AMOR

"Ensina só Amor, pois é isso que tu és"

terça-feira, 23 de agosto de 2016

“Dowloads Ilegais e Pirataria: Como Prejudica a Evolução, Felicidade e Karma”

“Dowloads Ilegais e Pirataria: Como Prejudica a Evolução, Felicidade e Karma”


Pergunta de leitor do Cool Vibes:

“Olá Pedro tudo bem? Antes de mais queria agradecer-te pela tua resposta na minha pergunta anterior, Obrigado :) Vim hoje aqui porque gostaria que me clarificasses alguns conceitos, um sobre entretenimento pessoal e o outro sobre pirataria. Recentemente falaste em entretenimento pessoal e que não era o mesmo que desenvolvimento pessoal e isso parece claro, no entanto me questiono, o entretenimento pessoal não é uma consequência do desenvolvimento pessoal? Estou a perguntar isso porque ultimamente ando tendo mais entretenimento pessoal do que é costume e isso só é possível porque tenho energia suficiente para me divertir, porque em níveis mais baixos não temos nem energia para fazer coisas que gostamos.

P.S.: O entretenimento pessoal de que aqui falo tem mais haver com saídas e actividades e não tanto com ver televisão ou jogar PC, por exemplo :)

Pirataria. Há alguns meses atrás talvez, eu questionei-me se seria integro andar a ver filmes de forma ilegal (downloads ou online) e comecei a me sentir ingrato pois os responsáveis pelos filmes tiveram tanto trabalho para fazer um filme com boa energia e/ou com qualidade, e eu ao ver os filmes de forma ilegal não estava a dar o meu contributo. Depois num vídeo teu creio eu também falaste no assunto e a partir desse dia nunca mais vi filmes de forma ilegal e por incrível que pareça nessa semana uns canais de filmes premium abriram e deu alguns filmes fixes que aproveitei logo para gravar para ver mais tarde eheheh.
Depois disso apercebi-me que sou um pirata, os jogos que tenho são piratas, os programas que tenho são piratas, os livros que tenho são piratas, e via futebol de forma pirata, mas surge-me uma duvida em relação à musica pois basta ir ao youtube para ouvirmos a musica que queremos, e não sei se isso é legal ou não, eu queria saber qual a melhor maneira de ouvir musica em qualquer lado de forma integra e legal :)

Apelo: No próximo dia 20 Conor Mcgregor vai combater, no entanto eu ainda não consegui encontrar um local para assistir ao combate uma vez que este vai ser transmitido num canal premium, peço a vossa ajuda para encontrar um lugar ou uma família com SportTv que esteja disposto a me aturar madrugada dentro. Ahahahaah Abraço a todos :)”


Resposta, comentários:

Olá! Está tudo bem por aqui, obrigado.

Eu falo de entretenimento pessoal no contexto de formações de desenvolvimento pessoal. Uma coisa são princípios que de facto nos ajudam a evoluir, e verdades que nos abrem os olhos para algo em nós que nos pode vir a libertar de uma limitação, e assim contribuir para a nossa mudança e felicidade. Princípios têm um efeito a longo prazo, e permanente. Outra coisa são histórias, piadas, jogos, curiosidades, exercícios e convívios nessas formações (ou em casa lol), que apenas estimulam a mente e nos entretêm temporariamente, e que trazem um pico de energia que desaparece passado pouco tempo. Se de facto evoluímos passamos a ter mais energia, logo conseguimos fazer mais coisas na vida. Mas isso é viver a vida e desfrutá-la, não tem a ver com o entretenimento pessoal de que falo. E a partir de certo nível de energia/consciência, estamos tão preenchidos e completos pelo Espírito que não precisamos de qualquer tipo de entretenimento. E é aí que começa a verdadeira transcendência da mente e do mundo, e se larga cada vez mais o linear/conteúdo da dimensão física, e se vive cada vez mais no não linear/contexto do Espírito =)

Quanto aos downloads ilegais e pirataria, sim, obviamente que não é íntegro, haha! :D

Há aquela clássica, mas inválida, desculpa de, “mas eles fazem milhões de euros com os filmes!”. O que não faz sentido nenhum. É apenas uma racionalização do ego para se sentir melhor com ele próprio por fazer downloads ilegais. A quantidade de dinheiro que alguém faz criando algo, ou trabalhando em algo, não é justificação para se obter ilegalmente, sem se pagar, o que essa pessoa faz. Isto é básico. Na vida só temos o que merecemos, é assim que funciona o karma. Se é suposto pagar-se para se ter um filme ou música, então só merecemos esse filme ou música se tivermos dinheiro suficiente para o comprar. E quem não tiver dinheiro para comprar, não vê o filme nem ouve a música, é simples. É esse o seu karma e só vai evoluir se o aceitar. Se um actor ganha o que ganha ao fazer um filme, é porque karmicamente merece esse dinheiro. Ele tem o talento e as qualidades humanas que lhe permitiram ser actor e ser capaz de fazer o filme. Se não merecesse esse dinheiro, não o teria, nem seria actor ;) não é o ego que decide o que é justo ou injusto, ele nem tem capacidade para saber isso. É o Espírito, e já está tudo perfeito neste momento, pois as pessoas têm karmas diferentes e têm diferentes lições a aprender na vida humana. Umas numas áreas, outras noutras áreas, a níveis diferentes. É por isso que há de tudo no mundo, desde o mais rico ao mais pobre, do mais sofisticado ao mais primitivo, do mais santo ao mais maldoso, etc. É suposto ser assim, e é perfeito assim para o seu propósito de escola de almas, na qual há karma negativo a “pagar” (lições a aprender), e a transformar em positivo. E claro, desfruta-se aquilo que já se aprendeu. Não há sorte nem azar, há karma positivo e negativo. Pode-se é não estar consciente disso, não se querer aceitar isso, e não se compreender as verdadeiras razões da “sorte” e do “azar” ;)

Voltando à justificação do “mas eles ganham milhões com o filme!”, não passa de inveja daqueles que estão melhor na vida e têm mais dinheiro. Sim, o ego é estúpido a esse nível :D se ganham milhões é porque conseguem, devido ao seu talento, qualidades e esforço, pois há muito trabalho por detrás de uma obra ou produto acabado. Trabalho, criatividade e inteligência. Assim como também entusiasmo, confiança e optimismo. Tudo qualidades que merecem o que obtêm. Portanto a justificação é falsa e não vale nada, haha! Não safa ninguém do karma negativo de estar a meter as patas em algo que não merece, pois não pagou por isso :P

