AMOR

"Ensina só Amor, pois é isso que tu és"

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

"Como Viver a Vida Com Mais Entusiasmo"


Descobre neste áudio épico de humor escandaloso como viver a vida com mais entusiasmo!





Descobre também neste áudio como lidar com dois amores, graças a esta pérola de pergunta de um leitor do Cool Vibes:

"Olá Pedro!

Ainda bem que tocas neste ponto pois andava para fazer uma pergunta sobre o assunto. De momento, também ando a sair com duas raparigas ao mesmo tempo. Uma conheci-a há cerca de um ano atrás e começámos a curtir e fazer sexo. Ela mora perto da terra onde cresci e, como ainda lá vou com alguma regularidade visitar a minha família, é possível vermos-nos frequentemente. Ficou definido logo desde o início que não íamos entrar numa relação pois vivemos longe um do outro. Também definimos que se alguém encontrasse outra pessoa na cidade onde vivia de quem gostasse, que se acabava as curtes e cada um seguia a sua vida.

Esta rapariga também disse que viria morar para Lisboa para o final deste ano, mas ainda falta muito até ao fim do ano, é incerto e muitas coisas podem mudar até lá.

Entretanto, comecei a sair em Lisboa com outra rapariga e também curtimos.

As duas são mulheres bonitas e boas companhias. Ou seja, o meu problema não é falta de mulheres, é mulheres a mais haha! Eu não me apareceu uma, apareceu-me duas logo de uma vez só para me deixar encalhado e ter de mandar esta pergunta! Deus gosta de brincar comigo e se rir às minhas custas haha! :D

Portanto, a pergunta é: para ser íntegro devo deixar uma das miúdas, certo?

É algo que me vai custar pois a que irei deixar será certamente a que está longe de mim pois irá sempre ser um impedimento a encontrar alguém na cidade onde moro. Vai-me custar porque esta rapariga para além de ser evoluída e bastante compatível comigo sempre me tratou com carinho e como uma verdadeira mulher deve tratar um homem.

A rapariga de Lisboa também é fixe, é menos compatível comigo, ainda não fizemos sexo (que é um factor - não sei se somos compatíveis nessa área), mas as saídas são bem alegres e agradáveis com ela.

Ajuda-me! :D

Abraço!"

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

“Como Ensinar e Transmitir aos Filhos o Modo de Vida da Evolução e Felicidade”


“Como Ensinar e Transmitir aos Filhos o Modo de Vida da Evolução e Felicidade”

Ou

“Não Podemos Mudar os Outros, Apenas Nos Dedicar ao Caminho”


Pergunta de leitora:

“Olá Pedro, tudo bem? Eu quero fazer uma questão. Eu tenho acompanhado o Cool Vibes, e surgiu-me uma dúvida. Eu sei que nós não podemos mudar as outras pessoas e dizer-lhes para evoluírem, são elas que têm que tomar a iniciativa, mas eu um dia gostava de ser mãe, e como quero seguir este caminho para o resto da minha vida gostava de lhes ensinar e transmitir desde pequenos este modo de vida.

Como, por exemplo, ao dar de mamar a eles estou a olhá-los nos olhos para transmitir-lhes confiança e segurança para que eles não tenham problemas no futuro em olhar nos olhos as outras pessoas.

Mas eu ao querer transmitir estes princípios que tanto me ajudam não estarei a manipulá-los e a querer que eles sigam o mesmo caminho que eu? Eu penso que não, porque quero que os meus filhos não tenham tantos problemas como eu tenho para conseguir controlar o ego, e também sinto que é o melhor para eles como está a ser para mim. Afinal de contas eles são um pouco de mim. Mas sei que no futuro se não quiserem seguir tenho que os respeitar. Continuação de um bom trabalho! Bjs”


Resposta, comentários:

Olá! :)

Primeiro de tudo, eu não sou mãe haha! Não tenho filhos, nem tenho intenções de ter, logo a minha sabedoria na área é limitada, como é óbvio. Seja como for, filhos são seres humanos, e os princípios espirituais de evolução aplicam-se igualmente a eles. A Verdade é igual para todos .

Provavelmente no passado falei em "controlar o ego". Hoje diria que não se controla o ego, isso é impossível. Não se controla nem se muda o ego, transcende-se o ego. A forma mais correcta que de momento conheço para descrever esse processo é ignorar e não seguir o ego. Ou seja, ignorar e não seguir inconscientemente os seus impulsos, ideias, pensamentos e programações, que nada mais são que meras sugestões baseadas em ilusões e emoções negativas. E isso não é controlá-lo, é transcendê-lo. É incorporá-lo, integrá-lo na nossa maneira de ser, conscientemente, sem sermos limitados e controlados por ele.

E é verdade: é impossível mudar os outros. O que acontece é que quando dizemos a alguém que essa pessoa deveria ser diferente ou pensar de forma diferente, ela pode vir a forçar e fingir essas atitudes para não perder a nossa aprovação, e/ou com medo das consequências de nos chatear por ser como é. A maior parte das pessoas não é autêntica nem independente. Grande parte das pessoas apenas segue aquilo que os outros lhes dizem pois quer a sua aprovação e querem evitar ao máximo o golpe no orgulho (a ilusória vergonha) de serem rejeitadas. Logo parecem mudar, mas a mudança é apenas ao nível da aparência e não é real, a essência fica na mesma, é apenas trabalho de actor para parecer diferente e obter a desejada aprovação. Não há qualquer transformação, é apenas um esforço para fazer aquilo que não é o que realmente querem fazer. Não há mudança nenhuma, apenas dizem o que queres ouvir para obterem a tua validação.

