AMOR

"Ensina só Amor, pois é isso que tu és"

segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

“O Que é Aceitável, e Não Aceitável, Uma Mulher Fazer - Como Saber a Diferença Entre o Ego da mulher e o Feminino da Mulher”

“O Que é Aceitável, e Não Aceitável, Uma Mulher Fazer - Como Saber a Diferença Entre o Ego da mulher e o Feminino da Mulher”


Pergunta de leitor:

Olá Pedro, como vão as coisas? Eu tenho contemplado sobre uma dúvida que eu tenho tido e que, curiosamente, muitos rapazes têm, que tem a ver com mulheres. Tipo, não sei bem como explicar isso, mas tipo, o que é que é aceitável uma mulher fazer e o que não é aceitável? Como saber a diferença entre o ego da mulher e o feminino da mulher? Uma colega minha disse que combinou sair com o agora namorado, e depois à última da hora disse que ía sair com os amigos e não ía ao encontro. Ela disse que o estava a testar, eu fiquei naquela: «e se isso acontecesse comigo, o que eu faria?». Provavelmente não acharia muita piada xD. Daí as minhas dúvidas. Eu não sei se me consegui explicar bem, seria óptimo se desses alguns exemplos e falasses sobre o feminino da mulher. Obrigado Pedro, um abraço.”


Resposta, comentários:

Oh oh…

=)

Conseguiste explicar-te bem. Essa é uma boa pergunta, na medida em que eu não sei a resposta =D

Lol este parece que será *daqueles* posts da parvoíce =) humor cura.

A primeira lição é, perguntaste à tua colega o que pretendia ela testar no namorado? Se não perguntaste, para a próxima em vez de imediatamente te escapares para a tua mente onde não está a resposta para as tua dúvida, pára um segundo e pergunta à mulher qual é a sua intenção. O convívio regular com mulheres, e a atitude humilde em que procuras aprender com elas, observando-as atentamente e fazendo-lhes todo o tipo de perguntas, é algo que te vai ajudar a perceber melhor a sua essência feminina.

Que queria ela testar no namorado?

Se ele é fraco ou forte, na medida em que reage à sua falta de respeito/desprezo e a confronta em relação a isso? E se não o fizer, ela sente que o controla e pode fazer tudo o que quiser, logo ele é fraco e deixa de estar interessada nele?

Se ele gosta mesmo dela ou está só interessado no sexo?

Esses são os típicos testes.

Ou será que ela deu a justificação de “estou a testá-lo”, para parecer que iria fazer algo válido e importante, quando na verdade estava apenas a tentar esconder uma escolha meramente narcisista de desrespeito e desprezo pelo agora namorado? Ela pode apenas ter preferido ir sair com os amigos sem qualquer intenção de testar o namorado. É mais fácil e confortável para o ego ir sair com os amigos do que ir sair com o namorado. Porque um namorado exige o largar de narcisismo, exige dedicação e respeito, logo é preciso querer saber do namorado e para isso é preciso esquecer-se o ego. É uma chatice para o ego pois tem de colocar o bem estar e felicidade do namorado, e a relação, em primeiro lugar, e dar mais importância a isso do que aos seus desejos narcisistas. Apenas sair com os amigos é um convívio mais superficial, desligado e solto. Quer as pessoas estejam conscientes disto ou não, é a verdade. As “amizades” são mais confortáveis para o ego, e as saídas com “amigos” potenciam a pesca de um novo parceiro (novidade) e de mais validação e atenção, ao mesmo tempo que permitem a pessoa ser narcisista à vontade (lol).

Daqui é-me impossível saber qual era a verdadeira intenção dela, pois não a conheço de lado nenhum. É verdade que é comum a mulher testar o homem, mas para teres a certeza tens de começar a perguntar directamente à mulher qual é a sua intenção. Neste caso, em vez de ires para a imaginação, perguntavas-lhe: “Então mas que pretendes testar nele? O que queres descobrir em relação a ele com essa atitude e escolha de cancelar a vossa saída e de ires sair com os amigos?”.

O que posso dizer é que, se eles já estão a namorar… é estúpido e imaturo (inapropriado, inadequado) da parte dela ainda estar a testar o namorado. Porquê? Porque se eles já estão a namorar… ela já o aceitou como namorado. Então se ela já o aceitou como namorado, aceitou-o baseado em quê? Se ainda o está a testar é porque ainda não confia nele, ainda não tem a certeza de algo em relação a ele… logo não deveria já estar a namorar com ele. Se a pessoa já foi contratada, é porque passou a testes para isso. Primeiro vêm os testes, e se a pessoa passar neles e provar/demonstrar que tem o que é preciso, então é contratada, a nível profissional. Não é depois de se fazer o contrato que se vai ver se a pessoa de facto está à altura e tem o que é preciso, isso é ridículo.

Portanto os testes têm a sua fase apropriada: enquanto se está a sair, antes de se namorar. Aceita-se a outra pessoa como parceiro apenas depois desta passar nos testes, ou de demonstrar que de facto tem as qualidades mínimas que se procura num parceiro. Portanto essa tua colega acabou de chumbar no meu teste =D que tem como origem um contexto mais elevado, e eu nem precisei de perder tempo a “andar atrás dela” para sairmos e conversarmos lol

A minha Visão da situação vem de experiência e intenção.

A razão pela qual as mulheres tanto testam os homens, é porque raramente são testadas pelos homens.

Como sabemos se o que uma mulher faz é aceitável ou não?

Isso cada um de nós define para si próprio. Cada um escolhe o que está disposto a tolerar, e o que não tolera, numa namorada. A questão é que essa escolha vem directamente do nosso nível de consciência, o que significa que nós aceitamos aquilo que somos. O honesto não tolera desonestidade, mas o desonesto tolera. O honesto sabe reconhecer honestidade, mas o desonesto não sabe, nem se lembra no momento de o procurar, nem o sabe identificar, os sinais de desonestidade passam-lhe ao lado, ele sente-se atraído e quer satisfazer o desejo e ponto final. Ser-se honesto é uma coisa, pensar-se que se é honesto é outra.

Portanto vamos-nos queimando até ficarmos fartos dessa dor, e nesse momento já não aceitamos nem toleramos a falta de determinada qualidade ou virtude. Logo passa a ser importante, essencial e imperativo estarmos muito atentos e tentarmos descobrir se a pessoa à nossa frente tem a qualidade que procuramos, pois de nenhuma forma queremos continuar a estar com ela se houver o potencial de voltarmos a experienciar a mesma falta de respeito e sofrimento.

Aquele que verdadeiramente respeita sabe identificar genuína falta de respeito.

O ego claro não quer engolir esta verdade, ele quer acreditar que já tem verdadeiro respeito pelos outros e que o problema é outro, e exterior de preferência para o orgulho não fazer dói-dói =) mas a verdade é que se uma pessoa não sabe identificar quando está realmente a ser desrespeitada, é porque não respeita os outros, e isso está fora da sua consciência (é-lhe inconsciente). Ela pensa que sim, mas pensamento não é realidade. Ela pode acreditar que tem essa intenção de respeitar, mas crença não é realidade. Ela pode ter decorado uma série de atitudes, comportamentos e escolhas para diferentes situações que ela considera de respeito pelos outros, mas isso é uma performance de actor, e aparência não é essência. Passividade também não é respeito, é simplesmente passividade (praticamente não dizer, ou fazer, nada).

Ou no momento se Vê o valor da Existência dos outros, ou esquece, o respeito é falso, ou incompleto.

Para se Ver isso, é preciso primeiro ganharmos consciência do Valor da nossa Existência. É preciso Vermos a vida como uma dádiva do Espírito, pois esta é a oportunidade perfeita para podermos evoluir e alcançar níveis de Felicidade mais Elevados. É então necessário primeiro valorizarmos a nossa vida, e o que temos de Bom e Bonito nela, para que a verdadeira atitude de auto-respeito surja. Sem auto-respeito verdadeiro ninguém espontaneamente é, adequadamente, selectivo. Sem isso, sem Ver a verdade disso, ninguém sabe, ao estar com uma mulher, procurar automaticamente se ela é digna da nossa dedicação ou não. Selecção consciente sem verdadeiro auto-respeito torna-se numa atitude fria e robótica, meramente lógica, e incorrectamente aplicada.