E há uma equipa enorme por detrás da criação de um filme, assim como há vários desafios por detrás da criação de qualquer obra de arte ou produto. Não é fácil, mas o totó zé ninguém comum não íntegro está a milhares de anos de luz de conseguir compreender isso, (ou de querer saber disso, haha!), e então na sua arrogância animal acha-se intitulado a meter as patas naquilo que não merece, sem pagar, fazendo centenas de downloads ilegais, só para se distrair mais um pouco da realidade e da verdade sobre si próprio, woohoo!! :D

Eu já tinha avisado que integridade não é para meninos. Tenta hoje, e já, deixar de fazer downloads ilegais para sempre :D o ego vai-te logo atacar com o medo de perder algo, de não ter acesso a tantos filmes, séries, ebooks e músicas que o distraem da realidade. E depois? Ele não merece essa quantidade se não puder pagar essa quantidade :P temos pena ^_^

Sempre que adquirimos algo que não merecemos, pois é óbvio que é suposto pagar para ter isso e foi adquirido sem pagar por meios ilegais, estamos a acumular karma negativo. O que é perfeito! Há uns anos atrás veio-me um pensamento à cabeça: não é curioso que a geração dos downloads ilegais é ao mesmo tempo uma geração com dificuldade em arranjar emprego…? Estará relacionado? ;) Será que não valorizar o trabalho e capacidades dos outros (adquirindo o que criam sem pagar) traz o karma negativo de o nosso esforço e capacidades não serem valorizados (ser difícil encontrar alguém que nos queira pagar ordenado)…? Pensa nisso.

Se estás interessando/a em evoluir e em alcançar um nível superior de felicidade, paz e harmonia na vida, tens de deixar para sempre os downloads ilegais. É grátis! :D e se tens cópias pirata em casa e no computador, tens de apagar tudo e mandar tudo para o lixo. Todos os filmes, músicas, ebooks, séries, jogos de pc, programas de computador (incluindo o Windows e o Microsoft Office, assim como Anti-Vírus). Tudo. E a minha sugestão para além disso, é se algumas dessas coisas realmente te fizeram sentir bem, se as adoraste, compra-as. Se viste, ouviste e usaste, e adoraste, compra. Desfaz o karma negativo. Não tens de comprar tudo o que sacaste ilegalmente, basta parares, basta a tua intenção de viver de forma impecável, e de comprares apenas aquilo de que realmente gostaste. Quando o fizeres vais descobrir em ti uma nova confiança e sensação de satisfação, e certas coisas vão automaticamente melhorar na tua vida. Até porque quando se saca de tudo por ser falsamente grátis e fácil e rápido de adquirir, não há processo de selecção nem de apreciação. Vê-se de toda a porcaria em termos de nível de energia/consciência, e não se dá o devido valor pois dali a 5 minutos pode-se ter outro filme, e depois outro, e outro, e outro, infinitamente. Não se aprecia o que se está a ver, ouvir ou ler. A atenção não está mesmo lá, no momento. Perde-se a essência, não se beneficia das lições e da beleza da arte. E porque se tem sempre uma coisa nova em minutos ou segundos, não se revê, ouve ou relê novamente a anterior devidamente, e isso é grave, pois leva a um nível de preguiça mental que nos afecta em tudo na vida. Leva-nos a um estado de desinteresse anestesiado, em que só se aprecia superficialmente a aparência das coisas, coisas a acontecerem e a mexerem-se (no caso dos filmes lol), escapando significados importantes, como se estivéssemos num transe negativo e fraco. E há coisas que nos escapam na primeira e segunda vez que vemos um filme, ouvimos uma música, ou lemos um livro. Há interpretações erradas que fazemos nas primeiras vezes. Como se descobre isso quando se está num transe de vício de “mais e novo entretenimento agora!!”, não revendo nada dando o devido valor.

Não te iludas, ver algo sem pagar quando é suposto pagar traz imediatamente um estado fraco, de baixa energia, pois a atitude não é íntegra. Há sempre culpa inconsciente. E esse transe fica connosco em todas as áreas da vida, profissional, amorosa, social, trazendo níveis prejudiciais de impaciência, superficialidade e preguiça, por exemplo.

Quanto ao Youtube, a forma como vejo a situação, é na boa. Porquê? Porque o Youtube é um site legal, e certamente pagas a conta da internet para teres acesso ao Youtube. Não estás a adquirir uma cópia para ti, apesar de para vermos algo temos sempre de pagar (seja o bilhete de cinema ou o DVD/Blue-Ray, por exemplo).

O que podes fazer é, sempre que vires um filme, série, ou ouvires uma música no Youtube, se gostares mesmo muito, compra a seguir. Claro que com a tua evolução vais precisar cada vez menos de ver tantos filmes e séries para te distraires da realidade, logo esse “problema” e sofrimento desaparecem automaticamente.

Menos filmes, menos música, menos séries, menos livros, mas mais qualidade, e sempre comprado. Eu adoro comprar os DVDs, CDs e os livros, são objectos reais que aprecio e sinto-me de forma espectacular sempre que os compro. Não preciso de gastar muito dinheiro pois não preciso de ver algo todos os dias, e há muita coisa em segunda mão bem barato =) e tenho essa área da vida limpa, o que traz uma confiança que não se adquire de outra forma.

O ser humano existiu a maior parte do tempo sem filmes e séries haha lembra-te que Sócrates nunca viu um filme na vida, e não foi menos sábio por causa disso ;)

Há um vício em entretenimento hoje em dia, e tudo bem. Eu não tenho nada contra isso, nada contra quem faz downloads ilegais, nada. Mas se queres mais felicidade isso tem de acabar. São poucos os que vão conseguir, mas a história do mundo é a de uma minoria íntegra a carregar isto às costas, portanto… :D

E quando ao McGregor, tem juízo. ;P

Obrigado pela tua pergunta.