Qualquer pessoa que realmente se dedique a um caminho de evolução de consciência sabe o quanto difícil é de facto mudar. Difícil e lento! Mesmo com uma dedicação genuína e diária. E sabe as coisas extremamente difíceis e desagradáveis que tem de enfrentar em si própria. Não é apenas ler e aceitar certas ideias que se programam na mente, é de facto largar aquilo que se acredita ser, e no qual se investiu uma vida inteira a seguir e a defender, haha! É fazer escolhas diferentes na prática e enfrentar o desconhecido. É largar os prazeres negativos do passado pela felicidade da paz do presente.

São muito poucos mesmo os que realmente mudam, a grande maioria daqueles que “mudam” nunca mudaram, apenas acreditam que mudaram, só mudaram na sua imaginação e não na realidade. A essência manteve-se apesar de tudo o que foi lido e de tudo em que pensam. Mas aparência não é essência, e uma prova de que nunca mudaram é que nunca compreendem as explicações daqueles que realmente mudaram, e nunca se identificam com o lado invisível e não linear do processo subjectivo de transcendência e transformação. Aliás, quando isso é explicado quem o partilha geralmente é rotulado de estúpido e alucinado por essas pessoas de falsa mudança :D pois vê coisas que não estão lá! É louco! haha

Quanto à questão dos filhos, sejam os filhos, a irmã, os pais, amigos, namorado, ou colegas de trabalho, só há uma coisa que se pode fazer: dar o exemplo. Ser como gostaríamos que eles fossem, digamos assim. Seguir e viver os princípios em vez de apenas falar neles e de dizer aos outros para os seguirem e viverem, haha! Na verdade é ser sem pensar em como os outros deveriam ser. É ser pelo extraordinário estado de ser em si, pelos princípios que verdadeiramente apreciamos e que nos trazem felicidade e bem estar no dia-a-dia. O que os outros escolhem ser é problema deles, é o seu karma, não o nosso. E é no nosso que nos devemos focar. Se os inspirarmos, óptimo, mas esse fenómeno acontece por si só, automaticamente e espontaneamente, não é possível controlá-lo.

O David Hawkins disse que é bom encostar música clássica à barriga quando se está grávida, e rodear a criança de arte (beleza, estética), e de um ambiente o mais agradável e positivo possível. Rodeá-la ao máximo de tudo o que é íntegro e belo, evitando o que seja doentio, negativo, narcisista, violento, etc. Isto só é possível, claro, se já vivermos com essa atitude de selecção consciente no nosso estilo de vida. Senão não sabemos o que é benéfico, ou prejudicial, para a evolução e felicidade da criança.

Em conclusão, a criança vai aprender observando os teus comportamentos, reacções, escolhas e decisões, e nunca ouvindo-te a falar sobre princípios. Ela tem de te ver a seguir esses princípios, só assim poderá aprender. Só conseguimos ensinar aquilo que somos.

Obrigado pela tua pergunta.

Segue o que Amas,

Pedro C.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

"Como Atrair e Conhecer Mulheres Pela Internet"


Como Atrair e Conhecer Mulheres Pela Internet
Programa Áudio Cool Vibes 2008

Os tempos mudam, mas os princípios que resultam não. No passado só tínhamos o Hi5, mas os princípios mantêm-se para o Facebook, Whatsapp, Badoo e Tinder. Se ela tem um perfil online, tu podes conhecê-la!





Todas as semanas um programa áudio do passado do Cool Vibes, para quem não os conhecer, estiver curioso e interessado nesses temas, ou para quem os quiser voltar a ouvir. Estes áudios foram partilhados na antiga conta de Youtube do Cool Vibes, e divididos em várias partes (porque na altura não dava para colocar vídeos com mais de 10 minutos! Haha). Peguei em todos os vídeos dessa conta antiga e coloquei-os na nova, e juntei as várias partes para que estes programas possam ser ouvidos de seguida num só vídeo.

Subscreve a nova conta de Youtube do Cool Vibes em:

“Como Amar Uma Pessoa Sem Ter Medo de a Perder”


“Como Amar Uma Pessoa Sem Ter Medo de a Perder”



Pergunta de leitora:

“Olá Pedro, estou a gostar imenso de ouvir os áudios, embora sejam dirigidos aos homens. Será que podias esclarecer-me uma dúvida? Sempre ouvi aquela frase cliché de "quem ama dá liberdade" e tu próprio a defendes, mas não poderá haver a possibilidade de alguém amar outra pessoa e expressar que não a quer perder? Eu pergunto isto porque pelo menos para mim é importante que demonstrem que não sou indiferente.

Será que a resposta a isto é que o homem deve sempre expressar que não quer que a mulher vá embora da vida dele, mas se essa for realmente a vontade dela, ele não a vai impedir!?”