Verdadeira selecção consciente vem de Amor, não vem da lógica da mente. É uma valorização da nossa Felicidade e Bem Estar; é a gratidão pela vida e oportunidade que o Espírito nos deu para podermos ser ainda mais Felizes. Isso só se torna importante quando é verdadeiro em nós. Quando não é verdadeiro em nós é apenas algo sobre o qual lemos, e que forçosamente tentamos fazer pois parece-nos que nos torna mais atraentes =D mas só nos torna mais atraentes quando é real. Quando não é real apenas nos torna mais orgulhosos, e cegos. Quando não é real, apesar de eu explicar exactamente o que selecção consciente é, as pessoas simplesmente se tornam esquisitas e demasiado selectivas. Eu nunca disse nem escrevi que o objectivo é ser-se esquisito ou demasiado selectivo, mas é isso que as pessoas acabam por se tornar, e ficam sós. Selecção consciente não é uma atitude fria na qual a pessoa se julga superior aos outros, e tem prazer em rejeitar. Não vem de orgulho (valorização exagerada e falsa do eu individual/ego), mas de Amor pela vida e felicidade que se tem (valorização real do Bom e Bonito que se tem na vida).

Então essa valorização e gratidão trazem auto-respeito, e esse auto-respeito traz verdadeiro respeito pelos outros, pois a vida deles é também uma dádiva do Espírito, e se eles estão cá neste mundo é porque o Espírito também lhes deu a oportunidade de poderem ser mais felizes. Logo não fazemos nada que os possa impedir, ou baralhar, de se tornarem mais felizes. Repara que eu disse *tornarem* e não *sentirem*, pois aquilo que nos faz evoluir nem sempre implica, e começa por, emoções agradáveis. Daí o ego detestar quando alguém diz a verdade sobre ele próprio (pois traz-lhe vergonha), mas ao sabermos a verdade sobre nós próprios podemos trabalhar esses defeitos/erros, evoluir e ser mais felizes. Agora, tem de ser a Verdade sobre a pessoa/ego, e isso não tem nada a ver com a nossa opinião ou o que achamos que a pessoa é lol uma coisa é discernimento, outra é julgamento (digamos assim, para distinguir as duas atitudes). Discernimento vem da Visão de Essência do Espírito; Julgamento é apenas uma opinião emocionalizada do ego (ilusão e projecção).

Então a maior parte dos homens nunca testa as mulheres, o que é um erro. Uma mulher nunca testa um homem se estiver ocupada a tentar passar os testes desse mesmo homem. Este é o “segredo de atracção” do dia =) tatua-o na alma, hehe

Porque é tão importante testar as mulheres e estar atento à sua essência (que qualidades tem e não tem)?

Porque se a mulher não for minimamente decente e íntegra, o namoro será sempre de dor e sofrimento, e não de alegria no seu geral. O objectivo, ou a intenção, aqui é sermos mais felizes, logo neste contexto de aprendizagem é inútil ter-se uma relação com uma pessoa que nos iria impedir de sermos felizes. Se isto não faz sentido para ti, então eu não tenho como te ajudar e estás no sítio errado.

O homem que tem auto-respeito, respeita, e porque respeita consegue identificar no momento quando a mulher não o está a respeitar. Logo ele sabe o que é, e o que não é, aceitável uma mulher fazer e dizer. Como? Porque ele respeita ele sabe a origem do que é feito e dito, e sabe o que nunca faria ou diria, pois sabe o que não teria a outra pessoa em consideração. E ele sente isso no momento sem ter de recorrer à memória ou lógica da mente.

Ele sabe, por exemplo, que ego e feminino não são origens diferentes de escolhas.

Ego é um nível de evolução do feminino. O feminino pode ser animal, humano ou espiritual. Ou seja, narcisista, íntegro ou Amor. Aquilo que queremos identificar na essência da mulher, na sua maneira de ser, é se é demasiado narcisista no geral, ou se, apesar de haver narcisismo, este é colocado de parte na sua maioria quando ela está com um homem num contexto amoroso de potencial, ou real, namoro. Mesmo quando uma mulher não é íntegra, é possível passar bons momentos com ela. A questão é que a falta de respeito e desilusão virá mais cedo e mais vezes. Conforme o teu nível de consciência actual, irás tolerar ou não tolerar determinadas coisas. Para quem não tem grande sentido de humor, uma mulher sem grande sentido de humor é aceitável. Mas para quem tem sentido de humor, é essencial que a mulher tenha sentido de humor. Imaginemos que uma pessoa está no nível de felicidade 4. Qualquer pessoa abaixo desse nível de felicidade será aborrecida, pois não permite experienciar aquilo que a pessoa do nível de felicidade 4 mais adora. Aceitar uma pessoa abaixo seria dar passos atrás e torturar-se desnecessariamente. Há outras pessoas para as pessoas dos níveis abaixo do 4, assim como há outras pessoas no nível 4, e acima deste. É então inútil, em termos de felicidade, estarmos a aceitar pessoas abaixo do nosso nível. Não lhes estamos a fazer favor nenhum nem a salvá-las de nada, nem a abandoná-las ou a tratá-las mal ao não as aceitarmos. Elas têm pessoas do seu próprio nível para experienciar todo o tipo de relações, ligações e momentos. Nada lhes está a ser barrado, tirado ou impedido.

Porque é que a tua colega “chumbou no meu teste”?

Porque ao escolher livremente cancelar uma saída com o namorado e preferir ir sair com os amigos, dando a justificação de que é um teste, demonstrou ser imatura. Primeiro porque se já está a namorar já não é apropriado andar a testar o namorado. Numa relação ama-se e dedica-se, não se testa. Isto se a intenção de testar era verdadeira. Se não era, e ela simplesmente desprezou o namorado, bom, então nem é preciso explicar. Tendo ela feito essa escolha livre, ela demonstrou ser a miúda que numa relação prefere andar a testar o namorado e/ou a desprezá-lo, do que a dedicar-se a ele, a apreciá-lo, respeitá-lo e amá-lo. Logo ela ainda não tem o que é preciso para ser uma namorada decente, para a relação poder ser decente. Logo ela não é de interesse para quem, como eu, prefere namorar e ser feliz.

Então temos o feminino narcisista, o feminino íntegro, e o feminino espiritual. A intenção é detectar e evitar as mulheres do feminino narcisista. O problema é que, quando ainda estamos num nível de narcisismo, o narcisismo feminino é-nos invisível e indetectável.

Por exemplo, é normal a mulher, devido ao seu lado feminino dominante (porque também tem lado masculino), ter mais altos e baixos emocionais que o homem. Seja durante o período ou fora deste. Logo só porque a mulher tem mudança repentina de emoções, isso não é razão para a largarmos ou rejeitarmos. Mas, porque o ego não é o fim da evolução, graças a Deus, a mulher pode aprender a lidar com essas suas emoções. Ou seja, lá porque a mulher tem esses altos e baixos emocionais, isso não significa que ela tenha de os despejar em cima do homem, não querendo saber de como isso o faz sentir e de como isso afecta o seu bem estar e felicidade no momento. A mulher pode, num ataque de raiva, não o despejar para cima do homem. Com maturidade avisa o homem de que está num estado negativo, e que se calhar não seria a melhor companhia. Logo, sozinha, contempla o estado e espera que este se esgote, até ela ficar num estado minimamente positivo que a permita ser uma companhia adequada que não perturbe a paz dos outros. Isto é maturidade e querer saber dos outros. Narcisismo é simplesmente pôr-se a berrar com as pessoas porque é o que sente e temos pena lol a pessoa mais evoluída pode ter um estado de raiva, mas estar consciente de que a pessoa com quem está não tem nada a ver com isso, não é responsável por isso, e manter a serenidade. Porque nós não somos a emoção, sentimos a emoção. E ao sentir a emoção podemos escolher expressá-la de muitas formas diferentes. Com humor consegue-se expressar qualquer emoção e respeitar a outra pessoa, mas para isso é preciso ser-se evoluído o suficiente para não se identificar com a emoção. Emoção não é realidade.

É normal também, como já disse, as mulheres testarem os homens. E elas fazem muito bem. É uma atitude de defesa válida, pois o que há mais por aí são homens que as iriam magoar, e homens que não são o que parecem ser. Mas há testes inapropriados, tal como o da tua colega. Os testes são para ser feitos *antes* da relação começar, para se saber se é boa ideia, ou não, ter uma relação com aquela pessoa. Logo continuar a fazer testes depois da relação começar é estúpido. Quando a relação começa o que é suposto fazer não é fingir-se de desinteressada, dar desprezo ou fazer-se de difícil lol é dedicar-se ao homem, amá-lo, apreciá-lo e desfrutar os momentos que ambos passam juntos. É trabalhar para a relação, e não para o ego. Depois há os testes na fase errada… por exemplo, o homem e a mulher já saíram várias vezes, digamos 2 ou 3 vezes, e ela continua com a atitude de como se ainda não conhecesse o homem, haha! Isto é imbecilidade =) se a mulher só se fazer de difícil e nunca demonstrar que gosta do homem, está à espera do quê? É suposto o homem nesse contexto perder o interesse. E ele não perde o interesse porque na verdade nunca gostou da mulher. Não, não é nada disso. Ele perde o interesse porque do outro lado está uma mulher demasiado narcisista que, por medo ou orgulho, é incapaz de ser normal naquela fase e demonstrar que gosta dele também. Não é só o homem que tem de demonstrar que gosta mesmo da mulher, a mulher também o tem de fazer. Duh! =D para que é que o homem vai andar atrás de uma mulher que só se sabe fazer de difícil? Qual é a utilidade disso? Para que é que o homem vai continuar interessado numa mulher que não o aprecia? É inútil.