Paga pelo que Amas (lol),

Pedro Constantino

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Sade - Keep Looking


SADE
Keep Looking

-

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

"Porque o Homem Não Tem De Pagar Sempre a Conta"

Porque o Homem Não Tem De Pagar Sempre a Conta

Subscreve o novo canal de Youtube do Cool Vibes em:




Pergunta de leitor do Cool Vibes:

Pedro sei que já falou sobre o assunto mas não de forma pormenorizada, mas que me diz sobre a questão das mulheres que acham que o homem sempre tem que pagar as contas? Porque já conheci mulheres que por terem condições financeiras melhores que as amigas, pagam tudo para as amigas, mas quando estão comigo querem que seja eu a pagar tudo. Tipo ter que pagar o cinema, o motel e depois o lanche ou jantar. Quando estou começando a conhecer alguém até me sinto bem em fazer algumas pequenas gentilezas, mas quando noto que a mulher quer sempre que se encontra comigo ir lanchar, ou ficar indo em lugares caros, isso não me parece bom sinal. Também me parece mau sinal quando a mulher me convida para sair querendo somente ir para algum lugar comer e depois retornar. Coisa que muito raramente permito. O fato é que quando falo em dividir noto que isso as aborrece bastante. E outra, não dá para sair pagando as coisas para toda mulher que vou conhecendo porque então dessa forma não sobraria mais dinheiro para nada. Pois estou sempre a conhecer mulheres. Que pensa a respeito?”

Obrigado pela tua pergunta.

Segue o que Amas,
Pedro Constantino

terça-feira, 2 de agosto de 2016

“A Verdade Para Além Da Percepção Do Ego”

“A Verdade Para Além Da Percepção Do Ego”


Pergunta de leitora do Cool Vibes:

“Olá Pedro! Algumas experiências bem sucedidas aqui no Cool Vibes e sua forma de atingi-las coincidem com uma palestra que assisti ontem de um Lama budista brasileiro (que aliás adooooraaaa futebol e dar exemplos usando esse desporto, rs). Ele proporcionou um retiro sobre vários temas, e ele comenta sobre as "bolhas" em que vivemos, aonde por ex. o futebol seria uma bolha com regras próprias, as quais nos identificamos no período do jogo e depois ela se desfaz para cada partida, e assim vamos activando-as a cada novo jogo ou temporada. 

Daí que para mim, depois de ouvi-lo por umas 15 horas :D facilitou entender melhor até o que você fala neste áudio e como as coisas funcionam. As limitações que nós criamos considerando estarmos numa determinada bolha. E então veio um exemplo da formiga que está me intrigando até agora!!!

No budismo tibetano eles acreditam em 6 reinos, e que os seres de cada reino irão passando por evoluções e alcançando reinos melhores até atingir a iluminação. A formiga está no reino dos animais, e seria muito difícil para ela, apesar de ter a inteligência primordial, se ver numa condição superior. Mas, a partir do momento que ela perceber dentro da sua bolhinha que o que a limita é a sua maneira de se perceber, na sua forma, daí ela pode sim iniciar esse trajecto para reinos superiores. Entretanto, como a formiga pode ter pouca visão do que é uma vida iluminada, então ela precisa no mínimo se dispor a querer isso e, na visão do budismo, o Buda daquele reino irá ajudá-la. Seria, simbolicamente, a entrega. Acredito que seria o princípio do Hawkins. Se colocar fora da bolha se dá pelos mesmos caminhos ensinados aqui, ou seja, pela contemplação. 

Mas de fato, eu percebo essa limitação da formiguinha em mim. Eu me pergunto como no exemplo do Lama, se o que eu enxergo é mesmo o caminho da iluminação ou não. Porque na minha limitação eu posso pensar que estou sim no caminho certo mas isso ser mais uma ilusão.


E daí ele menciona que o objectivo é que as bolhas não nos atinjam mais, que consigamos perceber todas as ilusões, regras, e que o mundo não é um jogo de futebol, rs. O mundo lá fora não tem juiz, bandeirinha, faltas não marcadas.

Entretanto, viver fora da bolha é muito difícil, temos que estar atrelados a alguma senão perdemos a identidade em alguns aspectos da vida.

Desculpe por usar esses termos repetidamente, ou as "bolhas", não sei se me fiz entender.  Por fim, a contemplação nos faz criar um observador que nos permite olhar além das bolhas. Eu às vezes me sinto assim mesmo, ou sinto como se tivesse alguém me observando ou observando a mente e sensações e dessa forma tentando aquietá-las. 

Nos termos budistas, você Pedro seria um Bodhsatva e o Cool Vibes a forma que você criou de cumprir com a sua missão, interferindo em várias bolhas.  Por fim, toda essa história me faz pensar que nada faz sentido então. Não faz sentido ficar brava, não faz sentido sentir ciúmes, não faz sentido sentir medo. Claro que esse nível de consciência não corre pelas minhas veias, é apenas intelectual ainda. 

Mas faz sentido o contrário, o que consideramos como "o lado bom da vida"? 

Essa experiência que estamos tendo como humanos (ou sei lá em que reino estou, rs) a cada momento me intriga mais. Talvez seja o caso de pedir ajuda ao Buda desta minha bolha para entendimento e iluminação... Acho que no momento é você Pedro.

Em resumo, estas experiências que temos, de "bom e de ruim", são para que ultrapassemos as limitações que elas mesmas nos impõem? Ao invés de sofro e fico triste, sou amada fico feliz, eu devo ser eu mesma o tempo todo sem que isso me afecte profundamente? Isso não é sem graça, risos? Obrigada Pedro!”


Resposta, comentários:

Olá! Primeiro de tudo, eu não sou nenhum Buda! Haha nem nenhum santo, nem iluminado, e é um erro considerar-me isso. Se sou alguma coisa, sou um cowboy :D

Segundo, qualquer dúvida que tenhas tido na palestra do Lama budista brasileiro, deve ser esclarecida com o Lama budista brasileiro. Só ele sabe o que quis dizer, qual era a sua intenção e como usa os seus termos específicos.

E depois, relativamente ao geral do que comentaste e perguntaste, o obstáculo é que o ego não consegue ver nada para além dele próprio. O ego não consegue ter consciência de que há uma realidade para além dele, logo pensa erradamente que se não for ele, não há vida, não há emoções de nenhum tipo, nem pensamentos, nem nada, haha!

“Sem as minhas percepções, opiniões e julgamentos, não sentes nada e a vida é um vazio!” – diz o ego a todos nós :D

Mas isso é falso.

É verdade que contemplando ganhamos consciência do que é real e do que é ilusão. Contemplar é viver e experienciar o momento sem comentar mentalmente, sem julgar, sem ter opinião sobre o que acontece. Só a verdade importa e nos pode orientar de forma eficaz, opiniões são construções falsas do ego baseadas em percepções incompletas e erradas da realidade (ilusões), logo são obviamente má ideia.