Resposta, comentários:

Amor é apreciação, e Amor é suficiente. Pode-se verbalizar, mas não é necessário verbalizar, basta haver constante apreciação genuína.

O medo de perder alguém (não querer perder alguém), não vem de Amor mas sim de desejo/carência, que é um nível de consciência egocêntrico ("o que eu tenho"/"o que eu não tenho"/"o que eu posso perder"). Amar é contemplar e apreciar, nada mais, não há medo de perder nada pois nesse nível de consciência experienciamos que somos um Todo logo não há separação entre o "eu" e o "tu", logo o "tu" não pode simplesmente desaparecer do Todo da realidade, logo nunca pode ser perdido. É tudo Um, logo não há separação.

O Amor é independente, logo é livre de apreciar sem precisar de agarrar, ou de acorrentar alguém a si próprio, haha! Como é independente não se sente atraído nem estimulado por sentimentalismos nem emocionalismos, e não vê os outros como uma fonte de aprovação, validação e aceitação, em que precisa constantemente e regularmente de confirmações de que é desejado e apreciado.

Todos gostamos de saber que não somos indiferentes à pessoa de quem gostamos, mas isso é diferente de ser dependente dessa confirmação constante.

Sim, num estado de Amor (e não de mera atracção, desejo ou enfatuação), o homem aprecia a mulher na sua totalidade, ao máximo, durante o tempo que a ligação entre ambos durar, e quando chegar o fim da relação ou ligação, seja por que razão for, e a mulher quiser ir embora, ele tem pena mas deixa-a ir sem resistências. Ele respeita a liberdade da mulher pois ele valoriza a sua própria liberdade, e ele valoriza a sua própria liberdade pois é independente e tem a coragem para desfrutar a sua liberdade como realmente a quer desfrutar. É a chamada vida feliz de solteiro =)

Quando a relação acaba ele sente o que tem a sentir, fica triste pois ama-a, mas passado pouco tempo, porque todas as emoções são na verdade ilusões temporárias e ele não vive na cabeça/passado/memórias, ele anda para a frente com a sua vida, seguindo o seu caminho, fazendo o que ama, e irá conhecer outra mulher e amá-la, e estar com ela, e fazer amor com ela, e ter outra ligação ou relação que também será temporária. É um ciclo de felicidade bem melhor do que ficar a ruminar em tristeza e depressão, a perder tempo de vida e oportunidades de alegria e prazer. É o caminho da integridade e dos confiantes e independentes, e é bom para todos.

Obrigado pela tua pergunta.

Segue o que Amas,

Pedro C.

Trailer do Canal de Youtube do Cool Vibes



Trailer do Canal de Youtube do Cool Vibes

És livre de gostar, subscrever e partilhar :)
Visita o Canal de Youtube do Cool Vibes para ouvires áudios semanais sobre evolução de consciência e atracção natural, para uma vida mais alegre.



terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

“Que Fazer Com Um Homem Que Admite Que Tem Dois Amores e Quer Manter Os Dois”


Que Fazer Com Um Homem Que Admite Que Tem Dois Amores e Quer Manter Os Dois”


Pergunta de leitora:

“Dizes que quando o homem diz a verdade está a ser íntegro. Então que fazer com um homem que admite que tem dois amores e quer manter os dois? Pode ser íntegro mas não satisfaz a mulher que o quer por inteiro, e não está de facto a amar, pois não?”


Resposta, comentários:

Ter dois amores e querer mantê-los é um típico desejo do ego... logo é uma atitude não íntegra. Isso diz-nos logo que esse homem, na sua vida amorosa, não é íntegro. Agora, ele foi sincero e honesto ao admitir isso, mas admitir só por si não o torna íntegro. Admitir falhas e erros é o primeiro passo, mas não é a transformação toda. Mas atenção: o que eu quero dizer é que um homem íntegro diz sempre a verdade, mas ser-se íntegro inclui outras características que não apenas dizer a verdade. Quando um homem diz a verdade ele está a ser honesto, mas isso não quer dizer que ele seja íntegro. Ele pode dizer à namorada que a traiu, e está a ser honesto no momento em que o diz, mas isso não faz dele um homem íntegro, pois um homem íntegro nunca trai a namorada.

Ser íntegro é estar consciente de, e integrar, todos os nossos aspectos de essência na nossa maneira de ser, ego incluído, e admitir o que nos vai na mente e alma, mas não ser controlado por essas ilusões e impulsos. Um homem que tem dois amores e que quer manter os dois é um homem não íntegro controlado pelo desejo sexual do ego. O ego quer variedade e novidade, logo ter duas, ou mais, parceiras sexuais é o ideal :D não está a amar, está a pensar apenas no que quer (satisfazer-se sexualmente com duas mulheres), e não está a ter em consideração os sentimentos de nenhuma delas, pois está a desprezar os ciúmes, conscientes ou inconscientes, que isso traz.

Se nascemos humanos nascemos com um ego, e se nascemos com um ego é garantido que há o horrível estado negativo de ciúmes quando a pessoa de quem gostamos anda a fazer sexo com outra pessoa, haha! Este estado pode ser inconsciente, ou pode ser negado, projectado, disfarçado, a pessoa em questão até pode acreditar, pensar e dizer que não se importa, etc, mas não tenhas ilusões: é garantido que os ciúmes estão lá, e que esse estado negativo é sempre automático nesse tipo de situações.

