícil tirar boas coisas”

É uma atitude útil ao veres filmes, procurares ver que lições podes tirar deles. É verdade que a maior parte dos filmes não são íntegros, logo nada têm a ensinar. São portanto inúteis. Podes também ao mesmo tempo apreciar a energia do filme, a sua dimensão não-linear, pois se é íntegro tem energia positiva que te irá influenciar indirectamente e inconscientemente, e pode-te até curar várias ilusões do ego. Outra coisa que podes fazer é contemplar os filmes que vês. Portanto ao veres o filme continuas atento à tua visão periférica e respiração, ao mesmo tempo que estás a olhar para a televisão ou monitor do computador. Este estado de presente no momento pode fazer-te perder pormenores e frases do filme, (pois estás como que focado no contexto/realidade e não no conteúdo), mas e depois? Vais-te sentir espectacularmente bem, perceber melhor se o filme é íntegro ou não e que lições aprender, pois as melhores lições dos filmes não são lineares, e estão na sua dimensão invisível de energia (essência), e apenas podes estar consciente disso contemplando. E depois irás sempre divertir-te com o que se passa no filme também, irás percebê-lo à mesma e apreciar o que acontece neste, como as cenas de acção por exemplo, ou as cenas silenciosas de observação e reflexão das personagens. Irás aprender a apreciar outros aspectos dos filmes, que são mais subtis. Sem dúvida que contemplando os filmes que vês irás estar mais consciente da sua Beleza, ou falta desta lol

“eu choro em quase todos os filmes que recomendas hahaha”

É normal a Beleza fazer-nos chorar, isso é bom sinal, que chores perante os momentos bonitos dos filmes que vês. O ego sente-se embaraçado e envergonhado por isso, porque acha isso estúpido e fraco, mas na verdade é uma qualidade que vem do nosso Espírito, reconhecer e apreciar a Beleza das coisas, ao ponto desta nos fazer chorar.

“vamos acabar a nossa conversa por aqui para não atrapalhar aqueles que realmente precisam das tuas respostas.

É pá, finalmente! Estava a ver que nunca mais. É que já estava aqui a ficar nervoso… com os dedos a tocar no revólver, hahaha!

Nota: vamos acabar? Lol a conversa era só tua hehe “vou acabar a minha conversa” =)

“eu tenho medo de mulheres, eu armo-me em campeão, mas depois quando as coisas começam a acontecer eu fico com medo”

Para começar, em vez de te armares em campeão, arma-te em humano =) humildade vai-te ajudar a curar esse medo, a reduzi-lo, de forma a que te deixe de controlar e deixe de ser uma limitação. Começa por admitir às mulheres com quem conversas e sais que sentes esse medo, e podes até brincar com isso, pergunta-lhes se é seguro estar a sós com elas ou se deves temer ser violado, haha!

“em princípio será apenas uma saída porque ela está numa relação aberta, então eu fiquei um pouco com o pé atrás se aceitava ou não o convite”

E pronto, isto estava a correr bem demais… onde é que eu meti a Winchester? ^_^

Para que é que vais sair com uma miúda que está numa relação aberta? Qual é a intenção? Qual é o objectivo? Qual é a utilidade disso? Relações abertas são para narcisistas, logo ela não se qualifica como potencial namorada. Vais porque te sentes só? Vais porque, “weeee! Uma mulher quer sair comigo”? Não faças isso, não vendas a alma. Ficaste com o pé atrás e estavas correcto. Confia na tua intuição, pois muitas vezes aquilo que pensamos que é apenas medo ou insegurança, é um sinal do Espírito a tentar avisar-nos de que o perigo está perto. O perigo REAL, haha. O perigo de um não-íntegro nos desrespeitar, manipular, usar, etc. Uma mulher numa relação aberta? Esquece. É uma narcisista… só quer saber dela e dos seus desejos egocêntricos, daí a relação ser aberta: quer dizer que ela pode “sair” à vontade para satisfazer o seu ego, sem nunca estar verdadeiramente dedicada a ninguém, sem nunca ter de transcender os seus impulsos egocêntricos. Satisfaz a sua solidão e necessidade de aprovação e validação como mulher com o “namorado aberto”, e depois sempre que tem um desejo narcisista vai satisfazê-lo, negligenciando assim todos os princípios íntegros, e ignorando e desrespeitanto o Espírito do namorado. Ele fazer o mesmo não muda a realidade da situação: ambos são narcisistas e não querem saber de ninguém, apenas usam os outros para se satisfazer emocionalmente e fisicamente, sendo o “parceiro aberto” a fonte principal de satisfação, e depois qualquer outra pessoa uma fonte de satisfação de necessidade de companhia ou desejo sexual, seguindo-se o ego cegamente, fazendo tudo o que ele quer quando ele quer, não querendo saber de ninguém. É feio, pois ignora o Espírito das pessoas, e tudo o que Amor representa. Logo ela está fora, não é uma mulher de interesse, e estavas certo em relação a ficar de pé atrás.