É o que a realidade nos diz que importa, e não as opiniões, julgamentos e emoções do ego. Uma coisa é a realidade em si, e o que de facto é verdade. Outra coisa é a percepção da realidade, que é sempre distorcida e incompleta, pois as emoções distorcem a percepção e impedem-nos de ver as situações e as pessoas como realmente são. O que a percepção distorcida nos leva a fazer é a colar rótulos e significados errados nas situações e nas pessoas. A nossa ideia das coisas é forçada nas próprias coisas (projecção), em vez de simplesmente estarmos conscientes de como as coisas realmente são, ou seja de recebermos da realidade a ideia correcta das coisas. Por outras palavras, a percepção emocionalizada do ego leva-nos a “empurrar para fora” e a despejar informação sobre as coisas nas próprias coisas tapando e escondendo a sua verdadeira essência, em vez de humildemente recebermos da realidade (momento presente, agora, etc) a informação correcta sobre as coisas na nossa consciência.

O ego e a mente por si só não têm a capacidade de discernir o que é bom de mau, o certo do errado, o verdadeiro do falso, logo apenas podem ter julgamentos sobre as coisas. As pessoas têm níveis de consciência e tipos de personalidade diferentes, logo o que uma julga ser bom, outra pode julgar ser mau. Quem está certo? Ambos estão certos e errados, haha porque a nível humano, devido ao tipo de personalidade e nível de consciência, é um facto que cada um sabe de si e de como quer viver, e do que o faz sentir bem e mal, e é livre de ir na direcção que o faz sentir-se bem, e de rejeitar o que o faz sentir-se mal - isto tendo em conta que a pessoa tem um nível íntegro de auto-conhecimento e é autêntica. Mas a nível espiritual nada é bom ou mau :D

Na realidade espiritual não há opiniões nem preferências pessoais, pois não há individualidade. Se faz parte da vida humana é porque é suposto fazer parte da vida humana. Pode ser desagradável em termos físicos, ou emocionais, ou psicológicos, mas não é mau. A vida é uma escola de almas, tudo é necessário, válido e justo para aprendermos o que temos a aprender. E cada um de nós tem o seu karma, logo tem de passar por experiências diferentes para evoluir, e estas estão sempre certas e acontecem sempre no momento certo. É o espírito que manda, digamos assim. As opiniões do ego sobre como o mundo e as pessoas deveriam ser, estão sempre erradas haha são inúteis, são arrogantes. O ego acha-se Deus, e acha que sabe como tudo deveria ser diferente. É estupidez infinita :D o mundo é perfeito como é.

Pensar em como o mundo poderia mudar, ou em como os outros poderiam ser diferentes, é perfeito para se evitar olhar para dentro e enfrentar-se a verdade sobre nós próprios. Olhar para fora é uma fuga para aqueles que não querem evoluir, pois não querem passar pelas emoções desagradáveis de culpa e vergonha que são impossíveis de contornar quando descobrimos que de facto não somos tão espectaculares como achávamos que éramos, e quando percebemos que tudo é responsabilidade nossa (aceitação do karma).

O mundo está perfeito exactamente como é, com tudo o que nos acontece na vida e com tudo o que vemos nas notícias. Pois o que define a sua perfeição não é se o ego gosta ou não do que vê, é o seu propósito de ser uma escola de almas. E na escola o aluno não muda a escola conforme o que acha que seria fixe, isso é estúpido :D porque uns alunos acham uma coisa, e outros acham outra, e muda-se a escola conforme a opinião e gosto de quem? Lutam até à morte e os que sobreviverem mudam o que querem à sua vontade? Haha! No final são todos ignorantes, estão lá é para aprender o que têm de aprender, e não para mandar :P pois os exames podem ser desagradáveis e um stress, ter horários pode ser chato, assim como trabalhos de casa, e alunos chumbarem pode ser visto como desagradável (por quem chumba principalmente haha) mas são coisas necessárias e úteis no ensino, logo não se vai acabar com elas só porque há alunos que não gostam delas :P nenhum ladrão gosta da polícia :D

Este mundo, planeta terra da dimensão física, não é o céu nem o paraíso, nem nunca será, haha! e não é suposto ser. Já existe um Paraíso, e não é aqui. Aqui é o reino do ego, e quando o transcendemos e nos fartamos dele, evoluímos para dimensões menos físicas e mais bonitas :) é perfeito! Quem está mal, muda-se haha! E há outra essencial: “Só sei que nada sei” – Sócrates (o grego, haha!). Nessa atitude de humildade perante a essência e verdade das coisas da vida humana e da dimensão física, é que é possível receber-se a Sabedoria do Espírito sobre nós próprios (eu individual) e o que nos rodeia (pessoas, situações, o contexto, etc). Enquanto houver a arrogância de que se acha que se sabe, não entra Verdade nenhuma em nós, e continua-se ignorante, inconsciente e claro, em sofrimento, woohoo!! :D

O que acontece quando largamos os nossos julgamentos sobre a vida e o mundo, é que nos sentimos imediatamente mais em paz. Há mais alegria, pois quando largamos as ilusões do ego, largamos as suas emoções negativas também. Isto permite que a energia do Espírito entre em nós, e sentimo-nos alegres e em paz. Nós somos alegria, e o momento presente é sempre paz. São condições de experiência subjectiva que estão sempre presentes e acessíveis. Nós sentimos o que queremos sentir. E sim, na verdade não faz sentido sentir nenhuma emoção negativa, pois não só nos faz sofrer como são baseadas em ilusões (percepções erradas ou incompletas da realidade).