Logo ele não está a amar ninguém, está a pensar apenas nele próprio, está a ser sincero, mas não é íntegro. Triângulos amorosos não são íntegros e trazem ciúmes, ménages não são íntegros e trazem ciúmes :D

Obrigado pela tua pergunta.

Segue o que Amas,

Pedro C.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

“Como Deixar de Ver Pornografia e Ter Uma Vida Sexual Mais Estimulante”


Como Deixar de Ver Pornografia e Ter Uma Vida Sexual Mais Estimulante”

ou

Felicidade é Largar a Ilusão em Nome da Realidade”


Pergunta de leitor:

Olá Pedro! Tudo bem contigo? O Cool Vibes tem andado mais activo e isso agradece-se! Tenho umas dúvidas que já há algum tempo me incomodam. Eu não consigo deixar a pornografia. Tento e até consigo por umas semanas mas logo quando estou distraído volto a cair. (Ex: quando acordo a meio da noite). Já estou neste ciclo há uns anos. Como posso deixá-la de vez? Outra coisa. Eu costumo ter os meus níveis de energia sempre um pouco em baixo e é comum depois de ter sexo ou de masturbar-me sentir-me muito cansado. Isto faz com que evite isso inconscientemente. Sempre andei cansado. Pedro, podes ajudar-me? Os teus conselhos são sempre bons. Obrigado!”


Resposta, comentários:

Tudo óptimo, obrigado! Espero que também te encontres bem =)

Para aqueles que querem evoluir e ter uma vida amorosa melhor a pornografia é um problema. Não há volta a dar, esta é a verdade. Isto é algo que custa ao ego aceitar, e até o pode deixar revoltado e indignado, mas a pornografia é na verdade um obstáculo à integridade e a uma sexualidade normal. Muitos homens sentem-se demasiado nervosos perante uma mulher por quem se sentem atraídos, e não conseguem fazer nada, porque vêem demasiada pornografia. Assim não conseguem abordar nem conhecer mulheres. E mesmo que o consigam fazer estarão num estado demasiado negativo que não irá agradar à mulher. O seu estado de desejo sexual está atrofiado pela pornografia. Coloca o homem preso na cabeça e num estado narcisista que repele as mulheres no geral. É algo que está no seu olhar e atitude, e é a consequência de ver pornografia. Isto para não falar no medo extremo em beijar uma mulher, na incapacidade de avançar para fazerem amor, e outros problemas como impotência, ejaculação precoce e falta de apetite sexual. Fica tudo marado! Haha

Eu não perco tempo com tretas, se o escrevo aqui é porque é verdade. O que partilhei acima já está cientificamente provado, não é uma mera chata desnecessária paranóia religiosa ;) e podes ver um documentário interessante sobre o tema aqui (bem melhor que a minha cientificamente ignorante explicação haha!):






Pessoalmente eu não tenho nada contra pornografia, nem contra quem vê pornografia, isso seria estúpido. Mas o que sei é que a sua essência não é íntegra. É bem feia, aliás. Para o ego é a melhor coisa do universo! Haha mulheres super sexy a existirem apenas para satisfazer sexualmente o homem e lhe quererem fazer orais todo o dia?! Bolas isso é perfeito não é? Haha! É irresistível para o ego, pois este estimula-se com ilusões. Um filme pornográfico pode ser altamente apelativo para o ego, mas é prejudicial para a alma, ou consciência. Ou seja, a sua aparência parece ser inofensiva, “é só um filme”, mas a sua essência é baseado em narcisismo sexual, o que não é íntegro. O que importa é a essência, e não a aparência. É a essência que define o que acontece, e não a aparência. É o nível de energia e as “lógicas” de atitude que um filme mostra que o definem como íntegro ou não íntegro. A partir do momento que um filme, seja ele de que tipo for, tem uma essência (como tudo o que existe tem uma essência), ele tem um efeito em nós, na nossa consciência, evolução, integridade e felicidade. Portanto não é de todo inofensivo, e nunca é apenas um filme: é sempre uma essência que influencia, pela negativa ou pela positiva. Neste caso influencia pela negativa a sexualidade de quem ver em demasia pornografia.

Há que parar e pensar um pouco: o filme é editado e tem uma certa produção. Os actores e actrizes fazem o seu papel e passam a aparência de quem está a ter prazer sexual. Mas como é que realmente se sentem aquelas mulheres? Como serão os bastidores daqueles filmes? Como são aquelas mulheres tratadas? Será que elas querem mesmo fazer aquilo que fazem nos filmes com os homens com quem o fazem? Eu duvido, haha! O corpo delas pode estar a ter algum prazer, mas a sua alma não. Aliás, pornografia é violação da alma, e tu consegues perceber isso se contemplares filmes pornográficos em vez de te deixares cegar pelo estado de desejo enquanto os vês.