“então aceitei o encontro porque vai-me fazer enfrentar o meu medo. Porém Pedro eu estou cheio de medo, super nervoso, isso é caso de polícia ahhaah”

Erraste lol mas não te massacres por causa disso. E garanto-te que ficaste cheio de medo e super nervoso pois isso é um aviso do Espírito. Um aviso que significa que irás colocar a tua alma em perigo, ou seja, à mercê de um lobo disfarçado de ovelha. Perante algo genuinamente desagradável e feio em termos de intenção e atitude, que não te respeita como ser vivo e alma, e que se vai tentar aproveitar de ti. Há coisas de que devemos ter medo, pois isso ajuda-nos a evitar problemas e sofrimento. É como se estivesses a aproximar os pés das chamas do Inferno, haha! “Medo do fogo? Não! Eu vou queimar os pés porque isso é completamente útil, e logo, inteligente”. Qualquer mulher, em qualquer tipo de relação, é “não, obrigado”. E dizendo não à tentação de sair com uma mulher atraente numa relação, irás ganhar confiança real, e depois irás sentir menos medo perante as mulheres bonitas solteiras. É esse o “truque” espiritual, pois esse “não” fez-te alinhar mais um pouco com a verdade, e agiste em prol do teu auto-respeito. Ao dizeres que não à “namorada aberta”, estás a proteger a tua felicidade, e a denunciar o lobo disfarçado de ovelha, e isso é coragem, e isso faz-te evoluir e ser mais atraente para as mulheres que interessam.

“Ainda por cima ela quer me pagar a comida num restaurante caro, e eu não me sinto confortável com o facto de ela pagar tudo e eu não pagar nada, é um gesto muito bonito da parte dela, mas eu acho que não mereço tanto.

Tens de começar a confiar na tua intuição, não me obrigues a ir aí… haha!

Claro que não te sentes confortável com isso, não é normal, não faz sentido. Ela está a tentar usar-te para companhia, porque se sente só, nada mais. Serás tipo o “amigo”, a quem ela vai dando migalhas de falsas esperanças de que um dia vão fazer sexo e namorar, para te manter por perto, indefeso, e assim te poder continuar a usar quando e sempre que precisar, até se fartar de ti. O Espírito está a tentar avisar-te: “Alô! A curva é para a direita… estás a ir para a esquerda, sosse!” hehe mas estás a deixar-te ser levado pelas justificações espertas do ego, “sou cobarde se não for!”, “é um gesto muito bonito da parte dela”.

“Um gesto muito bonito da parte dela”. Hahaha!

Sabes o que seria um gesto muito bonito da parte dela? Convidar-te para ires a casa dela para ela te fazer uma oral. Isso sim, seria lindo ^_^ pois estaria a satisfazer a tua essência de homem, provando que quer o mesmo que tu: sexo, namoro. Jantares de “amigos” em que ela te manipula pagando-o, é horrível. Ela está a tentar usar-te, com falsas simpatias. Cais na armadilha e brevemente estarás aqui no Cool Vibes a partilhar as tuas dúvidas e angústias pois ela foi mesmo espectacular, e pagou o jantar e tudo, e vocês conversam muito, e riem-se juntos… mas ela recusa os teus convites para sair, não te responde às mensagens, não atende o telemóvel quando telefonas, continua na relação aberta, e sentes-te confuso sem saber o que fazer. Linda vida que isso seria, hein? :P

Isso seria cair na teia da tarântula. Acredita que enquanto os homens narcisistas tentam usar as mulheres fracas para sexo, as mulheres narcisistas tentam usar os homens fracos, cheios de medo das mulheres, para companhia, e elas são praticamente profissionais da sedução/manipulação como nunca nenhum homem será. Altamente espertas a fazer isto, com as suas falsas esperanças de sexo/namoro, a pagar coisas ao homem para este acreditar na sua boa intenção e baixar as defesas (duvidar que está a ser desrespeitado, logo o seu auto-respeito é anulado. É como quando os ladrões desligam os alarmes antes de roubar a casa.), etc. E depois achas que não mereces tanto haha tanto o quê? Não são chicotadas suficientes? Lol ela deixou-te todo apanhado… já tem no currículo um “namorado aberto”, e agora terá um “amigo assexuado” para as noites solitárias de conversa, Haha!

A tua vida é uma dádiva do Espírito, portanto é para ser apreciada e protegida, é essa a nossa responsabilidade como ser humano, e qualquer idiota que te a tente estragar tem portanto de ser rejeitado.

A minha sugestão é contactares imediatamente essa “namorada aberta”, e dizeres-lhe algo do género:

“Prefiro não ir jantar contigo pois estás numa relação aberta e isso para mim não é bom sinal. Prefiro mulheres solteiras pois a minha intenção é encontrar alguém 100% livre que possa vir a ser a minha futura namorada. Não estou interessado em amizades nem em andar a fazer companhia a mulheres em relações solitárias, pois não acho isso honesto, nem satisfatório nem tem nada a ver com o que realmente quero para mim como homem.”

É essencial que digas isto, pois é a verdade. Tens de a rejeitar, explicar o que realmente queres e que nada mais te interessa (intenção), chamá-la à atenção provando assim que não és um idiota fraco manipulável, e fechar-lhe a porta para sempre, pois não é a ela que estás a fechar a porta na verdade (a pessoa individual é uma ilusão), é ao tipo de energia, intenção e atitude narcisista e desonesta com a qual ela está alinhada, e demonstras assim que não aprecias isso e que não queres ter nada a ver com isso.

Coragem!

Obrigado pela tua pergunta.




sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

High Noon, Uma Lição Em Integridade


High Noon


Uma Lição Em Integridade






Aqui está um excelente exemplo do que significa ser-se íntegro, e de como os 85% de pessoas não-íntegras se comportam perante o momento da verdade.

Contexto:

Frank Miller é um assassino libertado que se dirige de comboio a Hadleyville para se vingar do homem que o capturou e prendeu. Na estação de comboio estão à sua espera para o ajudar 3 bandidos seus amigos, que compõem a gang de Miller.

O homem que capturou e prendeu Miller foi o Marshal Will Kane. Este tinha acabado de se casar quando soube que Miller vinha a caminho para o matar, e que chegaria dali a 1 hora a Hadleyville. Kane parte em lua-de-mel com a sua esposa, mas renitente em ir-se embora, e pouco depois de partir decide parar e dar meia volta regressando à cidade para enfrentar Miller e a sua gang.