Agora, o lado bom da vida não tem como origem uma ilusão. O lado bom é real. Tudo o que é bom na vida humana é graças ao Espírito, seja o que nos acontece, seja o que sentimos, logo a atitude normal é de gratidão, entusiasmo e alegria. Então largar as percepções, ilusões e emoções do ego não leva a uma existência sem graça e sem risos, bem pelo contrário! É o que permite uma existência com graça e risos =) Pois quando largamos as nuvens cinzentas, levamos imediatamente com a luz do sol no focinho :D e isso é bom. A energia do Espírito traz alegria, pois é alegria. Mas não a conseguimos experienciar enquanto estamos identificados com o ruído mental opinioso e julgador do ego. Ou se experiencia uma coisa ou a outra, não existe meio-termo. E outra coisa: vai-se transcendendo ilusões em diferentes áreas da vida. É um processo com muitos degraus, não é um salto único em que se vai de perdido a iluminado haha! Não se vai de turista bronco a Indiana Jones :D

É o Espírito e não o ego que nos guia melhor na vida para fazermos melhores escolhas, de forma a termos uma vida mais agradável e estimulante, e sermos mais felizes. Através da contemplação temos acesso à verdade sobre as situações e as pessoas, temos acesso à sua essência, e é isso que importa no momento da verdade para discernimos o que é benigno do que é maligno, ou seja, o que pode ser seguido do que deve ser evitado, nas diferentes dimensões. Largar as opiniões emocionalizadas de “bom” e “mau”, ou de “certo” e “errado” do ego não nos deixa perdidos à mercê dos perigos do mundo e das pessoas, mas permite-nos sim estar conscientes dos verdadeiros perigos aos quais o ego nos cega.

Confia na realidade e não nas emoções. Coragem é a única saída daqui.

Obrigado pela tua pergunta.

Segue o que Amas,


Pedro Constantino

quinta-feira, 28 de julho de 2016

A Horse With No Name - America


America
A Horse With No Name




quarta-feira, 20 de julho de 2016

"Portugal Campeão Euro 2016: Optimismo, Humildade e Entrega Com Coração!"

Portugal Campeão Euro 2016:
Optimismo, Humildade e Entrega Com Coração!


Subscreve o novo canal de Youtube do Cool Vibes em:





Comentário de leitor do Cool Vibes:

“Olá Pedro e companhia LDA, em primeiro lugar PORTUGAL!! em segundo a França ahaha epa eu estou tão emocionado nem consigo explicar, eu que nem sou um fanático por futebol, mas esse europeu teve algo de especial. Nem sei bem o motivo de estar aqui a comentar lol, mas epa estou tão feliz e também acho que há ou houve uma energia bastante positiva ao redor da selecção desde a coragem ate à crença intocável que quem quiser pode-se inspirar para ter mais sucessos na vida. Eu sei que o futebol não é um tema abordado aqui no Cool Vibes, mas como sugestão e se achares útil obviamente, gostaria que escrevesses um post ou talvez um audio a falar sobre a conquista da selecção, sem querer claro roubar tempo aqueles que tem problemas para resolver com certeza mais graves do que a minha euforia por Portugal xD, mas como disse anteriormente eu senti que houve algo de GRANDIOSO. Parabéns a todos!! :D :D “

Obrigado pelo teu comentário e sugestão.

Segue o que Amas,
Pedro Constantino

segunda-feira, 18 de julho de 2016

"Como Ter Mais Sucesso Nos Estudos"

Como Ter Mais Sucesso Nos Estudos


Subscreve o novo canal de Youtube do Cool Vibes em:





Pergunta de leitor do Cool Vibes:


“Pedro, gostaria de perguntar-te sobre sucesso nos estudos. Ano passado, iniciei minha jornada com muita inspiração, estudando quase o dia todo para o vestibular mais difícil aqui no país (a concorrência fica entre 200 a 300 para uma vaga). Bem, no ano letivo, conseguia estar entre os primeiros lugares de simulados, na maioria das vezes. Com a chegada de paredões de som com músicas horríveis perto de minha casa e com a violência aqui na cidade em que vivo, iniciei uma jornada de estudo maior, pois o desconforto de morar onde vivo era ,e é, grande, fazendo-me ficar bem mal e trazendo assim mais vontade de sair daqui.

Entretanto, ainda há alguns problemas. Primeiramente, não consigo dormir bem nas noites anteriores às provas de verdade (não simulados), por ansiedade (como resolver isso? Esta sensação de medo de não conseguir dormir e ir mal no vestibular acaba me fazendo não dormir, lol). Além disso, percebo que apesar de focar toda essa dedicação, sem parar, na leitura e no exercício de conteúdos, acabo esquecendo de alguns deles, prejudicando minha nota em algumas provas. Bom, não sei se este assunto é muito a sua área, mas sei que você já me ajudou bastante.

Graças ao que compartilhas aqui, consegui resultados práticos na minha vida, fui buscar sozinho aquilo que era muito importante para mim. Muitas pessoas, em mim, confiam e sou grato por isso. Já me deram bolsas de estudo para estudar em vários cursos preparatórios que eu não tinha como pagar.

Gosto muito de estudar o que estudo hoje, principalmente ciências. Mas o que me interessa mesmo é a área de ciências médicas vinculada à personalidade, ao cérebro, ao pensamento e quero ser aprovado logo na universidade para poder me dedicar a pesquisas sobre esses assuntos. Se tiveres alguma dica sobre rotina ou sobre forma de pensar em relação a isso, estou a disposição para segui-la com determinação. Espero que fiques bem, muitas felicidades.”

Obrigado pela tua pergunta.

Segue o que Amas,
Pedro Constantino



sexta-feira, 8 de julho de 2016

segunda-feira, 4 de julho de 2016

“Holy Hell – Uma Lição Em Falsos Gurus”

Holy Hell – Uma Lição Em Falsos Gurus”

Ora aí está um campeão da espiritualidade! Haha


Não, não é um filme inspirador. Pelo menos é provável que não o seja. Aliás, nem sequer é um filme, é um documentário com filmagens reais, e ainda nem sequer o vi! :D Mas basta ver o trailer para se perceber toda a história, e aquilo que é relevante aprender.

É mais um caso de seita “espiritual” com guru carismático.

Oh yeah! Haha

O valor deste documentário está nas filmagens reais que apresenta, e que foram feitas ao longo de 22 anos, por um estudante de cinema que fez parte dessa seita, e que andou a filmar horas e horas de quase tudo o que acontecia, sem saber que andava a ser enganado, e que de espiritual aquilo não tinha nada. Portanto as filmagens não tinham como intenção denunciar nada nem ninguém, eram apenas experiências artísticas de alguém que por hábito e gosto já filmava, e que nunca tinha visto nada como o que estava a acontecer diante dos seus olhos.

A intenção deste post não é avaliar a qualidade do documentário, uma vez que ainda não o vi, mas sim falar deste fenómeno de seita “espiritual” e gurus carismáticos (ou seja, falsos gurus), de forma a tentar evitar que mais pessoas caiam nestas armadilhas.