Fazer-se de difícil não é garantia de qualidade da parte da mulher lol assim como também não é ir para a cama com quase todos que demonstram essa vontade. Não é 8 nem 80, é conforme o contexto. Se há atracção mútua e o homem é decente, qual é o problema real da mulher ir para a cama com ele no mesmo dia que se conhecem? Para quê adiar a relação e o amor entre ambos? Se ele é decente ele não a verá como indecente por causa disso. Ele vai é ficar contente que as coisas não se tenham adiado e arrastado desnecessariamente, e vai querer namorar com ela. Não irá, portanto, usá-la para sexo e pirar-se, magoando-a, pois ele é de facto decente. Se ele for indecente, então sim, a mulher deve testá-lo e claro, evitá-lo. E isso demonstra que ela tem auto-respeito e que é de valor como potencial namorada.

A mulher tanto é indecente por não ser selectiva e ir com quase qualquer um para a cama rapidamente, como em desprezar e fazer-se de difícil com um homem decente e bem intencionado. No primeiro caso está a demonstrar falta de auto-respeito, fraqueza de espírito e carência. No segundo caso está a mostrar narcisismo e falta de consideração pelo homem, assim como incapacidade de detectar essência, o que é um sinal de falta de evolução. Nos dois casos não se verifica uma mulher capaz de ser boa namorada. Lamento =)

Vou dar exemplos de atitudes de mulheres com quem saí que me fizeram perder o interesse nelas.

Se for alvejado por alguém, a responsabilidade é totalmente do cavalheiro que me enviou esta pergunta. Hahaha! Estou a brincar =)

Era uma vez uma rapariga que era modelo. Ela anda normalmente pela rua como se fosse ser fotografada por alguma revista. A sua aparência era de facto impressionante, mas ela já não me impressiona nada lol esta rapariga com quem eu saí algumas vezes tinha o lindo hábito de chegar praticamente sempre atrasada, sendo os atrasos de 20 a 40 minutos. E lá estava eu à espera, à espera. Imprevistos acontecem a qualquer um, de vez em quando, mas os atrasos dela eram consistentes. Através de contemplação foi-me revelado que, por um lado, era desleixo. Isto é o mesmo que não querer saber da pessoa que pode ter de ficar à espera, falta de consideração portanto. Mas pior, havia também a intenção de se superiorizar a mim, pois se eu estava à espera da vedeta, eu era o pobre coitado interessado e ela a princesa inalcançável lol

Só aqui ela já estava riscada como potencial namorada. Mas há mais…

Ela também tinha o lindo hábito de estar agarrada ao telemóvel, demasiado tempo, demasiadas vezes. E eu ali, à espera. Não só tinha de esperar 30 minutos por ela, como ao chegar, ela ainda estava ao telemóvel mais uns 10 ou 15 minutos. Mais uma vez, falta de respeito. Se eu vou sair com alguém, esse alguém é a prioridade. Eu certifico-me que chego às horas marcadas e que não tenho a minha atenção dividida ou distraída. Duplamente riscada.

Mas há mais! Haha

Apesar de ser uma mulher inteligente e interessante, o seu narcisismo estraga-lhe qualquer hipótese de conseguir um homem decente. A companhia, depois da épica espera, até era boa. Bonita, de conversa estimulante, estava quase lá. Mas faltou o quase. Para além dos atrasos e do desprezo do telemóvel, ela ainda se punha com jogos de sedução. Aí eu tive de sacar do revólver, porque já não havia tolerância. Do nada punha-se a falar de sexo, e a descrever coisas eróticas, e a fazer olhares, e aproximar-se lentamente quando falava, etc. “É pá! Ela quer fazer amor comigo!”, pensou o ego. Mas tudo o resto, seja quando não estávamos juntos, seja nas outras saídas, era inconsistente. Não existe o interesse meramente sexual se não existir apreciação pela pessoa. O que quero dizer é, se a mulher apenas sugere sexo com palavras e atitudes, mas não te procura, ou só te procura porque dá-lhe jeito a conversa ou companhia, quase que a fazer tempo para outra coisa, e nunca demonstra interesse em ti como homem, essa “interesse” sexual é falso. Na prática nada estava a acontecer, a não ser o seu narcisismo a tentar controlar-me e inferiorizar-me. Era um falso interesse, apenas para me fazer correr atrás dela. E como eu não estou interessado em fazer atletismo, demonstrei-lhe que sabia o que estava a acontecer. Ela tentou o truque de lamber os lábios, mas sinceramente, fê-lo rápido demais. Porque eu percebi que era apenas mais um truque de sedução totó, disse-lhe: “tens de fazer isso mais devagar, ou não funciona”. Hahaha!

“É pá! Mas se calhar era ela a querer que a beijasses!”, pensa o ego.

Não, porque isso fiz eu logo na primeira saída e ela não quis. Como ela continuou com atitudes de desrespeito, jogos de sedução e não houve mudança em termos de demonstrar interesse genuíno, eu perdi o interesse em sair com ela e larguei-a. Entretanto em conversa ela revelou-me que queria ser famosa, o que também foi uma desmotivação para mim. Eu ainda dei o benefício da dúvida, porque talvez ela tivesse essas atitudes por insegurança e depois as largasse e desfrutasse a minha companhia. Mas não lol praticamente a única coisa agradável era estar perante a sua beleza, mas só isso é insuficiente para um convívio regular e um namoro minimamente bom. Com estas atitudes não admira que depois surjam homens que só as queiram por desejo e sexo… porque depois a pessoa não cativa a longo prazo.

Houve outra que mal nos tínhamos sentado pediu lume a 1 sosse que estava ao balcão. Passados uns minutos fez-lhe uns olhares. Foi a nossa primeira e última saída hahaha!! Isso era para quê? Para me fazer ver que não estava assim tão interessada em mim como eu poderia pensar? Lol depois as histórias que ela me contou eram quase apenas de atitudes imaturas com “amigos”. Bah! =) tudo mau sinal, adeus.

Houve uma outra que, enfim, quase surreal. Combinámos a nossa 1ª saída depois de 1 conversa online. Foi para o dia seguinte a determinada hora, confirmado pelos dois. Eu saí do trabalho e recebo um sms dela a pergunta se sempre nos íamos encontrar, e eu disse que sim, que estava a caminho. Ela responde que estava a acabar de ver um filme. Eu cheguei 5 minutos atrasado devido ao trabalho e ao metro… mas avisei-a. Já no local combinado (centro comercial), ela responde que ainda estava a ver o filme. Eu disse que já tinha chegado. Esperei 25 minutos e nada… decidi dizer que me ía embora e fui para casa. 15 minutos depois de me ter ido embora recebo um sms a dizer que ela tinha acabado de ver o filme e que se eu me tinha ido embora é porque também não estava lá com muita vontade em me encontrar com ela. Fui o vilão, portanto haha!

Repara, primeiro, se tínhamos combinado encontrarmo-nos num determinado sítio a determinada hora, e ambos expressaram que tinham percebido essa informação, porque raio é que ela vai decidir ir ao cinema à mesma hora?! Quando sabia perfeitamente que ao ir ver o filme seria impossível estar à hora combinada no sítio combinado fazendo-me esperar por tempo indefinido? Falta de respeito, não quis saber. Já me conhecer ou não é irrelevante, a partir do momento que se é um ser humano, as coisas fazem-se com consideração. Se eu depois me revelasse uma desilusão, então ela rejeitava-me e decidia nunca mais me ver. É simples.

Depois, desde que ela me disse que estava a *acabar* de ver o filme até me enviar a mensagem de que o filme tinha acabado, passou-se 1 hora lol do que estava ela à espera? Ir fazer o que lhe apetecia sem consideração pela pessoa com quem combinou a saída, e depois essa pessoa teria de esperar o tempo que fosse preciso para estar com ela? Haha isso é estúpido. Eu, sem saber se ela ainda estava a ver o filme ou tinha desistido da saída, ainda esperei no local uns 20 ou 25 minutos. Eu fiz a minha parte, ela não quis saber. Se combinamos estar, por exemplo, na 4ª feira às 17h com alguém, seja essa pessoa amigo ou desconhecido, não vamos ao cinema às 16h sabendo que só às 18h é que conseguimos estar no local combinado lol isso é idiota. Não é na boa, é falta de consideração pela outra pessoa. Não é aceitável portanto.