Kane deixou de ser o marshal (ou sheriff) de Hadleyville ao se casar, e o novo sheriff apenas chegaria no dia seguinte, enquanto que Miller chegaria dali a menos de 60 minutos.

Então o que temos aqui?

Kane poderia ter fugido e evitado Miller e a sua gang, mas o seu sentido de responsabilidade perante a cidade fá-lo regressar. Miller não iria apenas matá-lo e depois ir-se embora pacificamente com a gang lol numa cidade sem ninguém a fazer cumprir a Lei, Miller iria aproveitar-se e os cidadãos desta iriam obviamente sofrer todo o tipo de abusos. Então Kane regressa para proteger a cidade, mesmo sabendo que a sua vida estava em risco. Ele também regressa pois sabia que fugindo apenas iria adiar o inevitável: Miller e a sua gang iriam caçá-lo, e essa não é uma vida livre. Então prefere enfrentar a realidade agora, e não fugir a esta.

Chama-se a isto coragem. 1 contra 4 não está propriamente na lista de prendas de Natal do ego =) Kane já não era o sheriff, e podia ter fugido, e quem sabe Miller nunca o encontrava, mas por uma questão de princípios regressa a Hadleyville para enfrentar a gang de Miller e volta a colocar a estrela ao peito para proteger a cidade. O que acontece a seguir é a previsível, mas chocante, atitude dos 85% não-íntegros.

Will Kane percorre a cidade para formar uma posse (grupo de homens armados sob as ordens do sheriff), para fazer frente a Miller e a sua gang. É o procedimento normal. A história é realista, logo Kane não é nenhum Lucky Luke que dispara mais rápido que a própria sombra, e cujos tiros dos bandidos lhe fazem ricochete nos dentes.

Então Kane, sheriff adorado na cidade por a libertar de todos os bandidos nos últimos anos, percorre a cidade em busca de ajuda. A responsabilidade é de todos, pois a cidade é de todos. E o que acontece?

Praticamente ninguém o aceita ajudar lol 

Eis a fantástica gratidão dos não-íntegros =D

O homem que tanto os ajudou no passado, permitiu com o seu esforço e dedicação que eles tivessem uma cidade livre de crime, regressa para os proteger mesmo já não sendo o sheriff oficial... e eles simplesmente recusam ajudá-lo, haha! Aqui está uma lição sobre quase todas as pessoas do mundo: quando chega o momento da verdade, vão-te desiludir.

Todos na cidade têm a razão perfeita para não o ajudar, mas tudo se resume a cobardia e ingratidão. E todos o adoravam, com as palmadinhas nas costas, e falsos sorrisos. Todos na verdade queriam a aprovação e ajuda de Kane, mas ninguém era na verdade seu amigo.

Há uma meia dúzia que se oferecem para ajudar Kane, mas um era apenas um miúdo de 14 anos, outro um bêbado sem 1 olho (Kane agradece mas recusa a sua ajuda), outro um homem genuínamente grato e entusiasmado em ajudar Kane, mas ao saber que mais ninguém vinha em seu auxílio não teve coragem de continuar, e outros 3 (ou 4) na igreja são facilmente convencidos por um idiota e cobarde discurso.

Todos os outros recusam ajudá-lo, todos com as suas perfeitas desculpas para não o fazer, havendo até aqueles que fogem da cidade. Cobardia e ingratidão é a essência e verdade que está por detrás de todas as desculpas dadas. Uns até se revelam amigos de Miller lol e é esta a verdade sobre 85% das pessoas que vive neste planeta: chega o momento da verdade e o lobo disfarçado de ovelha vem ao de cima. E houve aqueles que até ficaram chateados pelo regresso de Kane à cidade, pois isso iria trazer problemas, e queriam que ele fugisse. Cá esta o ego em acção a tentar destruir a Integridade. O ego odeia a verdade, logo está contra a atitude heróica de Kane.

Então como é, vamos ser amigos deste pessoal magnífico? Vamos aprová-los, validá-los e ter interesse neles? Vamos concordar com este tipo de atitude como se fosse bonita e de valor?

Nops! =)

Se queres ser íntegro, não. No mundo o que há de bom e bonito só vem de Integridade, logo se valorizas o que há de bom e bonito no mundo, tens de o proteger dos lobos disfarçados de ovelhas.

Não é odiá-los ou desejar-lhes mal, ou castigá-los... é identificá-los e rejeitá--los. A crença de que as pessoas podem mudar é apenas uma fantasia: um tubarão nunca se irá transformar num golfinho... um lobo nunca se irá transformar numa ovelha... uma cobra nunca se irá transformar num gato. As coisas são como são, têm uma essência, e é através da essência que discernimos no momento (Realidade) que podemos fazer as escolhas mais certas, e não imaginando um futuro hipotético, o que é desastroso. Uma pessoa só muda, evolve e se torna íntegra quando o quer mesmo, quando o esforço é intencional e diário, o processo é doloroso e difícil e pode levar 1 ou mais vidas. Quem de facto está neste caminho sabe como é lento e difícil, mesmo com uma dedicação sincera, esforçada e diária, logo sabe que uma pessoa que nada faz para evoluir jamais irá mudar para melhor e se tornar íntegra em semanas ou mesmo anos lol logo a escolha sábia é aprender a discernir os não-íntegros, evitá-los e se necessário rejeitá-los.