No caso deste documentário chamado Holy Hell, tudo começou bem. Ou pelo menos assim parecia ;) Resumindo, as pessoas juntavam-se para meditar. O falso guru carismático Michel (que depois mudou o nome para Andreas), fornecia o espaço e a orientação (assim me parece). Basicamente o grupo de pessoas juntava-se para actividades positivas, para dançarem juntos, rirem juntos, mergulharem juntos, conviverem em gratidão, serviço e alegria, ou seja, várias coisas que fazem um ser humano sentir-se bem quando as tem em mente ou as pratica. Claro que estas pessoas iriam querer voltar a Buddha Field (nome da seita, creio eu)!

Com entretenimento, a conhecer pessoas novas, e isolados do “mundo mau”, parecia perfeito, parecia um paraíso. Mas depois veio-se a revelar mais um inferno “divino”, tal como o nome do documentário indica. Ou seja, na verdade era um esquema, e as actividades de boas emoções temporárias nada mais eram que um mero isco. A parte divina era apenas fachada, uma aparência. A essência era narcisismo (inferno). O narcisismo do nosso espectacular guru carismático! :D

Como dá para ver pelo trailer, era um sosse cheio de estilo! Atlético, de speedos e óculos escuros, creio que era de desconfiar de qualquer coisa... haha! Veio da américa do sul para ser actor em Holywood, mas não conseguiu. Hmm... estranho :D

Agora sem palermices, eu aceito que o Michel, ou Andreas, até tenha começado bem intencionado. Calculo que tenha lido um livro espiritual e tenha-se sentido bem, e quisesse ter o seu próprio grupo de práticas espirituais e actividades de boas emoções. Mas quando o seu ego percebeu o que podia ganhar com aquilo, não resistiu à tentação do poder sobre as pessoas que o idolatravam, e começou o grande disparate do abuso dessas pessoas. Eu não sei o que realmente aconteceu a este homem, mas das duas uma: ou foi esperto logo desde o início, ou foi vítima da esperteza do seu próprio ego. O seu karma está todo lixado, isso é garantido, haha!

Seja como for, eu quero falar mais no geral deste tema, uma vez que não vi o documentário, mas é simples perceber o processo que está por detrás da criação destas seitas, e o porquê das pessoas cairem na armadilha.

Então regra geral temos o impulsionador de tudo: o guru carismático. O homem que fornece o espaço e orientação, e que organiza tudo. Ele partilha verdade e dinamiza as actividades que põem o pessoal a sentir-se bem. E aqui está a chave e o segredo de tudo: fazer as pessoas sentirem-se bem como não se costumam sentir, ou nunca se sentiram, com actividades que não costumam fazer no mundo normal ou sociedade. Isto dá logo uma aura de especial aos encontros e ao guru, pois as pessoas só têm duas opções: ou abandonam os encontros e nunca mais se sentem daquela forma espectacular; ou voltam para se sentirem daquela forma espectacular onde em nenhum outro sítio se conseguem sentir assim – e fazer aquilo que não fazem em mais lado nenhum.

Depois há outro truque: experiências “espirituais” (?) potenciadas por algo que o guru carismático faz às pessoas. Mais uma vez, ligação especial! Haha se a pessoa quer ter aquela experiência outra vez, tem mesmo de voltar aos encontros com aquele “guru”, pois supostamente é só graças a ele que a pessoa pode ter aquelas experiências maravilhosas :D mais uma associação falsa e perigosa.

Mas antes de tudo ser feito, o falso guru tem de conseguir cativar as pessoas a experimentar. Ora isso é conseguido com o seu carisma, o que não tem nada a ver com ser espiritualmente evoluído, haha! No caso do "Michel Andreas 1 2 3 da Silva 4" (haha!), ele era artístico. Sabia dançar, tinha sentido de humor, era actor, tinha estilo e a típica aparência idealizada como a fixe (atlético), e lia imenso sobre o tema, logo sabia falar sobre espiritualidade (o que tem a ver com memória e não experiência subjectiva de estados mais elevados, haha). Algumas destas características até são talentos humanos válidos (arte, sentido de humor, inteligência), mas nada têm a ver com sabedoria espiritual que é algo que só vem de uma experiência subjectiva de estados mais elevados, ou de se Ser de um nível de consciência espiritual (essência elevada).

Portanto, ele cativou as pessoas com o seu carisma e talentos, proporcionou o contexto para boas emoções através de actividades incomuns em grupo, entreteu as pessoas com tudo isso, e depois usou técnicas nas pessoas que potenciam (ou simplesmente forçam) estados mais elevados, ou alternativos, de consciência. Estas experiências maravilhosas que as pessoas tiveram, não foram graças a ele, mas ao Espírito que há em todos nós. Não foram graças a um poder especial que só ele tem, e que usou através de uma técnica tocando com um dedo na testa das pessoas :D sim, isso ajudou, acelerou o processo, deu-lhe impulso, mas não foi a origem do processo. E forçar um estado diferente numa pessoa não é o mesmo que verdadeira evolução espiritual. Há muitos truques e técnicas que podem forçar o nosso nível de energia a subir, mas isso é sempre e apenas temporário. A pessoa não evolui depois disso, passando a ter mais consciência da realidade, a sentir-se melhor de forma permanente no dia-a-dia, e a ser capaz de fazer coisas que antes não conseguia. É apenas uma experiência temporária estimulante, como ouvir uma música, ter uma conversa interessante ou dançar.

Nenhuma das actividades dinamizadas, nem nenhuma das técnicas para potenciar estados, têm algo de mal em si. Não têm, são inofensivas. O problema está na intenção com que são usadas e como são explicadas. E neste caso do guru carismático da seita, não são explicadas como sendo algo temporário que apenas estimula e entretem (como se fosse uma simples festa), e a intenção é associar as emoções e estados dessas actividades e técnicas a ele próprio e ao seu poder especial, dando-lhes um rótulo de, “é aqui e comigo e em mais lado nenhum”, deixando as pessoas como que viciadas, e a quererem voltar, e claro, a idolatrarem o nosso lindo falso guru como um Deus :D

Portanto regra geral a intenção do falso guru é essa mesma: ser idolatrado como um Deus. Pode também ser o dinheiro que ganha com sessões especiais altamente caras, e o prazer narcisista de ter o poder de controlar centena e meia de pessoas e as suas vidas, fazendo-as voltar para sentir coisas que elas podem sentir por elas próprias, sozinhas em casa, haha! E claro, sexo! :D o ego usa verdade espiritual como isco (é só conversa, pois não vem de consciência mas sim de memória do que leu), e distorce-a se necessário, para parecer um mestre ou guru e assim conseguir enganar e controlar um grupo grande de pessoas, levando-as a fazer tudo o que ele diz (favores, pagamentos, sexo, etc), convencendo-as de que só com ele e graças a ele é que podem experienciar determinadas coisas boas interiormente.