Estes são os melhores exemplos de que me lembro. Outros sinais de campeonice (imbecilidade) são:

A mulher anda no dia-a-dia vestida e arranjada de forma sexy. Qual é o problema? Seja porque quer chamar a atenção dos homens e sentir-se orgulhosa porque tem esse poder de atracção e é desejada por um grande número de homens, seja pela ignorância do que é de facto vestir-se de forma bonita, é totozice.

Primeiro, sexy é uma atitude ou aparência apenas apropriada na intimidade com o homem que é o seu namorado ou marido. É como que uma prenda da mulher ao seu homem, que significa que ela quer fazer amor com ele. É essa a mensagem do sexy. Claro que isto desperta o desejo do homem, pois a mulher não só é bonita para ele como está a demonstrar que o quer e está pronta. Agora pergunto… será inteligente andar por todo o lado, perante todo o tipo de sosses, com uma atitude e aparência de “quero sexo e estou pronta”? LOL

Noooooooooooooooooops! =)

Seja por orgulho ou ignorância, é sempre um sinal de imaturidade. Aquilo que contemplo é que é mais uma escolha intencional de obter a validação dos homens, logo é por orgulho na sua maioria. Repara, na prática não tem qualquer utilidade lol ela não quer sexo nem está pronta para sexo com quem a vê… logo não é uma escolha íntegra (a aparência não está alinhada com a essência). E depois isto vê-se em todo o lado! É uma epidemia… hey, espera lá… será o início do apocalipse porno?! :D não, nem isso é… =( a mim já me deixa irritado porque quando as vejo (só não as veria se andasse sempre a olhar para o chão) isso puxa pelo desejo animal do ego, o que é um estado baixo de consciência. Essas mulheres portanto não são fixes, são uma desmotivação, pois mesmo que comecem a namorar, achas mesmo que vão desistir do prazer narcisista de ser o centro de atenções para onde quer que vão? Noooooops! =) o ego é viciado nisso, e por isso elas solteiras ou comprometidas terão a mesma atitude de fingir que querem sexo e que estão prontas, para obterem a atenção e validação dos homens que as virem, por questão de orgulho (narcisismo). Neste grupo inclui-se as miúdas que usam o Facebook com fotos sexy. É a mesma intenção e essência.

Elas fazem e vestem o que quiserem, não estou a condenar ninguém, e seria um disparate proibi-las de andarem sexy pela rua. A questão não é essa… a questão é que todas as nossas escolhas revelam algo sobre nós, e essa escolha do sexy em todos os contextos revela uma inconsciência e narcisismo que não permitem uma relação feliz. É esta a verdade e é esta a realidade, e quem não gostar isso não é problema meu =)

Estar Bonita é uma coisa, estar sexy é outra. Faz parte do processo de evolução da mulher aprender a diferença. Rara é a mulher que sabe estar Bonita, pois a grande maioria confunde isso com sexualizar a aparência (enaltecer aquilo que no corpo potencia desejo sexual no homem) sem saberem que o estão a fazer. Como obtêm atenção e demonstrações de interesse, o seu ego julga que é bonito lol

Words of Wisdom:

Se não queres ser tratada como um objecto sexual, então começa por não te vestires como um objecto sexual.

:D

A tribo dos ginásios inclui-se no grupo das *sempre sexy*.

Expliquem, por favor, a utilidade de ir maquilhada para um ginásio lol têm todas o mesmo estilo de aparência! Haha é engraçado de observar. Que ir ao ginásio pode fazer bem à saúde e bem estar do corpo, é algo que aceito. Mas… =D a verdadeira intenção não é essa :P

Se fosse, as roupas seriam práticas, mas discretas, ou seja, não seriam super justas a enaltecer as curvas hahaha!! Portanto é uma questão de aparência, para dar nas vistas, e não de essência, por questões de saúde. Depois há uma distorção da beleza da mulher, ou seja, ter músculos à macho não é bonito. E porque será que elas vão para lá treinar as pernas e... o rabo! Hmm… será que a saúde da mulher se centraliza em tal zona? Será o núcleo de bem estar da mulher o rabo? Estará o espírito da mulher… no seu rabo?

Noooooooooooooooooooooops!! =D

O rabo da mulher, a partir de determinado tamanho, excita o homem. O homem repara num bom rabo a quilómetros de distância, ao mesmo tempo que pisa uma armadilha de ursos, à noite, com néons à volta. Hmmm… espera lá… será que elas treinam o rabo para que mais homens olhem para elas?! Será que querem dar nas vistas e ser o centro das atenções, de forma a que se sintam bonitas e orgulhosas porque os homens olham mais para elas e andam mais atrás delas…? Na… isso não faz sentido nenhum =) Eu estou drogado… sou louco para insinuar tal coisa! =D até porque elas nem entram e saem dos ginásios com roupas super justas que permitem quase medir com um transferidor a curva do rabo, e das pernas também =) naa… estou a alucinar. Pior ainda seria dizer que estas mesmas mulheres andam de roupas justas em dias em que nem sequer vão ao ginásio. Que marado que eu sou =) é claro que as leggings (pernings em português lol) são apenas usadas porque são um vestuário mais prático para a execução dos exercícios pernais. É só porque é mais prático, não há outra solução sequer… não há outro tipo de roupa, que não mostre o rabo em toda a sua glória, para ir ao ginásio. Fato de treino é ficção científica… calções normais sem serem justos também. Talvez no futuro criem tal coisa… por enquanto não há escolha, tem de ser as calçar pretas justas, é o que há. Sim, pretas, porque assim gera uma mancha de contornos bem definidos. Só assim as máquinas e aparelhos aceitam ser usados para a prática muscular =)

Enfim.

Dizem que só nascemos nesta dimensão com a nossa permissão. Ok, mas não me perguntem isso quando eu estiver bêbado lol

“Então mas agora tem algum mal as mulheres andarem assim vestidas e irem ao ginásio? Isso é machismo cárai!”

Não tem mal nenhum, mas revela algo sobre a mulher. E qualquer mulher que use a sua aparência para validação e questões narcisistas de orgulho, aqui, neste contexto, é uma má escolha como potencial namorada.

Eu sei que há mulheres que vão ao ginásio com intenções mais inocentes, apesar de usarem essas roupas. Eu não disse que eram todas assim… há aqueles que adoram desporto e exercício físico desde novas, a sua formação é essa, o seu curso foi esse. A intenção, logo, é outra. Portanto há excepções… há quem tenha o coração no rabo tonificado e enaltecido por calças tão justas que quase se rasgam com o olhar =)

“Então não olhes para os rabos, oh tarado!”

Eu preciso de ver por onde estou a andar, não fico a olhar de olhos esbugalhados a babar-me para o rabo. Tenho um ginásio mesmo ao lado de casa, e é impossível, ao olhar em frente, não ver a mulher na sua totalidade quando ela sai ou entra no ginásio, e ver como ela está vestida. Não é preciso olhar para nenhuma parte do seu corpo em particular. Por outro lado já conheci senhoras do ginásio, já convivi e conversei com elas, e a atitude/essência de narcisismo relativamente à aparência está lá. Mas há excepções, claro.

Outro mau sinal são as mulheres comprometidas que andam na internet a falar com todo o tipo de homens. Falem só pelo chat ou skype (que sou a “escapa” lol), ou saiam com eles; apenas conversem com eles em pessoa, ou de facto tenham algo sexual com eles; é sempre uma falta de respeito para com o namorado. Qualquer atitude que faça a mulher parecer que está solteira e livre, o que leva a uma pesca secreta de homens e a interacções de todo o tipo, é uma falta de respeito e consideração pelo namorado. Mais vale acabar a relação para poder estar com quem quiser.

E para acabar, mulheres com muitos “amigos”.

Estás a ver aquelas mulheres que saem em grupos de 10 ou 20 pessoas? Mau sinal. Pode ser sinal de qualidades sociais e facilidade em conhecer pessoas, o que tem a sua validade e mérito, mas… é também sinal de que não há qualquer tipo de selecção, e que a mulher aceita “de tudo” para saídas e convívio, o que revela inconsciência relativamente à essência das pessoas. O problema disto é que, ao haver proximidade e intimidade com ela, é apenas uma questão de tempo até termos de levar com os amigos em saídas em série. Se 85% das pessoas não são íntegras, isso significa que quantos mais “amigos” ela tiver, maior o potencial de problemas, maus momentos, ciúmes, invejas e caos. O ego do grupo de “amigos” tratará disso, garanto-te, e tentará destruir a relação. Assim como será um bloqueio que não permitirá momentos mais alegres e felizes, que assim o poderiam ser, sem a sua presença.