Então sabemos que um tubarão é em essência um predador carnívoro, e jamais se transformará num golfinho amoroso. Percebemos então que é inteligente evitar ir nadar onde há tubarões, por razões óbvias. Logo é estúpido - repito, estúpido - primeiro, ver o tubarão como um animal inofensivo, pois ele não o é. Distorcer a verdade, ou negá-la, ou pintá-la de cor-de-rosa é estúpido lol porquê? Porque se a verdade é que a curva é à direita, é estúpido virar à esquerda pois as consequências são desastrosas. Logo é estúpido ir mergulhar onde há tubarões, pois a essência deles é o que é. Segundo, esqueci-me, haha! Seja como for, o tubarão não quer abraços, quer a nossa perna como almoço =) essa é a verdade, e é com isso que temos de trabalhar. Ah, a segunda atitude estúpida é achar que se está acima das consequências, ou seja, que se é especial e porque se tem todo este amor e boa intenção perante o tubarão, que ele se vai tornar nosso amigo verdadeiro. Nops! haha ele vai é perceber isso e aproveitar-se da nossa ridícula vulnerabilidade: almoço mais fácil. Logo é estúpido =)

Os não-íntegros apenas são travados com a atitude dura e implacável do auto-respeito. Atitude essa que vem de integridade, integridade esta que Vê que estes não vão mudar (logo o narcisismo e desrespeito são constantes e para sempre), então a decisão mais inteligente é rejeitá-los. Tentar mudá-los, não os vai mudar. Esperar que eles mudem, não vai dar em nada. Atitudes de amor, tolerância, bondade, generosidade, não os vão transformar em seres humanos decentes e íntegros. A verdade é que se te colocas indefeso e ao seu dispor, os não-íntegros vão-se aproveitar de ti, desiludir-te, sabotar-te a vida, destruir-te o que tens de bom e bonito, e basicamente fazer-te sofrer como passatempo regular. Portanto temos de ser duros e implacáveis com eles, se de facto valorizamos o que há de bom e bonito no mundo, pois são eles que o tentam destruir. Aceitar pessoas não-íntegras na nossa vida é concordar com tudo o que há de mau no mundo. É aceitar essa forma de ser, esse campo e nível de energia, essa essência como algo bom, fixe e na boa lol É como se o sheriff visse o bandido a roubar/matar/violar e achasse que isso fosse lindo, útil, benigno e aceitável, e o deixasse livre pois hey, as pessoas podem mudar, hahaha! hahahaaa!!


(3 dias depois de poderosas gargalhadas...)

Nota: Para o humano comum, é fácil reconhecer os crimes físicos ou materiais, mas a sua consciência não é elevada o suficiente para discernir os "crimes" emocionais, mentais e espirituais.


Em Will Kane temos um exemplo a seguir. Um verdadeiro herói, um homem íntegro e corajoso, que mesmo sem ajuda decide ficar na cidade e enfrentar a gang de Miller, 4 contra 1. E o mais fantástico do filme é que Kane não anda de um lado para o outro da cidade como se nada fosse. É possível vê-lo preocupado e cansado, mas mesmo assim firme na sua escolha, fiél aos seus princípios. Ele é humano, sente emoções humanas, mas é íntegro, logo as suas escolhas não são controladas pelas suas emoções. Ser íntegro não é ser-se um robô que nada sente e que segue uma programação mental e fria de "boa pessoa" lol pelo contrário, por se estar mais consciente sente-se mais que as pessoas que são controladas pelas emoções. A diferença é que há agora um Poder Elevado que guia e orienta as escolhas, pois a pessoa íntegra não "vive" nas ilusões do ego, mas está sim consciente destas, e vive na Realidade. Por estar mais consciente da Realidade (que é o mesmo que o Espírito), sabe o que fazer, e é a Realidade que segue, e não as emoções/ilusões do ego.

Portanto, mesmo com medo, Kane escolhe fazer o que está certo fazer. Ele fica e vai enfrentar os bandidos, sabendo que pode muito bem acabar morto. Não vou contar como o filme acaba, mas adorei o final pois considero-o simples e realista, com mais bons exemplos e lições.

Então no caminho para a Integridade primeiro temos a coragem de ser honesto, depois a coragem de agir (fazer o que está certo). Temos também a lealdade aos princípios, e a responsabilidade de proteger o que há de bom e bonito na nossa vida. E ao mesmo tempo a denúncia da falta de integridade e a sua rejeição.

Porquê?

Porque a felicidade e Beleza que o ser humano íntegro experiencia no seu dia-a-dia são valorizadas. O ser humano íntegro tem um ego como todos os outros, mas não é escravo deste. Logo consegue fazer escolhas que não são narcisistas. Logo consegue ter verdadeiro respeito, pois consegue largar os seus desejos, emoções e ideias para não prejudicar o bem estar e felicidade de outra pessoa, muito menos irá manipular e usar alguém para satisfazer algum desejo narcisista. Integridade significa consciência do que se passa em nós, em vez da típica repressão e negação. E porque temos consciência do ego e da sua programação animal e emoções, estas já não nos controlam, apesar de ainda as sentirmos. É então um alinhamento com a Verdade, logo existem menos limitações/obstáculos/bloqueios à energia do Espírito, logo tem-se mais energia o que nos faz imediatamente sentir melhor e conseguir não só apreciar o que a vida tem de melhor, como lidar com o que a vida tem de pior. E é uma experiência tão maravilhosa que o ser humano íntegro é incapaz de trair a sua fonte de felicidade (Espírito), e os seus princípios, mas sim sente uma responsabilidade em os proteger, mesmo que isso custe a sua vida. Ele é assim espontâneamente pois é esse o seu real nível de consciência e essência, ele não planeia ser assim, não se força a ser assim, e não acede à memória de textos lidos para agir assim. Ele é assim automaticamente. E porque espontaneamente aprecia e valoriza o que lhe traz esse grande nível de felicidade, ele protege-o, e protege aquilo que de bom e bonito vem deste. Logo ao discernir aquilo que odeia esses princípios, que ataca quem é íntegro e que quer destruir o que tem de bom e bonito na vida, evita-o e rejeita-o, pois é um perigo real e genuíno, é algo genuínamente mau, do qual é normal não se gostar e no qual é normal não se ter qualquer interesse.