Isto é falso, claro. E na verdade só resulta com pessoas negativas ou espiritualmente ignorantes. Calhou bem ao Michel ter começado a sua grande obra teatral nos anos 80, em que praticamente não havia acesso a livros espirituais, nem havia internet para se verificar como as coisas realmente são, e assim era fácil impressionar, enganar e seduzir nesse contexto para se ser adorado como uma vedeta divina :D o truque foi, quase de certeza, associar coisas estimulantes mas do mundo físico, a fenómenos espirituais e poderes especiais que o tornaram superior aos olhos de quem sentiu esses estados temporários maravilhosos. Estar a dançar e a cantar na natureza é espectacular, mas nada mais é que uma experiência humana estimulante. Não é Iluminação, nem vem de um poder especial do guru carismático de Marte :D

Não! O poder está em ti, está em todos nós, e é uma dádiva do Espírito. Não dependes de nenhum sosse musculado, de ray bans no focinho, com nome exótico, ou de robe dourado e turbante fluorescente, para sentires e experienciares o que de melhor há para sentir e experienciar como ser humano e alma livre. A evolução acontece na nossa vida pessoal, e nunca num contexto controlado, e baseado em evitar a vida real humana (karma), e passar o dia em entretenimentos, jogos, danças e outras distracções estimulantes temporárias com o Michael Jackson da meditação, haha! :D

Certas técnicas orientadas por um mestre real competente podem ajudar, sem dúvida. Mas enquanto não subimos de nível de consciência os problemas e sofrimento mantêm-se, pois a ajuda foi temporária. O estado, ou cura, que a técnica facilitou foi temporário, foi bom, mas não causou evolução. E depois volta-se para a vida real, e os problemas no dia-a-dia mantêm-se, e tem-se o mesmo tipo de sofrimento e limitações, pois o nível de consciência é o mesmo.

Se queremos evoluir e ser mais felizes temos de enfrentar a verdade sobre nós próprios, e isso não se alcança dançando o Shangri La Dance Power Mix vol. 2 Summer Spirit 2016 :D isso é uma experiência muito boa e estimulante, libertadora até, mas a dança é apenas dança, e a evolução é evolução. Temos de aprender a fazer as coisas pelo que elas realmente são, não nos enganando a nós próprios, e principalmente não deixando outros espertalhões nos enganarem. Pois essas actividades estimulantes, e essas técnicas de estados temporários, em si são óptimas práticas positivas, mas muitas vezes são vendidas ao público ignorante como a melhor salvação do universo, e não são :D

Entretenimento pessoal não é desenvolvimento pessoal.

Jogos em grupo não é evolução. O nosso lado humano pode sentir-se muito bem com o convívio e estímulo dos jogos em grupo, mas a alma evolui sozinha. É um processo de auto-conhecimento que exige a coragem e humildade de ver e aceitar o nosso lado mais feio. Não é divertido, não vende bilhetes nem enche pavilhões. Não torna ninguém famoso nem rico. Não vicia nem controla ninguém. Enquanto que os falsos gurus são glorificados pois fazem o ego sentir-se bem, os verdadeiros mestres ou são censurados ou mortos pois aquilo que tem de ser feito para se evoluir e ser mais feliz é a curto prazo desagradável.

Não é fixe, nem sexy, nem entretem, nem seduz, nem tem abdominais, nem ray bans no focinho, nem abraça árvores... é uma atitude de guerreiro que quer libertar-se do “mundo” do ego. É aí que se percebe que não é só o medo em nós que nos impede de ir em frente no que importa, é também o egocentrismo dos outros à nossa volta, que não quer ouvir falar do que é verdade pois isso faria-o ter de enfrentar aquilo que ele não quer enfrentar, e o ego como é óbvio não se sente entusiasmado com o seu fim. O ladrão não quer ser preso, e para ele a polícia é o vilão ;)

Muitas vezes nestes encontros “espirituais”, sejam estes mais inocentes, ou sejam mesmo uma seita com a popstar da iluminação, um dos erros, ou estratégias, é o truque da aprovação. É fazer o ego sentir-se bem. É validar a torto e a direito, mas validação incondicional não é amor incondicional, hahaha!! Validação incondicional é estúpida pois é ignorante: é dizer a tudo e todos que são lindos e espectaculares! Mas serão mesmo? Nope! :D uns são, outros não. A sedução é feita pelo orgulho de receber elogios. A pessoa sente-se como nunca se sentiu antes pois na sua vida normal isso não acontece. Mas quem merece elogios geralmente recebe-os.

O problema está em aceitar a verdade sobre nós, e isso inclui: não sou tão espectacular como tenho a mania que sou :D é impossível fugir-mos à nossa verdadeira essência. Quem de facto tem talentos e qualidades reais vai ser elogiado por isso. Quem não tem nada de especial, apesar de achar que tem e de fingir que tem, vai viver na frustração e em falso orgulho, pois não recebe elogios, ou os que recebe são falsos. O karma é sempre perfeito e justo, nós é que podemos não estar conscientes de como ele funciona =)

E outra coisa, nestes encontros e seitas... uma pessoa que por exemplo esteja no nível de consciência do desejo, se lhe for feito algo, uma técnica, para lhe elevar o estado temporariamente, e essa pessoa experienciar o estado da neutralidade, ou confiança, essa pessoa vai achar que esteve iluminada e no paraíso durante 1 minuto! Haha quando na verdade esteve num estado positivo e bom, sim, num estado de integridade, mas que ainda não é um estado espiritual, da realidade espiritual, mas que lhe vai ser vendido como tal :D por esperteza ou ignorância.