Não é íntegro, e é feio. Aquelas mulheres costumam ter graves problemas financeiros, são obrigadas a fazê-lo, estão drogadas, são vítimas de chantagens, fazem-no pelo falso orgulho de “sou sexualmente poderosa e livre”, e fazem todo o tipo de actos sexuais com os sosses mais nojentos e falhados da história do universo!! Haha! É horrível, acredita. E eles só te mostram o que queres que vejas, e só te dizem o que queres que saibas, mas a verdade está sempre à vista para aqueles que a querem e conseguem ver ;) e não é novidade que várias ex-pornstars já revelaram vezes sem conta o que realmente se passa por lá e porque abandonaram aquele “paraíso sexual de dinheiro e fama fáceis” :D

Qualquer ar de fixe que essa indústria tenha é mera aparência. Falsa aparência, pois ali ninguém é íntegro, garanto-te. Não estou aqui a tentar fazer uma campanha anti-pornografia, nada disso. Todos os egos são livres de viverem no nível de consciência que querem e de o expressar. A minha intenção é apenas de alertar aqueles que realmente estão interessados em evoluir, em ser mais atraentes para as mulheres, em conseguir ter mais experiências positivas e excitantes de todo o tipo com elas, em ter namorada e em alcançar um nível decente de felicidade interior e social. Para esses a pornografia tem de ir, e deixar de se vir. Haha!

Então como se deixa de ver pornografia?

A solução definitiva é conseguires Ver a Verdade que está por detrás de um filme pornográfico. Se contemplares um filme pornográfico vais conseguir ter acesso à sua essência, e o filme irá perder o poder que tem sobre ti. E a Verdade desses filmes não é nada excitante garanto-te, haha!

Enquanto isso não for possível, lembra-te: tudo em equilíbrio. Se estiveres semanas sem ver pornografia isso é óptimo! Se é algo que vez de vez em quando, tipo 2 ou 3 vezes por mês um bocado, então tudo bem. É o excesso que te pode prejudicar. Se conseguires deixar de vez de ver, perfeito! Mas até lá tens de ser paciente pois isso não é algo que se consiga deixar de ver para sempre de um momento para o outro. É irresistível para o ego, e sem um estilo de vida de contemplação e aplicação de princípios espirituais no dia-a-dia, é impossível de resistir à tentação. A minha sugestão é que evites ver ao máximo. Tens de estar sempre atento, sempre vigilante ao ego, e quando surgir a emoção de desejo que te leva a ver pornografia tens de nesse momento dizer que não e parar. Repara, masturbação é uma coisa, ver pornografia é outra. Vai-te masturbar sem ver pornografia, usa a imaginação, haha! Vais-te sentir melhor depois. Se vires pornografia não te tortures com sentimentos de culpa, isso é pior. Porque depois vais querer aliviar esse estado negativo com mais pornografia haha! Viste? Paciência. Perdoa-te e pede ajuda ao Espírito para transcender o estado de desejo.

Um homem a sério consegue seguir com coragem na direcção de integridade quando está no meio de uma tempestade de desejo que o tenta desencaminhar. A sua vontade é implacável, e ele não segue os caminhos de ilusões e estados negativos para os quais os ventos da tempestade de desejo o empurram. O ego vai achar que irá estar a perder algo, mas isso é falso! Aquilo que para o ego parece uma perda, para o Espírito é um ganho!

Ao evitares pornografia, ou ver raramente, a tua energia vai mudar automaticamente. Não é de um dia para o outro, a cura leva o seu tempo. Com mais energia e com uma sexualidade mais saudável, vais experienciar a atracção que sentes pelas mulheres de outra forma, e estarás mais confiante. Verdadeira confiança apenas vem de integridade, de estarmos alinhados com o que é verdade, com a realidade, em vez de envolvidos em ilusões na nossa cabeça, emoções negativas e estados narcisistas. Um dos problemas da pornografia é que objectifica a mulher. Trata-a como apenas uma aparência, ou um corpo, que apenas existe para satisfazer o “todo poderoso” ego masculino, haha! Quando se vê isto a acontecer vezes sem conta em filmes, é como repetir uma afirmação não linear que nos programa a mente para o desastre :D o homem passa inconscientemente a ver a mulher assim, e porque essa visão está errada, ele sente-se inseguro com a atracção que sente por ela, e não consegue ter uma vida sexual saudável e estimulante. Está tudo envenenado por narcisismo, pela distorção do que sexualidade é e do que é uma mulher.

Sexo é uma expressão de amor incondicional, não é um acto meramente físico. Quando fazemos sexo não é só o corpo que está presente... as emoções também estão presentes, a mente também está presente, e o Espírito também está presente. É o nosso nível de consciência que define se estamos conscientes disto ou não, mas independentemente de estares consciente disto ou não, esta é a verdade. Geralmente são os sexualmente frustrados que rotulam o sexo de pecado ou de algo mau, o que é apenas uma ilusão fabricada pelo seu ego e baixo nível de consciência :D