Das dezenas de Westerns que já vi, Will Kane é sem dúvida o meu sheriff, ou marshal, favorito =)



quinta-feira, 28 de Agosto de 2014

“Como Ultrapassar a Vergonha e Insegurança de Ter Um Pénis Pequeno”

“Como Ultrapassar a Vergonha e Insegurança de Ter Um Pénis Pequeno”


Pergunta de leitor:

“Olá Pedro, gostaria de falar sobre algo muito delicado para mim. Por conta de ter um pénis pequeno, tenho medo/insegurança em me relacionar sexualmente com as mulheres. O que fazer, já que esse aspecto físico é imutável? Sei que a pergunta em si não é elevada, mas não sou elevado. Se puderes ao menos comentar sobre o assunto seria óptimo.


Resposta, comentários:

Olá!

Primeiro, não te preocupes com a questão da pergunta ser elevada ou não. O facto de selecção aqui não é se a pergunta elevada, mas sim sincera e humilde, com base na realidade, e que venha de uma intenção de aplicar na prática os princípios que irão aliviar o teu sofrimento, e/ou ajudar-te a alcançar novos níveis de felicidade.

Foste sincero, e minimamente humilde, ao admitires “Sei que a pergunta em si não é elevada, mas não sou elevado”. Isso é bom, estás no bom caminho. Sem humildade não é possível evoluir, e só com evolução é que o sofrimento é transcendido, e coisas como vergonha e insegurança são ultrapassadas.

Indo directamente à questão em si… essa vergonha e insegurança em ter um pénis pequeno nada mais é que uma ilusão do ego para te manter infeliz. É uma ideia falsa que pode ser largada a qualquer momento. É uma percepção inútil, na qual só acreditamos se quisermos. É limitador porque deixamos ser limitador, e deixamos ser limitador porque na verdade queremos. O ego quer que seja limitador pois assim pode sentir o prazer de ser a vítima, de ter uma história infeliz, de não ter de andar para a frente e enfrentar os seus medos, de não ter de fazer actos de coragem, de não ter de ir para o mundo e conhecer mulheres e ser rejeitado várias vezes, etc.

O que importa não é o tamanho do pénis, mas sim o tamanho do Coração.

Esta frase quase que dá vontade de rir, pois parece um cliché lol mas é verdade, e eu vou-te explicar exactamente porquê, e como usá-la para que o teu supostamente pequeno pénis se torne do tamanho do Universo ^_^

Lol

Ou seja, em vez de ser algo que te limita com vergonha e insegurança, passará a ser algo que irá ajudar-te na tua evolução, e processo de selecção, e contribuir para o teu auto-respeito e confiança, assim como melhores experiências com as mulheres e na vida em geral.

“Mas como pode um pénis pequeno ser uma coisa boa?!”

Não é uma coisa boa, nem uma coisa má na realidade. O ego vê isso como uma coisa má, pois pelo ego vês-te através dos olhos do orgulho. E ou tens aquilo que o ego julga como bom e podes sentir orgulho, ou tens aquilo que o ego julga como mau e sentes vergonha. Mas pelos olhos do Coração grande, ou Espírito, ou Amor, seja o que for que tenhas, é visto como potencial de evolução, cura, humor e ferramenta humana para mais felicidade.

Enquanto que o ego pode usar tudo para te manter infeliz, o Espírito pode usar tudo para te ajudar a evoluir e a sentir mais feliz. Resume-se a de que lado estás, e com o que te decides alinhar.

Então vamos por partes, e vamos atacar esta ilusão do “pénis pequeno mau” de vários ângulos.

Primeiro, quem te disse que o teu pénis é pequeno? Tens provas disso? Foi uma mulher que o viu e te disse que ele era pequeno? Foi algum amigo que o viu e te disse que ele era pequeno? Comparaste-o com o de outro homem? Leste não sei onde que o tamanha normal é “X”, foste medi-lo e ele tem de facto menos uns centímetros do que é considerado normal? De onde veio essa ideia, concretamente, de que tens um pénis pequeno?

A intenção aqui é colocar em causa a crença idiota e inútil do ego. É baralha-lo para que enquanto o totó do ego estiver distraído em busca de provas, o Espírito possa entrar em acção com a sua Luz e desfazer a sombra que te está a limitar com vergonha e insegurança.

Se não tens nenhuma prova concreta e real de que o teu pénis é pequeno, estás-te a agarrar ao nada e essa ideia é inválida. Podes esquecê-la. E em relação ao tamanho do pénis, só existe uma prova real e concreta: sexo com uma mulher ^_^ o que é divertido.

Repara, a vergonha e insegurança de ter um supostamente pénis pequeno é a percepcionada vergonha de não se ter o que é preciso para dar prazer sexual à mulher. Logo se fizeres sexo com uma mulher, e ela tiver prazer sexual, podes esquecer o drama do pénis pequeno, pois isso é a prova de que o teu pénis é grande o suficiente.

Então enquanto não passares pela experiência de fazer sexo com uma mulher, podes esquecer essa ideia de que tens um pénis pequeno e incapaz de dar prazer a uma mulher, pois ainda não sabes isso. Só sabemos o que experienciamos na realidade, o resto são ideias hipotéticas inúteis de um futuro imaginado. Se não o sabemos por experiência, então não o sabemos. É a realidade que importa, e não as conclusões hipotéticas da mente.