Quanto menos pessoas souberem que existes, melhor. Mais tranquilamente poderás viver a tua vida, sem grandes obstáculos à tua felicidade, com o mínimo de potenciais destruidores do que tens de Bom e Bonito na vida. O ego vai sempre encarregar-se de te dar cabo de tudo lol seja distorcendo a verdade, seja fazendo aceitar o inconcebível e inútil, seja seduzindo-te, manipulando-te, controlando-te, limitando-te, e pintando tudo de cor de rosa, e é tudo na boa, e vais-te afogando sem dares por isso, num mar de convincentes e confortáveis ilusões. Mas se tiveres auto-respeito, se realmente valorizares a tua vida e a dos outros, e Vires que só o que é Bom e Bonito importa, quererás ser selectivo para poderes ser feliz, e por isso procurarás por ti descobrir a verdade por detrás do que aqui expliquei. Se não, bem, sempre podes pegar numa cadeira de praia e numa grade de minis, e contemplar os magníficos rabos que entram e saem do ginásio =)

O que podes fazer como exercício diário é escrever as 7, ou mais, qualidades que preferes que uma namorada tenha. Não tens de o escrever todos os dias, mas reler a lista antes de saíres de casa. Depois, sempre que a mulher demonstrar que não tem determinada qualidade da tua lista, cuja ausência não toleras, deixas de sair com essa mulher e de a aceitar na tua vida, seja em que momento da vossa ligação for. Seja antes ou depois de se beijarem, antes ou depois de fazerem amor, antes ou depois de estarem a namorar. Auto-respeito é sempre válido, pois vem de Amor.

Obrigado pela tua pergunta.


(som de tiros… som do corpo de Pedro Constantino a cair no chão… um fantástico rabo afasta-se, em direcção ao horizonte… as pernas também não são más.)

sexta-feira, 3 de Outubro de 2014

Como Atrair Mulheres e Conhecê-las Pessoalmente Usando a Internet


Como Atrair Mulheres e Conhecê-las Pessoalmente Usando a Internet



 



Nota: testemunha-me a bater o recorde do Guinness a dizer "portanto". haha! :)

quinta-feira, 2 de Outubro de 2014

Perguntas e Respostas, Outubro 2014

Perguntas e Respostas, Outubro 2014



1 – Meias Verdades, Meias Mulheres

Pedro, porque é que algumas mulheres nos querem manter, sempre, por perto, dando-nos aquele sorriso e tal, e de repente, quando damos por nós, as ditas cujas já se encontram nos braços de alguém? Porque elas fazem isso?”


Resposta, comentários:

O homem que fala por meias verdades apenas consegue meias mulheres.

A tua pergunta, e descrição, é vaga. O que realmente te aconteceu em específico?

Ías a andar na rua, uma mulher sorriu-te, e de repente abraçou outro homem que ía a passar...?

Ou estavas a sair com uma mulher por quem te sentias atraído, ela parecia estar interessada em ti e dava-te “aquele sorriso e tal”, mas de um dia para o outro começa a recusar os teus convites e avanços, e descobres que ela anda a sair e a curtir com outro homem...?

Tens de ser mais realista, concreto e específico, pois sem saber o que realmente se passou, como te posso dar uma resposta útil? A minha intuição diz-me que provavelmente é possível que tenha sido algo semelhante ao segundo caso, mas não tenho a certeza. Como a tua pergunta foi uma meia verdade, o melhor que posso fazer daqui, por não saber exactamente o que aconteceu, é dar-te uma meia resposta.

Provavelmente ela fez-te isso, e outras o farão, pois não és sincero com elas. Não revelas a tua intenção, não revelas o que sentes por elas, não avanças com coragem e determinação... é possível que tal como a tua pergunta de meia verdade, a tua atitude com as mulheres também seja de meia verdade, ou meio interesse, logo obténs meias mulheres. Uma meia mulher, na verdade, não existe. O que existe é, sais com a mulher, nada amoroso acontece apesar de ela parecer interessada, mas depois és deixado para trás e ela prefere outro homem. Provavelmente um homem mais sincero e determinado, que revela a sua intenção e o que sente, que é directo e claro no seu desejo, que avança e a beija, não perdendo tempo e não dando asos a mal entendidos (parecer “amizade” quando na verdade a intenção era amorosa/sexual).

O homem das meias verdades é o homem fraco de espírito, que não avança com as mulheres, e que apesar de ter saídas com mulheres raramente experiencia algo amoroso e sexual com elas. Isto pode levar a duas situações: 

1 - a mulher farta-se e acaba por conhecer e preferir outro homem;

2 - ou a mulher continua a sair com o homem fraco de espírito, não por genuíno interesse amoroso (potencial namoro), mas sim como fonte de atenção, validação e companhia. As mulheres não íntegras fazem portanto isso devido a narcisismo, e a como o seu ego feminino funciona, as necessidades e desejos que tem.

A mulher (tal como o homem) sente-se só quando está solteira. Isto é perfeitamente normal. A questão é que não se tem de lidar com a sensação de solidão de forma narcisista, mas a mulher não íntegra assim o faz. Ela sabe que o homem fraco de espírito está interessado, ela sabe que ele passa o tempo a pensar nela com fantasias românticas, ela sabe que ele irá fazer de tudo para lhe agradar, ela sabe que ele depende dela emocionalmente e que a vê como a sua maior fonte de felicidade, ela sabe que ele não tem outras opções de mulheres, ela sabe que ele não consegue distinguir aparência de essência... logo ela sabe que se fingir estar interessada, dando o tal sorriso, vai mantê-lo por perto.

Não só isso, mas ela sabe que por isso tudo, sempre que precisar da companhia ou ajuda dele, ela sabe que isso acontece quando ela quiser, ela sabe que ele vai dizer que sim ao convite e ao favor pedido. E mais importante, talvez, é que ela sabe que ele é um homem fraco, logo ele não vai tentar beijá-la ou avançar sexualmente, logo ela sente-se segura e a controlar a distância a que ambos estão, logo ela confortávelmente controla todo o teatro de pseudo-amizade e de pseudo-potencial namoro.

Geralmente um sinal deste teatro é quando a mulher nunca aceita os convites do homem (estar com ele quando ele quer), mas depois convida-o para sair. Eles só estão juntos então quando ela quer, portanto ela controla quando se encontram, deixando o homem desamparado e confuso, sentindo-se sem qualquer poder, sentindo-se sem ser apreciado, quase sempre num estado de medo de a perder, mas enganado pelas migalhas de falso interesse dela. Pois ela não aceita os convites, mas depois convida-o para sair. Pois ela não o beija, mas sorri-lhe. E isto faz o homem ir atrás dela, aceitar todas as suas propostas, com medo de que se não o fizer, perde-a.

O homem íntegro não cai nestas armadilhas, e ele sabe por experiência que estas mulheres na verdade são fracas de espírito também. Assim que o homem recusa algo ou deixa de a procurar, a mulher passa a procurá-lo. E aí sim, o homem fraco de espírito começa a acreditar que ela está mesmo interessada, hahaha!

Mas não está. Nem nunca esteve... nem nunca estará. =)

Ela só foi atrás do homem e procurou-o, pois sentiu-se a perder o controlo, a atenção e a validação, logo sentiu-se a perder o orgulho. Foi narcisismo, e não interesse, que a fez procurar o homem. Foi interesse nela própria, e não no homem, que a fez mexer-se e procurar o homem. Esta procura pode ser altamente teatral, com grandes e eloquentes discursos de “sinto a tua falta”, “éramos amigos”, hahaha! E com atitude pseudo-inocente de injustamente abandonada quando gostava tanto do homem... é tudo treta =) não passam de tácticas do ego, ele tem vários estilos de manipulação, desde a mais passiva e “querida”, à mais agressiva, triste, lógica, etc.

Concluindo, assim como temos de revelar na sua totalidade aquilo que queremos perguntar para podermos obter a melhor e mais completa resposta possível, temos de, com as mulheres, revelar na sua totalidade aquilo que queremos experienciar com ela, aquilo que ela nos faz sentir, e avançar nesse sentido. Escolher avançar com coragem na direcção que está alinhada com a nossa intenção e com o que sentimos pela mulher. Sem isso nada acontece, a mulher fica apenas baralhada e confusa, aborrece-se e desaparece. Ou então decide usar o homem para as suas tardes solitárias de conversa infinita lol Daí meias verdades apenas obterem meias mulheres: o homem está com elas,mas apenas num contexto assexuado de conversa frente-a-frente. Nada de amoroso ou sexual acontece, ou seja, o homem fraco de espírito das meias verdades não experiencia uma mulher na sua totalidade. Quanto mais cedo se revelar a intenção e se avançar de forma alinhada com a nossa intenção, mais cedo das duas uma: ou se experiencia algo amoroso/sexual com a mulher, e mais rapidamente se chega ao namoro; ou percebe-se logo que ela não está interessada e livramos-nos assim da tortura da dúvida, de saídas inúteis, e de sermos manipulados pelas mulheres não-íntegras espertas.