Uma mulher não é apenas um objecto sexual (ou objecto de validação para alimentar o orgulho do ego masculino). É um Ser com corpo, emoções, mente e Espírito. É um Ser que se aprecia abertamente e com entusiasmo, e que se serve a vários níveis. Não é um corpo que se usa e abusa. A sua energia feminina e consequentes expressões é algo lindo de se contemplar. Se não fosse a mulher o homem seria para sempre primitivo, pois na verdade qual seria o interesse em evoluir e ser melhor? Haha é para agradar às mulheres! É para se conseguir ter uma mulher :D no velho oeste enquanto as mulheres não chegaram lá como era aquilo? Horrível, bebedeiras, crimes, tiroteios, porrada, tudo feio e porco, etc. Assim que elas lá chegaram é que os homens, porque as queriam, começaram a tornar-se mais civilizados e a tentar melhorar tudo. Este é apenas um pequeno exemplo desta verdade na prática. A beleza da mulher tira o homem da sua cabeça e coloca-o na realidade. É uma ponte para o não linear, não é brincadeira nenhuma :D A mulher é um ser feminino que tem a sua sexualidade, mas é muito mais do que isso, e devido à sua intuição e beleza, deve ser agradecido e apreciado. É esta a atitude geral, claro que depois há mulheres com uma essência do piorzinho, e essas não são as melhores pessoas para teres na tua vida, mas mesmo assim a atitude inicial é de reverência. Não a reverência de as colocar num pedestal, acima de ti em valor. Isto não se trata de sobrevalorizar nem de subvalorizar, mas de lhes dar o valor que elas realmente têm, de as respeitar com auto-respeito, de dançar com elas a música silenciosa da atracção e da sexualidade, e de lhes saltar para cima com carinho ;)

Deixa a pornografia aos poucos. Experimenta ver antes mulheres sexy no Youtube! Haha com toda esta conversa relembro que não sou nenhum Iluminado. Não sou nenhum santo, mas felizmente nunca fui de ver muita pornografia. Macho que é macho vê pornografia na adolescência haha! e depois é tempo de começar a deixar isso para se chegar a outros níveis de felicidade pessoal, com as mulheres e a sexualidade.

Tento e até consigo por umas semanas mas logo quando estou distraído volto a cair. (Ex: quando acordo a meio da noite).”

Semanas sem ver pornografia é óptimo. Experimenta antes de ires dormir cortar o acesso à internet para que mesmo que acordes com vontade de ver não seja possível. A solução é a vigilância do ego, estar atento, para quando sentires a vontade dizeres não, porque queres melhor para ti e estás farto do actual nível de miséria sexual em que vives. Para te masturbares não precisas de ver nada. Podes usar a tua imaginação, ou então como já disse vê mulheres sexy no Youtube, haha! Não leves a situação a sério, é o humor que te vai curar e ajudar a transcender esse vício. É o optimismo, e não a culpa.

Eu costumo ter os meus níveis de energia sempre um pouco em baixo e é comum depois de ter sexo ou de masturbar-me sentir-me muito cansado.”

Isso é normal de acontecer a qualquer homem. Se há actividade física há cansaço, haha! Relaxa e descansa depois, é normal. O que pode não ser normal é andares sempre cansado, com os níveis de energia um pouco em baixo. Isso pode ser devido a gastares demasiada energia a pensar, a viver na imaginação. Tem em atenção o tipo de coisas e pessoas de que te rodeias, pois se forem negativas essa é uma grande causa. Não é por acaso que digo que temos de ser conscientemente selectivos em relação a tudo: música, livros, filmes, pessoas, locais, actividades, pensamentos, etc. A televisão e os telejornais são do pior nesse aspecto, assim como a maior parte da música e filmes de hoje em dia (centrados na energia do orgulho, demasiado sérios, violentos, doentios, a glorificar criminosos e todo o tipo de falta de integridade, etc).

Rodeia-te do que é positivo e larga tudo o que for negativo, e nem vais acreditar nos resultados! Parece magia =)

Obrigado pela tua pergunta.

Segue o que Amas,
Pedro C.

“Como Lidar Com a Verdade Que Nos Chega à Consciência”


“Como Lidar Com a Verdade Que Nos Chega à Consciência”

  
Pergunta de leitor:

“Olá Pedro, hoje aconteceu uma coisa que me deixou confuso. Já há algum tempo comecei a praticar a meditação e a gratidão e por vezes consigo ficar assim de repente algum tempo sem pensar muito (sem imaginar). Hoje tive um momento desses e foi o mais intenso. Passo a explicar:

Comecei a observar tudo à minha volta e senti-me muito esquisito (parece que estava um pouco drogado). Senti que já nada era importante (as minhas paixões, o meu aspecto, as raparigas que aprecio, enfim a minha vida pessoal). Comecei a dar conta dos pensamentos que tenho quando vejo outras pessoas (eu estava na rua). Esses pensamentos eram do tipo: Sou feio, eu não tenho valor, eu sou inferior, etc, mas estranhamente senti-os mas não me afectaram. Simplesmente experienciei-os.

Será que vi pela primeira vez a realidade (despertar)?

Será que sempre pintei o mundo de cor-de-rosa (sou mais ou menos positivo), e vivi numa ilusão?

Depois de algum tempo comecei a me sentir melhor e mais agradável. Mas a minha conclusão é que a realidade não é tão bonita especialmente aquela acerca de nós mesmos (aquilo que realmente pensamos). De qualquer maneira agora sei que tenho que me dedicar a isto mesmo a sério. Obrigado por tudo. Gostava de saber o que tu dizes sobre isto.”