Segundo, um pénis grande aleija a mulher. É isso que qualquer mulher normal te dirá. Portanto o pénis não precisa de ser grande, apenas minimamente “normal”, signifique isso o que significar. Portanto pode ser um pouco mais pequeno que o normal, e é perfeito.

Terceiro, nem sequer precisas de pénis para dar um orgasmo a uma mulher. Tens a língua e as mãos… e se de facto tens um pénis que não tem tamanho suficiente para a mulher sentir prazer, podes-lhe dar prazer de outras formas. Logo na prática a paranoia do pénis pequeno é inválida. Só que sem a prática (experiência sexual com a mulher), nunca o saberás. Podes portanto aprender como dar prazer sexual à mulher com a língua e os dedos, e levá-la à loucura =D e ela vai adorar, mesmo que tenha visto o teu pénis e o ache pequeno.

Quarto, pénis. Palavra aborrecida lol retire a seriedade de caso de vida ou de morte da situação dando nomes cómicos ao teu pénis, tais como: Canhão da Sedução, Tronco do Amor, Cobra Malandra, etc. lol humor cura, e no teu caso é essencial usares tudo o que possas para desfazer essa ilusão inútil do ego, e deixares de ser limitado por essa vergonha e insegurança. Mais importante do que teres razão em relação a, “sim, de facto tens um pénis pequeno que não dá prazer sexual às mulheres, portanto sim, faz sentido sentires-te depressivo e não fazeres nada para ter namorada”, é usares tudo para te veres livre dessa percepção negativa e inútil do teu ego. O teu ego quer ter razão, quer que o pénis seja visto como pequeno, e quer que te sintas mal por causa disso. Mas para quê? Lol qual é a utilidade disso em termos de felicidade? Nenhum, logo é inútil e algo a ser questionado, posto à prova, desvalorizado, ignorado, rejeitado, esquecido, transcendido e usado como material de comédia e evolução.

Quinto, aceita que o pénis é pequeno e confessa-o quando apropriado. Imagina que uma mulher te pergunta se o pénis é grande… o que respondes? “Eu acho que é pequeno, e isso deixa-me envergonhado e inseguro para fazer sexo com as mulheres”. Se a mulher realmente gostar de ti vai achar essa confissão amorosa. Ela vai-te ajudar nesse aspecto, e vai-se sentir mais à vontade contigo pois é isso o que acontece quando admitimos as nossas limitações humanas. Repara, só mulheres muito idiotas é que têm como factor principal de escolha de homem o tamanho do pénis. É preciso ser-se mesmo muito “animalzinha” (capacidade de apenas apreciar a parte física do homem) para isso ser o mais importante para uma mulher.

Toda a minha adolescência eu tive complexos relativamente ao meu corpo e aparência. Não só tinha acne, como sempre fui muito magro, mais magro que o normal, e ainda sou, e isso é um facto. Nessa altura achava-me feio, e sentia vergonha da minha aparência, o que me deixava inseguro relativamente a tudo o que envolvia o sexo feminino. Curiosamente nunca tive a paranoia do pénis pequeno, mas tive a paranoia do corpo inteiro ser inadequado, feio e não desejável pelas mulheres. Eu acreditava que nunca nenhuma mulher iria gostar de mim por eu ser feio. A primeira coisa que desapareceu quando iniciei este caminho em 2004 foi precisamente essa vergonha e insegurança relativamente à minha aparência lol

Hã?! Então mas eu não era feio?! Hmm… será que de repente me tornei bonito? Lol Fiz operações plásticas? Haha não. O meu corpo é exactamente o mesmo palito humano =D e assim que mudei a minha percepção da minha aparência, curiosamente o acne desapareceu para sempre. Magia? Não, poder de cura do Espírito.

Eu tenho daqueles metabolismos rápidos que não permitem acumular gordura. É assim o meu corpo, magro, mas saudável. Não sou magro por me achar gordo e ser assim anorético… nem vomito as refeições. Como quando tenho fome, e como de tudo, o sosse simplesmente consome toda a gordura e comida rapidamente. Então tenho o super-poder de, quando me ponho de lado, torno-me invisível :D

E o que as mulheres acham da minha magreza? Para a maior parte sempre foi irrelevante, é como se eu nem fosse magro. As conversas sempre foram acontecendo, as ligações sempre foram acontecendo, as saídas sempre foram acontecendo, os beijos sempre foram acontecendo, as experiências sexuais sempre foram acontecendo, as relações e namoros sempre foram acontecendo… a minha magreza, desde que entrei em acção e activamente procurei melhorar a minha vida amorosa e alcançar um nível de satisfação e alegria nesta, nunca foi um obstáculo para ir experienciando o que há de melhor para experienciar com as mulheres.

Fui rejeitado? Claro! Lol todos somos, nunca somos atraentes para todas as mulheres, seja qual for o nosso nível de consciência, tipo de personalidade ou tipo de corpo. Nunca agradamos a todas, e isso é normal, e aprender a lidar com isso faz parte da nossa evolução como ser humano. E como homem, é muito, mas muito mais importante a nossa atitude do que o nosso corpo. Quando a mulher gosta de nós, sejam quais forem as nossas imperfeições humanas, ela irá ver isso através dos olhos do amor pessoal, e achará isso giro e engraçado, e não horrível, inferior e motivo de vergonha e rejeição do homem. É isso o que a experiência nos demonstra e ensina.

Sim, em 10 anos houve umas 3 ou 4 mulheres que referiram a minha magreza como algo mau. Bang bang bang! Houve um rejeitado na interacção, e não fui eu ;) na verdade fui rejeitado pela minha magreza, o que eu até poderia ter contornado com a minha atitude, mas através da dica delas percebi logo a peça não-íntegra com que estava a lidar, perdi todo o interesse, e saquei o revólver das balas de Luz, rejeitando a sua essência, haha!