A própria pessoa irá pensar que se iluminou, pois no estado de desejo ela quer algo e esse algo tem uma importância implacável, como se fosse um caso de vida ou de morte (e pode apenas ser um telemóvel novo, haha!); quando no estado de neutralidade, a pessoa pode preferir algo, mas já está bem sem esse algo, logo se o tem ou não, não afecta a sua felicidade, que vem da sua maneira de ser, e não do que tem. Ora, este estado de neutralidade comparado com o de desejo em que se a pessoa não consegue o que quer fica frustrada e furiosa, podendo matar até, vai parecer um estado de paz infinita! Haha mas não é. É bom, é positivo, é íntegro, mas não é a Iluminação.

Tanta conversa da minha parte, quando no fundo não há nada a fazer. Irão sempre haver falsos gurus, carismáticos e espertos, e irão sempre haver pessoas que por viverem num estado negativo e ansiarem por algo melhor e diferente, serão seduzidos por eles devido à sua ignorância espiritual. No fundo faz parte do karma de ambos. Da minha parte, eu tenho de escrever e denunciar o que tenho de escrever e denunciar. Pouco me motiva neste mundo, senão descobrir mais uma ilusão e desfazê-la. Desmistificar aquilo que perpetua sofrimento. Não tenho escolha, é o que faço espontaneamente e com gosto. Faço-o ao meu nível, verbalizo aquilo que consigo, consciente de que só consigo ajudar até certo ponto, e que o caminho continua depois de “mim”. Sei o que sei, e não sei o que não sei, e lá vou fazendo o que me apetece :D

Concluindo, a minha sugestão é que vás à vontade a todas as formações de desenvolvimento pessoal e encontros ou retiros espirituais que te apetecer. Desfruta todas as actividades, jogos, danças, meditações e técnicas, seja o shakti como no Holy Hell, sejam técnicas de PNL (programação neuro-linguística, da qual não percebo nada, só sei que existe, haha!), seja hipno-terapia, seja reiki, etc. Mas faz tudo isso atento. Não associes estados temporários a evolução. Desfruta-os, mas não lhes dês um significado que não têm. E não associes esses estados a ninguém. Não os experienciaste graças à Lady Gaga do Yoga nem ao Vanilla Ice de Abraçar Árvores, mas sim graças ao Espírito.

A melhor workshop de evolução é a nossa vida pessoal.

Esse nível de felicidade está ao teu alcance na tua vida pessoal, contemplando e meditando sozinho, usando afirmações e visualizações, sabendo como queres ser, aplicando princípios espirituais no teu dia-a-dia, vivendo com coragem, humildade, gratidão e autenticidade, fazendo escolhas melhores, e procurando dar o teu melhor em tudo o que fazes. Não dependes de nenhuma pessoa especial com poderes especiais para te sentires melhor, por isso não sintas que vais perder algo não regressando a eventos de alguém estiloso que na tua intuição não quer saber de ti, e está a abusar de ti de alguma forma.

Tu és Alegria, e não precisas de nenhum idiota de cabelo oxigenado, óculos espelhados, t-shirt pelo umbigo, badalos pendurados ao pescoço e saia feita com tapete de arraiolos que não toma banho há mais tempo que a Lua, para te fazer sentir Alegre. Existir é Alegria, basta isso. Na Paz do momento silencioso em que te apercebes que agora e sempre és Livre e Infinito, irás sentir toda a energia e Alegria que sempre quiseste, e que sempre foste.

Segue o que Amas,
Pedro Constantino

PS: Se quiseres saber mais sobre o documentário e o que aconteceu, vê esta entrevista que fizeram ao realizador:


sábado, 2 de julho de 2016

"Coragem: De Timidez A Confiança"

Coragem: De Timidez A Confiança

Subscreve o novo canal de Youtube do Cool Vibes em:



Pergunta de Leitor do Cool Vibes:

“Hey Pedro! =) Espero que estejas bem... Ultimamente tenho passado bastante tempo com uma rapariga com quem comecei a falar. Já a conhecia de vista à 2/3 anos mas nunca tinhamos falado nem nos aproximado. Agora que estou no último ano do meu curso, não sei porquê, nem como, temo-nos vindo a aproximar e temos estado algum tempo juntos nos intervalos e horas de almoço.

Ela fisicamente não tem grandes atributos, diria que o que mais me cativa nela é a sua personalidade, maneira de ser e ela até se veste de uma maneira atraente, ou seja, é bastante bonita. Ela muitas vezes senta-se ao meu lado encostando o corpo todo em mim, penso que isso é uma demonstração de interesse. Ela é uma rapariga que gosta muito de falar e às vezes sinto-me um bocado saturado de a estar a ouvir. Mas penso que faz parte, não? Mas tenho reparado que dentro de mim, surge-me sempre a pergunta "Será que isto tudo que estou a sentir não é derivado de carência?" Sim, porque eu nunca tive nenhum tipo de relação amorosa com uma rapariga. Outras vezes, dou por mim a pensar "Será que isto é tudo um esquema do ego para eu continuar a não ter nenhuma relação amorosa?". Nestes últimos dias que tenho estado mais próximo dela, tenho-me percebido de várias coisas em relação a mim próprio.

Percebi que um dos meus grandes medos, é sem dúvida, ficar vulnerável a uma rapariga. Confessar tudo e expôr-me por completo. Eu tenho medo de ser rejeitado. Tenho medo de ficar sozinho, tenho medo de ser gozado, tenho medo de mostrar quem realmente sou e que ela não goste. Tenho medo do que os outros possam dizer sobre mim ou sobre nós os dois. Tenho medo de não ter resposta para o que eles disserem. No fundo, não consigo ser realmente eu próprio, devido a este medo estúpido que me persegue durante estes anos de vida. Outras vezes dou por mim a pensar: "Será que é tudo uma estratégia do ego fazer-me pensar que isto vem de carência e assim evitar que eu enfrente os meus medos e continue miserável?"

Pedro, na minha vida inteira, que me lembre, nunca fui capaz de ser eu próprio, por causa deste medo. Sempre me ajustei aos outros para não acabar sozinho. Sempre aceitei o medíocre e aqueles que nem gosto assim tanto, porque afinal de contas, é melhor isso do que estar sozinho e ser gozado por todos... ou talvez não... Gostava mesmo muito de poder ultrapassar este medo e começar a ser mais feliz... Pedro, em relação à rapariga, o que achas que deva fazer? Achas que tudo isto é por mera carência? Achas que é tudo derivado à escassez? Desculpa o desabafo grande. Abraço.”

Obrigado pela tua pergunta.

Segue o que Amas,
Pedro Constantino