Resposta, comentários:

Sim, tiveste um momento de despertar, podemos chamar-lhe assim. Até que enfim alguém que percebe! haha o que aconteceu foi que conseguiste ficar num estado acima do ego e da mente, e ficaste frente a frente, directamente, com a Verdade... e ela não é bonita como se pinta. Este mundo - que apesar de perfeito para o seu propósito de evolução - é dominado pelo ego (que é impessoal), este gera muita coisa imperfeita, feia e desagradável (o tal... inferno haha). Viver na ilusão não é apenas não Ver a Beleza e a Verdade, é também não Ver que o ego existe e tem consequências negativas reais.

O pensamento positivo é sem dúvida útil, mas há outros níveis acima. Os pensamentos podem ser agradáveis mas não estarem alinhados com a Verdade. Podes pensar que um tubarão é amigável e brincalhão, mas ao mergulhares vais experienciar a Realidade e ficar com uma perna a menos haha! a verdadeira espiritualidade não é naïve... Vê tudo tal como é, só que sem julgar. Vês que o tubarão é um predador carnívoro perigoso, e porque valorizas a tua Vida tens cautela e não te aproximas. Só que ao fazeres isto não precisas de o odiar, desejar eliminar/mudar ou julgar/criticar de alguma forma.

Ver que a cobra é perigosa e venenosa não implica odiá-la. Ser naïve e pensar "mas ela é linda e perfeita" é muito giro, e é Verdade...sim, ela é mesmo linda e perfeita, é verdade. Linda e perfeita como é... e como é ela? Perigosa e venenosa. Isso é Ver a Verdade. Uma coisa é julgamento do ego (baseado em ódio e arrogância, e ilusão), outra coisa é discernimento espiritual (ver a essência do que está à nossa frente), e isso vem de apreciar e valorizar a Vida tendo cautela e estando alinhado com a Verdade (e não com o ego).

Portanto conforme vamos acordando vamos estando cada vez mais conscientes do lado bonito da vida, mas também do seu lado menos bonito. Ganhamos consciência do Amor que nos rodeia sempre, mas também de todas as energia negativas do ego. Seja em nós, seja nos outros. É uma aventura! :D

Obrigado pela tua pergunta.

Segue o que Amas,

Pedro C.


sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

“Ele Ainda Era Virgem Aos 30 Anos, Mas Ela Nunca Mais O Esqueceu”


Ele Ainda Era Virgem Aos 30 Anos, Mas Ela Nunca Mais O Esqueceu”

Mais uma prova de que ser-se virgem não é um obstáculo para nada na vida amorosa e sexual, e não é motivo nenhum de vergonha ou insegurança.


História de leitora:

O meu último namorado era virgem, tinha 30 anos, e para mim foi uma imensa surpresa, mas que me maravilhou por ele ter tido a coragem de admitir. E por ter sido corajoso a ponto de estar ali, comigo naquele momento, desejando talvez apenas perder a virgindade com uma garota com que não tinha nada (na época) mas com quem havia saído e resolveram dormir na mesma cama - não íamos transar nem nada, estávamos ali como amigos. O admirei imensamente por isso, e a coisa toda foi tão bonita que resolvemos até sair juntos para comprar camisinha, pois como nada fora planejado, não tínhamos nada à mão. E assim foi que ficamos juntos depois disso por mais de 2 anos. Nada planejado, depois disso ainda passamos por muitos desafios, sem grandes compromissos a não ser de estarmos juntos por prazer. Lembro-me de ele admitir que estava apaixonando-se por mim de fato após alguns meses de namoro (entendi que até então e de início ele se sentiu atraído sexualmente, e não por amor propriamente), e para mim aquilo tudo foi muito bonito, o que ele me disse foi muito especial, porque foi verdadeiro e natural. Tudo aconteceu sem pressão alguma. Claro que ele havia tentado antes, com outras mulheres, mas me disse que umas foram muito afoitas, outras ele sentiu que não eram a pessoa certa.

A minha primeira vez também o foi assim, com 25 anos, e algum tempo (acho que um ano) após eu despertar para o desejo de querer experienciar o sexo. Ocorreu sem cobranças relacionadas a estar presa a alguém (o que chamam de estar num relacionamento nos moldes tradicionais). Foi uma entrega maravilhosa, que me trouxe apenas o que pode ser considerado positivo. Sem cobranças e sem grandes expectativas a não ser viver aquilo, ter aquele momento que para mim passou a se natural que existisse em minha vida. E comigo, também quando percebi que havia uma oportunidade de perder a virgindade, fui sincera com esse meu primeiro parceiro sexual, a quem até então tinha mais como amigo, embora já estivéssemos aos olhos dele em um relacionamento mais sério. Ele a princípio achou aquilo inusitado, uma mulher da minha idade ainda virgem, porque hoje em dia isso não é comum, a não ser por escolha para o caso de casar virgem, etc. Notei que ele se preocupou, e mais tarde vim a entender seus motivos pois era um homem muito honrado, digamos assim. E preparou então para a minha primeira vez para que fosse o mais especial possível dentro das suas possibilidades na época. 
De fato a sinceridade, o compromisso consigo mesmo e a sua própria verdade tornam tudo muito diferente e mágico. A verdade nos liberta, de nossas amarras, e geram até um fascínio nos demais, já que o raro hoje em dia é ser verdadeiro consigo mesmo. No mais, acredito que a vida nos traz a partir daí as boas experiências, pois abrimos espaço para isso. São confissões, coincidem com a história acima, e confirmam a tese do Pedro. E trazem apenas a felicidade como resultado. Grata por passar por essas experiências e poder dividi-las.