Passo a explicar:

Uma já me conhecia e veio-me convidar para sair… incluindo no convite (mensagem no Facebook) “quero-te mais gordo”.

Hahaha!

Educadamente rejeitei o convite e disse-lhe a verdade, que apenas estou interessado numa mulher que goste de mim como sou agora, a quem ou o meu corpo magro agrada, ou para quem não é o mais importante.

Houve outra, que tinha acabado de conhecer num bar e com quem estava a beber um copo e a conversar, que do nada me diz, “mas tens de engordar”.

Hahaha! Mais comédia! =D

Ao que alegremente respondi, “para quê?”

E ela, claro, não teve resposta. E ela não teve resposta pois a sua dica foi mal intencionada, ou tinha como intenção algo que a deixava desconfortável. E é assim que eu trato os idiotas não-íntegros: faço-os ver a sua verdadeira intenção, o que os deixa mudos e desconfortáveis. Porque as suas palavras são ataques, e eu tenho auto-respeito, defendo-me com a verdade.

Das duas uma: ou ela disse aquilo numa de ofensa, tipo “ser assim tão magro é estúpido e motivo de vergonha”, e a minha pergunta fê-la perceber isso e ver o idiota que isso foi… ou ela queria que eu fosse mais forte fisicamente pois isso faria-a querer ter sexo comigo, mas ela não teve a coragem de o confessar. Para mim é o mesmo, idiotas ou cobardes levam o mesmo tratamento, pois não nos têm em consideração. Se a pessoa diz algo, para mim tem de ter a coragem de o acabar. “Mas tens de engordar”, “Para quê?” =)

Eu sei por experiência que o meu corpo não é um obstáculo para a minha felicidade, logo a sua dica foi absurda. Eu estava ali em pé, a sentir-me alegre e entusiasmado num ambiente de festa e celebração, com o corpo magro… a minha vida mudou completamente, com o mesmo corpo magricelas. Eu sei por experiência que para sentir estados de felicidade não tenho de engordar, e é isso que importa para mim. Assim como a outro nível sei por experiência que há mulheres que gostam da minha aparência, e para quem o corpo magricelas é secundário, pois este é natural e saudável. Logo, engordar para quê? ^_^ não só a sua dica não tinha qualquer validade, como não tinha boa intenção. A minha magreza não me faz sofrer :P ups! Para ela era um problema, mas o único problema ali era ela.

Agora repara, eu não fingi que não era magricelas e que tinha o peso ideal para a minha altura. Eu não neguei isso, nem disfarcei isso. Eu aceitei que elas tinham todo o direito em ter a sua preferência em termos de corpo de homem, e aceitei que eu não tinha os requisitos mínimos. Mas mantive-me fiél aos meus princípios e auto-respeito, e isso é integridade. Não só deixei claro que apenas estava interessado numa mulher a quem o meu corpo agradasse ou fosse secundário, como também vi a má intenção por detrás das palavras, e mostrei no momento que não se brinca com a integridade. Bang bang bang! Haha e isto é confiança, que é real, e atraente para as mulheres no geral.

Mas para quê esta conversa toda? =)

Porque a atitude que mais te vai ajudar em relação ao supostamente pénis pequeno é a mesma que eu tenho perante a minha real magreza. Usa isso como ferramenta de selecção.

Imagina que estás com uma mulher e ela pergunta-te se tens um pénis grande (o que é sinal que ela quer fazer sexo contigo). O que respondes? Eu gosto de responder, “o meu pénis é tão minúsculo que vais precisar de uma lupa” hahaha e eu digo-o naquele falso tom sério de comédia. Repara que eu uso as palavras “vais precisar”, como se estivesse a insinuar que brevemente ela irá interagir com o meu magnífico Tronco do Amor, hahaha! Humor cura. Atenção que estas palavras são de falsa arrogância, é a brincar com o orgulho, não é a sério. Sou eu a brincar com como os orgulhosos pensam, e porque eu estou a exagerar, é cómico. E as mulheres gostam.

E se não gostarem desse humor? E levarem a sério a dica do pénis pequeno?

É simples: fora com elas! Lol se não são sofisticadas e descontraídas o suficiente para se rirem deste tipo de humor tão exagerado, esquece-as. Levam a vida, e levam-se, demasiado a sério, e isso é um bloqueio à felicidade, que é o nosso principal objectivo aqui. Se de facto acreditarem na piada (lol) e tiverem uma reacção de, “pénis pequeno, que gajo estúpido”, ou seja, se sentirem aversão a ti porque acham mesmo que tens um pénis pequeno, adeus também. Elas estão no direito de querer pénis de determinado tamanho, sejam lá os centímetros que forem, mas a reacção em si é idiota, inapropriada, ver alguém como inútil por causa do tamanho do pénis que nunca viram hahaha e ainda por cima… através de uma piada. O tamanho do pénis ser o factor mais importante, ou assim tão importante, para uma mulher, não é bom sinal também. Ela está no seu direito, não é nenhum crime, mas denota um nível de consciência não-íntegro no qual o homem é apenas visto como um corpo, ou seja, é ignorada a sua personalidade e Espírito. O que leva a experiências e relações desastrosas, independentemente do tamanho da sua Cobra Malandra =) e depois, se por alguma razão não somos o tipo de homem que a mulher prefere, temos de aceitar isso, não perder tempo e acabar ali a ligação entre ambos.