2 – O Relógio do Amor

“Olá Pedro, como vai? Estava tentando achar um post mais recente onde você comenta sobre relações à distância, mas não consegui achar. Gostaria de fazer novamente a pergunta sobre o tema mas de uma forma diferente: qual o tempo para uma relação ser considerada íntegra? Digo em termos de dias, uma vez a cada duas semanas, ou 4 horas por semana, a distância entre a pessoa, etc. O que seria minimamente íntegro e não considerado à distância?”


Resposta, comentários:

Não é uma determinada quantidade de tempo que torna uma relação íntegra, é a essência de ambos os parceiros.

Para se poder experienciar uma relação íntegra é então necessário que ambos os parceiros sejam íntegros. A importância de se ser íntegro é que só assim se tem acesso, digamos assim, a uma mulher íntegra, e só com integridade se pode ser consistentemente feliz, e ter relações felizes.

O Amor não tem relógio... o Amor ama sempre agora, pois só o agora existe. Desde que tenha alguém para Amar, claro. Daí o problema das “relações” à distância: a outra pessoa não está connosco no mundo real para a amarmos e experienciarmos a vida a dois.

A questão aqui não é se a  frequência com que se vêm é suficiente para a relação ser íntegra, nem se a distância a que estão um do outro torna a relação íntegra ou não. A questão da distância e frequência vai determinar se o que têm se pode chamar de relação ou não lol portanto não é se a relação é íntegra ou não, mas sim se de facto se pode chamar de relação ou não.

Uma relação são vivências a dois, nem que seja ver um filme juntos no sofá. É feita de experiências a dois, lado a lado, no mundo real. Quando o parceiro não está connosco, não estamos a experienciar o que a relação é. Logo se queremos uma relação real, e gostamos de intimidade, sexo, carinho, convívio, etc, então convém que tenhamos uma relação com alguém com quem seja prático estar.

Uma boa linha de orientação para esta selecção de parceiro é esta:

É possível estar com ela hoje facilmente?

Se a resposta for não, esquece-a. Uma relação vive-se no mundo real, não na imaginação, e não meramente através de aparelhos para os quais se fala e nos quais se teclam mensagens. Quando estás a teclar não estás com a outra pessoa lol chat não é vida real. Se a pessoa não está contigo então não estás a experienciar o básico de uma relação.

Se em 30 ou 45 minutos não se conseguem encontrar, esquece.

Se ela está no Porto e tu em Lisboa, esquece.

Se para se verem têm sempre de esperar pelo fim-de-semana, ou pior, pelas férias, e é uma viagem dolorosa de longos quilómetros, ou horas, de carro, ou que exige o uso de vários transportes (autocarro, depois barco, depois comboio), esquece. Vocês estão longe demais para poderem experienciar uma relação real, como deve de ser.

Os não íntegros aceitam facilmente uma relação à distância por duas razões principais:

1 – há alguém que os valida e lhes dá atenção, e em termos de orgulho isso tanto faz ser em pessoa como à distância;

2 – uma vez que a pessoa está longe e mal se vêem, assim o seu narcisismo não é tão incomodado. Se a pessoa estivesse presente teriam de querer saber dela e fazer coisas por ela... assim está-se bem, não incomoda. À distância não há choque de egos... o que gera a ilusão de harmonia lol apesar de poder haver discussões por chat, não tem nada a ver com a batalha de orgulhos em pessoa que os não íntegros experienciam. Assim à distância o outro parece ser melhor do que realmente é, e claro, isto faz a “relação” à distância agradar e parecer fixe.

Duas pessoas que praticamente só comunicam por internet não são namorados... são parceiros de chat =) pois é isso que fazem juntos a maior parte do tempo. Se estivessem juntos regularmente a amar-se, seriam namorados.

Tudo é descoberto e definido quando o homem e a mulher se conhecem. Onde vive o outro? Perto ou longe? Longe? Esquece. Minimamente perto? Vamos avançar, em caso de interesse. É simples.

Uma coisa é o parceiro estar numa fase de maior trabalho e cansaço e não ter disponibilidade para ambos estarem juntos com a frequência que estavam antes. Outra coisa é o parceiro de facto estar a muitos quilómetros de distância, sendo o normal e a regra levarem horas de viagem para estarem juntos.

Portanto não é uma questão de frequência. Podem até vir a viver juntos, mas como sabem que querem viver juntos se não têm experiência suficiente para saber como é estar um com o outro?

É uma questão de facilidade em se encontrarem em dias normais. Se vivem na mesma cidade, óptimo. Se do meio de transporte que costumam usar levam 30 a 45 minutos, ou vá, 1 hora, para se encontrarem, óptimo. Isto quer dizer que podes convidar a namorada para sair hoje a seguir ao trabalho, pois a distância permite-o. Isto permite também espontaneidade, o que é essencial numa relação, pois é apenas com espontaneidade que vamos expressar o que sentimos, o entusiasmo em estar com o outro. Se o outro estiver demasiado longe... bem, vai-se ao chat, e nada de real acontece entre ambos lol é fraco e inútil. Só uma pessoa sem opções na zona em que vive é que se mete numa “relação” à distância. Assim que começares a conseguir conhecer mulheres regularmente, vais pela primeira vez na vida Ver a inutilidade e perda de tempo que é uma “relação” à distância.

Para quê uma mulher longe com quem nada de realmente bom podemos experienciar a dois, quando há tantas mulheres aqui e agora, com uma das quais podemos estar juntos, passar momentos bonitos, experienciar o que de melhor há a experienciar entre um homem e uma mulher e aprender lições importantes?

Parece que o homem das meias verdades também experiencia meias relações.

Ser íntegro significa funcionar-se com o que é verdade, com a realidade. Significa ser-se prático, directo, sincero. Significa valorizarmos a nossa vida e a vida dos outros, ter auto-respeito. E em termos de mulheres e relações significa expressar a nossa intenção, deixar claro o que queremos e sentimos pela mulher, e procurar ter relações em que de facto se experiencia o que é suposto experienciar numa relação: momentos reais juntos, a dois.




Obrigado pelas perguntas.

segunda-feira, 15 de Setembro de 2014

"Top 10 Obstáculos ao Desenvolvimento Pessoal"


"Top 10 Obstáculos ao Desenvolvimento Pessoal"

Desenvolvimento Pessoal é, talvez, a designação mais comum e conhecida usada para identificar aquilo que na verdade, e no final, é um caminho de evolução espiritual, primeiro em direcção à Realidade e Integridade, e depois ao Espírito e Iluminação. Decidi usar este termo neste post, pois é então aquele que as pessoas mais irão reconhecer o que significa, e com o qual mais pessoas se sentem confortáveis. Isto porque o ego detesta e receia tudo o que é espiritual, vendo-o como estranho, abstracto, impraticável, ameaçador, fantasia, etc. E isso é um obstáculo em si, mas já lá chegamos.

A intenção deste post é revelar, e deixar claros, quais são os principais obstáculos que impedem o ser humano de realmente evoluir e alcançar níveis de consciência mais elevados, agradáveis e felizes, e consequentemente uma vida melhor e mais alegre, nas suas diferentes áreas.

Uma vez que 85% das pessoas não são íntegras, esta informação, claro, vai incomodar muita gente =) mas é assim neste caminho, a vida íntegra é como que um dia-a-dia de “last stands”, em que 1 é atacado por 8 ou 9 lol

Passando aos obstáculos, a ordem não é importante. O formato de “top 10” é apenas uma opção como outra qualquer, apenas para organizar as lições. Estes obstáculos são ilusões do ego que uma vez seguidas têm 1 de 3 consequências: ou a pessoa não evolui de todo, ou a pessoa acredita que está a evoluir mas na verdade não está, ou a pessoa evoluiu mas depois de facto baixa de nível de consciência.