Resposta, comentários:

Não há nada como o que é autêntico, verdadeiro, natural, espontâneo e inocente. Ele tinha 30 anos e era virgem, e não fez qualquer diferença para ti. Nunca mais esqueceste a experiência bonita que vocês tiveram, e quando há coração na atitude é assim que as coisas acontecem. Muitos homens acham que ser virgem é um problema, então virgem aos 30 anos julgam ser um pesadelo, mas estão errados. Não é ser virgem o problema, mas sim a nossa percepção da nossa virgindade e como lidamos com ela. Obrigado pela tua partilha!

Segue o que Amas,

Pedro C.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

“Como Não Se Apegar a Elogios e Deixar de se Sentir Ansioso”


“Como Não Se Apegar a Elogios e Deixar de se Sentir Ansioso”

 

 

Pergunta de leitor:

 

“Pedro, eu não sei se a emoção que sinto ultimamente tem a ver com as 8 citadas nesse áudio (Os 8 Níveis de Consciência do Ego Humano: https://www.youtube.com/watch?v=8XSk4bilZxs), mas ultimamente tenho percebido que eu me apego a elogios, ou a reconhecimentos e aprovações. Quando alguém me elogia, ou quando faço um trabalho bem sucedido, eu me apego como se aquilo fizesse parte de mim, como se aquele elogio fosse um membro do meu corpo, e fico com medo de perdê-lo. No dia seguinte fico ansioso, tenho observado bastante isso, poderia me ajudar!? Muito obrigado!!”



Resposta, comentários:

O apego a elogios, reconhecimentos e aprovações está relacionado com 2 impulsos e ilusões do ego: orgulho e desejo

Elogios alimentam o nosso orgulho.

Orgulho é o melhor que o ego consegue experienciar, é o estado mais elevado em que consegue estar, logo quando ele o experiencia agarra-se ao orgulho com unhas e dentes, e como é óbvio tem medo de o perder, pois isso significaria ficar a sentir-se pior (e os estados abaixo são de facto muito desagradáveis). Geralmente cai-se do orgulho para a vergonha, é esse o karma de ser arrogante: depende-se de validação exterior e cai-se para o nível de consciência mais baixo.

Para o ego orgulho é a melhor coisa do mundo, daí fama, riqueza e sucesso serem tão desejados. Para começar tens de ver orgulho pelo que é: o nosso ego animal quer ser visto como o maior, como perfeito, como fixe, como esperto, como atraente, como superior, como eficaz, etc etc. Ele quer sempre algo que confirme a sua auto-imagem ilusória de perfeição, nem que para isso tenha de inferiorizar ou prejudicar alguém (ou curiosamente, de se auto-destruir). O ego procura então ter sempre razão, ganhar, e controlar a ideia/imagem que os outros têm de si e a forma como os outros reagem/respondem a si, tudo para conseguir sentir orgulho constantemente (pois é o melhor que conhece e pode experienciar). Ele faz isto por questões ilusórias de sobrevivência, pois num estado de orgulho sente que está tudo bem consigo próprio, sente que tem valor, e sente-se aceite e aprovado pelos outros, o que contribui para a sua sobrevivência. Nos tempos tribais isto era a diferença entre vida e morte, pois ser rejeitado era ser expulso da tribo, e sozinho na floresta as probabilidades de sobrevivência não eram lá grande coisa haha! Daí o medo de ser rejeitado e o estado de vergonha, são impulsos primitivos que hoje em dia já não fazem sentido, mas que nos tempos tribais eram uma reacção realista do ego animal, pois colocava em perigo a sua sobrevivência.

Sem um caminho espiritual de meditação/contemplação é impossível deixar-se de ser controlado por este impulso, ou pelo medo de perder o orgulho, etc. Vai ouvindo os áudios do Cool Vibes pois eu vou falar mais sobre isso. Para já presta mais atenção a esse impulso e passa a vê-lo como algo que não é importante e que por isso não precisa de ser seguido. Ganhar consciência da emoção de orgulho, e de qualquer outra emoção do ego, é tudo o que é preciso na verdade, pois ao vermos o que realmente é, começamos a deixar de acreditar nessa ilusão e deixamos de ser controlados e limitados por ela.

Obrigado pela tua pergunta.

E por falar em elogios, uma curiosidade… haha!

A Rádio Renascença apanhou-me de surpresa num táxi em 2013, e apareço num anúncio durante 2 segundos! Hahaha! Foi uma experiência cómica e interessante, nunca me tinha acontecido. E ainda ganhei 2 bilhetes para um concerto :D

O anúncio chama-se “Elogios: Já Elogiou Alguém Hoje?”


Apareço dos 0:07 aos 0:09 segundos, mais ou menos, e repara só na cara de  mauzão! Haha





Segue o que Amas,
Pedro C.