A conversa do tamanho do pénis nem sempre irá surgir, pode até apenas raramente surgir, o que significa que se te sentires confortável com o teu Canhão da Sedução, e tiveres a atitude real (essência) que para as mulheres é atraente, acabarás por ir fazer sexo com elas. Aí elas irão ver o pénis, e ou estás errado e ele não é assim tão pequeno, elas nada comentam e têm prazer; ou de facto é pequeno e a mulher ou vai ter uma reacção narcisista de gozo ou aversão, ou irá admitir que sim, é pequeno, mas vai-te tratar com respeito, e se gostar de ti a experiência sexual será boa e positiva. Logo o tamanho do teu Canhão da Sedução nada mais é que uma ferramenta poderosa de selecção. Dependendo da reacção da mulher ao tamanho reduzido deste, ou à brincadeira sobre o tamanho  do mesmo, podes perceber como ela é (essência narcisista/não-íntegra, ou minimamente íntegra), se ela gosta de ti ou não, e se faz sentido continuarem a ver-se ou não.

Logo, como deves estar a perceber, na realidade, na prática, não há qualquer razão para sentires vergonha e insegurança porque tens um pénis pequeno. Tens um pénis pequeno, mas não és o teu pénis. Esquece a ilusão do Dildo-Man, haha! Tu és o Espírito, e o Espírito é do tamanho do Universo.

Conclusão:

*O teu pénis pode não ser tão pequeno como julgas ser;

*Mesmo que seja oficialmente e limitadoramente pequeno, podes dar prazer sexual à mulher de outras formas. Se ele for de facto pequeno, será sábio procurares mulheres pequenas, ou seja, mais baixas do que tu, para que o teu pénis seja mais proporcional à sua vagina;

*Sentir vergonha e insegurança por causa disso é apenas uma escolha. A escolha de acreditar numa ilusão inútil do ego, que te quer afastar das mulheres, para te afastar de amor;

*Podes confessar normalmente às mulheres que achas que tens um pénis pequeno, e como isso te faz sentir. E isto é bom para as mulheres que realmente gostarão de ti. E vai-te ajudar a sentires-te confortável com o teu pénis, o que te vai tornar mais atraente;

*Usa termos cómicos para identificar o teu pénis, isso irá retirar a seriedade desnecessária da questão. Brinca com o tamanho do mesmo, respondendo às mulheres que é minúsculo e que elas vão precisar de uma lupa. Humor cura, e se estiveres à vontade com o tamanho dele, elas também estarão;

*Usa o tamanho do pénis como ferramenta de selecção. Conforme a reacção da mulher à piada, a saber que é pequeno ou ao vê-lo, isso irá revelar-te como ela é (essência, se é minimamente íntegra ou não, logo se é boa opção como namorada ou não), se tu és do tipo que ela prefere (e respeitas isso acabando a ligação para não perder tempo e manter tudo honesto), e se ela gosta mesmo de ti ou não. A mulher pode não gostar de pénis pequeno, mas pode à mesma respeitar-te sabendo que tens um pénis pequeno (mas neste caso é revelado à mesma que não és do tipo que ela prefere e a escolha certa é acabar a ligação para ninguém perder tempo e te manteres sincero relativamente à tua intenção);

*A mulher, quando gosta do homem, vê as suas limitações humanas como giras e engraçadas, e não como algo mau, estúpido e desprezível, por isso relaxa;

*Precisas de experiência. Precisas de arriscar e andar a conhecer mulheres, e aprender a lidar com as tuas vergonhas e inseguranças, desvalorizando a sua origem e brincado com a mesma. Precisas de enfrentar os teus medos, o medo de ser rejeitado por ter um pénis pequeno, se o tiveres, e ver-te livre dessa limitação. Só coragem, que é uma escolha (fazer o que está certo independentemente de como nos sentimos e das consequências que imaginamos), te poderá levar a uma vida feliz e a alegria com as mulheres. Só coragem e honestidade te levarão a experienciar o que há de melhor com as mulheres, e acredita que a realidade é que o tamanho do pénis não é um obstáculo. É o tamanho do Coração (Amor) que importa, pois este usará o pénis pequeno como oportunidade de evolução, e ferramenta de selecção, o que só te trará cada vez mais felicidade, prazer, boas experiências e te fará evitar muita coisa má.

No final tudo se resume a estar disposto a morrer por Amor. Assim avançamos mesmo sentindo vergonha e insegurança, e vamos tendo experiências, e assim aprendendo lições que nos farão evoluir e ter cada vez melhores experiências e mais satisfação com as mulheres.

Portanto agora estás tramado lol agora que sabes a verdade e sabes o que fazer, só te resta agir mesmo sentindo vergonha e medo. Eu sei por experiência própria que só irás agir se estiveres mesmo tão farto e saturado do sofrimento actual, que estás disposto a morrer para conseguires mudar a tua vida amorosa, fazer sexo e ter finalmente namorada. Quando assim for, irás largar as ideias que te mantêm preso, infeliz, sexualmente frustrado, depressivo, envergonhado e inseguro, ou seja, o ter razão em relação ao teu sofrimento, e irás estar disposto a fazer o que resulta, independentemente das consequências. Depois irás ver que todo o sofrimento tinha sido desnecessário, e que podias ter entrado em acção mais cedo, e que há mulheres lá fora que te adoram, e que o pénis pequeno não é um obstáculo a experienciar confiança, entusiasmo, sexo, relações e amor, e que o único obstáculo era apenas a tua percepção do mesmo.

Por isso vai em frente, vai conhecer mulheres, diverte-te com o que acontecer, arrisca, coloca em causa essa ideia do pénis pequeno, põe um sorriso no pito de mulheres bonitas com a tua língua se necessário =) coloca em causa a tua percepção, desafia-te para seres feliz!


Obrigado pela tua pergunta.