#10
“A Causa do Problema é Sempre Exterior”

Esta ilusão/obstáculo é a atitude do ego que vem deste acreditar que é perfeito, e que já é Iluminado. Ou seja, a mentalidade é algo do género, “eu sou perfeito, portanto este meu sofrimento/problema é causado pelo patrão/marido/sociedade/políticos/crise/extraterrestres/sofá/etc. Isto é claro, falso. Nós somos responsáveis por todas as nossas escolhas, e experienciamos o tipo de vida e momentos que o nosso nível de consciência actual permite. Logo subindo de nível de consciência e fazendo escolhas diferentes é possível uma vida melhor, pois passamos a ter acesso a outras pessoas, locais, oportunidades, etc, e deixamos de estar à mercê das condições do nível de consciência anterior. Logo a nossa felicidade apenas depende de nós. Aquilo que temos de aceitar é que somos imperfeitos, e que como somos agora potencia o nosso sofrimento e problemas actuais. Colocar as culpas e causa noutras pessoas ou condições que não apenas o nosso nível de consciência, é inútil e uma ilusão.


#9
“Saber sobre não é o mesmo que Ser”

Então a pessoa, ou porque não aguenta mais o sofrimento, ou porque deseja algo intensamente, parte em busca de uma solução para resolver a sua angústia. Aqui já há um pouco de humildade, a pessoa aceita que não sabe tudo e que tem de aprender algo novo e eficaz para mudar as suas circunstâncias e nível de felicidade. Geralmente começa-se por ler sobre desenvolvimento pessoal, ou espiritualidade, seja em livro real ou na internet. O erro é que toda a informação, mesmo que verdadeira e eficaz para a evolução, é imediatamente mentalizada, e percepcionada/interpretada através do nível de consciência actual da pessoa que está em sofrimento. O ego/mente acredita logo que por ter lido sobre evolução, agora sabe como funciona. Mas na verdade ainda não sabe nada. Leu sobre o assunto, sim, mas ainda não experienciou nada. Ler sobre a Austrália não é o mesmo que se ser Australiano. Ler sobre como é ser-se íntegro, não é o mesmo que se Ser íntegro. Ler-se sobre como conhecer mulheres, não é o mesmo que se conhecer mulheres. Só realmente se aprende e se sabe algo através de experiência, e não quando se lê sobre essa experiência. O ego pega logo na informação e por questões de orgulho considera-se um perito no tema, sem ter qualquer experiência real no mesmo, longe e muito abaixo do nível de consciência de quem escreveu sobre o tema.


#8
“Ter Mais Não é Ser-se Mais”

Dedicado ao desenvolvimento pessoal, o ser humano muitas vezes cai na armadilha de acreditar que - porque usou certas técnicas para uma mentalidade mais positiva, e assim conseguiu, por exemplo, um carro novo que escreveu regularmente como objectivo adquirir -  evoluiu, é uma pessoa diferente e mais sábia. Conseguiu sim, adquirir uma coisa nova na vida, tem o seu mérito, mas isso em termos de real evolução pouco ou nada significa. Uma coisa é conseguir ter-se uma casa nova, ou um telemóvel novo topo de gama, outra coisa é desenvolver-se uma qualidade nova e transcender-se uma limitação (defeito). As coisas novas adquirem-se através de qualquer nível de consciência, basta seguir-se as instruções de determinada mentalidade de alguém que as consegiu ter, e usar-se certo tipo de pensamentos, objectivos e afirmações. Está-se apenas a usar a mente de forma diferente, mas o nível de consciência mantém-se na mesma, se o foco não for uma transformação interior, como por exemplo, tornar-se íntegro. A pessoa orgulhosa e desonesta, ao adquirir um carro novo não se vai transformar em alguém humilde e honesto.


#7
“Mais Não Significa Melhor”

Muitos são aqueles que fazem colecção de lições e diferentes mestres, e não chegam a lado nenhum. Não é o uso de 1000 técnicas diferentes, e a leitura de 100 perspectivas diferentes que vai fazer alguém evoluir. É sim o uso de 1 técnica espiritual todos os dias, e o seguimento disciplinado de 1 mestre apenas. Tal como David Hawkins disse, “Não são necessárias 10 jangadas para atravessar um rio, basta uma”. E por outro lado, há mestres para diferentes níveis de consciência e intenções, logo estar a colecionar mestres e sabedorias é um erro uma vez que, um mestre pode ser apropriado para um nível de consciência mas não para outro. Há mestres demasiado elevados para certas pessoas (pois o nível de consciência destas não é elevado o suficiente para realmente compreenderem e aplicarem a sua Sabedoria), assim como há mestres apropriados para o nível das mesmas pessoas em questão. Tenta-se um mestre de cada vez, uma técnica de cada vez, um caminho de cada vez, a 100%, e é assim que se descobre se é apropriado ou não para nós, se vai na direcção que pretendemos, e se de facto o mestre é verdadeiro ou um charlatão.


#6
“A Ilusão do Interesse”

Mera curiosidade intelectual não leva ninguém a lado nenhum neste caminho. Se a Sabedoria não é aplicada no dia-a-dia, no mundo real, não tem qualquer valor transformativo. Dependendo do seu nível de verdade, a Sabedoria tem um nível de energia que pode fazer a pessoa que a lê sentir-se melhor do que normalmente se sente, mas isso não é verdadeira evolução, é apenas um estado temporário e curto, dependente da leitura dessa mesma Sabedoria. Muitos são aqueles que acreditam que estão interessados em evoluir, e interessados em Amor, e em espiritualidade, e em integridade, etc, mas depois apenas lêem sobre os temas, e tratam-nos apenas ao nível de conteúdo, e não de experiência. Ou seja, o seu interesse não é em evoluir, mas sim em adquirir mais informação, cujo momento de leitura os faz sentirem-se melhor, e depois usam essa informação para parecerem sábios, aqueles que sabem, superioridade moral (“sou mais boa pessoa/evoluído que ele/este grupo”), etc. Resume-se tudo a orgulho intelectual, e apesar das constantes leituras e da crença de que, sim, estou a evoluir e sei sobre o assunto, a pessoa fica no mesmo nível e nada evoluiu. É fácil detectar estes “interessados”, pois as suas perguntas geralmente são sempre hipotéticas, irrelevantes na prática e ao nível de conceito e conteúdo, e não representam uma dúvida consequente de uma experiência real na sua vida, ou na verdadeira intenção de usar a Sabedoria da resposta, enfrentando algum medo, por exemplo.


#5
“Ser o Maior é Ser o Pior”

Para muitos o caminho de evolução tem apenas como objectivo, consciente ou inconsciente, o nível de orgulho, cujo destino é a queda da arrogância. Orgulho é na verdade o principal obstáculo à verdadeira evolução. Ir do nível de consciência do medo ao do orgulho é positivo e tem o seu mérito, mas ainda se está à mercê do ego das suas ilusões. Verdadeira felicidade apenas começa na Integridade, e isso é um facto. Porque orgulho é um nível narcisista, está à mercê de 85% da população humana de intenções não íntegras, logo é frágil. Integridade só depende da Realidade e do Espírito, logo o que os outros pensam, dizem e fazem não afecta a felicidade da pessoa, nem a pessoa é dependente destes para se sentir no seu melhor e alcançar o que pretende. Integridade é não só Felicidade como também Liberdade, e nada nem ninguém neste mundo se compara a esse estado e nível. Portanto, dependendo do nível da pessoa, pode ser boa ou má ideia o uso de técnicas de desenvolvimento pessoal para alcançar um estado de orgulho. Muitas afirmações e objectivos têm como intenção “secreta” o orgulho, pois é isso que o ego mais quer. A leitura de livros sobre evolução, e a participação em formações, workshops e palestras sobre o tema levam o ego a um orgulho do “eu agora sei como é”, e isto é quase sempre invisível à pessoa (é o tal, “ler/ouvir sobre não é o mesmo que o Ser”). Na minha percepção ninguém precisa disso. O caminho para a integridade tem tudo o que todos precisam. As lições e técnicas ajudam a pessoa a evoluir sem ter de ficar presa no orgulho, e aquilo que praticamente ninguém sabe é que karmicamente, uma vida nesse nível é terrível em consequências. A queda para a pessoa acordar tem de ser extrema, pois o ego jamais larga o orgulho de boa vontade, e quanto mais ganhar com essa atitude orgulhosa, mais arrogante fica, até à sua auto-destruição. Não é preciso ir em direcção a um apocalipse para se escolher plantar uma flor.


#4
“Entretenimento Pessoal Não é Desenvolvimento Pessoal”

O frequentar de formações de desenvolvimento pessoal é bom, mas muitas vezes o que lá acontece pode ser mal interpretado pelas pessoas. Os formadores usam todo o tipo de tácticas e técnicas de entretenimento para tentar tornar a passagem de informação mais estimulante, e alguns conseguem, e até são mestres nisso. Independentemente da utilidade, e integridade, da informação passada, o participante por fazer jogos, ouvir histórias e piadas, interagir com várias pessoas, participar em vários tipos de actividades, ouvir músicas, etc, vai-se sentir melhor do que geralmente se sente. É o mesmo efeito que ler os textos de Sabedoria: é apenas um estado temporário, dependente do que acontece na formação. Depois da formação a pessoa regressa ao seu estado normal, passado um dia ou dois, e claro, sente a necessidade de voltar a uma formação do género, pois lá sente-se melhor do que no seu dia-a-dia normal. Tudo isto é normal, não tem mal nenhum em si. O importante é a pessoa não confundir esse estado com evolução (ilusão de evolução, orgulho, etc). Seja a formação de horas ou dias, ninguém sobe de nível de consciência, acredita. Não é assim tão rápido e simples lol leva-se meses ou anos a aplicar os princípios e técnicas no dia-a-dia até isso acontecer. A função dessas formações é passar esses princípios e técnicas, e de forma estimulante, para que depois a pessoa as use no seu dia-a-dia. Num ambiente controlado e seguro de formação, de produção profissional, ninguém passa pelas duras experiências humanas e escolhas que nos fazem evoluir. Não é só repetir frases e jogar jogos lol é difícil. Verdadeira evolução é um constante enfrentar de medos e limitações, é lidar com as surpresas da vida humana (boas e más), é aborrecido e desconfortável. A informação pode ser passada de forma estimulante numa formação numa sala de hotel com ar condicionado e cadeiras almofadadas, mas o processo de evolução é doloroso e é no dia-a-dia, perante o pior e o melhor da vida. Sempre disse, a melhor workshop de desenvolvimento pessoal é a nossa própria vida.


#3
“Fazer Não é Ser”

Usar uma técnica para se tornar mais confiante não é o mesmo que se ser confiante. Uma coisa é o uso de uma técnica espiritual que uma vez aplicada todos os dias nos fará evoluir espiritualmente. Outra coisa é de facto ser-se evoluído espiritualmente. Usar-se uma técnica espiritual, como contemplação, para se experienciar o momento presente (Realidade) e Amor, não é o mesmo que se ser Amor. Há que se ser Humilde e se perceber que sim, está-se no caminho e a fazer um esforço honesto, mas que apenas se está a usar técnicas para tal, ainda não se é o resultado final. Lá porque se medita todas as noites 15 minutos ou 2 horas, isso não significa que já se transcendeu o ego e se está à beira da Iluminação lol não quer dizer que se é um ser humano espiritualmente evoluído. Quer apenas dizer que se está a meditar durante esse tempo, e que meditação é uma ajuda para se ganhar consciência do inconsciente em nós, do ego, e que faz parte do caminho de evolução. Tal como qualquer outra técnica de evolução, só é útil até certo ponto do caminho, pois quando se atinge determinado nível de consciência, a técnica torna-se inútil, uma vez que já se é naturalmente tudo o que essa técnica representa.


#2
“Aparência Não é Essência”

Este obstáculo engloba o anterior. Trata-se do uso errado das técnicas, não com a honesta e humilde atitude de evoluir, mas como identidade, como aparência de algo que não se é, usadas como técnica de actor para se parecer mais evoluído do que se é na verdade. Ou seja, a imitação do visual e estilo de vida de quem é íntegro, não faz de nós íntegros lol aparência não é essência. Por muito sofisticada que seja a imitação, está-se apenas a ser um actor, e não realmente, automaticamente, naturalmente, espontaneamente, o nível de consciência daquele cuja aparência se está a imitar e copiar. Não é só a aparência física que faz parte da dimensão da aparência, mas sim também as palavras e comportamentos. As acções também são aparência, pois a mesma acção pode ter por detrás intenções diferentes. Intenção faz parte da dimensão invisível da essência. Por exemplo, oferecer uma bebida a uma mulher na discoteca pode ter como intenção apenas querer partilhar a alegria que se está a experienciar no momento com a mulher (integridade), como pode ter como intenção manipular a mulher dando-lhe algo na esperança de se obter desta algo que se deseja (narcisismo). Mesma acção, intenções diferentes. Portanto meditar, ir a retiros espirituais, usar roupas estranhas, ter um penteado estranho ou viver na floresta/montanha, porque se leu que um mestre espiritual é assim, não significa que se é espiritualmente evoluído. Está-se a imitar, mas ainda não se é assim. O perigo disto é acreditar-se que se está a evoluir e não se estar a evoluir. Passa-se por estranho, e pior, num estado de orgulho que não leva a pessoa a nenhum lado bom. Vestir-se como homem que tem sucesso com as mulheres não é o mesmo que de facto ter-se sucesso com as mulheres. Está aí a secreta lição espiritual do Carnaval: permite-nos Ver que aparência é apenas brincadeira, o que importa é a essência. Daí eu poder me vestir à cowboy no Carnaval, mas sei que não sou cowboy nenhum. Logo apesar de me divertir assim vestido no Carnaval, não o levo a sério. A atitude tem de ser a mesma fora do Carnaval, todos os dias, em relação a tudo. Há muitos actores imitadores por aí, e poucos verdadeiramente evoluídos. São vários os falsos mestres espirituais, cuja única coisa em que são mestres é em parecerem mestres espirituais lol são sofisticados, exóticos, dão espectáculo, sabem os textos, têm esperteza, são convincentes, mas depois as suas escolhas e intenções são narcisistas, o que apenas engana os não íntegros, que são a maior parte das pessoas. Ou seja, facilmente estes falsos mestres conseguem impressionar o ser humano comum com a aparência daquilo que fazem, a legião de fãs e a quantidade de dinheiro que conseguem. Quantidade de seguidores não garante qualidade de sabedoria. Basta entreter o ego das pessoas e dizer-lhes o que elas querem ouvir, com o mínimo de inteligência e criatividade, e serás famoso haha!


#1
“O Ego Espiritual”

Parece um paradoxo, mas não é. O ego não tem nada de espiritual, mas julga ter :D

O ego pega nos conteúdos sobre verdade espiritual, e usa-os para o seu próprio orgulho. Em vez de os usar correctamente, usa-os para justificar escolhas passadas, fortalecer crenças falsas editando-os, para manipular outros, para ser adorado por outros, para se sentir especial, para ter razão, para se sentir moralmente superior aos outros (“eu sou mais boa pessoa que aqueles que não lêem sobre espiritualidade”), para parecer o mestre que sabe, etc. Em essência usa o conteúdo espiritual com intenções narcisistas de orgulho e ganho material. Este é talvez o pior obstáculo de todos, pois faz cair mestres. Mestres que de facto a certa altura estavam num nível de consciência elevado, e Eram de facto aquilo que falavam e pareciam Ser, por inocentemente atribuírem a Sabedoria e Poder ao “eu individual” (ego) e se acharem especiais – em vez de humildemente atribuírem isso ao Espírito e o verem como uma dádiva – caíram. Desceram de nível de consciência, foram de Amor Incondicional a Orgulho Incondicional lol queda épica! E continuaram a ensinar, mas apesar da conversa e aparência ser a mesma, a energia e intenção já não tinham nada a ver. Para o estudante espiritual, o ego espiritual é mais usado em termos de orgulho (“eu sei, logo dou conselhos não solicitados”, lol), e os conteúdos espirituais são usados como uma arma do ego contra a realidade e os outros, numa de superioridade de conhecimentos, sofisticação da pele de ovelha que mascara o lobo e camuflagem das escolhas, intenções e impulsos narcisistas.

Resumindo e concluindo, o principal obstáculo ao desenvolvimento pessoal é a ilusão. Seguir algo que não é real, e percepcionar/interpretar o que é real de forma errada, o que gera uma ilusão. Pensamento é ilusão, logo não existe no mundo real. Se não existe não tem energia para nos apoiar, logo não é “sólido”. Se nos tentamos erguer numa base falsa, sem solidez, não temos como dar o impulso para dar o salto da evolução. Para quem está verdadeiramente interessado em evoluir e se tornar íntegro, é essencial estar consciente do que é ilusão e realidade neste caminho. Do que é falso e verdadeiro, do que é útil e inútil. É importante ter a percepção correcta das coisas, do que é certo e errado. O ego é no final o grande obstáculo à evolução, tudo se resume a transcender o ego e as suas ilusões, crenças, emoções, impulsos e programação. Depois voamos livremente pela Realidade, saltando de experiência em experiência, vamos evoluindo e começando a Ver cada vez melhor que tudo não passa de uma grande ilusão, um grande sonho do tamanho do Universo, e que aquele corpo lá em baixo não é o que Somos, mas sim que Somos a totalidade de tudo aquilo que Vemos. Separação é ilusão, acordar do sonho da vida humana é tudo o que importa e que faz a diferença. Trocar o temporário pelo eterno é tudo o que importa. Levar o sonho na brincadeira liberta-nos do sofrimento deste.


Neste momento estás consciente que estás a ler isto, mas na verdade não há ninguém a ler nada. Apenas Silêncio.